Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 16 junho 2008

Reforços para a dupla

16 de junho de 2008 54

Gremistas e colorados esperam as promessas de André Krieger e Vitório Piffero/Valdir Friolin, Banco de Dados ZH

Celso Roth e Tite trabalham com os recursos humanos disponíveis no Olímpico e no Beira-Rio. Mas os gremistas seguem esperando pela “cereja do bolo” prometida por André Krieger enquanto os colorados cobrarão a promessa de Vitório Piffero de que a saída de Fernandão será compensada com a contratação de um substituto equivalente.

No Grêmio, parece evidente que seria temerário enfrentar o restante da temporada tendo apenas Roger como articulador ofensivo. No Inter, Andrezinho não pode ser visto como um armador de ataque compatível com as necessidades da equipe. Nesta função, restou apenas Alex. Na opinião deste blogueiro, não existe urgência maior nas duas equipes do que a contratação de reforços para estas posições.

E OS TORCENAUTAS, EM QUE POSIÇÕES ACREDITAM QUE A DUPLA PRECISA SER REFORÇADA?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Pobre seleção

16 de junho de 2008 46

Lucas Nunez, AP

São aceitáveis as críticas que se voltam contra a escalação de Dunga, domingo, contra o Paraguai. Nem tanto pela constatação forçada de que o treinador da seleção formara o seu meio-campo com três volantes, já que Mineiro nunca foi um cabeça de área defensivo.

O fato que mais deve preocupar os brasileiros é a pobreza técnica da Seleção Brasileira, considerando o nível que se exige do time brasileiro. Os laterais estão anos-luz distantes dos melhores jogadores que o Brasil já teve nestas posições.

Gilberto Silva, é apenas um bom volante em declínio, nada mais. Talvez conviesse que Dunga aproveitasse Hernanes, embora também o jogador do São Paulo não seja nem parente distante de ser craque. Robinho, que faz a cabeça de muitos brasileiros, não tem personalidade de um grande vencedor e as suas artísticas pedaladas já estão manjadas pelos adversários. Está faltando Kaká, sim, mas ainda é pouco.

Alexandre Pato, que chegou a ser uma grande esperança, não consegue se afirmar e continua naquelas oscilações que, no Inter, se imaginava que fossem conseqüência da pouca idade. Faz uma grande jogada e desaparece do jogo. A escalação de Dunga não foi primorosa, é preciso admitir. Mas, o problema é bem maior do que a simples escolha de nomes.

O Brasil tem uma seleção formada por bons jogadores, somente. Os diferenciados não existem mais. Ou, como Ronaldinho Gaúcho e Nazário, parecem ter antecipado aposentadoria.

DIANTE DESTE QUADRO, O BRASIL CORRE O RISCO DE NÃO CONSEGUIR VAGA PARA O MUNDIAL DA ÁFRICA DO SUL?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Edinho

16 de junho de 2008 16

Daniel Marenco

Terminado o jogo do Beira-Rio, sábado, a equipe da Gaúcha elegeu o melhor jogador da partida entre Inter e Botafogo. Por maioria, absoluta, venceu Edinho.

O volante teve, mesmo, uma bonita atuação. Marcou um golaço e no momento seguinte estava salvando o Inter de sofrer um gol. Foi eficiente o tempo todo. Jogou como nos seus melhores momentos, quando fazia a torcida cantar “Edinho Guerreiro… Edinho…”.

Teria sido efeito, simplesmente, da presença do novo treinador? Pode ter ajudado, sim, mas acho que teve mais peso na boa atuação de Edinho algumas orientações de Tite. Promover o volante a capitão do time talvez tenha sido a mais importante. Fortaleceu a auto-estima de Edinho. Mas, seguramente, a organização defensiva da equipe foi a principal responsável pelo crescimento de Edinho.

Não seria correto impedir que os volantes colorados subissem para o ataque mas, inegavelmente, não podem atacar os três, Edinho, Guiñazu e Magrão, simultaneamente, como vinha acontecendo. Quando um time vai para o lugar, crescem as individualidades.

Um velho conceito que ainda não foi revogado.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Encantamento

16 de junho de 2008 50

Tite desperta encantamento em todos/Ricardo Duarte

Durante o programa Bate-Bola, TVCOM, um dos participantes registrou que Tite iria arejar o ambiente do Beira-Rio. O treinador, presente no programa, apenas sorriu.

Fiquei pensando no que fora dito e, acompanhando a entrevista, percebi que havia um certo encantamento de todos, efeito do estilo transparente e cordial do novo treinador colorado. Tite gosta de falar sobre futebol. Não vê por trás de cada pergunta de repórter o objetivo ladino de colocá-lo em má situação. A tudo responde com simplicidade e clareza.

Sábado, quando o time voltou para a etapa final com um jogador a menos, Tite anunciou, sem fazer misterinhos tolos que não ganham jogo:

- Vamos trocar a posse de bola pelo controle do jogo. O Inter vai se posicionar defensivamente e tentar a surpresa dos contra-ataques.

Nenhuma estratégia espetacular, revolucionária, inédita. Apenas uma decisão ditada pelo bom senso. Faltava ver se o time teria entendido e seria capaz de atender Tite. Não deu outra.

Organizado e consciente do que deveria fazer, a equipe colorada superou a desvantagem do jogador a menos, controlou o ataque do Botafogo e, sempre que pode, atacou rapidamente.

O Beira-Rio, nos últimos cinco anos, sediou mau humor, misterinhos inúteis e discursos de auto-louvação. Foi, também, o período em que o Inter conquistou os títulos mais importantes da sua história, mas não foi por efeito destes comportamentos.

Basta prestar atenção às entrevistas de Tite, em todos os veículos de comunicação, para se perceber que surge um certo encantamento nas relações do novo treinador. Isto é positivo, ninguém pense que o Inter será prejudicado por isto.

QUAL É A AVALIAÇÃO DOS COLORADOS NESTES PRIMEIROS DIAS DE TITE?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Um goleiro

16 de junho de 2008 51

Victor é eficiente sem ser espetaculoso/Valdir Friolin, Banco de Dados - 25/01/2008

Ah, se tivessem pesado as restrições feitas ao Victor nos seus primeiros tempos de Grêmio. O time teria perdido o goleiro mais qualificado desde a era Danrlei. Prevaleceu a insistência dos responsáveis pelo futebol gremista, para a alegria e bem estar geral da nação tricolor.

Victor é eficiente sem ser espetaculoso. Pelo contrário, é até discreto e esta é uma característica dos goleiros que sabem se posicionar.

Aqueles que se colocam mal são os “voadores”. Fazem defesas simples parecer manobras de picadeiro. Victor, talvez, não seja perfeito, mas ainda não deu para perceber se tem alguma deficiência. É corajoso, tem boa velocidade na saída de gol, não se assusta com as bolas altas e nem vacila nas baixas. Acrescente-se, ainda, o bom comando que exerce sobre os defensores, sobriamente, e resta o perfil de um grande goleiro. Sábado, em Goiânia, ele foi destaque da equipe, mais uma vez. Já havia acontecido outras vezes. Quando se impõe a necessidade, lá está Victor para garantir.

Segundo uma máxima futebolística, um grande time começa por um grande goleiro. Não basta, mas é uma boa largada que o Grêmio, sabe-se hoje, já deu.

VICTOR JÁ GOZA JUNTO AOS GREMISTAS O CONCEITO QUE FOI DE DANRLEI?

Apesar das suas virtudes, acho que não. Danrlei colocou tantas faixas que será difícil outro jogador, em qualquer posição, repetir os seus feitos. Mas, é inegável que, comparando apenas as qualidades técnicas de ambos, Victor é quase Danrlei.

Além das faixas, falta o discurso, talvez.

Postado por Wianey

Bookmark and Share