Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 25 agosto 2010

Em defesa dos goleiros Renan e Muriel

25 de agosto de 2010 33

Renan está sendo questionado e Muriel não é aproveitado, no Inter, porque o consideram um goleiro “chama-gol”. Sobre estes dois profissionais, escreve o preparador degoleiros Rogério Maia, que já trabalho com ambos no Beira-Rio e, no caso de Muriel, no Caxias. Trata-se da avaliação de um profissional da área, fato que distingue a sua opinião:

“ Oi Amigo Wianey, estive ouvindo o Sala de Redação desta terça-feira, sou preparador de goleiros do Ser Caxias e tive a felicidade de treinar o Muriel na base do Inter e aqui no Caxias. Posso dizer que ele foi um dos melhores goleiros que passou, nos últimos anos,  na Serra Gaúcha, destacando-se mais que André Doring e Michel Alves, que tiveram oportunidade no Internacional. Sobre a questão de ser taxado como “chama-gol”, é apenas uma desculpa por não acreditarem no atleta…
 
Trabalhei, também, com o Renan, no Internacional, por vários anos e observei que a dificuldade que o Renan está tendo no momento é a mesma que o Pato Abondaziere teve, chegando no Internacional. É importante observar que os dois atletas citados estão vindo do futebol espanhol (Renan) onde o treinamento tem por finalidade trabalhar outros aspectos (velocidade de reação, posicionamento para enfrentar atacantes e também para sair do gol e coordenação) enquanto no Brasil busca-se mais firmeza e os profissionais não se detém a muitos detalhes. Por isto, quero salientar que enquanto não se buscar um equilíbrio nos treinamentos, que una as duas escolas de goleiros que vem da Espanha, por exemplo continuaremos tendo dificuldade para entender o rendimento dos atletas.
 
Bom amigo, como bom ouvinte deste programa e trabalhando na área que o debate questionava, resolvi enviar este email. Agradeço, desde já, a atenção. 

 
Abraços,  Rogerio Maia”.

Bookmark and Share

Um novo cartão de visitas para Porto Alegre

25 de agosto de 2010 48

A seguir, e-mail e ilustração enviados por um torcenauta. Trata-se de um sonho bonito, embora irrealizável. Mas sonhar ainda não é proibido:

“Olá Wianey

Meu nome é Silvio e sou leitor assíduo da sua coluna. Gosto como analisas os fatos da Dupla, sempre com um opinião imparcial e correta. Mas, o que sempre me deixa intrigado é a rivalidade exagerada dos dois maiores times de Porto Alegre. Sou gremista, mas não vejo o futebol com tanto entusiasmo e fanatismo. Por isso, resolvi fazer um outdoor único que poderia, sem dúvida, ser o cartão de visitas dos gaúchos…alí..ao lado da ponte do Guaíba, hehehe.

Em tempos de provocações em jornais, não custa lembrar de John Lennon. “Quem sabe um dia seremos menos irracionais e mais humanos”.

Grande abraço
Silvio Euzébio Junior
36 anos – Designer Gráfico”.

Bookmark and Share

Renato precisa arrumar a cozinha

25 de agosto de 2010 15

O Grêmio precisa encarreirar duas ou três vitórias para se afastar do G-4 negativo e iniciar uma caminhada reabilitadora. Mas, para que estas vitórias aconteçam, é indispensável que diminua a quantidade de gols sofridos, objetivo que só alcançará quando o sistema defensivo for reorganizado.

Será inútil tentar resolver tudo de uma só vez: defesa, meio-campo e ataque. Renato Portalupi deve começar pela cozinha. Ainda que o Grêmio não possua grandes defensores, é possível se defender bem com jogadores medianos, e estes o Grêmio tem. Tudo se resume a orientação. Racionalizar as subidas dos laterais é uma providência recomendável. Posicionar, adequadamente, os zagueiros é outra. Fixar os dois volantes diante da defesa, apenas liberando o apoio de um, cada vez, com bola dominada, é outra orientação que resultará em segurança defensiva. Obtida esta organização, será hora de acertar o meio e a frente.

Mas nada funcionará sem que, antes de tudo, esteja organizado o sistema defensivo. Se Renato souber disso, o Grêmio terá a chance de se erguer. Mas, se ao treinador faltar este conhecimento, poderá terminar em tragédia a campanha do Grêmio neste Brasileiro.

Bookmark and Share

Rafael Sobis: eu nasci para apanhar

25 de agosto de 2010 23

Rafael Sobis não acompanhou a delegação colorada a Florianópolis.Viajou para o Rio de Janeiro, onde seria julgado condenado a apenas um jogo de suspensão, já cumprido. Após o julgamento, o atacante colorado fez esta surpreendente declaração:

– Vou evitar, no futuro, outras expulsões. Preciso entender que EU NASCI PARA APANHAR E NÃO PARA BATER.

Trata-se de um triste e equivocado conceito. Jogador algum nasceu para apanhar. É para evitar que isto aconteça que existem os árbitros. A eles cabe proteger quem quer jogar daqueles brucutus que só pensam em bater. Infelizmente, a maioria dos árbitros é conivente com a violência que parte, principalmente, dos defensores, que acabam se rebelando contra a covardia. Foi o que aconteceu com Sobis. De tanto apanhar, perdeu a paciência e revidou. Acabou sendo expulso. E o árbitro negligente seguiu em frente, livre para continuar sua política condescendente com os trogloditas do futebol.

Bookmark and Share