Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de junho 2009

Colorado anuncia que acenderam o estopim

30 de junho de 2009 40

Reprodução
Gremistas e colorados continuam enviando textos e vídeos que expressam a fé das duas torcidas para as decisões de amanhã e quinta-feira. O colorado Érico Almeida Fabres ergue a lança Farroupilha e manda ver:

“Não precisava ser assim, mas agora não vai ter jeito. Gaúcho mesmo não foge da peleia, ainda mais quando incitado. O clima para o jogo da final entre Inter x Corinthians nada mais era que uma mobilização por parte colorada em busca de reverter o resultado adverso, porém um “pseudo” jornalista, não sei porque cargas d`água resolveu tentar distorcer a situação extrapolando até em questões extra campo. É notório que esse tal de Chico Lang não é levado a sério mais nem dentro do próprio estado, porém é inadmissível ler calado tamanha bobagem que este ser escreveu. Somente um “bando de loucos” mesmo poderia aplaudir tal atitude, até porque agora sim a guerra foi declarada, mesmo que essa pessoa não responda pelo clube Corinthians ou sua torcida.

O Inter podia sim ter vários motivos para criar um “salseiro” como diz tal jornalista. Basta lembrar o que aconteceu em 2005, quando o Corinthians ganhou o Brasileiro nos tribunais com anulação de jogos e foi prejudicado visivelmente no confronto direto, quando o já aposentado Márcio Rezende não marcou pênalti em cima de Tinga, fatos que até o próprio ex-presidente do clube admitiu. Nisso sim a CBF deveria ter metido a colher, pois aqui no Rio Grande do Sul se ganha dentro de campo, com a garra platina e com orgulho de ser brasileiro. Podia querer tomar a partida como uma revanche, mas não o fez. Aqui a torcida adversária é recebida com garantia de segurança e muitas vezes até com cordialidade por parte de nossos torcedores, ao contrário de São Paulo, onde já virou rotina matarem pessoas pelo simples fato de não compartilharem a mesma paixão para com o seu time (vide o caso do jogo contra o Vasco nesta mesma Copa do Brasil).

O Colorado é Campeão do Mundo e da Libertadores, lugar onde este clube paulista na qual este sujeito defende sempre desejou estar, até porque nem mesmo os alvinegros acreditam que aquele torneio inventado que ganharam tratava-se de um Mundial. Portanto pense bem Sr. Chico Lang antes de pedir a interdição dos estádios aqui do Rio Grande do Sul. Até porque nem isto o Corinthians possui.

Ganharemos sim o jogo no grito, mas no grito das arquibancadas e na raça dos jogadores Colorados, que só para seu conhecimento, poucos são gaúchos de nascimento, mas que adotaram o estilo pampeano de jogar por saberem que é assim que se deve jogar. Não somos separatistas e tampouco apoiamos a ditadura como essa abominável pessoa sugeriu, por a maioria dos generais da época no sul aqui nascer (embora a carreira militar da maioria deles tenha sido afirmada em outros estados). O Rio Grande do Sul é o berço do trabalhismo e da democracia e não há espaço para tal preconceitos, estamos abertos sim a opiniões, desde que elas sejam coerentes e não ofensivas como foram as palavras de Lang.

Sei que essa pessoa não é o porta-voz dos paulistas e nem mesmo do Corinthians, mas como diz o provérbio chinês “Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. Este senhor fez uso das três, atirou a pedra, pronunciou as palavras e perdeu a oportunidade… mas de ficar calado. Agora aguentem as consequências. Para cima deles INTER!!!”

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Inferno azul vai abrir filial na Azenha

30 de junho de 2009 24

Reprodução
O torcenauta gremista Marcos Kunzler enviou a bonita ilustração que convoca a nação tricolor para a epopeia desta quinta-feira. A seguir, o testemunho de fé de outro gremista, o Daniel Germano:

“Depois da difícil partida contra o Cruzeiro, fiquei ainda mais convicto de que o Grêmio tem boas chances de ser campeão da Libertadores. Isso porque tudo parece estar confluindo para a confirmação de uma lógica bastante própria do tricolor gaúcho.

Em 31 anos de existência, raríssimas vezes vi meu time ganhar um título de lambuja, sem aquela dose de desespero típica de novela mexicana. Não tem jeito. Para ser gremista, tem que sofrer, chorar, tremelicar no Monumental ou em frente à tevê. Algo como se cada um dos torcedores pudesse ser comparado a uma esponja capaz de absorver todos os fantasmas do mundo durante os 90 minutos e exorcizá-los por completo ao imediato soar do apito final.

O mais interessante dessa peculiaridade toda é que nós, gremistas, nos habituamos tanto a ser desse jeito que não conseguimos mais ser de outro. Na nossa cabeça desmiolada, a batalha dos Aflitos, por exemplo, foi o momento máximo de êxtase de nossa centenária história, superior até mesmo ao campeonato do mundo. Por quê? Pelo simples fato de que temos uma atração irresistível pela dor, pelo sofrimento, pela possibilidade real do fracasso retumbante. Um flerte incorrigível com a derrota, que torna as vitórias azuis absolutamente memoráveis.

Todos os dirigentes e torcedores sabem – embora não digam — que o Grêmio não é e nem nunca será um time clássico, do fino toque de bola filiado à doutrina do futebol-arte brasileiro. Somos mais afeitos a uma mistura um pouco menos talentosa mas bem mais explosiva, que inclui o empenho argentino, a disciplina alemã e a bravura de qualquer time de Bagé. Essa combinação maluca, em que pese dificilmente resulte num futebol brilhante, prova sua eficiência ao despertar nossos instintos mais básicos, primitivos, animalescos, porquanto nos injeta, a um só tempo, o ânimo e o temor de um soldado em combate.

Não há outra razão para amarmos tanto esse clube. Não fosse a sedutora companhia da tragédia, certamente não teríamos adquirido uma identidade tão forte, que se desprende de cada um, invade as mais estreitas frestas do Olímpico e contamina a todos os dirigentes, funcionários, comissão técnica e atletas do imortal tricolor.

Essa é a nossa lógica. Por isso confio, de coração, no título da Libertadores”.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Colorado avisa que o Rio Grande do Sul vai tremer

30 de junho de 2009 66

Torcida acredita que o Inter conquistará a Copa do Brasil nesta quarta-feira/Fernando Gomes, BD - 4/4/2009
Estou gostando de ver. Nesta semana, alterou-se o comportamento dos torcedores da dupla Gre-Nal. Sempre dispostos a se provocarem, o objetivo agora é outro: mobilizar energias para apoiar, cada um, o seu clube. Este blog quer estimular a paixão que substitui a provocação. Assim, é muito melhor. Neste post, o texto de mobilização enviado pelo torcenauta colorado Rafael Barbosa. Se os colorados quiserem, também poderão enviar vídeos que motivem a alma colorada.

O Rio Grande vai tremer

Junho terminou e estamos de volta ao lugar de onde não deveríamos ter saído, que é a da liderança do Brasileirão.

Agora sim, toda parte vermelha do Rio Grande pode só respirar a grande quarta-feira que virá.

Nilmar e Kléber já estão aí, Bolívar de contrato renovado e D`Alessandro recuperado. Sim, recompomos as peças do Rolo Compressor.

Ou seja, a parada vai ser outra, seu Corinthians.

Aqui, vocês não pensem que vão sequer ouvir qualquer ruído da sua torcida antes, durante ou depois do jogo – sim, porque antes e durante o Beira-Rio vai engolí-los e depois do jogo, os Fiéis não terão nenhum motivo para comemorar.

Se em outros estados, tem gente que torce por vocês mais que pelos seus times, aqui, a história é contada de outra forma.

Vocês encontrarão um Gigante pulsando, que não permitirá que nossos 11 guerreiros tenham sensações humanas de cansaço ou derrotismo. Uma energia vinda das arquibancadas os levará a fazer coisas que só quem tem este sangue Farrapo correndo nas veias pode conhecer.

O time só vai precisar fazer o 1º gol. Quem fará os outros, será o Beira-Rio, totalmente enlouquecido de paixão e esperança neste Primeiro de Julho.

Não terá adversário, arbitragem, nada que possa tirar este título do nosso caminho.

Como já foi dito, serão 55 mil Guiñazús contra 11 corinthianos.

Torcida, dirigentes, jogadores, comissão técnica, tudo isto estará amalgamado, não em uma equipe de futebol, mas sim em uma entidade, uma força, algo que não pode ser controlado, muito menos desafiado.

Vocês não terão chance alguma diante do que está por vir. Não restará pedra sobre pedra.

Corinthians, serás devastado do primeiro ao último, física, técnica e emocionalmente pelo Colorado, que no seu Centenário, voltará a encravar sua bandeira em terras nacionais, mostrando mais uma vez, quem é o seu dono.

Nós não acreditamos. Nós SABEMOS.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Deus reservou algo melhor para o Grêmio

30 de junho de 2009 23

Desde ontem, este blog está veiculando mensagens e vídeos que tenham como objetivo estimular as torcidas da dupla Gre-Nal a entrar em campo com os seus times, nesta quarta-feira e quinta-feira, dopadas de entusiasmo e paixão. Neste post, um bonito vídeo que circula no Youtube mas merece ser destacado, pois sintetiza toda a esperança gremista. Assista ao vídeo abaixo:

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Dunga mereceu chegar onde está

30 de junho de 2009 10

Dunga chegou na segunda-feira a Porto Alegre depois de conquistar a Copa das Confederações/Emílio Pedroso
Eu vi Dunga nascer para o futebol. Ele era juvenil e eu repórter.

Dunga falava pouco, mas a sua forma econômica de expressão nunca prescindiu de maturidade e sabedoria quando dissertava sobre os seus objetivos profissionais.

Um dia, Dunga desafiou o mundo declarando que ainda o veriam vestindo a camisa da Seleção Brasileira. Uma grande gargalhada de desdém ecoou pelo país a fora. Quem era aquele rústico volante para pretender tamanhas alturas? Pois bem, Dunga não só chegou onde queria como entrou para a história como o Capitão do Tetra.

Fez mais, foi o grande líder daquela campanha e o único integrante da delegação brasileira que era respeitado e acatado pelo grande Romário. Daquele Mundial nos Estados Unidos, ainda lembro de uma tarde ensolarada, no estádio da universidade, em que a Seleção treinava e centenas de jornalistas assistiam, acomodados nas arquibancadas. O assunto predileto dos profissionais brasileiros era Dunga. As opiniões não variavam. Eram, todas, desfavoráveis ao capitão do time brasileiro. Como eu permanecia em silêncio, um colega carioca me provocou:

— E aí, gaúcho, o Dunga não é um brucutu?

Como eu já estava de saco cheio com aquela conversa, aproveitei a oportunidade e lasquei:

– Brucutu para vocês, cegos pelo preconceito. O Dunga é o jogador mais completo desta Seleção. Ele marca, desarma, passa, lança e até chega no ataque para finalizar. Não é o melhor do time, mas é o mais completo.

Nem preciso dizer que a gozação se abateu com força sobre mim. No final da Copa, Dunga erguia o troféu e era titular na Seleção da FIFA. Tiveram que engolir o Capitão do Tetra.

Aquelas gargalhadas de desprezo que acompanharam o nosso treinador em grande parte da vida profissional ainda devem ecoar nos seus ouvidos. Hoje, estão transformadas em aleivosias impertinentes no discurso dos inconformados.

Dunga venceu. Ainda não conheci quem o superasse em determinação e firmeza de conceitos. E, quando derramo elogios sobre Dunga, impõe-me dever de consciência estender reconhecimentos a Ricardo Teixeira, que afrontou incredulidades e segue indiferente a inconformidades ideológicas, nada mais do que isso, e mantém Dunga no cargo.

Eu detesto ver Robinho como titular da Seleção, mas admito que Dunga tem crédito para escalar o seu time. Pergunto-me: com a exceção única de Robinho, quem deveria estar jogando e não está?

Dunga merece silêncio como resposta. O Brasil inteiro sabe que os melhores estão convocados e jogando. Se o Brasil não for campeão, terá sido porque faltou qualidade ao time e nunca por escolhas erradas do treinador.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

André e Herrera, dúvidas que não deveriam existir

29 de junho de 2009 31

Andrezinho (E) e Herrera vivem momentos distindos em suas equipes/Fotos de Fernando Gomes e Mauro Vieira
Até quarta-feira e quinta-feira, respectivamente, as escalações de Andrezinho (Inter) e Herrera (Grêmio) serão dúvidas que não fazem sentido, por diferentes razões. O primeiro, que não deveria jogar e o segundo, que deveria ter escalação assegurada.

Sandro não será liberado para enfrentar o Corinthians e a dúvida instalada é esta: quem deveria substituí-lo? A especulação mais repetida indica que Andrezinho poderia ser o escolhido para compor o meio-campo com Guiñazu, Magrão, que seria o primeiro volante, e D´Alessandro. Não é informação, repito, mas nela não creio.

Tite não repetiria o mesmo erro pela décima vez. Magrão, além de vir de parada, o que o desfavorece em condicionamento físico e ritmo de jogo, não tem bom rendimento jogando na primeira função do meio-campo. Além disso, Andrezinho, está mais do que provado, não sabe jogar na posição de Magrão, pois lhe falta competência para o desarme. O lugar de Andrezinho é, exclusivamente, o de D´Alessandro. Manda o bom senso que Glaydson seja o volante de contenção, formando o meio com Magrão (se for liberado), Guiñazu e D´Alessandro. Mas, e se Magrão não jogar? Bem, aí se imporá rezar.

No Grêmio, Herrera aparece com boa cotação para começar o jogo contra o Cruzeiro, ao lado de Maxi López. Não poderia ser diferente. Alex Mineiro, infelizmente, só tem feito parecer que está a caminho da aposentadoria. E Jonas, bem, este não poupa esforços para desfazer com as mãos o que faz com os pés, literalmente, considerando o jogo em Recife. Resta Herrera, tão dispersivo quanto Jonas, mas dotado de mais ímpeto e falando a mesma língua de Maxi López. Em todos os sentidos. Esta é a dúvida menos duvidosa que se apresenta para a decisão contra o Cruzeiro. Jogam Maxi e Herrera, no ataque, e seja lá o que Deus quiser.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Corintiano ataca e ofende gaúchos na internet

29 de junho de 2009 55

Inter e Corinthians decidem o título da Copa do Brasil nesta quarta-feira/Divulgação, Vipcomm
Juro que só estou escrevendo este post porque cansei de receber e-mails contendo o texto de um desqualificado torcedor corintiano, que se intitula cronista esportivo e escreve em determinado site esportivo. Não citarei seu nome e nem o espaço que ocupa, imerecidamente.

O seu texto é um primoroso conjunto de ofensas ao futebol gaúcho e aos próprios nativos desta terra, além de conter mensagens racistas e homofóbicas. Estou certo de que sabem a quem me refiro. Quem não souber, garanto, não vale a pena saber.

Informo aos torcenautas que prestigiam este blog, que este pobre diabo só alcança alguma audiência, no Sul, quando ataca os gaúchos, o que acontece sempre que existe uma decisão envolvendo clubes dos dois estados, São Paulo e Rio Grande do Sul. Lamento, apenas, que o livre trânsito da internet tenha produzido a falsa ideia de audiência desfrutada por este inconseqüente.

Na verdade, um ou dois internautas descobriram a sua mensagem, tristemente imbecilizada, e a propagaram enviando para seus conhecidos que, por seu lado, repetiram o gesto fazendo chegar as redações o infeliz texto. A internet é um instrumento poderoso de propagação. Não condeno aqueles que, movidos por justa indignação, se encarregaram de dar ao indivíduo a divulgação que não merecia. Melhor seria se tivessem feito o que se faz diante de um e-mail suspeito de conter vírus: deletando-o.

Por respeito aos torcenautas que prestigiam este blog, estou explicando porque não divulguei e nem divulgarei as ofensas de um idiota. E, por favor, não me repassem, mais, o texto desta titica que de jornalista nada tem. Se depender deste blog, ele continuará mofando no anonimato, que é o seu lugar.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Gremista envia mensagem para motivar torcida

29 de junho de 2009 27

Reprodução
Conforme prometi no post anterior, este blog publica, agora, o anúncio acima produzido pelo torcenauta gremista Pedro Casér, diretor de criação, de Veranópolis. Até os dias dos jogos da Dupla, chamamentos de gremistas e colorados serão publicado. A regra é única: tem que ser um bom texto e que convoque as torcidas sem incentivar a violência.

Clique aqui para ver a mensagem em tamanho maior

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Mensagem de um colorado para incentivar a torcida

29 de junho de 2009 29

Inter enfrenta o Corinthians nesta quarta-feira pela Copa do Brasil/Júlio Cordeiro
Este blog vai publicar mensagens de colorados e gremistas que contenham chamadas a mobilização das torcidas para os jogos decisivos desta semana. Começa com o recado enviado pelo torcenauta colorado, Ricardo Coelho. No próximo post, o chamamento de um gremista:

“Olá Wianey. Sou o Ricardo e no ano passado, no jogo contra o Paraná, usei uma mensagem que escreveu no seu blog sobre a carta do Guiñazu, que não jogaria naquela noite. Por conta própria fiz uma montagem e mandei imprimir algumas centenas, as quais, com a ajuda de um amigo, distribuí nas arquibancadas do Beira Rio. Na Zero Hora do dia seguinte disseram que ele ficou muito feliz quando soube disso. As pessoas que receberam a carta se impregnaram com aquele sentimento de superação.

Pois é, agora quero fazer algo parecido e gostaria que publicasse o texto abaixo, que será impresso numa quantidade muito maior. Se possível, além de publicar, puder avisar que quem quiser ajudar na distribuição das cartas (serão milhares) estarei desde o início da noite próximo ao bar Celeiro de Azes, dentro do Beira Rio, com elas. Ficaria muito feliz também em saber que ela chegou ao conhecimento dos jogadores antes da partida. Abraço,Ricardo Coelho”

CARTA AOS COLORADOS

Em 23/04/2008, jogo pela Copa do Brasil contra o Paraná, o Inter virou um placar completamente negativo e fez uma partida histórica. Naquele dia, a torcida colorada apoiou todo o jogo e, antes dele, circulou nas arquibancadas uma carta que lembrava o espírito guerreiro do senhor desta foto. El Cholo, o gladiador colorado, era o espírito que a carta evocava para aquela partida.

Era de um texto seu, escrito a mão, que foi lido no vestiário antes do jogo pois ele estava machucado e não jogaria. Dizia a carta: “Para los guerreros mucha fuerza y raza que mañana viramos este juego, sem duvida. Cholo”.

Pois bem, será assim novamente contra o Corinthians. Novamente o Inter vai entrar dopado pelo entusiasmo, pela fúria da vitória. Novamente iremos mostrar para outros pampas, para outros pagos, como se escreve a palavra superação, qual o significado da palavra raça, como se prega no chão a bandeira da vitória, da luta, do amor incondicional, assim como nossos antepassados fizeram nestas terras.

Novamente os sinalizadores irão iluminar o Beira Rio, só que dessa vez a luz vai chegar mais longe. Será como o próprio Armagedom. Será como se os deuses descessem no Gigante e fizessem nascer um novo sol. E, para os corinthianos, será o próprio fogo do inferno!

E é com esse espírito que você torcedor tem que entrar. Todas as jogadas terão que ser aplaudidas. Passes errados, faltas, tudo! Temos que fazer com que o Beira Rio seja um caldeirão de apoio e vontade, onde cada jogador que entrar em campo e olhar para as arquibancadas vai ver um voto de confiança, de amor ao escudo que ele defende, de entrega, de lealdade! Temos que multiplicar a mensagem de Cholo para que saibam com quem estão lidando!

Por isso cante, cante como nunca cantou. Não vaie, não xingue, não perca jamais a esperança! Não importa se irá trabalhar amanhã, se vai chover ou fazer sol. Se vai se atrasar, se vai ficar sem voz pelo resto da semana. Isso é ser Colorado! É ter a camisa vermelha e a cachaça na mão! E a história guardará nas suas páginas essa passagem épica em um capítulo especial.

Porque não basta acreditar, tem que ter na alma o espírito da vitória, da garra! Muitos acreditaram, mas poucos comemoraram. De qual lado você está? Pergunte para o Guiñazu. Torcedor Colorado – 01/06/2009 “

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

3 pra lá, 3 pra cá - Inter festeja, Grêmio lamenta

28 de junho de 2009 29

Daniel Marenco
Enquanto a torcida colorada vibrava com três gols de Bolaños, os gremistas lamentavam a derrota, também por três gols, para o lanterna do campeonato. Além de o Inter fazer três enquanto o Grêmio levava o mesmo número de gols, outras coincidências envolveram a Dupla: os dois treinadores resolveram poupar os seus titulares e colocaram em campo times formados por reservas. Tite deu-se melhor do que o seu colega, Autuori. É verdade que o fator local não popde ser desmerecido. Enquanto o Grêmio enfrentava o Sport Recife na Ilha do Retiro, o Inter esmagava o Coritiba no Beira-Rio. Faz diferença, claro, embora o Inter tenha jogado com o seu menor público, até, aqui, no Brasileirão.

Bolaños foi a figura do Beira-Rio e, talvez, da rodada. O jogador foi liberado pelo Santos por sua alegada introspecção mas, parece, o clima colorado fez bem ao equatoriano. Os três gols que marcou levaram a marca da sua principal virtude: a velocidade. E contaram, também, com assistências precisas de Alecsandro. Terminado o jogo, os colorados celebravam a ótima performance do seu atacante e se perguntavam: por que Bolaños ficou no banco de reservas, no meio da semana, enquanto Tite mandava Leandrão para o jogo? Apenas mais um entre tantos mistérios que só os treinadores sabem decifrar. Com a vitória sobre o Coritiba, o Inter voltou a lilderança do campeonato, por pontos ganhos. Sim, porque o Atlético Mineiro continua na frente pelo critério que privilegia o saldo de gols. Uma vitória, como esta, melhora o ambiente e motiva time e torcida para o confronto histórico de quarta-feira, contra o Corinthians.
 
Em Recife, os suplentes escalados por Paulo Autuori foram exemplares em dedicação e obediência tática. Paulo Autuori, para este jogo, adotou o esquema tático que lhe desagrada: o 3-5-2. O time até que enfrentou o Sport com uma certa imposição. Faltava-lhe, porém, qualidade ofensiva para buscar a vitória. Jonas marcou o gol gremista mas, para variar, também cometeu desperdícios, como sempre. Além disso, comprometeu o empate que o Grêmio vinha conseguindo quando cavou a sua expulsão em um lance digno de um jogador de escolinha. Caído na área do Sport e sem razão alguma, Jonas agarrou pelopé o zagueiro que se afastava, derrubando-o. Cartão vermelho. Com 10 jogadores em campo, o Grêmio viu o Sport se reanimar e avançar. Os dois gols marcados pelos pernambucanos, a seguir, foram efeito de falhas de marcação mas resultado, acima de tudo, da pressão que o Sport se autorizou a fazer depois que Jonas foi expulso. No final do jogo, Autuori declarou que não se importaria em perder para um adversário que não tivesse sido inferior ao Grêmio. Bom desabafo teórico, mas que nada teve a ver com o jogo. A custa de muito esforço, o Grêmio conseguiu equilibrar o confronto. Mas não foi melhor do que o Sport. Autuori já tem nove jogos e apenas duas vitórias. Não é uma estatística que se recomende. 

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Diagnósticos e projeções para as decisões da Dupla

28 de junho de 2009 14

Montagem de fotos de Fernando Gomes e Jefferson Bo

Fernando Carvalho apresenta, nesta segunda-feira, o DVD contendo erros de arbitragem que, segundo avaliação do Inter, estão beneficiando, sistematicamente, o Corinthians. Carvalho não está preocupado com a oportunidade escolhida. Sabe que será inevitável a interpretação de que está tentando condicionar a arbitragem. E está mesmo. Não pretende, imagino, que o árbitro beneficie o Inter mas, sim, que na dúvida não decida em favor do Corinthians. O outro objetivo é chamar a atenção da imprensa brasileira que estará no Beira-Rio. Posso entender a estratégia do Inter, mas tenho dúvidas sobre a sua eficácia. Muitas vezes, tentando demonstrar que não se condicionam, os árbitros erram contra que tentou condicionar. A vacina que será aplicada pelo Inter não provou, ainda, a sua eficácia.

O Grêmio aproveitou o episódio do Mineirão para mobilizar, ainda mais, o seu torcedor, levando-o a acreditar que o Cruzeiro é mais do que um adversário a ser superado mas, um inimigo que tentou se utilizar de uma artimanha para se beneficiar no jogo decisivo, em Porto Alegre. Não faz muito sentido um time provocar ambiente negativo na casa do adversário mas, foi o que se disse. Em campo, o time terá que jogar como ainda não jogou, nesta Libertadores. Se a disputa for transformada em uma caçada a Elicarlos e Wagner, protagonistas da encrenca de Belo Horizonte, é possível que o beneficiado seja, exclusivamente, o Cruzeiro. O Grêmio precisa brigar pela bola, o jogo inteiro, sem desperdiçar energias com outros objetivos. Só assim poderá inverter as expectativas.

O Inter, nos últimos dias, transformou-se em um caso psiquiátrico. Descobriu-se, primeiro, que o time ficará traumatizado com a derrota para o Corinthians e, por efeito, não se aprumará mais. Depois, surgiu outro diagnóstico de cunho psicanalítico: o foco. O time não conseguia se concentrar nos jogos que disputava, pois estava focado, exclusivamente, na decisão. Finalmente, uma explicação técnica: falta de Nilmar. Ora, alguém pensa que Mano Menezes deixará Nilmar livre? Em momento algum se cogitou, no Beira-Rio, sobre o esfacelamento tático que tornou o Inter um time, defensivamente, vulnerável. Entende-se, esta falha tem responsável.

Será interessante confrontar os comportamentos das torcidas da Dupla. Qual estádio receberá mais público e em que jogo o JECRIM registrará mais ocorrências policiais? Não lembro de outra ocasião em que Inter e Grêmio enfrentaram, simultaneamente, dois jogos decisivos como serão os de quarta-feira e quinta-feira.   

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Torcedor contesta "ensinamentos" de Autuori

26 de junho de 2009 104

Segundo o torcenauta, Autuori deveria respeitar os sentimentos dos torcedores/Diego Vara
A seguir, interessante posicionamento de um torcenauta:

“Caro Wianey, embora seja um torcedor apaixonado pelo meu time, leitor ardoroso de ZH, Clic e outras publicações, além de um ouvinte diário de rádio, tv e tudo mais que fale em futebol, jamais me dispus a utilizar espaço como este para entrar em contato com meus ídolos (quais sejam, os profissionais da mídia), tais como você. Nesse momento, no entanto, sinto-me tocado a escrever-lhe. Tenho ouvido reiteradas vezes o treinador do Grêmio, o festejado Paulo Autuori, um “sábio” do futebol, dizendo que “futebol é apenas um jogo, um meio de vida”, que “aqueles que manifestam sentimentos exacerbados estão a errar”.

Pára (ou seria para???) lá… futebol é só “um jogo, um meio de vida” para ele, Paulo Autuori, e outros tantos… Para mim e para outros tantos também, é muito mais que isso.. é sim paixão, é sim sentimento, é sim exacerbação… Nada ganho do meu time, do qual sou sócio, do que o sentimento puro da paixão. Essa paixão que não tenho por homens ou mulheres que lá labutam, mas, sim, pela história, pelo mito do futebol e tudo que o cerca. Fica muito fácil para alguém como o “sábichão” Paulo Autuori, em tom professoral, como que afirmar que detém toda a sabedoria, falar dessa forma. Aliás, muito fácil, ganhando o que ganha, vestindo uma camisa hoje e outra amanhã. Aqui mesmo, no RS, já vestiu as duas.

Veja, caro Wianey, as diferenças que existem entre eu, um maluco exacerbado e o Professor Paulo Autuori, a saber: nem que trabalhe minha vida toda, Dona Yeda me pagará Trezentos Mil Reais (escrevo assim porque se for colocar os zeros, me perco), quanto mais de uma só vez, mês a mês – o dia que me verem com outra camisa, que não seja o manto sagrado do meu time, podem me internar, estarei mesmo maluco.

Já o Paulo Autuori não tem esse problema. Se eu forçar a presença de um colega meu, dileto amigo, no time lá do quartel, caso seja técnico da equipe, serei crucificado. Já o Professor Paulo Autuori pode manter o Alex Mineiro perdendo oportunidades e gols e mesmo assim será reverenciado como “autoridade” no futebol. Estes são pequenos exemplos que diferenciam Paulo Autuori e eu, o Cláudio, seu confesso admirador. Mas, sinceramente, me admira também que ninguém da imprensa dê uma puxadinha nos fundilhos do Paulo Autuori e lhe diga: “Professor – respeite sentimentos, respeite o torcedor, não tente ser dono da verdade”.

Ao final dessa extensa carta e, desde já, agradecendo a sua atenção, vou revelar, caso não tenha sido possível ainda identificar, minha predileção clubística. Sou colorado, com muito orgulho e se fosse, remotamente, gremista, estaria ainda mais indignado por ouvir palavras como estas de meu treinador. Por fim, cada um tem o treinador que merece, e olha que esperaram um bom tempo para tê-lo. Não estou tão feliz com o meu treinador, mas, o meu, parece, ao menos, respeita meus sentimentos, minhas angústias, minhas dores e, minha paixão. Um grande abraço e saúde!!! Claudio Pereira Nunes”.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Tite erra, repete o erro e não aprende

26 de junho de 2009 51

Por que Tite escala Glaydson (foto) no lugar de Magrão?/Juliano Schüler
Existe um mal que abate grande número de treinadores e, aparentemente, não tem cura: a mania de revogar os próprios acertos. Tite havia encontrado uma escalação e, principalmente, uma formatação tática que dava ao time exemplar segurança defensiva, sem comprometer a ofensividade da equipe. O Inter jogava com uma linha de quatro defensores, um volante de contenção (Sandro), dois segundo-volantes (Magrão e Guiñazu) e um articulador ofensivo (D`Alessandro). Na frente, dois atacantes (Taison e Nilmar).

Contra a LDU, pela segunda vez, Tite escalou o time com Andrezinho na função de Magrão, embora já tenha sido demonstrado a sua absoluta inapetência para as tarefas da função. Nas duas oportunidades, Sandro ficou sozinho para segurar o meio-campo adversário já que Guiñazu avança, sai do lugar e Andrezinho não sabe desarmar. Assim, azar dos zagueiros e do goleiro. O Inter não parou mais de levar gols. A questão que não se explica é esta: por que Tite não preserva o formato, escalando Glaydson no lugar de Magrão? Se, afinal, assim estava dando certo?

É claro que Nilmar e Kleber fazem falta e D´Alessandro voltou desembocado, contra a LDU. É preciso conceder os descontos devidos. Mas, se os desfalques já prejudicavam o rendimento do time, seria imprescindível piorar a situação? Lição básica: se o time completo joga com boa consistência defensiva, desfalcado deveria merecer cuidados ainda maiores. Tite, porém, faz o contrário: se o time está enfraquecido por ausências, ele trata de enfraquecê-lo, ainda mais, pela escalação. Entenda quem quiser.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Caso Maxi: não houve injúria racial deliberada

26 de junho de 2009 92

Não é preciso tapar o sol com peneira, criando enredos fantasiosos/Paulo Fonseca, EFE
Mesmo sabendo que certos assuntos me renderão dissabores, não consigo sonegar o que penso a respeito. Sou um profissional da opinião e dói-me o fígado a omissão. Hoje, considerando apenas e tão somente os fatos, detalho a minha interpretação dos acontecimentos no Mineirão. Apenas peço aos mais exaltados que leiam duas vezes o que escreverei e contem até 10 antes de derramar sua ira. Seguinte:

MACACO — É, sim, expressão de cunho racista. Lembro dois exemplos entre muitos conhecidos. Lá pelos anos de 1970, ou começo da década de 80, Gilberto Medeiros, falecido ex-dirigente do Inter, inconformado com a atuação do árbitro Valdir Louruz (negro), despejou-lhe uma coleção de impropérios, muitos aludindo a sua cor. Entre eles, chamou Louruz de “macaco”. A repercussão foi péssima e houve a necessidade, se bem me lembro, de uma retratação pública. Há poucos dias, em local nobre do Olímpico, um torcedor negro ergueu-se para receber e pagar por algo que adquirira de um ambulante. Imediatamente, alguém que estava atrás e ficara com a visão encoberta, passou a destratar o outro torcedor chamando-o, entre outras coisas, de “macaco”. O caso foi parar em uma delegacia de polícia. Esta expressão, no RS, sabem as pedras, tem, sim, conotação injuriosa.

MACAQUITOS — Após os episódios do Mineirão, dirigentes do Grêmio alegaram, entre outros argumentos, que Maxi López não poderia usar a expressão “macaco” porque não conhecia o seu sentido. Se Maxi fosse um holandês, seria possível. Não alguém nascido na Argentina, onde a expressão é de uso comum contra brasileiros. Na entrevista coletiva, Maxi López repetiu o que os dirigentes tinham antecipado. Foi orientado, visivelmente.

A BRIGA — A televisão mostra Wagner discutindo com Lopez enquanto esfrega o braço com os dedos e diz: “a cor não, a cor não…”. Penso que o argentino, repetindo uma praxe do seu país, chamou Elicarlos de macaco ou macaquito, não faz diferença, embora fosse algo automático, sem intenção de expressar sentimento racista. Quantas vezes utilizam-se expressões que, retiradas do contexto, seriam racistas? No entanto, às vezes, não é o sentido pretendido.

POLÍCIA — A encrenca com a polícia poderia ter sido evitada, sim senhor. Quando Maxi López deixou o vestiário, começou a dar entrevistas, mas foi empurrado e cercado por seguranças, com pressa de levá-lo para o ônibus. Os repórteres não entenderam, na hora, o que acontecia. Por quê? Parece óbvio: o Grêmio queria esconder López pois corria a informação de que ele seria buscado para prestar depoimento. Não encontrando-o no vestiário, os policiais dirigiram-se ao ônibus e lá encontraram uma barreira humana impedindo-os que chegassem ao jogador. Há fartas imagens de televisão demonstrando. Os fatos que se seguiram foram efeito da resistência, inclusive os exageros da polícia. No fim, aconteceu o inevitável: Maxi López depôs e foram todos para o hotel. Aquelas cenas poderiam não ter acontecido.

CONCLUSÃO — Não houve armação nenhuma. Apenas um fato corriqueiro, infelizmente, nos campos de futebol. Mas, ninguém poderá tirar de Elicarlos o direito de sentir-se ofendido, assim como Jeovânio (Grêmio) sentiu-se em relação a Antônio Carlos (Juventude), Valdir Louruz em relação a Gilberto Medeiros e o torcedor gremista, recentemente, no Olímpico. Não houve delito racial deliberado. Só não é preciso tapar o sol com peneira, criando enredos fantasiosos.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Mago prevê derrota gremista. Inter está fora

26 de junho de 2009 4


MAGO DA BOLA
Paulo Ledur

Mais uma vez o Mago acertou em cheio os resultados dos jogos dos times gaúchos. Colorados e gremistas ficaram irritados com os prognósticos, que logo depois se confirmaram dentro de campo. Mas o acerto nas duas partidas não foi o suficiente para o Mago faturar a grana acumulada. Ninguém levou o dinheiro e o prêmio volta a acumular. Agora, quem acertar os 14 jogos vai embolsar R$ 1,2 milhão. Boa Sorte!!

1 – FLUMINENSE X FLAMENGO

O Fluminense atravessa uma fase técnica muito ruim. Tem jogado mal, mas os resultados não têm sido tão ruins assim. O Flamengo tem muito mais time e os frutos estão começando a ser colhidos. O pior já passou pela Gávea. Coluna 2!!

2 – PALMEIRAS X SANTOS

Na semana passada, o Peixe deixou o Mago na mão; apostei que o Santos venceria o Atlético Mineiro. Agora, vai perder o clássico para o Palmeiras! Mas antes do ressentimento do Mago, está o bom momento que atravessa o time de Luxemburgo. Nos últimos 3 jogos, o Palmeiras venceu dois e empatou um. Coluna 1!!

3 – FIGUEIRENSE X VASCO DA GAMA

O Figueirense (11º com 10 pontos) faz uma péssima temporada e não dá nenhum indicativo de que retornará à Série A. O Vasco (10º com 12 pontos) começou bem a segundona e logo decaiu, muito por causa da Copa do Brasil. Tem um bom time para conquistar uma das 4 vagas. Coluna 2!!

4 – PARANÁ X BRASILIENSE

O Brasiliense (2.º com 15 pontos) está muito bem na competição e neste ano deve voltar à elite do melhor futebol do mundo. O Paraná (15.º com 8 pontos) faz boa campanha quando joga em casa, onde costuma colocar o adversário “nas cordas”. Longe da torcida é um time bastante modesto. Coluna do meio!!

5 – CEARÁ X CAMPINENSE

O Ceará estava precisando de um jogo desses para se recuperar na tabela (é o 18º com 6 pontos). O Campinense já mostrou que chegou na Série B para dar uma passeada e retornar de onde não deveria ter saído, a Série C. Com um time fraco, é o lanterna com apenas 3 pontos. Coluna 1!!

6 – DUQUE DE CAXIAS X BAHIA

As duas equipes fazem campanhas idênticas, somam 11 pontos em 7 jogos. Os times conquistaram mais de 80% dos resultados positivos jogando em casa. Desta vez, o mandante é o Duque. Coluna 1!!

7 – ATLÉTICO / GO X ABC

O Atlético tem a chance de se firmar entre os 4 primeiros colocados e o adversário não vai impedir. O ABC está credenciado ao rebaixamento (é o 17.º com 6 pontos). Coluna 1!!

8 – CRB X ICASA

O CRB é o lanterna do grupo B da terceirona e, hoje, estaria rebaixado à série D. Do outro lado, está o Icasa, líder e invicto. Portanto, coluna 2!!

9 – MARÍLIA X CAXIAS

O Caxias é o único time da Série C com 100% de aproveitamento; venceu os 3 jogos que disputou. O Marília é o 2.º colocado com 5 pontos; venceu um jogo e empatou os outros dois. Coluna do meio!!

10 – BARUERI X ATLÉTICO MINEIRO

Os dois times surpreendem na competição. O Galo é o líder e começa a acumular gordura para queimar mais adiante. O Barueri vem da Série B, mas, nem por isso, tem dado mole para os mais calejados da Série A; ocupa a 7.ª posição e está como intruso entre os melhores. Coluna do meio!!

11 – BOTAFOGO X GOIÁS

O Botafogo está na zona do rebaixamento e pelo time que tem, não será surpresa vê-lo mais uma vez na segundona. O Goiás soma 8 pontos e está na 13.ª posição. Vai buscar um pontinho no Rio de Janeiro. Coluna do meio!!!

12 – SÃO PAULO X NÁUTICO

Ricardo Gomes é o novo treinador do time paulista. A estréia será com o pé direito. O Náutico não coloca medo em ninguém, exceto pelo péssimo gramado de seu estádio. De treinador novo, jogando no Morumbi e contra um time ruim; o tricolor paulista vai festejar 3 pontos no Brasileirão. Coluna 1!!!

13 – SPORT X GRÊMIO

O Grêmio só pensa no Cruzeiro. Caçar a Raposa é o objetivo do ano, não, o Leão, que está faminto e precisa faturar o tricolor gaúcho para deixar a zona da morte. O Grêmio deve ir de reservas; na quarta-feira decide seu futuro na Libertadores. Coluna 1!!

14 – ATLÉTICO / PR X CORINTHIANS

O Corinthians está se lixando para o Brasileirão e se prepara para encarar o Inter na Copa do Brasil. Vai de time reserva para cima do Furacão, que está se lixando para isso e quer os 3 pontos. Coluna 1!!

LOTOGOL:

A Lotogol corresponde aos 5 primeiros jogos da Loteca. O prêmio estimado para este final de semana é de R$ 25 mil. Mais informações podem ser obtidas no site da Caixa: www.caixa.gov.br/loterias.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share