Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de abril 2009

A paixão distorce, causa cegueira e emburrece

30 de abril de 2009 76

Historinha do cotidiano:

Despudoradamente ela traía o seu marido e nem fazia questão de esconder as suas andanças sensuais. Não escolhia lugar, ocasião, horário. Com o seu amante, frequentava restaurantes, teatros, cinemas e parques. Certa vez, chegou a fazer uma viagem sob a mais estapafúrdia justificativa. Depois de alguns dias, voltou para o abrigo seguro do seu lar, para felicidade e regozijo do marido. Os amigos do inditoso sujeito, inconformados com a situação, decidiram contar-lhe as tramas amorosas da sua esposa, sem omitir detalhes. Em silêncio, tudo ele escutou e, no final da narração, fez um único comentário:

— Vocês estão enganados. Minha mulher é pura concentração de virtudes.

Frustrados na investida de esclarecimento, decidiram registrar em fotografias a prova da descarada infidelidade. Contrataram um detetive e dois dias depois recebiam dezenas de fotos, uma mais comprometedora do que a outra. O cordato marido examinou o material com ar de enfado e, no final, considerou:

— A maldade humana não tem limites. O que pretendem com estas montagens fotográficas?

O homem não se deixava convencer, mas os amigos fiéis não desistiram. Diante da relutância do bom marido, decidiram que só havia uma maneira de fazê-lo enfrentar a verdade: trazendo para diante dos seus olhos a prova viva do que diziam. Não precisaram esperar muito tempo. Na semana seguinte, dia de sol, céu sem nuvens e um certo perfume primaveril nos ares, levaram o amigo a um parque da cidade. Estacionaram o automóvel a uma distância conveniente e indicaram a cena que se desenrolava em um bucólico recanto, à sombra de uma paineira e à margem de um laguinho aonde se refestelavam tartarugas e peixinhos, graciosamente coloridos.

A cena não poderia ser mais explícita. A esposa do desconfortado marido se aninhava nos braços do amante, com quem trocava beijos e carícias possíveis para o local e horário. Um hino à lascívia.

Os amigos, silenciosamente, buscavam no olhar do traído algum indício que pudesse revelar perda momentânea da razão, aquela intensa emoção que provoca os crimes passionais que infestam as páginas policiais dos jornais e realizam o voyerismo da população. Masculina, claro. Mas nenhum músculo se movia naquele rosto que adquirira rigidez de rocha. Sequer uma piscadela quebrou a monotonia daquela face.

Quando os parceiros do pobrezinho já se preparavam para questioná-lo, ele abriu um leve e rápido sorriso e com o jeito próprio daqueles que se julgam superiores, apresentou a sua leitura de jogo, quer dizer, da cena:

- Ufa! Desta vez vocês quase me preocuparam. Foi bom eu ter vindo. Assim evitei que a maledicência deformasse um mero encontro da minha esposa com um primo querido, havia tempos afastado da família.

Os amigos desistiram. Nada, prova alguma seria suficiente para abrir os olhos daquele homem, irremediavelmente, apaixonado. Fanático pela esposa.

A historia é tão fictícia quanto corriqueira. Repete-se nos relacionamentos, política, religião e… no futebol. A paixão distorce, cega e deixa o sujeito muito menos inteligente do que seria. Sempre. Contem, apaixonados e fanáticos, com a minha compreensão. Sei que discordarão do que escrevi. É sempre assim.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Dupla mortífera garante vitória nos Aflitos

30 de abril de 2009 54

Arnaldo Carvalho, JC Imagem, AE
Eles são letais. Qualquer distração do adversário é, sempre, fatal. Rápidos, dribladores e ótimos finalizadores, Nilmar e Taison garantiram a vitória que o Inter jamais havia conseguido nos Aflitos.

Há seis meses que o Náutico não sabia o que era perder no seu estádio. Ontem, teve que engolir o Inter e o seu futebol de toques envolventes. O gramado era uma verdadeira paisagem lunar, tal o número de crateras que apresentava. Mesmo assim, o Inter conseguiu reproduzir a sua principal virtude: troca de passes, sempre em direção ao gol adversário.

O time pernambucano tentou parar o colorado distribuindo pancadas. Não adiantou. O time de Tite jogou com naturalidade e, praticamente, garantiu passagem para a fase seguinte da Copa do Brasil. O Inter ganhou fora de casa e desta vez, mesmo não sendo brilhante, foi convincente. Fez goleada e o Corinthians está quase fora. Que fase!

Destaques do jogo? Vários. D´Alessandro, como sempre, deu show. Guiñazú foi um capitão perfeito, reprisando o seu costumeiro futebol de dedicação e qualidade. Nem é preciso lembrar que Nilmar e Taison, com os seus gols decisivos, também foram destaques. Cabe registrar, também, que Marcelo Cordeiro entrou e deixou o seu gol, no placar.

Já aconteceu outras vezes. O Inter, a cada jogo, mostra-se uma equipe madura, pronta, capaz de se impor em qualquer terreno. Faltava ao time, sempre que jogava longe do Beira-Rio, a personalidade que mostrou aos pernambucanos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Grêmio e Inter estão carentes de volantes

29 de abril de 2009 51

Daniel Marenco e Fernando Gomes, Banco de Dados ZH

Souza foi o melhor jogador da partida do Grêmio contra o Boyacá Chicó. Chegou a marcar dois gols, um deles, belíssimo. Teria sido, apenas, uma noite de especial inspiração do jogador? Não creiam. O treinador interino, Marcelo Rospide, com poucos minutos de jogo, fez uma alteração de posicionamento que acabou liberando Souza para, com menos ocupações defensivas, soltar-se e ir ao ataque com desenvoltura.

O que fez Rospide? Simples. Adiantou Réver, transformando-o em um volante defensivo. Como, aliás, já havia acontecido em outros jogos. Nesta partida, o Grêmio jogou no 4-4-2 e, neste esquema tático, garantiu a vitória no primeiro tempo e descansou na etapa final.

Desde que perdeu Rafael Carioca, o Grêmio ressente-se da ausência de um bom volante. Não é Diogo, poderia ser Willian Magrão, mas também não é Adílson. Está faltando esse jogador no Olímpico para que o Grêmio se torne um time equilibrado e seus principais jogadores não sejam obrigados a desempenhar funções tão defensivas, casos de Tcheco e Souza.

No segundo semestre, o Inter viverá problema semelhante quando Sandro será convocado por largo período para disputar o Mundial Sub-20. Quem é o reserva de Sandro hoje? Glaydson? Ora, por favor. Se o Inter não encontrar um substituto para Sandro, Tite acabará estragando o meio-campo com o recuo de Magrão para a função de volante. Quem tem visto os jogos do Inter percebeu que Magrão tem sido um apoiador ofensivo de grande eficiência. Sem Sandro, voltará a tentação de amarrar Magrão a primeira função do meio-campo.

SANDRO — O volante titular do Inter será convocado para a Seleção Sub-20 em setembro. Talvez seja chamado em agosto para a preparação. Quem é o seu reserva no Inter? Glaydson?

RAFAEL CARIOCA — Tudo indica que Rafael Carioca não será liberado para voltar ao Grêmio. Quem virá para assumir a titularidade de primeiro volante no Grêmio?

Não deixa de ser engraçado que os dois grandes clubes gaúchos, Grêmio e Inter, estejam carentes nesta posição, que é a mais execrada pela torcida brasileira. E a imprensa, por que não?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Grêmio lança adesivos dos seus jogadores

29 de abril de 2009 29

Adesivo do capitão Tcheco/Grêmio, Divulgação

Amanhã, 30 de abril, o Grêmio lançará os adesivos colecionáveis de três de seus jogadores, na Loja GrêmioMania, em parceria com a Action Stars. O capitão Tcheco, Victor e Souza estarão recebendo a imprensa e torcedores para autografar seus adesivos na loja do Estádio Olímpico, a partir das 18h30min.

Em 2008, o Grêmio foi o primeiro time brasileiro a acreditar na nova tecnologia de vinil reutilizável que a Action Stars trouxe dos Estados Unidos, e lançou o brasão tricolor em tamanho gigante, que foi um sucesso. Os colecionáveis são adesivos com imagens em alta definição que podem ser destacados e aplicados em qualquer tipo de superfície lisa, desde laptops, capas de cadernos, paredes e portas. O grande diferencial do produto é que o adesivo em vinil “lowtac” pode ser aplicado e reaplicado mais de cem vezes sem deixar resíduos ou perder a cola. O preço dos colecionáveis é R$ 9,90 cada.

No dia do evento, os três adesivos dos jogadores serão vendidos em uma embalagem única por R$ 20.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Zagueiro admite que Simon pode ter acertado

29 de abril de 2009 37

Valdir Friolin, Banco de Dados - 26/02/2009

A notícia saiu no site Globoesporte.com. Este blog reproduz:

“Zagueiro do Fortaleza volta atrás e admite que pode ter cometido a penalidade

Depois de ter confirmado que não fez a falta no atacante Edu Sales, do Ceará, Silvio garante que não sentiu, mas pode ter tocado o adversário

Victor Valente, Rio de Janeiro

Depois da polêmica gerada na final do Campeonato Cearense, quando o juiz Carlos Eugenio Simon marcou um pênalti duvidoso para o Ceará, uma nova declaração promete aumentar essa discussão. O zagueiro do Fortaleza, Silvio, que estava no lance em que o atacante do Ceará cai aparentemente sozinho na grande área, admitiu que pode ter acontecido um leve toque, mas que ele não sentiu nada no momento.

— O que deu para perceber é que o campo é bastante irregular lá e eu estava a uns dois metros, bem distante dele. O jogador do time deles queria provocar um pênalti e tinha muita gente na frente do Simon. Eu acho que até posso ter tocado, mas se toquei eu não senti. Mas se pegou mesmo, foi fora da área — disse o zagueiro, que está em Volta Redonda, onde o Fortaleza joga nesta quarta-feira, contra o Flamengo , pela Copa do Brasil”.

E agora, Seu Zé?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

No Olímpico, ninguém marcou gol no Grêmio

28 de abril de 2009 71

Valdir Friolin

Não deu nem para a saída. O Boyacá foi o Boyacá e o Grêmio foi o Grêmio, o melhor desempenho entre os 32 participantes da Libertadores/2009. Marcelo Rospide, aplaudido entusiasmadamente pela torcida presente no Olímpico, fechou o seu terceiro jogo como treinador interino, faturando todos os pontos disputados.

O Grêmio não decepcionou. Começou o jogo amassando os colombianos e só descansou na etapa final, quando a vitória já estava assegurada. Souza, marcando dois gols, foi a figura da partida. Marcou um gol de placa, por cobertura, feito possível apenas aos jogadores de refinada técnica. Victor, mais uma vez, também teve o seu momento de destaque quando defendeu o pênalti, mantendo incólume a sua goleira. Ruy, voltando ao time, foi o dínamo que andava faltando ao Grêmio no lado direito.

Com a vitória, que lhe conferiu a melhor performance na fase inicial da Libertadores da América, o Grêmio vai decidir no Olímpico sempre. Inegável vantagem. A importância desta prerrogativa conquistada se expressa por um fato de boa relevância: no Olímpico, nesta Libertadores, ninguém marcou gol contra o Grêmio.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Dirigentes argentinos homenageiam o Inter em DVD

28 de abril de 2009 52

Marcos Nagelstein, Banco de Dados - 3/4/2009

Recebi e repasso para os torcenautas que prestigiam este blog, correspondência ilustrada com vídeo, enviada pelo consulado do Inter, em Buenos Aires:

Caro Wianey,

Em homenagem ao Centenário colorado, o Consulado de Buenos Aires fez um DVD com entrevistas com alguns dos presidentes dos principais clubes da Argentina (Boca, Estudiantes, Independiente, Racing, San Lorenzo e Vélez — o presidente do River, por motivos particulares não pode nos receber) e com a Cônsul do Brasil em BsAs (colorada). Entregamos este DVD a alguns dirigentes do Inter na festa dos 100 anos. Mas o DVD está dirigido a diretoria e também a torcida, então subimos uma versão resumida no youtube para que o máximo possível de colorados possam ter acesso a essas mensagens de felicidades. Te passo o link para você dê uma olhada e quem sabe até o divulgue se assim o entender.

Um forte abraço,

Leonardo Paes Furtado

Cônsul do Inter em Buenos Aires

Assista ao vídeo:

 

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Depois das críticas, balança incrimina Walter

28 de abril de 2009 26

Jefferson Botega, Banco de Dados - 12/04/2009

A exclusão do centroavante Walter da delegação que viajou para Recife, preterido em nome de Leandrão, mereceu críticas imediatas na imprensa. Seria uma exagero de Tite e uma maneira diferenciada de tratar manifestações de inconformidade, dependendo da idade e do renome do jogador. Algumas horas depois foi informado que Walter não viajara por estar com quatro quilos acima do seu peso ideal.

Longe de mim suspeitar de que esta informação tenha sido apenas uma desculpa para o afastamento de Walter. Mas é impossível não lembrar de casos passados e estabelecer comparações. Enciso, o paraguaio que jogou no Inter, muitas vezes era afastado do time sob a desculpa motivada por um certo índice de gordura. E o cara era magrinho, magrinho. Mais recentemente, justificativas incompreensíveis também deixavam Alexandre Pato na reserva para que jogassem Gabiru e, suprema heresia, Michel.

Admitindo, entretanto, que o problema de Walter tenha sido excesso de peso — ele realmente luta contra a balança — está na hora de o Inter apertar a vigilância sobre a alimentação do guri. Mas não existe melhor remédio do que a motivação. Mantenham Walter mobilizado e entusiasmado e ele mesmo se encarregará de dosar a sua carga diária de carboidratos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Grêmio e Inter ainda não provaram nada

28 de abril de 2009 59

Piffero e Kroeff /Fotos de Emílio Pedroso e Vinicius Rebello, BD

Torcedor, é normal, tem memória seletiva: guarda na memória apenas o que lhe interessa. Não se trata de uma crítica, apenas constatação. Prova é o e-mail que reproduzo a seguir . Iguais a ele, no conteúdo, recebo milhares, todos os meses:

“Caro Wianey,

Te confesso que acho estranha a manifestação da imprensa em geral e a tua por comentários na Zero Hora. Quando o Inter deu um banho de bola no Caxias e se tornou bicampeão, no outro dia os comentários eram todos na direção de que o Internacional não tinha provado nada com aquela belíssima atuação e que deveria pegar times mais fortes para comprovar seu poderio de fogo, pois o único time forte que o Inter teria pego até agora seria o Grêmio. Agora pergunto: e o Grêmio, provou o quê até agora? E todos vocês continuam a elogiar sua performance.

Até agora o Grêmio só jogou com um time forte: o Inter, e perdeu três vezes. Quanto aos argumentos que o time é o líder geral da Libertadores _ o que é verdadeiro _ é fraquíssimo, pois estes times com quem o Grêmio competiu na chave, tenho certeza, não se classificariam no Campeonato Gaúcho e não sei se não seriam rebaixados. Por que vocês não comentam isto? O Inter, por melhor que esteja, sempre tem de ser criticado, enquanto o outro, que é nosso saco de pancada, qualquer jogo que faça é motivos de elogios. Para nós colorados, isto é muito bom pois vocês repassam para eles e sua torcida uma situação ilusória. Um grande abraço e pode ficar certo que continuo teu leitor assíduo”.

O Emilio comete o pecado da distração enquanto é traído pela sua memória seletiva. A imprensa e este blogueiro/colunista têm dispensando igual consideração para as vitórias da Dupla, sem fazer distinção alguma. Nem um único elogio foi negado ao Inter nas suas goleadas e grandes atuações. Mesmo tratamento está sendo dispensado ao Grêmio e a sua campanha na Libertadores. Mas, nem os presidentes Piffero e Kroeff ignoram que os seus times ainda precisam provar valor enfrentando adversários que sejam realmente fortes. Gre-Nal não serve para avaliações definitivas. É um jogo especial no qual o mais fraco se supera e equilibra o confronto. Sempre foi assim. Quem não tiver idade suficiente para saber, consulte os mais velhos. No que diz respeito as avaliações recíprocas sobre os adversários do outro, não existe balança para pesar as deficiências de cada time. Fica por conta do imaginário de cada um. Assim, os colorados pensam que os rivais que o Grêmio enfrentou teriam dificuldades no Gauchão, enquanto os gremistas entendem que os times do Gauchão são muito mais fracos que os da Libertadores. Esta é uma discussão que os torcedores fazem mas quase exigem que a imprensa entre nelas.

No que me diz respeito, estou fora. Fico apenas na reiterada constatação: a Dupla ainda não provou muita coisa. Quase nada. Ou, nada.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

A megarretranca que espera pelo Grêmio

28 de abril de 2009 16

Guillermo Legaria, EFE
Atalho infalível para a derrota é favorecer a vitória do adversário. É com esta certeza que o Boyacá Chicó se prepara para enfrentar o Grêmio, 19h30min, no Olímpico. Precisa vencer para, ainda, pensar em classificação, mas investirá na especulação ofensiva. Resumindo: o Boyacá buscará não sofrer gols e surpreender o Grêmio em algum contraataque.

Parece uma obviedade, mas enervar o rival que joga diante da sua torcida, levando-o a correr riscos movidos pela ansiedade, esta será a estratégia do time colombiano. Jornalistas da Colômbia, que se encontram em Porto Alegre, garantem que o Boyacá se valerá de uma megarretranca, esta noite, tentando beneficiar-se de eventuais descuidos do Grêmio. Será, para usar uma imagem desgastada pelo tempo, uma briga entre gato e rato.

Tanto quanto jogar, será preciso que o Grêmio seja inteligente, não se impaciente. O Boyacá só terá quatro jogadores no banco de reservas. O treinador Alberto Gameiro só conseguiu reunir 15 jogadores para compor a delegação. Nada menos do que 10 profissionais estão afastados por lesões, cartões e convocações da Federação Colombiana de Futebol. O Grêmio está com as melhores cartas. Só precisa não errar.   

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Repercute o surpreendente discurso de Krieger

27 de abril de 2009 136

Mauro Vieira, Banco de Dados - 14/04/2008

Causou mal-estar e apreensão o discurso dominical do diretor de futebol, André Krieger, sobre o futuro treinador do Grêmio. Este blogueiro/colunista recebeu dezenas de e-mails vindos de gremistas preocupados com a situação. Todos, como este que reproduzo abaixo, expressando surpresa e uma certa indignação:

“Prezado Wianey

Lendo sua coluna de hoje (como costumo fazer diariamente, aliás), me deparei com um comentário sob o título “SERÁ AUTUORI?”, onde o amigo questionava a repentina mudança de discurso por parte do senhor Krieger.

Para mim, nenhuma surpresa, eis que a “convicção” do referido dirigente e do seu escudeiro (o senhor das ovelhinhas) é algo surrealista.

Depois de bancarem o Roth, garantirem sua permanência e, horas mais tarde o demitirem sumariamente, saíram à campo em busca de um treinador. É sabido e notório que tentaram o Nelsinho Baptista e o Geninho, entre outros especulados. Mas a meta (plano A, e ÚNICO) anunciada era (ou foi) o Autuori. Agora, diante da dificuldade em concretizar o acerto, surge o discurso estúpido de que “não cometeremos loucuras financeiras pagando 300 mil de salários”.

Ora, meu caro colunista, quem comete a insanidade de pagar 1 milhão de dólares por METADE do passe do Herrera (jogador médio); tornar o Roth o quarto treinador mais bem pago do Brasil em 2009 (só perdia para o Luxa, Muricy e Mano — este em razão do bônus referente ao campeonato da 2ª divisão); APOSTAR outra fortuna em um jogador que não deu certo em lugar algum (Maxi López); deixar que o maior patrimônio do clube (Douglas Costa) seja publicamente desvalorizado sem qualquer atitude digna e/ou eficaz; e ainda tem a coragem de vir à público (entrevista de ontem na Gaúcha) dizer que o vestiário do Grêmio vive em harmonia, quando qualquer um que frequenta o ambiente sabe que não é verdade, especialmente quanto a figura do próprio Krieger pela ótica dos boleiros; só pode estar brincando com a inteligência da torcida ao conceder tal entrevista.

É muito amadorismo disfarçado com um discurso elegante e imperial, recheado de palavras bonitas em tom de sabedoria.

Pobre do Rospide, que está segurando um rojão enorme e certamente levará a culpa no caso de um fracasso futuro, o que a lógica indica como provável, eis que, sem planejamento, nenhum time consegue chegar a lugar algum.

E planejamento é uma palavra que inexiste hoje lá no clube, infelizmente. Vide a pré-inscrição do R. Carioca e do Renato, que SEQUER acertaram com o Grêmio antes!

Estou torcendo (como sempre fiz, apesar de tudo e de quem dirija o clube) pelas vitórias, na esperança que uma luz divina ilumine o caminho. Porque, se depender da mão dos atuais mandatários, a coisa será muito difícil.

Abraço

Marcelo Aiquel”.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

E se o Grêmio disputasse a Copa do Brasil?

27 de abril de 2009 82

O ex-treinador do Grêmio, Celso Roth, dizia que era impossível dar atenção a duas competições/Fernando Gomes, Banco de Dados - 06/04/2009

Torcenauta atento ao que acontece no futebol mundial reclama e sugere:

“Caro Wianey, gostaria de manifestar minha inconformidade com o calendário do futebol brasileiro que pune quem se classifica para a Libertadores da América. Explico: clubes como o Grêmio, São Paulo, Cruzeiro, Palmeiras e Sport disputarão durante o ano apenas três competições, ou seja, seus regionais, Libertadores e o campeonato nacional, enquanto outros clubes disputaram seus regionais, Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana, quatro competições, portanto.

Mando uma sugestão que acho mais justa: porque não utilizar a forma usada na Europa, onde a Copa dos Campeões (nossa Libertadores) e Copa da UEFA (nossa Sul-Americana) e as Copas Nacionais (nossa Copa do Brasil) são disputadas paralelas com os campeonatos nacionais durante toda a temporada? Lembro que a Libertadores e a Sul-Americana não são disputadas pelos mesmos clubes a exemplo dos campeonatos europeus.

Com os campeonatos mais longos haveria datas suficientes durante o ano e não haveria isso, que eu considero uma injustiça com os clubes que obtiveram os melhores resultados.

VANDERLEI OESTRAICH

TAQUARI – RS.”

Caro Vanderlei, o calendário brasileiro e sul-americano oferece cinco competições anuais no Brasil: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, campeonatos estaduais, Libertadores da América e Copa Sul-Americana. Na Europa, como se sabe, não existem competições regionais. Os países, comparativamente ao Brasil, são menores, geralmente, e imensamente inferior o número de clubes de cada nação. Para tentar imitar o calendário europeu, como pretendes, seria indispensável acabar com os campeonatos estaduais. Esta é uma questão muito polêmica.

Mas, acima deste problema está a relutância dos clubes brasileiros em jogar duas vezes por semana, como acontece na Europa. Fiquemos com um exemplo local: o Grêmio negligenciou o Gauchão para dar prioridade aos espaçados jogos da Libertadores. Imagine se o Grêmio estivesse disputando, também, a Copa do Brasil. O ex-treinador do Grêmio, Celso Roth, reiterava a cada jogo que era impossível dar atenção às duas competições.

Portanto, Vanderlei, acho muito difícil dar certo no Brasil um calendário que marque três ou quatro competições simultâneas. Mesmo se fossem desenvolvidas durante toda a temporada. No Brasil, quanto menos se joga, menos se quer jogar. Há algumas décadas passadas, cada equipe brasileira disputava mais de 80 jogos anuais. Atualmente não chegam a 70. Mesmo assim, os treinadores reclamam contra o que consideram “excesso de trabalho”. Na realidade brasileira, os salários pagos pelo futebol crescem e as atividades diminuem. É o único setor em que se realiza o supremo ideal de ganhar cada vez mais trabalhando cada vez menos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Dia do goleiro

27 de abril de 2009 13

Lauro, goleiro do Inter, e Victor, do Grêmio/Adriana Franciosi, Banco de Dados - 15/02/2009

Domingo foi dia de Victor, Lauro e todos os goleiros do Brasil

País comemora dia 26 de abril, o Dia do Goleiro, criado há 30 anos para homenagear aqueles que desafiam a lógica dos gramados

Gorete Ferreira

Eles passam o ano todo sendo desafiados pelos atacantes, xingados pelos torcedores, chamados de `frangueiros`, `braço curto`, `mão de pau` e outras atribuições depreciativas. Mas o que seria do futebol se não fossem os goleiros? Idolatrados a cada defesa e execrados a cada falha, os donos da camisa 1 – considerados os anti-heróis do futebol por entrarem em campo para impedir o torcedor de ver o que mais gosta, o gol – vão poder, pelo menos por um dia, ser tratados como reis. É que ontem, dia 26 de abril, o Brasil comemorou o Dia do Goleiro.

“A idéia de se criar o Dia do Goleiro foi do tenente Raul Carlesso e do capitão Reginaldo Pontes Bielinski, professores da Escola de Educação Física do Exército do Rio de Janeiro, e surgiu na metade dos anos 70″, relata o jornalista Paulo Guilherme, autor do livro Goleiros _ Heróis e anti-heróis da camisa 1, novo lançamento da editora Alameda Casa Editorial. Carlesso foi um dos precursores do trabalho de preparação de goleiros no Brasil. O tema entrou na pauta da Seleção Brasileira na preparação para a Copa do Mundo de 1970, quando o preparador físico Admildo Chirol levou para a concentração fotos e filmes de treinamentos de goleiros da Alemanha e da Iugoslávia.

Nos anos seguintes, Carlesso desenvolveu um método de fundamentos que ajudou na formação de diversos arqueiros brasileiros e foi o primeiro preparador de goleiros a ser inserido na Comissão Técnica da Seleção Brasileira em uma Copa do Mundo, no Mundial da Alemanha de 1974. “Diante do sucesso do método e da evolução dos goleiros no Brasil decidimos criar o Dia do Goleiro para homenagear todos os atletas dessa posição”, conta Bielinski, que desenvolveu vários estudos com Carlesso _ este morreu em um acidente de carro no final dos anos 80.

Uma festa reunindo goleiros, ex-goleiros e pessoas ligadas ao futebol, no Rio, celebrou o primeiro Dia do Goleiro, em 14 de abril de 1975. Mas, a partir de 1976, definiu-se como o dia “oficial” a data de 26 de abril, em uma homenagem ao goleiro Manga, que na época era o campeão brasileiro pelo Internacional.

“Nos anos 70, o goleiro brasileiro era pouco respeitado tanto lá fora quanto aqui mesmo no Brasil”, afirma Paulo Guilherme. “Hoje, três décadas depois, os goleiros celebram uma nova era, conquistando espaço em grandes clubes da Europa, arrastando milhares de fãs para os estádios e lançando moda nos uniformes”.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Terça para o Grêmio marcar posição de líder

27 de abril de 2009 24

Diego Vara, Banco de Dados - 25/02/2009

Qualquer torcedor gremista que for perguntado sobre dúvidas que possa ter para o jogo desta terça-feira, contra o Boyacá, certamente responderá que são duas:

1 - Se o público no Olímpico estará mais próximo dos 30 mil ou dos 40 mil e

2 - O tamanho do escore.

Ninguém, nem mesmo os colorados, cogita minimamente a possibilidade de o Grêmio não sair de campo com três pontos e a liderança entre os 32 participantes desta fase inicial da Libertadores da América. Jogos assim podem ser perigosos, a medida em que favorecem o excesso de confiança.

Não creio, entretanto, que seja o caso do Grêmio. Percebe-se extrema mobilização nas entrevistas e atitudes que saem do Olímpico. No treinamento dominical do Grêmio, cerca de mil torcedores aplaudiram e estimularam os jogadores com gritos e cantos. O grupo se mostra fechado e concentrado.

Este blogueiro não alimentaria a idéia de que será jogo fácil e de muitos gols. Mas, tampouco se negará a declarar o favoritismo absoluto do Grêmio. Quanto ao público, o horário do jogo não será tardio, o que deverá contribuir para casa cheia. Quantos gremistas estarão no Olímpico: 30 mil ou 40 mil? Uma boa aposta seria cravar nos 35 mil. Serão raros os lugares no estádio sem ocupação.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

A má fase de Carlos Simon parece não ter fim

27 de abril de 2009 115

Juan Barbosa, Bando de Dados

Não vi o primeiro jogo da decisão cearense entre Ceará e Fortaleza. Mas vi os gols e assisti aos programas televisivos, suficiente para concluir que o árbitro Carlos Simon teve uma performance comprometedora. O “Lance” avaliou, assim, o jogo e o desempenho do árbitro:

 

“Simon atrapalha 1ª decisão do Cearense
Com marcações duvidosas, o árbitro prejudica a final do Campeonato Cearense

LANCEPRESS!

O Fortaleza saiu na frente na primeira partida da decisão do Campeonato Cearense, no Castelão, na tarde deste domingo. Em uma partida muito polêmica, apitada pelo árbitro Carlos Eugênio Simon, o Leão ganhou o Clássico Rei por 2 a 1 e se aproximou do título estadual de 2009.

O Jogo mal começou e o Ceará partiu para cima, tentando abrir o placar. O veterano Sérgio Alves, mesmo bem marcado, perdeu duas chances dentro da área. Já o Fortaleza, sempre jogando nos contra-ataques, esperava a melhor chance para sair na frente. No final da partida aconteceu o primeiro lance polêmico e foi, justamente, a jogada do primeiro gol do Fortaleza. Após um chute de Bismarck, Wanderley, em posição duvidosa, fez o primeiro gol da partida. Os jogadores do Ceará se revoltaram com o juiz e o primeiro tempo acabou com vantagem do Leão.

O segundo tempo foi mais corrido, com as duas equipes perdendo oportunidades claras. O Fortaleza veio melhor, com o time mais encorpado, mas foi o Ceará que marcou, empatando o clássico, em outra jogada duvidosa. O atacante Edu Sales tropeçou sozinho, mas Simon marcou o pênalti. Arlindo Maracanã cobrou duas vezes para dar números iguais ao jogo”.

 

Foi mal, muito mal, o nosso Carlos Simon. Esta longa fase de maus desempenhos parece não ter fim. Simon vem errando em vários jogos, envolvendo diferentes equipes. Não falha, apenas, contra um clube, como se pretende no Rio Grande do Sul. Falha contra todos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share