Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 25 abril 2010

Deu Grêmio, pintou o campeão gaúcho

25 de abril de 2010 198

Foto: Daniel Marenco

Até os 30 minutos iniciais, o Gre-Nal foi equilibrado. Nos últimos 15 minutos, a dominação colorada deu a impressão de que o Inter estava mais próximo da vitória. Falsa impressão. Veio a etapa final e do primeiro ao último minuto o Grêmio esmagou o Inter. Fez dois gols, não sofreu nenhum e ainda mandou três bolas nas traves do Inter. Fazendo dois gols fora de casa, o Grêmio já pode ir confeccionando as faixas. Só um desastre gigantesco tira a taça do Olímpico. E para piorar a vida do Colorado, Guiñazu levou o terceiro amarelo.

Antes do Gre-Nal, o repórter Sérgio Boaz, através do programa Pré-Jornada, Rádio Gaúcha, perguntou aos seus ouvintes: quem ganharia o Gre-Nal? Mais de 10,6 mil torcedores responderam. Confiantes, os colorados (59%) expressaram a sua confiança de que o Saci aplicaria uma surra no Mosqueteiro (41%). Aconteceu o contrário. O Grêmio ganhou o clássico e a derrota por 2 a 0 foi menor do que mereceria o time de Jorge Fossati. 

Leandro fez pouco, quase nada. Só não fez menos do que Alecsandro. Foram as duas figuras mais apagadas do Gre-Nal.

Jonas poderia ter saído do clássico com um ou dois gols marcados. Apavorou a defesa colorada, o jogo inteiro. Grande destaque da partida. Walter, igualmente, mereceu deixar sua marca no escore. Foi quem mais finalizou, no Inter. Jogou sozinho, no ataque.

Neuton, o garoto que Silas não temeu lançar no Gre-Nal, foi a mais grata surpresa do clássico. Jogou com a personalidade de um veterano e esbanjou eficiência. Este, o Gre-Nal consagrou.

Jorge Fossati falhou quando lhe faltou coragem para substituir Alecsandro. Desde o início do jogo, viu-se qual era a disposição do atacante. Saindo muito da área adversária, muitas vezes foi visto se movimentando no campo defensivo do Inter.  E quando se atreveu a atacar, a defesa do Grêmio asfixiou-o. Fossati esqueceu que não existe lei que impeça de substituir Alecsandro. Aliás, além de pouco render no ataque, Alecsandro também não saltou com Rodrigo, no primeiro gol, do Grêmio.  

Hugo tinha a responsabilidade de substituir Douglas, o grande armador do Grêmio. Não tremeu, pelo contrário. Teve alto índice de participação durante o Gre-Nal inteiro.

Mesmo que não tivesse levado gols nos últimos quatro jogos, a defesa do Inter nunca foi confiável. O ataque só evoluiu pela presença de Walter, mas Alecsandro mantinha-se sob fortes suspeitas. Com uma defesa que falha e um ataque que pouco funciona, o destino do Inter na Libertadores não oferece boas expectativas.

Bookmark and Share