Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Certos torcedores pensam com o fígado

29 de novembro de 2010 19

Deola, goleiro do Palmeiras, fez grandes defesas domingo, contra o Fluminense. Foi xingado, ofendido e agredido pela sua própria torcida. Cerca de dois mil palmeirenses foram ao jogo com o objetivo de pressionar sua equipe, levando-a a ser derrotada. Tudo para prejudicar o Corinthians. Luiz Felipe Scolari escalou oito titulares e deixou o estádio indignado com o comportamento dos torcedores. Porém, tão ou mais triste do que a pretensão da torcida foi o fato de dirigentes do Palmeiras, antes do jogo, terem manifestado igual propósito. Nenhum cartola se dispôs a fazer o discurso da grandeza, tradição e dignidade do Palmeiras, atitudes que estimularam a parcela da torcida que pensa com o fígado e exigia a derrota do seu time.

Está em curso um processo que não terá fim e, se não for debelado, conduzirá o futebol brasileiro ao descrédito. Todos os anos, independente da fórmula, haverá clubes “entregando” jogos para satisfazer o rancor pelos rivais locais. Existem vários exemplos, alguns protagonizados por Grêmio e Inter. Além de ser nojento é pouco inteligente. Quem entrega hoje, amanhã será prejudicado por alguma “entregada”. Aonde chegaremos? Quem não padece de inteligência hepática, sabe.

Bookmark and Share

Comentários (19)

  • Gus Dreyer diz: 29 de novembro de 2010

    Concordo que é uma coisa nojenta fazer isso do ponto de vista da honestidade.
    Mas do ponto de vista da prática, que obrigação tem um time que nada mais tem a fazer no campeonato de escalar titulares?
    No fim das contas a fórmula do campeonato está errada e “convida” os time a fazerem isso.

  • Anderson Amaral diz: 29 de novembro de 2010

    Senhor Wianey Carlet,

    Encontrei na sua coluna de sábado (27/11/2010), da parte de esportes do Jornal Zero Hora, uma reclamação em relação ao consumo de drogras nos estádios. Até aí uma maravilhosa contribuição ao combate de elementos destrutivos da sociedade. No entanto, de uma forma singela e ignorante o senhor colocou um desenho alusivo ao comentário. Um negro com toca para cabelos rastafari fumando um cigarro de maconha.

    Imagino que um profissional como o senhor sabe que atualmente mais de 95% do público que vai a jogos do Grêmio ou do Inter é composto por não-negros. Imagino que um profissional como o senhor sabe que o tráfico de drogas que está matando crianças na zona norte do Rio de Janeiro é alimentado pelo consumo das pessoas de “bem” da Zona Sul deste mesmo estado.

    Gostaria que levasse em consideração esta reclamação, que também postarei em seu blog, antes de continuar a fortalecer esteriótipos que só contribuem para confirmar que o racismo além de poderoso é velado. Por favor, não seja mais um que se beneficia das estruturas de poder a 500 anos bem administrada no nosso país. Seja corajoso!

    Asè,

    Anderson Amaral
    Porto Alegre/RS

  • Carlos Alberto de Oliveira diz: 29 de novembro de 2010

    Ceeerrtoo Wianey! O que a torcida do Corinthians poderia esperar, depois da entregada de 2009? Como diz o Guerra: a banca paga, a banca recebe. Sou contra o entreguismo, mas, como você disse, alguns pensam com o fígado. Bom, pelo menos a diretoria palmeirense foi sincera. Há os que apregoam a ética mas fazem de conta que jogam, o discurso é um, a atitude é outra. O Inter poderia ter entregue para o Botafogo, que jogaria pelo empate no Olimpico. Uma coisa é o Gremio jogar pelo empate, domingo, outra coisa, seria jogar precisando da vitória. A pressão seria bem maior e arriscava até perder. Agora, não. Vai de sangue doce e o Botafogo, ruim como só, vai ser um alvo fixo para o Gremio.

  • milton diz: 29 de novembro de 2010

    Tem comentarista que pensa com o figado. Onde havia entregadas na final dos campeonatos de mata-mata?

    O GRANDE problema dessa formula com pontos corridos eh essa. Times continuarao entregando nas rodadas finais para que seu rival nao seja campeao. Inter, Palmeiras, Sao Paulo, Corinthians, Gremio, Vasco, todos entregaram jogos pra seus rivais perderem o titulo. Isso NUNCA aconteceu em mata mata, onde os dois times entravam pra ganhar.

    O Brasil tem que parar com essa mania e imitar europeu e voltar a ter final em seu maior campeonato. Continuando assim corremos o risco de ter o Brasileirao cair em descredito pelo pais e pelo mundo.

  • Felipe diz: 29 de novembro de 2010

    Wianey, qdo vejo comentaristas criticando torcedores que querem ver seu time perder pra não dar títulos ao rival, concluo que esses comentaristas são completamente isentos para comentar. E to falando sério, não to sendo irônico.

    Pq vcs não devem saber como é difícil ver seu time dar um título a um rival. Sou gremista, e quase enlouqueci ano passado qdo o Grêmio ganhava do Flamengo. No intervalo do jogo, eu não parava de caminhar no apartamento, não conseguia ficar parado, tal o nervosismo, raiva, tensão, sei la o que era. O segundo tempo eu não consegui ver. Até hj só sei do chute na trave do Maylson por ouvir falar, não vi o lance. Não imagina o que é ouvir os vizinhos rivais comemorando um título, e a tragédia que é qdo seu próprio time dá o título ao rival. Eu tava jurando que ia jogar minhas camisetas do Grêmio fora, que nunca mais ia assistir um jogo de futebol, é enlouquecedor, desesperador.

    Até concordo qdo vcs criticam torcedores violentos, que prometem bater em jogadores se o time ganhar e assim beneficiar o rival, ou qdo criticam dirigentes que dizem que vão entregar o jogo. Mas por favor, Wianey, não peçam pro torcedor aceitar mansamente ver seu time ajudando o rival. A paixão pelo futebol vem justamente disso, da paixão, não da razão. Fôssemos apenas racionais e diríamos que é bobagem sofrer torcendo até para seu time ganhar, afinal, ninguém vai deixar de viver pq seu time não ganhou, ou até mesmo foi rebaixado.

    Abraço.

  • Fernando de Oliveira diz: 29 de novembro de 2010

    Wianey, claro q o entrega existia já em outras fórmulas, mas por serem mata-mata, nunca decidiu campeonato. Agora, com os pontos corridos, as coisa ficou escancarada, e muito pior, pq com os pontos corridos, o entrega-entrega acaba tbm decidindo o título. Pontos corridos é uma mácula no futebol brasileiro.

    E cansa tbm esse discursinho hipócrita de “torcedores quem pensam com o fígado”. Nenhum torcedor q se preze irá querer q seu próprio time ajude o rival a ganhar um título.

  • Valair Ferreira diz: 29 de novembro de 2010

    Mas não tem como um time como o Palmeiras facilitar o título do Coríntians, ou o Grêmio dar de bandeija o título pro Inter. Como diz o padre Quevedo: “Isso non ecsiste”

    Não tem como Wianey. Aceita isso. Não é burrice como vc falou.

    Se o Inter tivesse ganhado o Brasileirão ano passado com a ajuda do Grêmio, aposto que o Inter iria passar em carro aberto em frente ao Olímpico pra “agradecer” a ajuda do rival.

    A mesma coisa o Palmeiras ontem. Imagine a gozação em cada esquina.

    Deixa de hipocrisia.

    Tem que resolver como acertar as rodadas finais do campeonato, que está um lixo. Se for pontos corridos, fazer como na Europa e ver uma forma de proibir os clubes de colocar time reserva, ou melhor ainda, quem escalar time descaracterizado em qualquer rodada do Brasileirão deveria perder os direitos de imagem daquela rodada. Apertando no bolso seria a melhor maneira de moralizar o campeonato. Ou incluir um Mata Mata no final do campeonato, que pelo menos aumentaria a emoção e o interesse do público, e até da mídia.

  • eduardo diz: 29 de novembro de 2010

    por favor wianey peço tu cite um exemplo de gremio e inter, porque eu sinceramente não lembro

  • ADEMAR LUIZ POSTAY diz: 29 de novembro de 2010

    CARO VIANEY,já se foi tempo de torcida inteligente,com rivalidade sadia,maioria usa esses momentos,para transpor toda sua truculencia,que moral á torcida do palmeiras tem para exigir,profissionalismo do goleiro,mas isso tem muito haver com os dirigentes,que não estão evoluindo continuam muito amadores,como falta mais exemplos como[ FERNANDO CARVALHO] mas,tem lado dos ex dirigentes que nos bastidores imflamam torcedor,ganhavam alguns campeonatos quando não tinha tanta visibilidade,mudavam regras do jogo quando simplesmente queriam,dizem que não contestam juises,mas quando ocupam microfone só otime deles ficam no prejuizo,quando fazem elogio,fazem pela metade,em seguida já metem alfinetadas[PRESTAM atenção,porque á torcida do inter está se tornando á mais passiva do pais,devido ao grande dirigente que o inter tem,quando escala time mixto contra botafogo,já estáva como objetivo grandes revelações para 2011 á venda de alguns craques para fazer caixa,e não para perder,por isso não jámais vamos agredir atletas no aeroporto,por isso temos chances de ser bi mundial até com roth]

  • almanaque do roberto diz: 29 de novembro de 2010

    Quem torce para os Gambás,pensa com o fígado.

  • alexandre diz: 29 de novembro de 2010

    quanta arrogância wianey. acho que o torcedor tem todo o direito de torcer contra o próprio time pra não beneficiar o rival. qual o problema nisso? dentro dos limites da civilidade pode sim, pq não? adjetivar esse torcedor de “inteligente hepático” como classificas ao final do texto (expressão que considero uma pérola) demonstra uma arrogância inesperada, talvez seja o caso até de tratar-se de uma arrogância hepática.

  • MARCIÃO diz: 29 de novembro de 2010

    GREMIO E INTER NÃO!
    QUEM ENTREGA JOGO É O GREMIO COISA DE TIME MEDÍOCRE E PODRE

  • Maqueli diz: 29 de novembro de 2010

    “Em campeonato de pontos corridos, ganha quem tem mais amigos”

  • garcia diz: 30 de novembro de 2010

    pois é . e o Inter foi ao Rio e não entregou o jogo , e assim colocou o Gremio praticamente no G4. Ali era o momento para quem quisesse entregar. perdendo para o Botafogo, este é que jogaria pelo empate. Bem diferente de Gremio x Flamengo ano passado. Mas …Se o Gremio entregou , deve pagar de algum jeito. Quem sabe com o Goiás , que venceu o Palmeiras em pleno pacaembu, não deve jogar na moleza contra o Indepeneidnte. Pode , ja que tem de salvar o ano, surpreeender o Independiente . Seria o marior castigo de todos . no G4, e afinal virar G3. O Goias ja provou que fora de casa ,AVAI e PALMEIRAS , joga a valer e …..vamos aguardar .

  • Rubro diz: 30 de novembro de 2010

    a culpa não é dos pontos corridos.
    qdo começa o campeonato todos sabem a tabela do primeiro até o ultimo jogo.
    quer ser campeão? então ganhe todos os jogos e pronto, não perca pontos preciósos contra times da ponta de baixo da tabela e trate de ganhar os confrontos de 6 pontos, assim não vais precisar de resultados paralelos e comer na mão dos rivais.
    esse campeonato é feito pra quem tem bom rendimento e regularidade o ANO INTEIRO, não em micro tabelas ou em um unico turno.

    engraçado a imprensa gaucha reclamando de ENTREGADA né? vi uma CAMPANHA velada ano passado pra que a gurizada gremista entregasse o jogo no maraca, inclusive o sr chegou a escrever que temia pela integridade fisica dos atletas lembra?

    vcs são de chorar tchê

  • Rogério diz: 30 de novembro de 2010

    Wianey, sei que você é um defensor da atual fórmula do campeonato. E sei também que mutretas, ou suspeitas de mutretas, sempre existiram e sempre vão existir, independente de qual fórmula se aplique. Mas você não acha que com a fórmula anterior, mista, com os oito primeiros indo disputar os mata-mata, havendo ainda mais três vagas para a Sul Americana (até o 11º) e a luta pra fugir dos quatro últimos lugares, teríamos menos times sem ter o que fazer no campeonato a não ser participar, ou pelo menos levantar suspeitas de participar, dessas armações? Também acho que a adoção da fórmula anterior não significaria nenhuma volta à esculhambação, à falta de organização, já que todas as datas e a fórmula de enfrentamentos na fase de mata-mata estariam definidas anteriormente. Tudo isso, sem falar do acréscimo de emoção que teríamos.

  • José Eduardo Vargas diz: 1 de dezembro de 2010

    Veja onde anda o Palmeiras…..técnico “Ditador”, direção…sem comentários, e o torcedor
    que defende está prática que não venha reclamar de policial,político corrupto,ele também é,
    enquanto a sociedade,povo,não se reestrutaurar não há fórmula que aguente, o Inter deu um pequeno passo ao jogar sério com o Bota, espero que seja um exemplo a ser seguido.

  • Theo Cruz diz: 1 de dezembro de 2010

    Dá licença que tem muita gente aí falando bobagem. Primeiro, “entregar” jogo, por parte dos jogadores que entram em campo é crime e acho que é questão de honra, para os profissionais em campo, jogar para vencer. O que acontece é de os clubes deliberadamente enfraquecerem seus elencos para prejudicar rivais em determinadas partidas. Isso seria fácil de resolver, adotando-se o sistema europeu de pré-lista com os times escalados sempre com 11 oriundos dessa lista, ou se prevendo clássicos para a última rodada.

    Quanto ao mata mata não permitir “entrega”, esta só muda de momento, ocorrendo não para fins de título e sim para fins de classificação aos playoffs. Ou alguém esqueceu do “Eles estão fora!” tricolor? Ou da possibilidade de o Inter alijar o Grêmio da Libertadores perdendo para o Botafogo?

    Há também uma questão que parece estar passando despercebida. Caso se incluísse um playoff com os quatro primeiro colocados ao final dos pontos corridos, como ficaria a questão da Libertadores? Antes da Sul Americana oferecer uma vaga, não havia problema. Entretanto, caso o campeão da SA seja brasileiro, restam apenas três vagas para o Brasileirão. Desse modo, caso haja um playoff com quatro classificados, ou conta-se a classificação por pontos corridos, ou a classificação final após os mata mata. Os dois cenários podem acarretar situações ridículas. No primeiro deles, sempre considerando um brasileiro vencedor da SA, pode acontecer de o campeão ficar sem vaga na Libertadores, uma vez que ele tenha encerrado a participação nos pontos corridos em quarto lugar, sagrando-se campeão no mata mata. No segundo cenário, igualmente, o time que mais pontos tiver somado pode fracassar no mata mata e restar excluído da Libertadores, mesmo com muitos pontos mais. E aí, como resolver?

    Finalizando, vale ressaltar algo que as torcidas de Inter e Grêmio parecem ter esquecido: somos apenas adversários no campo de futebol e não inimigos na vida real. Poxa, como eu, como colorado, poderia cantar que pretendo, hoje, matar um p*** tricolor, se meu irmão e minha mãe são gremistas?

  • carol diz: 1 de dezembro de 2010

    O Inter entregou em 2008 contra o Sao Paulo, mas esse jogo os colorados equecem.

Envie seu Comentário