Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de agosto 2009

Frio e chuva no caminho dos colorados

31 de agosto de 2009 41

Mauro Vieira

Inter e Atlético Mineiro, quarta-feira, seria o jogo para atrair o maior público do ano no Beira-Rio. Com uma vitória, o time de Tite e Fernando Carvalho subiria para a vice-liderança e se afirmaria como forte candidato ao título. A partida está marcada para as 21h, horário razoável que permite ao trabalhador chegar ao estádio sem atropelos e voltar para casa em horas não muito tardias.

Entretanto, as previsões meteorológicas conspiram contra a torcida colorada. Os dias de calor estão se despedindo e a desagradável mistura de chuva e frio está chegando. Assim deverá ser a noite de quarta-feira: fria e molhada. Será tanta a motivação dos colorados que o mau tempo não impedirá que o Beira-Rio lote? No mundo militar, fala-se que o soldado é superior ao tempo. E no futebol, será o torcedor mais forte do que a intempérie?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Os cálculos otimistas de um torcedor gremista

31 de agosto de 2009 50

Vinicius Rebello, BD - 28/08/2009

Quando o time vai mal, a calculadora vai bem. Isto é, torna-se a preciosa ferramenta que alentará o torcedor ou, pelo contrário, o colocará em estado de desânimo definitivo. Acompanhe a seguir as projeções matemáticas do Guilherme, torcenauta gremista que não se entrega:

Sou estudante de engenharia e gremista, não necessariamente nesta ordem! Preocupado com o desempenho do meu time, me fiz a seguinte pergunta: será que é capaz um time ser campeão ganhando todas as partidas em casa e somente empatando fora de casa? Fazendo as contas, isto dá 76 pontos, ou seja, exatamente 66,7% de rendimento. Me parece muito óbvio, que com um desempenho deste, qualquer time pode ser campeão.

Analisando que para ser campeão, basta estar acima do segundo colocado, e para entrar no G-4 basta estar acima do quinto colocado. Peguei os rendimentos da era de pontos corridos dos segundos e quinto colocados até hoje:

Ano   Segundo colocado   Quinto colocado

2003  Santos – 63,0%        Inter – 52,1%

2004   CAP – 75,4%           Corinthians – 64,9%

2005    Inter – 68,4%         Fluminense – 59,6%

2006    Inter – 60,5%         Paraná – 52,6%

2007    Santos – 62,4%      Cruzeiro – 52,6%

2008     Grêmio – 63,1%    Flamengo – 56,1%

Fazendo uma média dos desempenhos dos segundos colocados, teríamos um rendimento necessário para ser campeão de 65,5% ou 74 pontos. Aquele time poderia ser campeão sim.

Fazendo uma média dos desempenhos dos quintos colocados, teríamos um rendimento necessário para chegar a Libertadores de 56,3% ou 64 pontos.

Bem óbvio, também. É o que se fala na imprensa.

Fiz este tipo de cálculo para que eu tivesse uma estatística mais ajustada, pois o que se faz geralmente é se estabelecer bases de cálculos a partir do campeonato que está acontecendo.

Para o Grêmio ser campeão, precisa repetir a partir de agora, o rendimento em todos os jogos que tem feito em casa:

74-32=42 pontos

42 pontos em 16 jogos => rendimento de 87,5%

Bem pouco provável!

Agora, se daqui pra frente, o Grêmio ganhar todos os jogos dentro do Olímpico, e obtiver apenas uma vitória fora de seus domínios e empatar todas as outras teremos:

24 pontos ganhos dentro de casa.

10 pontos fora de casa.

somando aos pontos que já temos:

teremos 66 pontos!

suficientes somente para uma vaga na Libertadores.

Conclusão:

Para beliscarmos a última vaga da Libertadores, não podemos mais perder, e ainda ganhar uma partida fora (o que já me parece impossível!).

Basta saber agora se o Grêmio vai ser capaz de fazer isso. Do que eu tenho visto, eu acho que não consegue se estabelecer esta pontuação.

A situação para o time do Grêmio é bem mais grave do que parece!

Os planejamentos quanto a pontuação devem ser bem analisados pela comissão técnica!

Espero sentado pela vinda do Leandro!

Espero por um lateral-direito!

Espero que os reforços que vieram tragam este reforço no rendimento de que o Grêmio tanto precisa!

Espero pela primeira vitória fora de casa.

Espero por essa vaga na Libertadores

Espero que o Grêmio me surpreenda como já fez um dia!

Abraços

Guilherme Della Justina, Joinville, Santa Catarina”.

 

Dureza, Guilherme, dureza…

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Jonas, o goleador que é pouco amado

31 de agosto de 2009 41

Paulo Sergio, Lancepress

Entre um atacante que perde gols e outro que nunca desperdiça oportunidade, fico com o primeiro. Ele, entre as chances perdidas, acabará marcando. O outro, que nunca tem oportunidades perdidas para lamentar, jamais terminará a temporada como artilheiro do time. Afinal, não existe atacante que nunca erre. Existem, sim, atacantes que não se expõem, pouco arriscam e, por isso, não desperdiçam chances.

Jonas integra o primeiro grupo, aquele dos atacantes que perdem gols por que estão incessantemente buscando-os. São jogadores obcecados pelas redes adversárias. E como Jonas não é um primor técnico, erra muito, mas também marca muitos gols. Ele já é o vice-artilheiro do Brasileirão. Marcou 10 gols, um a menos que os líderes da artilharia.

Jonas, vice-líder dos goleadores e, no entanto, um atacante pouco amado pela torcida gremista. Seu nome nunca está entre os mais aplaudidos. Sequer é titular absoluto. Ele que já marcou 10 gols.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Cinco razões que fizeram o 3-5-2 de Tite funcionar

31 de agosto de 2009 43

Tadeu Vilani, BD - 19/08/2009
Na entrevista coletiva que concedeu ao final do jogo contra o Goiás, Tite admitiu como forte a possibilidade de manter o time formatado no esquema 3-5-2. O treinador colorado estava feliz com o resultado e o desempenho do time. Quem viu o jogo não teve dificuldade para identificar as causas que determinaram o sucesso do esquema tático. Elas são várias e podem ser concentradas em cinco principais:

 

1 - O Goiás também adotava este sistema tático. Nestas ocasiões, igualdade de esquema, dá-se melhor o time, aquele que possui os jogadores mais qualificados. Foi o caso do Inter.

2 - Fabiano Eller e Índio jogaram avançados, encurtando o campo de jogo e compactando o time. Jogando assim, não apareceram os vazios no meio-campo que despontam, normalmente, por efeito do esquema.

3 - Fabiano Eller tem uma fantástica leitura de jogo. Avança com qualidade e não erra passes. Como investe pelo lado esquerdo, empurra Kleber para o meio e este movimento de ala verdadeiro, dá consistência ao setor.

4 - A compactação virtuosa da equipe somou-se o grande desempenho dos três meio-campistas: Magrão, Guiñazu e, principalmente, Giuliano, o mais avançado do trio. O garoto movimentou-se pelo campo inteiro, marcando e encaminhando jogadas ofensivas. Tem fôlego excepcional.

5 - No caso específico deste jogo, a expulsão de Fernandão, aos 13 minutos do primeiro tempo, favoreceu enormemente o Inter. O treinador do Goiás poderia ter substituído um dos atacantes por um volante e reforçado o setor. Mas, não o fez, facilitando a tarefa colorada.

Quando as circunstâncias do jogo favorecem e o treinador conta com jogadores de características apropriadas, o 3-5-2 pode funcionar tão bem como qualquer outro esquema tático. Mas, só nestas ocasiões.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Por que Autuori recuou o time e cedeu o empate

31 de agosto de 2009 70

Na foto, Jonas deixa o campo contra o Santo André, em 25/07. O mesmo ocorreu ontem contra o Botafogo/Daniel Marenco, Bando de Dados
Aos 30 minutos da etapa final, no Engenhão, Paulo Autuori fez a substituição que causou perplexidade: saiu Jonas, melhor jogador da partida e autor de dois gols e entrou Makelele, jogador de características defensivas.

O Grêmio ganhava o jogo e, por efeito da mudança e de um irresistível instinto de preservação da equipe, já evidenciado em outros jogos, recuou para o seu campo, atraindo o Botafogo. Se contasse com um atacante veloz, a alteração de rota poderia ter sido estratégica. Mas não era o caso. O Botafogo passou a pressionar, até marcar o gol de empate.

Restou aberta uma questão crucial: por que Autuori recuou o seu time?

É prática antiga, comum e, até, compreensível, que treinadores reforcem o seu sistema defensivo quando sentem que a vantagem obtida pode não ser sustentada. Na maior parte das vezes, dá certo. No Engenhão, deu errado. Jonas ameaçava a defesa do Botafogo e a sua saída desafogou o time carioca. Makelele entrou, mas foi insuficiente para conter a avalancha botafoguense. Era óbvio que os donos da casa tentariam reagir e buscar o empate. Aconteceu.

A prudência de Autuori foi exagerada?
O resultado indica que sim. Entretanto, o treinador, postado ao lado do campo, tem o sentimento dos fatos de campo. A vitória que o Grêmio estava obtendo era, de certa forma, enganosa, pois contava com equívocos da arbitragem. Autuori tinha consciência desta verdade.

Por isso, substituiu Jonas por Makelele. Mas o recuo do Grêmio não deve ser debitado, exclusivamente, à substituição feita pelo treinador. Mesmo com Makelele em campo, não era obrigatório que o time gremista se encolhesse.

A explicação para tal comportamento se expande para além da mudança. Está na falta de personalidade do time, que só consegue se impor quando amparado pela sua torcida. Jogadores essenciais brilham no Olímpico e afundam longe de casa. Não é exagero supor que, mesmo se Jonas não tivesse saído, o Grêmio teria recuado nos minutos finais.

O medo de perder aterroriza os jogadores e, assim, vai-se a vontade de ganhar, fora de casa.

CORREÇÃO: Ontem, neste blog, escrevi que uma das razões para a queda do Tenente-Coronel Bondan, do comando do 15º BPM, Canoas, teria sido sua negativa em punir os soldados envolvidos no “caso do ônibus” por entender que os policiais agiram dentro dos limites da lei. Recebo telefonema do Comandante Geral da Brigada Militar, coronel Trindade, garantindo que não fez este pedido a Bondan. Como acredito na palavra de Trindade, registro a correção.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Resultados mostram o velho Grêmio e um novo Inter

30 de agosto de 2009 70

Jonas (E) e Marquinhos marcaram para a Dupla na rodada/Fábio Motta, AE e Jefferson Botega
O Grêmio foi o que tem sido em jogos longe do Olímpico: um time incapaz de se impor. Parecia que, desta vez, traria a sonhada primeira vitória fora de casa. Esteve perto de conseguir. O sonho gremista dos três pontos, no Engenhão, se desfez a poucos minutos do encerramento do jogo. Injustiça? Provavelmente não. Desta vez, a arbitragem se enganou a favor do Grêmio em dois lances decisivos. Acontece contra e a favor. O fato, entretanto, indica que a vitória que se desenhava era enganosa. Paulo Autuori tentou segurar a vantagem substituindo Jonas, dois gols marcados, por Makelele. Deu errado. O Botafogo apertou o cerco e acabou encontrando o empate em um gol esquisito, para dizer o mínimo. O problema do Grêmio em jogos fora de casa não é de se resolver em divã. Falta, mesmo, personalidade ao time, que só consegue jogar bem empurrado pela sua torcida. Com os reforços, quem sabe….

O Inter foi surpreendente do início ao fim do jogo contra o Goiás. Tite mudou o esquema tático e promoveu alterações em todos os setores, motivado por lesões e suspensões. Parecia temerário que utilizasse o 3-5-2, esquema que não vem sendo aplicado no Beira-Rio. Dos três zagueiros escalados, dois vinham de longas paradas: Índio e Fabiano Eller. No meio-campo, Magrão assumia a função de primeiro volante, também chegando de um largo período no departamento médico. No ataque, Tite foi ainda mais surpreendente: escalou o garoto Marquinhos e o recém chegado Edu. Tantas mudanças poderiam resultar em má atuação e, quem sabe, em empate ou em derrota. Aconteceu o contrário.

Desde o primeiro segundo de jogo, o Inter mostrou-se agressivo, trocando passes e chegando no ataque com frequência. O primeiro gol saiu cedo: aos cinco minutos. Giuliano lançou Marquinhos, este limpou a jogada de um zagueiro e, na saída do goleiro, deu um toque amanteigado por cima. Golaço! O Inter, que já dominava, apertou o Goiás ainda mais. O segundo gol era uma questão de tempo. Mas, antes que saísse, Fernandão fez a maior bobagem da sua carreira. Disputava a bola com Magrão que o assediava por trás. Fernandão se impacientou e projetou o braço esquerdo para trás, acertando o volante colorado. Um gesto incompatível com a biografia de Fernandão. O árbitro não vacilou: cartão vermelho. A partir deste momento, o domínio colorado se acentuou. O resultado de quatro a zero foi construído naturalmente. Poderia ter sido até maior.

O 3-5-2 funcionou porque Tite tomou algumas providências essenciais. Escalou Bolívar como zagueiro da sobra enquanto Índio e Fabiano Eller jogavam projetados, à frente, encurtando o campo de jogo e, consequentemente, compactando o time. Eller reafirmou a sua fina técnica. Grande atuação. Mas, para que o esquema funcionasse, o Inter contou, também, com a participação tática perfeita de Kléber. O lateral jogou no meio-campo, fechando o setor. Esbanjou categoria em passes e lançamentos. Magrão ficou à frente da defesa e mostrou que recuperou o fôlego e a forma técnica. Foi magnífico. Giuliano completou o setor não economizando energia. Movimentou-se pelo campo inteiro, marcou e armou, ativamente, e acabou o jogo como um dos destaques. Edu está completamente fora de forma. Teve participação modestíssima. Mas, a grande figura da partida acabou sendo o garoto Marquinhos. Jogou como se estivesse entre garotos. Além de ótima técnica, mostrou a serenidade de um veterano. Fez um gol, teve outras conclusões e deu passes estupendos. Trata-se de um jogador muito inteligente.

A vitória foi incontestável. Agora o Inter recepcionará o Atlético Mineiro no meio da semana. Se vencedor, encosta no líder, alojando-se na vice-liderança.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Como o comando da BM foi levado a punir Bodan

30 de agosto de 2009 27

Em post anterior, neste domingo, mostrei como foram deturpados os fatos que determinaram a queda do tenente-coronel Bondan do comando do 15º BPM, Canoas. A versão que modificou os fatos do “caso do ônibus”, a pressão exercida sobre o comando geral da Brigada Militar e a posterior punição de Bondan.

A seguir, diálogo ocorrido ontem à noite, sábado, por volta das 21 horas, quando uma guarnição da BM foi chamada a Rua Caramuru nº 417, Canoas, aonde acontecia um evento. Ao chegar no endereço, os brigadianos foram informados que automóveis estavam estacionados sobre as calçadas, obrigando os pedestres a caminhar sobre o leito da rua, sujeitando-se a serem atropelados. O sargento José Carlos Fonseca de Oliveira confirmou a procedência da denúncia e solicitou a presença de agentes do trânsito enquanto, ele próprio, multou um dos automóveis. Saindo do evento, o vereador Juares Hoy, de Canoas, tomou conhecimento de que os carros estavam multados e travou-se, então, o seguinte diálogo, testemunhado por todos os brigadianos que estavam de serviço, em Canoas, já que o sargento deixou acionada a tecla PTT (microfone rede-radio). A seguir, o diálogo que evidencia como se dão as relações de poder, em Canoas:

 

Juares Hoy — Foram multados veículos neste local?

Sgto. Jose — Sim.

Juares Hoy — Tu tá pensando o quê, sargentinho, nós fizemos um evento  para arrecadar alimentos para entidades carentes e tu não pode multar os carros dos participantes.

Sgto. Jose — Transeuntes reclamaram que os carros estão em cima da calçada atrapalhando a passagem, sendo que pedestres tem que passar pela rua, arriscando serem atropelados.

Juares Hoy – Eu, vereador e comissário de polícia, Juarez Hoy, transferi o cel. Bondan e vou te transferir, sargentinho.

Sgto. José – (silêncio)

Juares Hoy – Vocês estão pensando o quê, seus brigadianos?

Sgto. Jose – Por gentileza, o senhor não precisa gritar comigo, pois eu não estou gritando com o senhor e nem sendo mal educado

Gto. Jose - O senhor, como vereador, tem que cuidar dos anseios da sociedade como a iluminação publica, as carências dos hospitais e deixar que da segurança publica nós da brigada cuidamos.

Juares Hoy – Tu tá pensando o quê, sargentinho, eu vereador Juarez Hoy, transferi o cel. Bondan e vou te transferir também.

Voz não identificada -  Não! Nós vereadores transferimos o cel. Bondan.

Juares Hoy – Não! Eu, vereador e comissário de policia, que transferi o Cel. Bondan.

Sgto.Jose – Seu vereador, quem multou os veículos foram os agentes de trânsito.

Juares Hoy – O quê? Foram eles? Então vou ferrar eles.

Sgto.Jose – O senhor está ameaçando os agentes de trÂnsito, e eu estou com a tecla do radio acionada e todos os brigadianos de serviço estão ouvindo a nossa conversa. Eu vou registrar ocorrência contra o senhor pelas ameaças.

Juares Hoy – Eu é que vou registrar ocorrência contra ti.

 

Foi por ter acreditado em uma versão fantasiosa dos fatos envolvendo o socorro a uma mulher que teve um ataque epiléptico no interior de um ônibus, que o Comando Geral da Brigada Militar destituiu o tenente-coronel Bondan do comando do 15º BPM. O diálogo acima transcrito, de cuja veracidade este blogueiro possui cabal prova, ilustra como se dão as relações de poder, em Canoas. E quanto o comando geral da BM foi precipitado e imprudente, além de injusto, ao determinar uma punição sem, antes, investigar a veracidade das denúncias.

Postado por Wianey Carlet

Bookmark and Share

Puniram o bom soldado e prestigiaram o crime

30 de agosto de 2009 62

Já faz algum tempo, tenho me dedicado a acompanhar de perto a questão da segurança pública, no RS. Principalmente, no que se relaciona com a Brigada Militar, seus erros, acertos e incompreensões. E vinha acompanhando o que estava acontecendo em Canoas, uma grande cidade atormentada pelo crime e a contravenção.

Desde que o Tenente-Coronel Bondan assumiu o comando do 15º Batalhão, a vassoura legal passara a agir na cidade, atacando o crime organizado, o tráfico de drogas, a ação de falsos ambulantes (traficantes, contrabandistas, etc) e a contravenção das máquinas caça-níquel.

O tráfico de drogas passou a viver em constante desassossego. De controladores da cidade passaram a controlados.

Desde que o Tenente-Coronel Bondan assumiu o comando do 15º Batalhão, a vassoura legal passara a agir na cidade, atacando o crime organizado, o tráfico de drogas, a ação de falsos ambulantes (traficantes, contrabandistas, etc) e a contravenção das máquinas caça-níquel.

O tráfico de drogas passou a viver em constante desassossego. De controladores da cidade passaram a controlados.

Entre os vendedores ambulantes honestos e regulares, misturavam-se contrabandistas e traficantes. Vendiam-se, nestes locais, de mercadorias piratas a remédios falsos, um c rime contra a saúde da população carente. Os deliquentes que agiam neste setor passaram a ser combatidos, com rigor. A Smed, órgão da Prefeitura Municipal de Canoas, apoiava as ações da BM e da Polícia Civil. Mas, omitiu-se na hora de defender Bondan.
A BM, entretanto, bateu de frente com inimigos poderosos da sociedade: os controladores das máquinas caça-níquel, de Canoas. Gente importante comandava e comanda esta contravenção. E aí incluem-se soldados da BM, cooptados para “fazer bico” nos locais onde as máquinas estava instaladas. Os prejuízos causados aos contraventores foram grandes.

O crime e a contravenção estavam a espera de um fato que pudesse ser usado para afastar quem estava minando os seus domínios: o tenente-coronel Bondan. Neste ponto, é importante traçar o perfil deste oficial.
Bondan é um dos raros oficiais da sua patente e mais para o alto, que não se satisfazem em atolar as suas bundas em confortáveis poltronas de gabinetes. Na corporação, ele é conhecido por ser um coronel que vai para a rua para, ao lado dos soldados, combater o crime. Muitos dos seus colegas oficiais desdenham sua postura profissional. Para eles, um mau exemplo. Já imaginaram se, de repente, todos os oficiais tivessem que trabalhar nas ruas? Bondan toma chimarrão com os seus soldados, freqüenta suas casas e, importante, protege-os quando injustamente atacados. Por esta razão, é um oficial respeitado e estimado pelo tropa. Mas, Bondan fazia uma “faxina” em Canoas e estava incomodando muita gente. Era preciso afastá-lo. A oportunidade surgiu com a historia da mulher que adoeceu dentro de um ônibus, semana passada.

Este é um caso em que a versão prevaleceu, mesmo que est5ivesse completamente divorciada dos fatos. E a imprensa acabou sendo envolvida pela versão. Este blog pretende repor a verdade, ainda que possa significar dissabores, ameaças, etc. Agora, os fatos:

O ônibus seguia o seu caminho quando uma mulher caiu no corredor e passou a ter espasmos. O motorista parou o veículo e pediu socorro de alguns brigadianos. Estes, subiram no ônibus e verificaram que o estado da mulher era grave. Além dos espasmos, ela apresentava certa rigidez corporal. Avaliaram a situação e concluíram que não havia tempo a perder. E, entre carregar a mulher para dentro de uma viatura apertada, seria mais rápido e indicado que o ônibus desviasse o seu caminho e fosse para o Pronto Socorro Municipal. Os policiais acompanhariam o veículo, dentro e fora, como escolta.  O motorista negou-se a acatar a orientação dos brigadianos. Para não perder mais tempo, os policiais substituíram a orientação por uma ordem legal. Somente neste momento, e sob forte reação do motorista, que passou a ofender os brigadianos, o veículo deslocou-se para o PS, não muito distante do local. Depois que a mulher foi retirada do ônibus, os policiais solicitaram que o motorista apresentasse identificação para que fosse feito o registro da ocorrência. O homem negou-se, alegando que os policiais não tinham prestado socorro e passou a atacá-los com impropérios. Diante da reação, desacato a autoridade, os policiais deram-lhe voz de prisão. Sentado no seu assento, atrás do volante, o motorista negou-se a atender a ordem. Neste momento, vendo que o motorista não sairia do seu lugar, prosseguindo na sua ação de desacato, os policiais, quatro, agarraram-no e retiraram-no a força do veículo. As imagens, dissociadas do contexto, dão uma idéia de violência policial que não aconteceu, já que o motorista foi submetido a perícia médica e nenhum hematoma ou ferimento foi constatado.
Mas, havia imagens da ação, que poderiam ser confundidas com inaceitável caso de violência policial. A oportunidade era magnífica para atingir Bondan. Os fatos seguintes são conhecidos: pressão sob o Comando Geral da BM, repasse da versão fantasiosa para a imprensa e o resultado foi o afastamento do bom soldado do comando do 15º PM.

Chamado pelo comando da corporação, Bondan foi instado a punir os soldados envolvidos na ocorrência. Se quisesse salvar a sua pel e o cargo, bastaria punir os policiais e tudo ficaria bem. Mas Bondan é um homem de tropa, fiel aos seus soldados. Estava convencido de que eles tinham agido dentro do que manda a lei e negou-se a puni-los. Preferiu assumir o ônus de uma punição injusta e precipitada, imposta pelo alto comando da Brigada Militar.
Os fatos aqui relatados podem ser confirmados com uma mínima oitiva de testemunhas e, principalmente, investigando e apurando quem foram os proprietários de máquinas caça-níquel que resultaram prejudicados pela ação policial comandada pelo tenente-coronel Bondan.

A Brigada Militar, não foi vacinada contra erros. Vez em quando, um ou mais policiais excedem suas atribuições, são violentos e, até, incorporam-se ao mundo do crime. Estes, provadas as suas culpas, são julgados, punidos, expulsos da corporação de acordo com a gravidade do seu delito. Entretanto, jamais se ouviu dizer que um único brigadiano tenha se negado a prestar socorro a uma pessoa em necessidade. Segundo a falsa versão distribuída, aconteceu pela primeira vez, em Canoas.

O tenente-coronel Bondan não será ressarcido dos injustos prejuízos morais e funcionais que recebeu. O alto comando da BM não reconsiderará os efeitos da sua decisão injusta e precipitada, tomada sem a necessária averiguação dos fatos. Mas, homens injustiçados existem aos milhares, talvez milhões. Bondan é apenas mais um número estatístico. É preciso torcer, agora, para que a população de Canoas, que vinha sendo protegida da ação da marginalidade, não seja a vítima futura, precisando se sujeitar aos ditames do crime, que vinha sendo combatido.
Se uma pessoa morrer por ingerir medicamento falso, lembrem que Bondan combatia este tipo de crime.
Se um adolescente for envolvido pelas drogas, lembrem que talvez esta tragédia tivesse sido evitada, pois o tráfico vinha sendo combatido severamente.

E se alguém, submetido ao fascínio das máquinas caça-níquel,  comprometer a sua vida pessoal, não esqueçam que um bom soldado tombou por ter ousado atacar esta contravenção.
Tomara que Canoas não recue aos tempos pré-Bondan. Embora, este desejo seja como torcer paras que o Náutico seja campeão brasileiro. 

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Inter e Totenham firmam parceria estratégica

28 de agosto de 2009 17

Texto enviado pela Assessoria de Imprensa do Internacional:

O Internacional firmou um grande acordo de intercâmbio e parceria estratégica com o Tottenham, da Inglaterra, um dos mais tradicionais clubes do país.

O Internacional firmou um grande acordo de intercâmbio e parceria estratégica com o Tottenham, da Inglaterra, um dos mais tradicionais clubes do país. O acordo prevê intercâmbio em várias áreas de interesse dos dois clubes, como a formação e o treinamento de jogadores jovens, projetos de marketing, promoções, oportunidades comerciais, mídia e relações públicas. O acordo foi anunciado simultaneamente nos sites oficiais dos dois clubes na manhã desta sexta-feira (horário de Brasília).

Para o presidente do Internacional, Vitorio Piffero, “parceria é inovadora no futebol brasileiro entre dois clubes de expressão mundial. Ela não será apenas intercâmbio de jogadores, mas também de desenvolvimento conjunto de oportunidades em várias áreas como marketing, promoções, mídia e relações públicas.”

Já o presidente do Tottenham, Daniel Levy, afirmou que “a parceria será cada vez mais importante para que nós possamos descobrir e revelar novos talentos. Esta cooperação entre os clubes propiciará uma troca de metodologia de treinamentos, bem como visitas recíprocas, a fim de que sejamos capazes de revelar e encaixar jogadores do Brasil e América do Sul em nossos clubes ou mesmo em outras ligas européias. É um projeto empolgante para nós e estamos ansiosos para trabalharmos com o Inter”.

Saiba mais sobre o Tottenham (fonte wikipedia)

O Tottenham Hotspur Football Club é uma equipe de futebol da Inglaterra, com sede no bairro de Tottenham, no norte de Londres. A equipe foi fundada em 1882, originária de um clube de cricket e se chamava Hotspur FC. Em 1884 o clube passou a se chamar Tottenham Hotspur Football and Athletic Club. O clube também é conhecido como Spurs, que significa espora, já que o mascote do clube é um galo. O Tottenham possui uma grande torcida espalhada por todo o país, mas com maior concentração no norte de Londres, onde foi fundado e fica o seu estádio.

Seu estádio chama-se White Hart Lane e foi fundado em 1889. Após os esforços de modernização teve sua capacidade reduzida para 36.240 espectadores, com média de público de 35.882 espectadores na temporada 2004-2005, mas o seu recorde de público é de uma partida contra o Sunderland, em 5 de março de 1938, quando estiveram neste estádio 75.038 torcedores.

O Tottenham tem uma grande torcida no Reino Unido, composta principalmente no norte de Londres e na sua periferia. As partidas do clube tradicionalmente atraem um público bastante alto, chegando próximo da capacidade máxima do seu estádio. Em algumas temporadas durante as décadas de 1950 e 1960, o Tottenham teve a mais alta média de público na Inglaterra. Apesar de sua localização mais centrada no Reino Unido, é possível afirmar haver torcedores do clube em várias regiões do mundo. Os torcedores do Tottenham têm rivalidade com vários clubes, principalmente os da área de Londres. A rivalidade mais acirrada é com o Arsenal. Eles também compartilham alguma rivalidade com o Chelsea e o West Ham United, que são da mesma cidade.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Colorados devem homenagear Fernandão

28 de agosto de 2009 9

Jefferson Botega, Banco de Dados - 20/05/2009

Não tenho dúvida alguma de que a torcida colorada que for ao Beira-Rio para ver Inter e Goiás, saberá oferecer a Fernandão as justas homenagens devidas a um ídolo. Os desencontros ocorridos alguns meses atrás, quando Fernandão desligou-se do futebol do Catar e acabou desviado para o Goiás, não podem obscurecer a importância do grande capitão nas maiores conquistas coloradas, da sua história. Fernandão queria voltar para o Inter mas o clube entendeu que não seria conveniente a sua recontratação.

As duas partes, entretanto, se atrapalharam. O Inter não encontrou coragem para dizer a Fernandão, claramente, que era preferível que ele se mantivesse na memória dos colorados como o grande condutor daquela equipe vencedora do que correr o risco de, dentro do campo, comprometer a sua imagem. Também faltou ao Fernandão compreender a nova realidade. Nenhuma das partes cometeu pecado grave.

São compreensíveis e aceitáveis as duas posições. Fernandão será, para sempre, o capitão das maiores conquistas do Inter. Já imaginaram ele sendo substituído ou, pior, tendo a sua substituição requerida pela torcida? Tudo o que fez pelo Inter ficaria diminuído. Assim ficou melhor. O espaço histórico do ídolo é muito maior do que alguns meses no meio-campo colorado.

PS: Está no ar o novo site da rádio Gaúcha. Vale a pena visitá-lo, garanto. Aproveite para integrar-se a comunidade do Supersabado, apresentado por este blogueiro e a jornalista Gabrieli Chanas, todos os sábados das 8h30min até às 11h. O endereço: www.radiogaucha.com.br/comunidade. Em seguida, é só buscar a comunidade do Supersábado, filiar-se e interagir com os apresentadores.

E para quem aprecia um texto qualificado, inteligente e boas histórias, este blog recomenda: www.soparamorcegos.blogspot.com

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Grêmio idealiza time para disputar o título

28 de agosto de 2009 64

Que o Grêmio tem uma equipe que pode ser considerada razoável ou boa, acho que ninguém duvida. Acrescente-se a este time o lateral-esquerdo Lúcio, o atacante Leandro (deve vir) e o volante Fábio Rochenback (quase acertado) e será obrigatório considerar que no Grêmio ficará com uma equipe boa, talvez muito boa, com capacidade teórica para, até, disputar o título brasileiro.

Acrescente-se que o clube vendeu dois garotos para viabilizar a compra de Souza e negou-se a negociar Maxi López para não reduzir o tamanho do time e temos um conjunto de ações no futebol que recomendam a administração de Duda Kroeff.

Tenho exposto estas avaliações e não tem sido poucas as correspondências enviadas por gremistas rejeitando a posição do blogueiro. Como esta, por exemplo, que chegou esta manhã, enviada por Luís Azambuja:

“Por favor Sr. Wianey analise os fatos: Desempenho no Gauchão=vergonhoso //Grenais 1×3// Libertadores= desempenho pífio // Brasileirão= mediano (atraz de barueri e avai, etc) // Contratações acertadas= nenhuma // Revelação nas categorias inferiores= nenhuma // Folha de pagamento= duplicada // Identificação com a torcida= Absolutamente nenhuma. Sinceramente caro Wianey= não te entendi, desculpe. Abraço JLuiz”.

Se me permite o caro torcenauta, respondo cada uma das questões expostas:

1 – GAUCHÃO - Existem duas competições que o consenso gremista elegeu como desprezíveis: Gauchão e Copa Sul-Americana. Não deve fazer falta títulos das duas. Além disso, o Grêmio teve dificuldades e gastou bom tempo para fazer as contratações que o time exigia. Os negócios, às vezes, não acontecem na velocidade desejada;

2 – GRE-NAIS - Foi sob a presidência de Duda Kroeff que o Grêmio quebrou um longo período de supremacia colorada em clássicos;

3 – LIBERTADORES – Chegar às semi-finais é desempenho pífio?

4 – BRASILEIRÃO – O Grêmio está a três pontos do G-4. É tão ruim, assim, a campanha do Grêmio?

5 – CONTRATAÇÕES – Maxi López não foi uma contratação acertada? E a de Souza?

6 – REVELAÇÕES – Mario Fernandes e Bruno Colaço não são boas revelações das categorias de base, seu Luís?

7 – FOLHA DE PAGAMENTOS – Aumentou, realmente. Mas, como se faz futebol bom e barato? O Grêmio teria Souza e axi López se não pagasse altos salários?

8 – IDENTIFICAÇÃO – Quais são os efeitos do discurso sobre o desempenho do time? A torcida quer declarações impactantes ou equipe para torcer?

Sinceramente, caro Luis, não te entendi. Desculpe.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Tite é vítima de culpas que ninguém assume

28 de agosto de 2009 51

Jefferson Botega, Banco de Dados
Questiona-se tudo em todas as equipes, mas em nenhuma outra, como no Inter, debatem-se tanto questões táticas.

Há poucos dias, prejudicado por lesões e suspensões, Paulo Autuori escalou o Grêmio com três zagueiros e três volantes de características defensivas. No decorrer do jogo, aumentou o poder defensivo substituindo Douglas Costa por Thiego. As decisões de Autuori receberam obsequiosa consideração como, aliás, convinha. Entretanto, Tite já foi amarrado à fogueira por escalar Sandro, Magrão e Guiñazu. O que no Beira-Rio é tratado como heresia, no Olímpico é visto com olhos moderados.

Não tenho explicação para este que é um fato permanente, não é de hoje. Talvez tenha suas raízes na cultura dos dois clubes. Enquanto os colorados cultuam o estilo artístico de jogar, os gremistas têm predileção por times combativos, rudes, competitivos. Esta é uma observação que só pode ser feita por quem acompanha o futebol gaúcho há mais de 30 anos, pelo menos.

No primeiro turno do campeonato, o Inter acumulava pontos ganhos jogando com o criticado trio de volantes. As equipes estavam mais fracas, é a justificativa imediata para o sucesso da época. É verdade, mas mesmo contra times inferiores, o Inter decaía e perdia pontos quando um dos “volantes” cedia lugar para um armador. Formava-se, então, a dupla D´Alessandro e Andrezinho e o time não funcionava.

O (mal) falado trio de volantes, não era de volantes defensivos.
Magrão, quando estava em boa forma física, avançava e aparecia na área adversária com frequência. O próprio Guiñazu jamais funcionou como um volante de marcação. Sai tanto do lugar, movimenta-se tanto que seria um despropósito defini-lo como volante.

Com os problemas médicos de Magrão, Giuliano preencheu a sua vaga e mudou a formatação do meio-campo. Hoje, o Inter joga com Sandro e Guiñazu, volantes, e Giuliano e Andrezinho, armadores.

Como Guiña não guarda posição e Sandro, impelido pela sua extraordinária técnica, também avança, a defesa colorada vê-se desprotegida, muitas vezes, e o meio-campo revela-se inconsistente apenas com Sandro e Guiñazu dedicados à marcação. Vai daí que os adversários do Inter empurram o time para trás e chegam, a todo o instante, na cara dos defensores.

Não é por outra razão que os zagueiros, TODOS, andam falhando. Zagueiro ruim é, às vezes, apenas zagueiro desprotegido. Tite “abriu” o time colorado, mas esta é um culpa generalizada que ninguém assume.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Mago prevê vitória do Grêmio fora de casa

28 de agosto de 2009 11

Reprodução
MAGO DA BOLA 
Paulo Ledur

Seis Magos acertaram os 14 jogos do último concurso e cada um faturou pouco mais de R$ 41 mil. A única surpresa, mas sem grande alarde, foi o empate do Corinthians com o Botafogo, em São Paulo. Na tabela deste final de semana, apenas uma partida da Loteca não é da Série A ou da B; é o jogo 9. A Caixa Econômica Federal estima prêmio de R$ 250 mil para quem acertar sozinho todos os resultados. Boa Sorte!!! 

1 – SÃO PAULO X PALMEIRAS

É mais uma espécie de decisão no equilibrado Brasileirão. O São Paulo, sem dúvida, tem mais time, mas do outro lado está a pessoa que mais conhece o tricolor paulista: Muricy Ramalho. O Palmeiras depende de Diego Souza para deslanchar. O São Paulo tem mais alternativas, principalmente pelos lados do campo. Coluna 1!

2 – BOTAFOGO X GRÊMIO

O Botafogo é um dos times mais imprevisíveis do Brasileirão. Busca ponto fora de casa contra Corinthians e Palmeiras e tropeça em casa contra o Sport. É a chance que o Grêmio tem em buscar a 1.ª vitória longe do Olímpico. Dá para confiar? Coluna 2!

3 – CORITIBA X AVAÍ

O Avaí está na maior série invicta do campeonato, entre todos os participantes. O time do ex-tenista Guga não perde há muito tempo, são 11 jogos sem derrota. O Coritiba vai lutar até o final para não cair. Por mais estranho que possa parecer, o Coxa é a zebra. Coluna 1!!

4 – BRAGANTINO X ATLÉTICO / GO

O Bragantino corre por fora para chegar no G-4. O Atlético segue tranquilo entre os 4 melhores (colado no Vasco) e deve conquistar, sem dificuldades, uma das vagas à Série A.Vai a Bragança buscar mais um pontinho. Coluna do meio!

5 – BAHIA X SÃO CAETANO

O Bahia é mais um que corre por fora (bem por fora!). O São Caetano é o 5.º e se vencer entra no G-4. Com o embalo da torcida, o Bahia vai dar uma segurada no Azulão. Coluna 1!!

6 – PONTE PRETA X PARANÁ

Os dois seguem na luta. A Macaca para chegar no G-4 e o Paraná para não cair. O time da Ponte não é nenhuma maravilha, mas o time de Curitiba é horroroso! Coluna 1!!

7 – AMÉRICA / RN X GUARANI

O América há muito tempo parou! O Bugre deu uma dormida, mas já retomou o caminho das vitórias. Nessa altura do campeonato, um ponto fora de casa é sempre bom. Coluna do meio!

8 – JUVENTUDE X DUQUE DE CAXIAS / RJ

Se o Juventude não ganhar essa, fecha! O time de Caxias do Sul atropelou o Guarani na penúltima rodada e buscou um empate contra o Ceará. Com certeza, vencer o Duque é mais tranquilo. O time do Rio de Janeiro está na zona do rebaixamento; jogo de 6 pontos! Coluna 1!!

9 – ICASA / CE X ASA / AL

O Icasa está a um ponto de chegar a final da 3.ª divisão. Na fase anterior, arrasou o Paysandu. Na final irá pegar o América, de Minas Gerais, ou o Guaratinguetá, de São Paulo; os algozes dos gaúchos. No confronto contra o ASA deve cometer mais um crime, desta vez de trânsito. Vai atropelar o adversário! Coluna 1!!

10 – NÁUTICO X ATLÉTICO / PR

Uma vitória pode tirar o Náutico da zona da morte, depois de muuuito tempo. O Furacão já passou pelo pior e começa a sonhar com algo maior. No esburacado estádio dos Aflitos, o dono da casa vai se dar melhor. Coluna 1!!

11 – FLAMENGO X SANTO ANDRÉ

O Urubu carioca precisa se reabilitar e, nada melhor do que pegar um dos piores times da Série A. O Santo André é favorito ao rebaixamento e está próximo de ser sugado pela zona da morte. Coluna 1!!

12 – VITÓRIA X CRUZEIRO

O Cruzeiro buscou no meio da semana um empate contra o Botafogo, no Rio de Janeiro; ainda sonha com em chegar na Libertadores de 2010. O Vitória vai ficar numa posição intermediária e chegará, no máximo, na zona da Copa Sul-Americana. Coluna 2!!  

13 – SANTOS X FLUMINENSE

O Fluminense está rebaixado! Não tem escapatória! O Santos vai cumprir tabela e disputará a Copa Sul-Americana do próximo ano. Coluna 1!!

14 – INTERNACIONAL X GOIÁS

O Inter vai muito desfalcado para esse jogo. Em todos os setores falta pelo menos um jogador. Vai contar com o apoio da torcida para tentar quebrar a série de 3 jogos sem vitória. O Goiás, com ex-colorados, faz grande campanha e chega a Porto Alegre para buscar um ponto. Coluna do meio!

LOTOGOL

A Lotogol corresponde aos 5 primeiros jogos da Loteca. Para ganhar é preciso acertar em cheio os placares. Mais informações podem ser obtidas no site da Caixa: www.caixa.gov.br/loterias   

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Janela de agosto fortaleceu o Grêmio

27 de agosto de 2009 88

Se a janela internacional de agosto fragiliza algumas equipes, outras conseguem aproveitar a oportunidade para se fortalecer. É o caso do Grêmio e seria também do Inter se não fosse a saída de Nilmar.

Sem perder um único jogador para clubes do Exterior, Jonas não seria uma perda, exatamente, o Grêmio conseguiu aprimorar a sua equipe com as contratações de Lúcio e Leandro. Estes dois jogadores vão complementar e qualificar dois dos três setores da equipe. Considere-se, ainda, que Willian Magrão está voltando e surge como inevitável a conclusão de que o Grêmio estará muito forte, neste returno do Brasileirão.

Não entendo, às vezes, as manifestações de rejeição de muitos gremistas com relação ao presidente Duda Kroeff e seus companheiros de direção. Sob o seu comando o Grêmio contratou um dos melhores treinadores da América do Sul, e montou uma equipe respeitável. O que mais se deve exigir de um dirigente?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Orteman, si viene, no va a Los Aromos

27 de agosto de 2009 8

Mauro Vieira, Banco de Dados - 18/06/2009

“Será detenido; Peñarol entiende que no hay lugar a la extradición

DIEGO PÉREZ

Todo estaba en calma. Victoria en el debut, la incorporación a priori más importante en el mercado de pases, el plantel para el Apertura a un paso de definirse. Sin embargo, “de rebote” Peñarol se ganó un problema en las últimas horas, con la orden de detención elevada por la Justicia uruguaya en contra de Sergio Orteman y con fines de extradición a Paraguay, como informó Ovación en su edición de ayer.

En principio se esperaba la llegada del futbolista, proveniente de Porto Alegre, para hoy. Sin embargo, la misma no se ha confirmado porque en conjunto con su abogado, Dr. Alejandro Balbi, estudiaba en las últimas horas la situación. En caso de darse su arribo a Montevideo, Orteman quedaría inmediatamente detenido y sería puesto a disposición de la Justicia.

Según lo explicado por Balbi -que es el delgado de Nacional en la AUF, pero en esta ocasión “juega” a favor de Peñarol- cuando llega un pedido de extradición el juez no analiza el fondo del asunto, sino los aspectos formales del pedido y en este caso, contrariamente a lo sucedido hace un año, a Balbi le indicaron que los mismos se adecuan al tratado de extradición entre Paraguay y Uruguay y por eso será detenido si llega a Uruguay, con riesgo cierto de extradición.

El problema entre el denunciado, Orteman, y el denunciante, Osvaldo Domínguez Dibb, poderoso empresario paraguayo que presidió al Olimpia de ese país, surgió en 2004 cuando Orteman dejó ese equipo para pasar a Independiente de Argentina. Domínguez Dibb denunció al futbolista por estafa y lesión de confianza, dictando luego la Justicia paraguaya un pedido de extradición que fue rechazado en 2008 por su par uruguaya luego que el jugador permaneciera 48 horas detenido en Montevideo, antes de viajar a Buenos Aires.

Balbi, inmediatamente después de recibir esta nueva notificación, se comunicó con los dirigentes de Peñarol para ponerlos al tanto de la situación. “Con los riesgos que supone abrir opinión sin ver los expedientes, pero sí habiendo leído las publicaciones internacionales al respecto de la situación de Orteman, entiendo que el tema central de la denuncia no tiene ninguna relación con la esfera penal. De las propias declaraciones públicas que hizo el denunciante en Paraguay surge que este es un tema enmarcado en la órbita civil”, opinó el abogado penalista Jorge Barrera, delegado de los aurinegros, quien agregó que para que se cumpla la extradición se debe atender si la conducta denunciada es reprochable penalmente en Uruguay. “Es implanteable, en cualquier ordenamiento jurídico penal del mundo, que el incumplimiento o no de un contrato deportivo genere algún tipo de consecuencia penal”, afirmó Barrera.

Balbi, por su parte, entiende que Domínguez Dibb “abusó de la Justicia paraguaya” y que la situación es exagerada, porque se trata de un contrato deportivo.

Mientras el delegado aurinegro destacó el trabajo de su par tricolor, Alejandro Balbi intentará “ayudar” indirectamente en esta ocasión a Peñarol, club que venía en la “buena” y al que le “cayó” un problema.

Lo acusan de dejar a Olimpia “subrepticiamente” en 2004

Sergio Orteman “pasó a ser parte del plantel del Olimpia, percibiendo con regularidad del peculio de Domínguez (el denunciante) sumas de dinero, conforme a recibos suscritos por el imputado en diversos conceptos”, según lo dictaminado en 2004 por el fiscal paraguayo Juan de Rosa Ávalos. Agregó que Orteman se ausentó “subrepticiamente del país” tras recibir 66.000 dólares de su pase, además de percibir una prima anual de 80.000 dólares, un salario de 3.000 dólares, así como otros 10.000 dólares en primas. También hubo problemas en ese entonces con Rodrigo López, aunque arregló su situación.

Ovación digital

Postado por Wianey

Bookmark and Share