Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 29 abril 2010

Nem sempre Fossati é culpado

29 de abril de 2010 161

Foto: Diego Vara

Quem me conhece sabe que não costumo dar folga aos treinadores. São profissionais extremamente bem remunerados e devem ser cobrados proporcionalmente ao que ganham. Com Fossati não tem sido diferente. Mas, se não poupo cobranças, também não me apetece ver no trabalho do treinador erros quando eles não existem. Foi o que vi no jogo contra o Banfield. Fossati teve boa proposta estratégica, em vários períodos da partida dominou o campeão argentino, na sua casa, e teria obtido um resultado mais favorável se não fossem os erros gigantescos da arbitragem. Tivesse sido um ou, no máximo, dois erros, até seria aceitável. Mas é quase impossível superar um adversário forte, no seu estádio e um conjunto de três erros capitais: expulsão equivocada de Kleber, impedimento no segundo gol e não marcação de pênalti sobre Nei. Acreditem, Fossati, desta vez, não pode ser responsabilizado pela derrota. Até a escalação de Alecsandro revelou-se acertada. O centroavante se integrou com inteligência ao esquema proposto e teve participação aceitável no jogo. Nem sempre Fossati é culpado.

Bookmark and Share

Grêmio: três caminhos para a Libertadores

29 de abril de 2010 35

Foto: Fernando Gomes

Luiz Onofre Meira, Diretor de Futebol do Grêmio, classificava a Copa Sul-Americana como “prêmio de consolação”. Desde ontem, mudou o discurso. Dois anos atrás, a Conmebol tentou dar ao campeão da AS uma vaga para a Libertadores. Na época, ergueu-se tamanha onda de protestos, até por clubes que não disputavam esta competição, que o assunto foi engavetado, temporariamente. Nesta terça-feira, a entidade sul-americana, finalmente, conseguiu aprovar o seu projeto. O campeão deste ano terá vaga na Libertadores de 2011. O Grêmio, por conseqüência, terá três oportunidades para chegar a máxima competição do continente: pela Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Campeonato Brasileiro. Este leque de possibilidades mexe com o imaginário da torcida gremista, como expressa o torcenauta Alex Georgiadis:

Wianey.

Há poucas horas atrás a Conmebol anunciou que o campeão da Sul-Americana de 2010 estará garantido na Libertadores de 2011.

Sem dúvida é uma excelente notícia, pois valoriza ainda mais a competição. Mas, fiquei com uma dúvida que o senhor talvez possa me ajudar, que é a seguinte: por exemplo, o Grêmio ganha a Copa do Brasil e depois com a graça do Deus Pai todo poderoso também arremata a Sul-Americana! Com quem ficaria a vaga em aberto? Com o time vice da Sul-Americana ou com o time vice da Copa do Brasil? E se uma graça divina caísse dos céus no Bairro Azenha e o Grêmio ainda ganhasse o Brasileirão? Como ficaria?

Como sei que tu tira de letra essas questões, fico aguardando uma resposta tua. 

Um grande abraço.

Alex Georgiadis”. 

Simples, Alex, a Conmebol destina vagas para os países e as confederações nacionais as distribuem. A CBF decidirá como premiará os clubes brasileiros com as suas vagas. Logo, logo a entidade nacional dirá para quem ficam as vagas caso acontece o que imaginas possível de acontecer. Imagino que os primeiros classificados do Brasileirão serão os beneficiados, mas é a CBF quem decidirá.

Bookmark and Share

Arbitragem complica o Inter na Argentina

29 de abril de 2010 115


Foto: Emiliano Lasalvia, Vipcomm

Geralmente, as reclamações contra as arbitragens são desproporcionais, exageradas. Ontem, entretanto, toda a indignação do Inter contra os árbitros teve plena procedência. Mesmo a imprensa argentina registra os erros do apito como graves e, na sua maioria, desfavoráveis ao Inter. É verdade que o Banfield teve um gol anulado por alegada situação de impedimento que pode não ter acontecido. A partir daí, o rol de equívocos contra o Inter ajudaram a abater o time gaúcho. Os erros foram, no mínimo, três, todos graves:

1 – Kleber foi expulso injustamente. O ala colorado pisou acidentalmente em um adversário e não havia justificativa, no lance, sequer para cartão amarelo.

2 – Imediatamente após a expulsão de Kleber, dois erros seguidos: em vez de cobrar arremesso lateral, como fora marcado, o Banfield cobrou falta. Na sequência aconteceu o segundo gol, em claro impedimento.

3 – Nei foi derrubado na área, por trás, em típico lance de penalidade máxima. O árbitro não marcou e nem o auxiliar, próximo do lance, se atreveu a punir a infração argentina.

A arbitragem, visivelmente, atuou pressionada pelo público, muito próximo do campo de jogo. Agora, o Inter terá que fazer 2 a 0, no mínimo, para seguir em frente na Libertadores. Situação bastante complicada.

É possível que o Inter tenha tido a sua performance mais equilibrada da temporada. Fossati armou o time em um 3-6-1 que deu solidez defensiva sem impedir que o Inter atacasse com boa freqüência. Os três zagueiros, desta vez, funcionaram bem, os alas armaram pelos flancos, o meio-campo, tendo Andrezinho e Guiñazu como destaques, conteve o adversário e até Alecsandro, único atacante, atuou com inteligência e saiu de campo merecendo boa nota.

O ponto alto do desempenho colorado foi a disciplina tática e a dedicação de todos. Quer dizer, quase todos. D´Alessandro teve mais um das suas atuações apáticas. O argentino esteve tão apagado que nem reclamar ele reclamou. Discutir com os adversários ou o árbitro, nenhuma vez. Quando isso acontece, D´Alessandro não é D´Alessandro.

O Inter poderá, sim, reverter o resultado, quinta-feira, no Beira-Rio. Times argentinos raramente deixam escapar vantagens como a construída pelo Banfield. Mas, segundo o que se viu ontem, os colorados estão autorizados a penar em recuperação, no Beira-Rio.

Bookmark and Share