Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Gremista identifica falta de liderança no Grêmio

05 de novembro de 2008 54

José Doval, Banco de Dados - 18/05/2004

É essencial para qualquer equipe contar com um capitão que seja capaz de liderar os seus companheiros, representá-los fora do campo e no gramado, ser um porta-voz confiável do treinador. No Grêmio, esta figura existiu em grande estilo, nos melhores momentos do clube. Um deles, cabe lembrar, foi Adilson Batista, hoje treinador do Cruzeiro. Ter um líder, um grande capitão, é do que se ressente o Grêmio, este ano, na avaliação do torcenauta Rodrigo Miller. A sua teoria:

“Caro Wianey,

Antes de tornar minhas angústias e anseios em palavras escritas neste e-mail, peço o obséquio de externar meu verdadeiro motivo por mandar essa mensagem para o senhor.

Leio sua coluna e seu blog diariamente e não escondo que meu gosto pela leitura se desenvolveu quando eu era um recém adolescente louco por futebol e lia sua coluna na Zero Hora antes de entregar os jornais na cidade que morava. Esse foi meu primeiro contato com a leitura, longe da chatice e mediocridade da sala de aula, minha primeira leitura por gosto e não por obrigação.

Gosto do seu estilo e fico feliz por saber que existem formadores de opinião realmente com alguma opinião a dar. Nada me tira mais a paciência do que condescendência, seja de qualquer ramificação da imprensa. Embora ache extremamente importante a isenção do veículo de comunicação e dos profissionais que dão vida a esse veículo, nada me impacienta mais que um jornalista sem opinião, um repórter insosso ou um analista sem idéias concretas.

E simplesmente por gostar de opiniões, sejam elas diferentes da minha ou não, que vou continuar sempre lendo seus textos e ouvindo seus comentários. Peço desculpas se esse parágrafo se tornou enfadonho, mas escrever para o senhor é como conversar com uma das pessoas que passaram pela minha vida e me ajudaram a ser um cidadão de bem e um ser pensante.

Voltando ao assunto futebol.

Venho por meio deste solicitar para que o senhor observe minha humilde opinião e, se por ventura concordares, exprima a mesma para que mais pessoas a ouçam e quem sabe assim as coisas possam mudar para o meu Grêmio. Faço isso pois entendo que possam existir mais pessoas que pensem como eu. Eu como um simples torcedor nada posso acrescentar ao meu time e meu clube, minha opinião é pequena e isolada. Mas o senhor como um comunicador respeitado pode ampliar essa opinião milhões de vezes e talvez ela chegue aos ouvidos de alguma pessoa influente e assim possa penetrar na cabeça dos que fazem o futebol do Grêmio.

Todos os aspectos que levantam para justificar a queda de rendimento do Grêmio são verídicos e plausíveis, mas ao mesmo tampo são amenos e superficiais. A mim não denotam a realidade. Ao meu ver a principal causa do declínio do Grêmio nada mais é que a falta de liderança positiva no grupo.

Pense comigo Wianey, em muitas vezes, experiência não significa liderança. Existem muitos casos no futebol de jogadores experientes que não exercem nenhum tipo de influência em um grupo, assim como jogadores jovens conseguem ascendência em um grupo se valendo de vários aspectos como a qualidade técnica, fluência verbal, inteligência, etc.

Vejamos o exemplo do Fernandão, que não era um jogador tão mais velho nem tão mais rodado que outros do grupo colorado e mesmo assim era um líder influente e positivo. Até no nosso dia a dia vemos jovens em cargos de chefia de grandes empresas. Qualquer estudioso de comportamento social vai observar que todo grupo elege inconscientemente um líder. Me parece que o grupo do Grêmio é acéfalo. Pergunto qual é o líder desse time do Grêmio?

O Tcheco nunca me pareceu um líder efetivo, em algumas vezes me passa a impressão de se esconder nas horas da adversidade, transferindo responsabilidades e se esquivando de dar a cara a tapa. Ainda me recordo daquele jogador de emocional instável advertido com freqüência. Lembra do Gre-Nal? Aquele ato intempestivo serviu de quê? Ajudou mais o Inter ou o Grêmio? O Léo não pode ser líder do grupo. Um jogador que na reta final de campeonato revida agressão de atacante, não tem no mínimo malandragem suficiente para levar o time a frente. O Pereira me parece muitas vezes impassível e sem segurança. Tenho a ligeira impressão (ainda que não passe de impressão e não fatos concretos) que quando a chapa esquenta ele sente a pressão e sente lesão. Quanto de emocional tem no fato de ele treinar normalmente estar apto pelos médicos e na hora do jogo (logo no primeiro tempo) sentir lesão? Nenhum outro jogador me parecia mais apto a liderar o grupo. O Réver e o Victor me parecem tímidos. Assim como Rafael Carioca e o Willian Magrão me parecem inexperientes demais não terem o perfil de liderança. O Souza não é do Grêmio, está de passagem. Não demonstra que veio para ficar e nem que tem condições de ser uma liderança técnica para o time. Não existe um único atacante no Grêmio que tenha qualidade superior para ser uma referência em campo nem fora dele. Se não é uma opção saudada na arquibancada não pode ser uma unanimidade no grupo.

A todos esses aspectos soma-se que um líder é a figura mais importante para se atravessar uma crise, é o espelho, o salva-vidas. E na reta final do campeonato faltou quem desse a direção do time dentro de campo. Me agoniou ver o time perdendo do Figueirense em casa, precisando ganhar para seguir rumo ao título e os jogadores do Grêmio sendo tirados pela maca. E o pior é que não vi ninguém ali dentro do campo chegar perto do Léo e dizer pra ele ser rápido. Parecia que era o time do Grêmio que estava ganhando. E tanto esse fato não chamou a atenção do time que depois o Felipe Mattione fez a mesma coisa. Onde estava a liderança do time para tranqüilizar os outros e botar a bola no chão, chamar o garoto e dizer para ele cuidar pois estava com cartão amarelo. Time que toma gol no começo do jogo é porque não entrou ligado em campo e se não entrou ligado em campo é porque ninguém mexeu nos brios dele. Cadê aquela voz forte no túnel? Não falo de peitar juiz e nem de técnico gritando na beira do campo. Estou falando do jogador que na hora da adversidade põe a bola embaixo do braço, motiva os companheiros e chama atenção para os erros.

Por tudo isso, aprecie minha humilde opinião.

Peço desculpas se minha escrita é cheia de erros, mas é o máximo que um filho de agricultores com a oitava série conseguiu aprender lendo sozinho.

Se chegar até aqui neste texto agradeço sua consideração.

Rodrigo Müller”.

Não tens motivo algum para se desculpar, Rodrigo. A tua opinião foi tão bem exposta e não só mereceu a leitura atenta do blogueiro, como a sua publicação.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Comentários (54)

  • Rodrigo Müller diz: 13 de novembro de 2008

    Pessoal, eu sou o autor do texto que nosso grande Wianey postou…
    Gostaria de agradecer os elogios e gostaria de expressar meu respeito às críticas e opiniões diferentes da minha.
    Só gostaria de dizer que embora esteja extremamente feliz pelo Wianey ter gostado do meu texto, ainda assim não pretendi em nenhum momento que este fosse publicado e coisa e tal… Não tenho essa vaidade! Minha única e verdadeira intenção é ajudar meu Tricolor, meu único amor!! E se já ajudou… Me sinto realizado!

  • leo diz: 5 de novembro de 2008

    concordo em genero, número e grau com tudo que o Rodrigo escreveu, pois eu como gremista doente e agora morando longe do RS fico louco quando vejo a apatia do Grêmio em jogos que poderiam ser fáceis, que poderiam ter vencido com folga e acabam perdendo ou até empatando. tinha a esperança de ver o Grêmio campeão do brasileiro, pois tenho 13 anos e a última vez foi quando tinha alguns meses. Mas como dizem a esperança é a última que morre.mesmo longe sou tricolor até morre.

  • Marcelo M. Musskopf diz: 5 de novembro de 2008

    Wianey, contrata logo o rapaz! A concorrência é ligeira, hein… corre, cara!
    Parabéns Rodrigo. Assim como colocastes já dá banho em muito carinha da imprensa, o que dizer se tu te dedicar um pouquinho mais nos estudos e seguir em frente como comunicador…
    Abre o olho Wianey… hehehehehehe
    E, parabéns mesmo pela leitura que fizestes do time do Grêmio, Rodrigo. É bem isso mesmo. Abraço.

  • Gustavo diz: 5 de novembro de 2008

    Me surpreende o número de colorado comentando as notícias do GRÊMIO, será que eles não tem mais nada pra fazer esse ano?? Sergio Vettorazi, títulos temos muitos posso citar apenas 1 mundial, 2 libertadores, 2 brasileiros e 4 copas do brasil, suficiente para ser maior que a que teu timeco tem.. SAUDAÇÕES

  • ADEMIR diz: 5 de novembro de 2008

    Eu já contei essa história aqui. Quando era moleque, lá pras bandas de Terra de Areia, tinha por lá uma cancha reta de 400 metros. Também por lá tinha um criador de matungos, um tal de Zoinho, que ficava uma arara porque nunca ganhava. Seus pangarés iam bem até os 200 metros e depois eram superados por cavalos puros sangue de Maquiné, Torres, Osório, etc. Uma amigo meu que ajudava Zoinho nas lidas do campo sempre dizia: “Zoinho, tu tem de botá bicho bão.” Não sei porque tô me lembrando disso.

  • Adelson Lapolli diz: 7 de novembro de 2008

    Vamos acabar com essa de Internauta, agora passou a chamar-se de Grêmionauta, ou vocês duvidam de quem é a maior torcida?

  • Adelson Lapolli diz: 5 de novembro de 2008

    Rodrigo Muller, como podes chamar de amenas e artificiais as diversas colocações dos blogueiros que se manifestaram a respeito das causas da queda do rendimento do nosso Grêmio. Para lembrá-lo o Grêmio era lider até domigo, quando não ganhou do figueira, lideres são natos ,não se acabam de uma hora para outra, acredito sim, que tenhamos líderes até demais no Olímpico…Fika com Deus!

  • Lucas diz: 5 de novembro de 2008

    Wianey, o Rodrigo está coberto de razão. Não existe uma equipe sem um grande líder. O São Paulo tem debaixo de suas traves um exímio líder que há anos vem mostrando maturidade e liderança nas horas difíceis e decisivas. Precisamos de alguém que saiba tirar a raça que está faltando da equipe do Grêmio, senão nem a vaga na libertadores conseguiremos alcançar.

  • Pedro diz: 5 de novembro de 2008

    Infelizmente, o Rodrigo tem razão!
    No ano passado, na Libertadores, foi o que faltou ao Grêmio; neste ano, no Brasileiro, está faltando ao Grêmio; no ano que vem, no Gauchão, faltará ao Grêmio! Se não conseguirmos um jogador com essas características, que venha um dirigente! O efeito não será o mesmo, mas pior que está não fica… PelamordeDeus!: esqueçam o Souza e o Perea, que não estão jogando lhufas! Mula velha, quando empaca, a gente toca o dedo no delas, que elas levantam! Faça-se o mesmo!

  • Silvio Bertol diz: 5 de novembro de 2008

    Está perfeito o que o Sr. Rodrigo Müller escreveu e foi muito bem escrito. Parabéns.
    Talvez a falta do líder não seja o único motivo da queda de rendimento do Grêmio, mas com certeza é um dos motivos e bem forte.
    E o pior é que tínhamos um líder, que pode não ser um excelente jogador, mas era um líder e foi mandado embora.
    É o Sandro Goiano, que talvez não seja do nível técnico de outros líderes que o Grêmio já teve, mas era o líder que o não temos mais e tinha amor pela camisa tricolor.

  • André Borba diz: 5 de novembro de 2008

    Voltando ao assunto de motivação, acho que os altos salários já deveriam ser motivação suficiente, mas jogador de futebol criado em outros clubes não sabem o que é torcer pelo time que está jogando. O torcedor sabe o que é isso desde que escolheram para quem torcer. Mas vá lá…..se falta motivação então mostrem diversos vídeos sobre as conquistas anteriores, diversos jogos do Gremio de Felípão, da batalha dos aflitos, mas façam algo. Quanto à liderança em campo…deixa pro ano que vem.

  • Fernando diz: 5 de novembro de 2008

    Wianey, essa opinião do Rodrigo (exposta de uma maneira magistral) não se aplica apenas ao Grêmio. E o Inter? O Guiña é o cara dos mil pulmões, mas o time não acompanha… ele joga sozinho em campo… temos craques mas, realmente, não temos o líder. Isso é espécie rara aqui nos nossos pagos…

  • Felipe diz: 5 de novembro de 2008

    parabens, meu caro Rodrigo Muller.

  • Luiz Elcides diz: 5 de novembro de 2008

    Parabéns Rodrigo Müller!

  • Adelson Lapolli diz: 6 de novembro de 2008

    Olá colorados, o Clemer é lider, depois que deixou o time o Inter não ganhou mais nada, ele continua no clube será que está dando força para os goleiros que o substitui? no Grêmio tem lideres sim, só uns querendo comer…do outro.

  • Sergio Vettorazi diz: 5 de novembro de 2008

    Nome: Gustavo
    Cidade: Santa Maria
    Estado: RS
    Data: Quarta-feira, 05/11/2008 às 16h09min
    Gustavo, voce esqueceu o titulo da 2ª divisão. E antes que eu esqueça, temos muito mais coisas a fazer, além de cornetear os gremistas, tais como, saborear o que ganhamos neste ano, quem sabe vem mais um titulo aí, aquele que voces desdenharam, talvez no próximo ano, voces dêem outro valor a Sul Americana. Fui….

  • Júnior diz: 5 de novembro de 2008

    o problema do time de perto do cemitério é que o APITO AMIGO vem ajudando menos que no primeiro turno.

    mais de 20 pontos graças à arbitragem colocaram a tartaruga em cima do poste.

  • Fernanda diz: 5 de novembro de 2008

    Sou obrigada a comentar e dizer para o Rodrigo, que ele tocou num ponto que eu não havia parado pra pensar ainda…. e acredito que ele pode ter razão sim. Realmente, o Tcheco, apesar de eu gostar muito dele, não anda demonstrando muita liderança… pelo menos vendo de fora… agora, como ele é no vestiário eu não sei. Mas realmente não vejo ninguém em campo fazendo esse papel e também não imagino agora ninguém para fazer. Triste. Mas como gremista, ainda preciso acreditar que dá! FORÇA GRÊMIO!

  • Pedro Henrique neto diz: 5 de novembro de 2008

    O Gustavo faltou incluir na “grande” lista de títulos do Portoalegrense o “GRANDE CAMPEÃO DA SEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO” afinal vcs se orgulham tanto da “batalha dos Aflitos”

  • GREMISTA diz: 5 de novembro de 2008

    A FALTA DE LIDERANÇA,PARTE DO TÉCNICO ROTH,ENQUANTO O GRÊMIO ESTAVA GANHANDO(OS OUTROS CLUBES NÃO TINHAM PEGO SEU ÚNICO ESQUEMA),O TREINEIRO ERA PURA ARROGÂNCIA E IRONIAS,CONTRA A IMPRENSA E TORCIDA,ANULANDO ASSIM COMPLETAMENTE QUALQUER LIDERANÇA DE JOGADORES,ELE ERA O SENHOR SUPREMO!AGORA,COM A CASA RUINDO,ESTAMOS SEM UM LÍDER DENTRO DE CAMPO E COM UM TREINEIRO TOTALMENTE PERDIDO À BEIRA DO GRAMADO!

  • Alex diz: 5 de novembro de 2008

    Parabéns pelo texto Rodrigo. Também concordo contigo, falta um líder nesse time. Que saudade do Dinho, Adílson, De Leon, Sandro Goiano…

  • Pedro diz: 5 de novembro de 2008

    Belo texto….
    que saudade do Sandro Goiano….

  • Sergio Vettorazi diz: 5 de novembro de 2008

    Nome: Gustavo
    Cidade: Santa Maria
    Estado: RS
    Data: Quarta-feira, 05/11/2008 às 16h09min
    Cara, voces são muito raivosos, igual ao PT, igual a Igreja Universal!!!Por isso que ninguém suporta esta gremistada, e não são só os colorados, é o resto do país, por isso tá todo mundo contra o teu time. Falta tudo neste time, mas sobra soberba!!!

  • FABRICIO diz: 6 de novembro de 2008

    MEU DEUS DO CÉU, QUE PAPINHO ESTE DE VOCÊS… FALTA DE LIDERANÇA, FALTA DE GARRA, SEI LÁ, TODAS ESSAS CAUSAS “TEÓRICAS” E “FILOSÓFICAS” QUE ESTÃO DIZENDO POR AÍ É SOMENTE PARA MASCARAR A PRINCIPAL QUESTÃO DO GRÊMIO: A FALTA DE QUALIDADE TÉCNICA DE SEU GRUPO E DE SEU TREINADOR!! VAMOS ACORDAR! PAREM COM ESSA CONVERSA FIADA DE LIDERANÇA, CAMISETA, TRADIÇÃO, FOCO, ISSO NÃO GANHA TÍTULO, NUNCA GANHOU… SEMPRE QUE A QUALIDADE FALTA, O ASSUNTO VIRA PRA ESSE LADO… É DESCULPA DE QUEM NÃO TEM TIME.

  • Victor Lopes diz: 6 de novembro de 2008

    EXCELENTE!!!Este jovem está no lugar errado, esteja ele onde estiver…deveria estar na Zero Hora! Mas falando em futebol, bem que nossa diretoria míope poderia ler a mensagem do Rodrigo. Ele está coberto de razão. Talvez assim tenhamos alguma chance na Libertadores 2009, onde o título deveria ser obrigação, como pagamento dessa dívida absurda com essa maravilhosa torcida. Afinal de contas, nos últimos 12 anos nunca estivemos tão perto do título brasileiro, agora entregue covardemente ao SP.

  • valdomiro diz: 5 de novembro de 2008

    Belo texto.
    Idéias bem organizadas.
    Uma das poucas vezes que consegui ver uma análise tãobem detalhada de tudo isso que ocorre com o Grêmio.

  • Adelson Lapolli diz: 5 de novembro de 2008

    Rodrigo Muller, como podes chamar de amenas e artificiais as diversas colocações dos blogueiros que se manifestaram a respeito das causas da queda do rendimento do nosso Grêmio. Para lembrá-lo o Grêmio era lider até domigo, quando não ganhou do figueira, lideres são natos ,não se acabam de uma hora para outra, acredito sim, que tenhamos líderes até demais no Olímpico…Fika com Deus!

  • JUAREZ diz: 6 de novembro de 2008

    Wianey teparabenizo por ter postado a opinião clara, objetiva e porque não concisa do Rodrigo. Ele faz uma observação lógica do elenco e do próprio jogo com o Figueirense,pois me chamou a atenção e a minha ira quando atletas do Grêmio caiam e ficavam no chão esperando atirarem apenas um Éter e já levantavam (lembra do Reinaldo?). Vamos sacudir esses jogadores. O Tcheco parece um morto dentro de campo. Outros burocratas com jogadas só pros lados. Cadê a força, a pegada na marcação?

  • Preto diz: 6 de novembro de 2008

    Acabou a liderança mesmo, hoje está em terceiro e vai terminar o campeonato em quinto.
    Fica Celso Roth!!!

  • Robinson diz: 6 de novembro de 2008

    O principal motivo da queda de rendimento do Grêmio foi a mudança de postura em campo.

    No primeiro turno por saberem das limitações técnicas da equipe todos marcavam, inclusive Marcel e Perea, no segundo turno, provavelmente, por estar consolidado na liderança o time passou a querer jogar um futebol de mais toque de bola, foi aí que a defesa ficou sobrecarregada levando mais gols, e quanto mais gols sofre mais a equipe se joga para o ataque sem organização.

    Temos que voltar a marcar bem!!

  • P.C. diz: 6 de novembro de 2008

    Wianey! O internáuta Rodrigo Müller expõs, é exatamente o que eu, particularmente, penso. No jogo com o Figuera, por exemplo, o Tcheco simplesmente não cobrou nehuma falta ou escanteio, jogada que, muitas vezes, levou o Grêmio a vitória. Então, com razão, o Tricolor não tem no momento uma liderança. Abraço a todos!

  • Antônio diz: 5 de novembro de 2008

    O Rodrigo está certo, realmente falta um líder. Para quem já teve um Adílson, um Oberdã, um Mauro Galvão, um De León ver os Tchecos e Léos da vida é de chorar. Mas falta um outro líder, o líder de vestiário, um treinador com capacidade de indignação, cobrador e, acima de tudo, “entendedor” de futebol. Este, infelizmente, não é o caso do Burroth. Falta de líder em campo + treinador fraco + dirigentes míopes dá nisso…:frustração. Se conseguirem a vaga na Libertadores já terá sido um milagre.

  • Osvaldo Avila da Rocha diz: 5 de novembro de 2008

    Rodrigo Muller, parabéns por sua mensagem clara, objetiva e verdadeira.
    Acredito que além da falta de um jogador líder dentro e fora de campo, também falta qualidade ao nosso time. Em nosso plantel não temos lateral ou ala esquerdo e nem atacantes com nível técnico compatível com as tradições do Grêmio.

  • Paulino – Londrina diz: 5 de novembro de 2008

    Concordo que falta um lider no time. Mas se o time chegou nessa liderança do campeonato tinha que aparecer os mais experientes e dar motiovação suficiente para manter a boa campanha. O técnico tem que mexer com o brio dos jogadores. Quem sabe domingo aconteça uma zebra e o Gremio ganhe do Palmeiras. Ta na hora da sorte voltar pro nosso lado, o Palmeiras ganhou do Santos no final, o S. Paulo foi ajudado pela arbitragem contra o Botafogo, penso que domingo é nossa vez. Abraço Wianey.

  • NB diz: 5 de novembro de 2008

    Concordo com o gremista acima….o capitão do meu time é o Edinho, isto já diz tudo…um perna-de-pau que se expressa muito mal…imaginem ele pressionando o árbitro na Bombonera…

    Já havia percebido no Theco esta ´amarelada` em situações críticas…

    O Capitão é aquele que pega a bola em suas redes (gol contra o seu time), caminha pro meio-campo e diz:
    - Deixa comigo !

    No Inter, tirando uns 04/05 (Indio, Guina, Magrão, Dale e Nilmar) o resto são moças em campo…

  • Garota GREMISTA SEMPRE! diz: 6 de novembro de 2008

    VCS COLORADOS SÃO MUITO RECALCADOS,VCS N TEM NADA PARA FALAR DO TIME DO ATERRO?VÃO PROCURAR OQ FAZER E DEIXAR AS COISAS DO GRÊMIO PARA NOS ,QUE SOMOS VERDADEIROS E APAIXONADOS POR ESSE TIME

  • jose luiz gomes diz: 5 de novembro de 2008

    até quando vão com essa frescura de liderança, um time só é vencedor quando tem jogadores qualificados e com atividades bem definidas dentro do esquema tático por um treinador competente….sem essa de falta de liderança, isso é conversa prá boi dormir…

  • Lucas Gomes diz: 5 de novembro de 2008

    Concordo plenamente com o Rodrigo.
    Esperava que esse líder tão necessário fosse o Tcheco, mas, talvez caiba chamá-lo de “amarelão” .. A falta de um líder realmente faz falta ao time do Grêmio. Temos um exemplo próximo da importância de líderes num time, quando Fernandão e Iarley estiveram a frente dos maiores títulos do Inter ..
    E, para vermos como um bom técnico faz diferença, basta vermos quem está na ponta da tabela: Muricy e Luxemburgo. Obrigado

  • Sergio Vettorazi diz: 5 de novembro de 2008

    Rodrigo, voce deve ser colorado, para enxergar tanto, porque a gremistada é cega, nãpo enxerga nada e nem para para pensar.
    La na azenha, falta jogadores, time, treinador, direção, estádio e também falta titulos, somente isso. Acho que esta entidade deveria vender o estádio para alguma igreja, quem sabe para a Universal, com certeza adeptos já teria.

  • Claudio Duarte diz: 6 de novembro de 2008

    É uma injustiça atrás de outra, o que acontece na azenha. Um time modesto, o que agora todos concordam, fez um bonito papel no momento possivel e somou pontos, vencendo partidas fora de casa, quando os adversários eram inconstantes. Graças a quem? A Celso Roth. Como criticá-lo agora que o “feijao com arroz” não funciona mais? O Gremio tem boas chances de ir para a libertadores, o que seria conseridado improvável no inicio do campeonato. Graças a quem? A Celso Roth.

  • Elizete Fraga de Souza diz: 5 de novembro de 2008

    Emocionamente a carta do Rodrigo Muller. Eu como torcedora de alma e coração do Grêmio, concordo com tudo que ele escreveu. Assim como no futebol, muitas vezes em nossa vida precisamos de uma figura mais importante para nos ajudar a atravessar uma crise, um verdadeiro salva-vidas.
    Eu pergunto será que dá tempo e vontade para alguem ser o salva-vidas desse time do Grêmio? Ainda tenho esperança, pois até o apito final da última rodada… quem sabe.

  • Sergio Lourenço diz: 5 de novembro de 2008

    A Diretoria apostou na liderança do Roth. Resultado: vamos disputar apenas a Mercosul.

  • Ronaldo Rosem diz: 5 de novembro de 2008

    Não é só um problema de falta de líderes, mas também sócio-psicológico, me lembro do tempo que o Corinthians tinha um psicólogo.O Gremio precisa explicar à torcida porque ele tem um sentimento de auto-flagelação e satisfação em dar vexame, perdendo grandes oportunidades de sucesso.Só o Gremio não ganha do Figuerense,o Fluminense acabou de ganhar, jogando fora, em Florianópolis.O Grêmio é hoje um timeco abalado e perdedor, que dá constantes vexames.No ano passado, o vexame foi o Boca.Até quando?

  • Paulo diz: 5 de novembro de 2008

    -Rodrigo parabens! Só não concordo com a expressão “Nada posso acrescentar minha opinão é pequena e isolada”. Vc já acrescentou muito e sua opinião com certeza cada vez será maior e sem dúvida terá milhares e e porque não milhões de seguidores. O clube tem que ouvir os torcedores. Os torcedores são infinitamente “maiores” que o clube.

  • Aloizio X. Peres diz: 5 de novembro de 2008

    Caro Rodrigo, faço minhas as tuas palavras. Tive e tenho a mesma impressão que você, só não havia externado. Acredito que essa homenagem que o Grande Wianey te prestou foi, não só para você como para a grande massa de torcedores gremistas aguniados. Espero que realmente essa opinião chegue aos ouvidos de pessoas influentes no Grêmio para que no próximo ano, esse não dá mais, procurem essas características nas futuras contratações. Lembro de Oberdan, o próprio Adilson, Dinho, …

  • Adelson Lapolli diz: 6 de novembro de 2008

    Rodrigo Müller,como tu podes chama-las de amenas e superficiais as opiniões dos blogueiros Grêmistas e tentar valer-se apenas da tua, Permita-me discordá-lo que seja a unica explicação plausível para a queda do Grêmio, existem várias que eu já pude lê-la neste blog, a tua é a menos provável uma vez que o nosso time era lider a apenas uma rodada atráz e lideres o Grêmio tem de sobra…Fika com Deus!

  • Luzinha Franzoi diz: 6 de novembro de 2008

    ô, Wianey, agora até me comovi. e concordo com o nosso amigo tricolor em gênero, número e “de” grau. foi o que melhor explicou tudo que aconteceu, este ano, no tricolor. enquanto tudo ia bem, o time ia bem também, mas quando as coisas começaram a complicar, foi um strike, ninguém apareceu. não temos um Dinho, um Sandro Goiano, um Adilson Batista. e agora, Wianey? e eu que dava como certo o Tri, apesar de só serem 2 pontos a menos, já começo a me impacientar… abraços a ti e ao amigo tricolor!

  • MTK diz: 6 de novembro de 2008

    Excelente texto.A história comprova que todo o grande time tinha uma liderança e/ou uma referência técnica.Dos grandes times do Grêmio mais recentes – 1995/96 – Adílson/Dinho/Jardel (bola nele que tudo se resolvia) 2001 – Zinho/Mauro Galvão/Marcelinho Paraíba – 2003 – Zinho/Rodrigo Fabri. No primeiro turno a referência técnica era Róger, logo que Tcheco assumiu seu lugar parece que seria o líder natural, mas historicamente ele se abate nos momentos decisivos.Mas a maior falta é no banco de res.

  • Eduardo diz: 5 de novembro de 2008

    Wianey,
    dá um estágio pro guri.
    tem muito mestrando que conheço que não escreve assim.. hehehe

  • Kirmá Mota diz: 6 de novembro de 2008

    Parabéns, Rodrigo, pela tua magnífica análise do que é o Grêmio hoje. Como afirmou o leitor Victor Lopes devias estar na Zero Hora, pois és centrado, sem a paixão cega de torcedor. Concordo contigo, está nos faltando liderança, seja no time, na comissão técnica ou entre os cartolas.

  • Luiz Meireles Soares Nunes diz: 5 de novembro de 2008

    Concordo com o Rodrigo: falta liderança ao time. No entanto, não acho que isso seja a causa do declínio. Se fosse assim, o time não teria alcançado o elevado rendimento do primeiro turno. A verdadeira causa é o mau planejamento na preparação física que foi muito puxada no início chegando ao nível máximo antes da hora. Mesmo assim, o preparador poderia ter dado melhores condições para atletas que ficaram de fora por suspensão ou por outro motivo, como Tcheco, Willian, Souza, Paulo Sérgio, etc..

  • Leandro Coll diz: 5 de novembro de 2008

    Concordo plenamente com o Rodrigo.
    Entre tantas razões para o fracasso do returno, a falta de liderança é, sem dúvida, a mais significativa.
    Tanto dentro de campo, entre os jogadores, quanto no comando, com nosso depressivo treinador. Não temos um motivador, alguém capaz de indignar-se com a postura do time. Nosso treinador mexe na equipe somente quando o resultado é adverso e nunca no intervalo. Qual o sentimento de um atleta quando ele é chamado restando 15 minutos de jogo? Estamos perdidos!

  • Mario diz: 5 de novembro de 2008

    Alguém imprima isso e cole na cara de cada dirigente lá!

  • Bruno diz: 5 de novembro de 2008

    Gostaria apenas de acrescentar: essa liderança pode vir de um jogador, como fernandão ou até mesmo Roger; de um técnico, como o Felipão; de um dirigente, como o Fernando Carvalho; ou até mesmo de um profissional que mobilize a equipe pela psicologia. Acho que falta no Grêmio um profissional dessa área para transformar o time em uma equipe.

Envie seu Comentário