Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Oscar: cada jogo, um parto na montanha

10 de maio de 2012 44

Na fábula de La Fontaine, a montanha começou a se agitar e a emitir ruídos pavorosos, atraindo atenções de todas as partes. Os dias foram passando e a montanha aterrorizava cada vez mais as pessoas com os seus sons estranhos e inexplicáveis. Um certo dia, a montanha se agitou tanto e rugiu como nunca havia rugido. Em seguida, abriu-se e, do seu interior, surgiu um ratinho. Oscar não é o ratinho da fábula, mas sua liberação para jogar retrata, cada vez, o parto da montanha. Um verdadeiro conto de terror que tira o sono do jogador, torcida e dirigentes e obriga os advogados do Inter a montar estratégias de guerra para conseguir o que já está devido, desde a concessão do hábeas corpus pelo Ministro Guilherme Caputo Bastos. Foi assim, mais uma vez, para que Oscar desfrutasse o seu conquistado direito de enfrentar o Fluminense. A CBF não hesitou em falsear a verdade na tentativa de confundir a Conmebol. Para a entidade sul-americana, não interessam eventuais pendengas na Justiça. O que ela precisa é saber, como no caso, se a CBF concedeu condições de jogo para determinado jogador. E a CBF já atendeu este requisito desde que foi intimida pelo ministro do TST a inscrever Oscar como jogador do Inter. Na mesma data, quatro de maio, registrou no BID que o contrato de Oscar com o São Paulo estava rescindido, segundo avaliação da CBF que não poderia inscrever um jogador que tivesse contrato com dois clubes. Assunto encerrado? Não, a própria CBF, ignorando sua decisão, resolveu confundir a Conmebol falando de um processo que está aberto, sem resolução, no TRT paulista. Finalmente, diante da pressão colorada, fez o que deveria fazer desde o início: informou a Conmebol que Oscar é jogador do Inter está apto a jogar. Esta decisão é o ratinho e a história um moderno parto da montanha.

Bookmark and Share

Comentários (44)

  • João Carlos diz: 10 de maio de 2012

    Wianey,
    Haverá de chegar o dia em que a nossa CBF será dirigida por pessoas que, enquanto dirigentes, esqueçam as paixões clubísticas e, sobretudo, não sobrevivam de interesses escusos.
    Parabéns!

  • Iva Marques diz: 10 de maio de 2012

    Por falar em falsear, sr. Wianey, a CBF falseou mais uma vez, então, ao informar em seu BID que o contrato do jogador Oscar com o São Paulo está rescindido. HOJE, o tal contrato vige, de acordo com a justiça de SP. Mas como é a favor do Inter, aí os artifícios não são considerados falsos, não é?! Na real, o jogador está com 2 contratos. O que diríamos aqui na Província, se fosse o SP, o Corinthians, o Palmeiras, etc…?

  • John diz: 10 de maio de 2012

    Parabéns ao blogueiro pela precisão de seu texto.
    Parabéns.

  • Carlos Alberto de Oliveira diz: 10 de maio de 2012

    Boa tarde, Wianey.
    Qualquer cidadão brasileiro tem o direito de trabalhar com quem quiser, isto é constitucional, é liberdade, é democracia. Claro, que no caso Oscar há uma pendencia com seu antigo “patrão”, que deve ser acertada. A rescisão de um contrato sempre indeniza uma das partes. Esta indenização é pré-pactuada (ou deveria ser). Mas o S. Paulo quer majorar artificialmente o valor desta indenização, insto é notório. Logo o S.Paulo, clube ultimamente anti ético, atravessa negociações, rouba jogadores. Aliás, o Dagoberto saiu do Atlético Pr. em condições semelhantes à de Oscar. É o feitiço contra o feiticeiro, é a pimenta no próprio olho. O Oscar está certo. Não sei se Inter e São Paulo estão certos, mas o Oscar não pode ser a vítima no meio deste tiroteio. Tem mais: temo por represálias ao Inter dentro de campo no brasileirão. Apitaços (como de costume ultimamente).
    Já para o jogo contra o Flu, tenho poucas esperanças, mesmo com Oscar em campo. O Flu tem bons valores, é bem treinado e joga em casa. A chance era no B.Rio, mas não foi aproveitada. Segundo pênalti consecutivo que o Inter erra contra o Flu. No brasileirão foi o D’Ale, lembra?
    Abraços.

  • josé c. fogassa diz: 10 de maio de 2012

    pois bem ao escalar o oscar o inter sabe dos risco que corre
    pois o caxias esta certissimo de correr atras de um direito seu
    pois sabesse bem que um jogador com dois contratos nao pode atuar
    assim aconteceu com o cruzeirinho e da mesma forma o tjd vai ter que
    atuar da mesma forma neste caso,e se o inter escalou o jogador de forma irregular que arque com seu erro!!!!

  • márcio diz: 10 de maio de 2012

    Wianey, a história do Oscar serviu para mostrar o teu cocoloradismo descarado. Sai do armário e assume a tua paixão!

  • mauro santos diz: 10 de maio de 2012

    vai pra banha com ou sem oscar,kkkkkkkkkkkkk

  • Arcot diz: 10 de maio de 2012

    o ratinho é o inter…
    hahahahaha

  • diego diz: 10 de maio de 2012

    Nos tempos atuais, em que se comparam administrações públicas (políticos) e privadas (CBF), nas quais cada vez mais mostram decisões com claro interesses pessoais ou melhor particulares, chego à conclusão que “TALVEZ” nos reste somente o judiciário ou quem sabe somente a “JUSTIÇA DIVINA”.
    O que nós seres humanos necessitamos são de exemplos de justiça e não mais de interesses justificaveis… Wianey grande abraço e parabéns pela sua conduta neste caso.

  • claudio diz: 10 de maio de 2012

    Citar fabula de La Fontaine só serviu para mostrar como voce é pretencioso. A paródia feita com o caso Oscar mostrou o quanto voce é desonesto e mediocre. Vale lembrar que a “fabula ” começou com Oscar entrando na justiça contra o São Paulo para ter o seu passe liberado. Se ele foi emancipado por iniciativa do antigo clube, vale lembrar que ele só obteve a maioridade com a assinatura de seus pais, pois o clube nada pode fazer se ele for menor de idade. O contrato com o São Paulo foi rompido unilateralmente e ainda corria na justiça quando o Inter trouxe o jogador. Isto se não foi o próprio Inter que propos ao jogador que ele entrasse emlitigio com o São Paulo para vir jogar aqui pois este procedimento colorado não é novidade para ninguem.Os pais de atletas de categorias de base de clubes do interior do RS, SC e PR sabem do que eu estou falando. Mas como de costume, não vai publicar meu comentario.

  • Volnei Corbellini diz: 10 de maio de 2012

    O Outro lado nunca falado aqui – a posição do São Paulo explicitada no recurso que tenta caçar a liminar obtida pelo Oscar:
    • O advogado do jogador não juntou no processo cópias de documentos essenciais, como a íntegra das decisões do TRT que julgaram dois recursos, sem as quais não é possível a apreciação e o julgamento do Habeas Corpus.
    O advogado do São Paulo questiona como poderia o TST ter julgado o Habeas Corpus contra a decisão do TRT, se esta decisão não constava dos autos.
    • A Lei determina que o processo seja extinto quando documentos essenciais não estiverem presentes. Logo, o TST assim deveria ter procedido ao invés de conceder a liminar.
    • Foram praticados diversos atos em favor do jogador fora dos autos do processo, desrespeitando a publicidade do mesmo. Dentre esses atos, há inclusive emails para a Confederação Brasileira de Futebol a respeito de esclarecimentos fornecidos pelo ministro. Contudo, não há nenhum registro no processo de pedido de esclarecimentos nem da resposta a esse pedido. Tudo isso somente poderia ser feito pelos meios oficiais, e tudo constando do processo, e não em segredo.
    • O defensor do clube alega que o Ministro Caputo Bastos tem demonstrado “clara inclinação” aos interesses do jogador, tendo em vista que “dias antes de ser sorteado por livre distribuição como Relator, concedeu entrevista à imprensa gaúcha expondo seu ponto de vista”, manifestando-se “fora dos autos, exprimindo sua opinião sobre o caso, e demonstrando parcialidade com relação à posição do Atleta”.
    • O representante do tricolor ainda afirma que tal conduta viola a Lei Orgânica da Magistratura (art. 36, III), e afirma que na mencionada entrevista, “o Ministro Relator demonstrou ter entrado em contato com todas as partes interessadas – o SC Internacional inclusive, e “antecipou seu julgamento sobre um processo que nem havia sido ajuizado e muito menos chegado às suas mãos”.
    • Como não houve publicidade dos atos do processo (inclusive da ordem para a CBF alterar o registro do atleta), a decisão do ministro seria nula.
    • Pede que seja encaminhado novo ofício para a CBF, determinando que deixe de praticar qualquer ato decorrente de ordem declarada nula.
    • Não é cabível a utilização do Habeas Corpus para o caso na medida em que não há efetiva violência contra o direito de ir e vir da pessoa. Por isso que o TST permite o uso do Habeas Corpus quando a pessoa estiver presa.
    • O embasamento do Ministro para justificar o cabimento do Habeas Corpus não procede. Antigamente, de fato o Habeas Corpus era utilizado em qualquer caso de restrição à direito fundamental. Contudo, desde o surgimento do Mandado de Segurança, em 1934, o Habeas Corpus deixou de ter esse funcionamento. Hoje, o Mandado de Segurança serve para violação dos direitos fundamentais em geral, ao passo que o Habeas Corpus serve apenas para os casos de violência contra a liberdade de ir e vir.
    • O ministro relator também usou como base para sua decisão um precedente do Supremo Tribunal Federal. No entanto, este precedente tratava de uma situação totamlente diferente, da época da Ditadura Militar, na qual cidadãos presos em flagrante eram punidos com a suspensão do exercício da profissão. Ou seja, na época, o uso do Habeas Corpus também estava vinculado a situação de pessoas presas.
    • O próprio TST somente admite o uso de Habeas Corpus para os casos de restrição ao direito à locomoção por prisão. Logo, como não é esse o caso do jogador, não era cabível o Habeas Corpus, e em não sendo cabível deve ser extinto.
    • O TST ainda não tem competência para julgar o caso, conforme o Ministro Renato Lacerda Paiva reconheceu, na Ação Cautelar movida pelo jogador. Apenas depois de encerrado o julgamento pelo TRT (onde ainda resta o julgamento de um recurso do próprio jogador) é que o TST teria competência no caso.
    • Não há violação ao direito de ir e vir do jogador, pois a liberdade de trabalho permite à pessoa escolher exercer livremente sua profissão, “mas não confere a prerrogativa de descumprir contratos e compromissos livremente assumidos, e que, conforme decisão judicial de cognição exauriente, sejam declarados válidos. ”
    • A Lei Pelé afirma que o pagamento da clausula penal é requisito para a extinção do vinculo desportivo. Ou seja, o vínculo só é rompido DEPOIS do pagamento eficaz e correto da multa.
    • O São Paulo não quer impedir que Oscar trabalhe, pelo contrário, quer que ele lhe preste serviços e cumpra o contrato. No caso, é o proprio jogador que não quer cumprir o que assinou, não sendo possivel falar em ofensa ao direito de trabalhar, mas sim na impossibilddade do atleta descumprir contrato, o que só poderia ser feito mediante pedido de demissão junto com o pagamento da multa, o que jamais foi feito no processo.

  • cesar pereira diz: 10 de maio de 2012

    Apenas para responde a IVA MARQUES uma questão de direito: sim, o contrato entre Oscar e São Paulo é válido, como disse o TRT Paulista. Mas o contrato ser válido, significa que ele existe e vale para as partes que o assinaram. Não que ele ainda está em vigor. Significa que o São Paulo tem direito à indenização pela sua rescisão indireta. Não significa, em absoluto, que o Oscar deve voltar a jogar lá.
    RESCINDIR O CONTRATO É UMA FORMA DE CUMPRIR UM CONTRATO VÁLIDO.
    Tanto que o Ministro do TST decidiu, de forma expressa, que o contrato de trabalho atual é com o Inter, onde está o vínculo. Ao São Paulo, cabe apenas decidir o valor da indenização (disso, Oscar e o Inter não escapam). E é óbvio que o TST (que é superior ao TRT) que jamais decidirá contra o direito constitucional do trabalhador Oscar. Qualquer coisa fora disso é conversa fiada de tricolores, gauchos ou paulistas.

  • GATO MESTRE diz: 10 de maio de 2012

    RESULTADOS DE HOJE NO FUTEBOL :

    FLUMINENSE 3 X 1 INTERNACIONAL
    SÃO PAULO 2 X 2 PONTE PRETA
    BAHIA 1 X 1 PORTUGUESA

  • Armando diz: 10 de maio de 2012

    A questão dos dois contratos não existe na prática. Quem proíbe dois contratos é a legislação esportiva, que é decidida pelo STJD, um tribunal de justiça administrativa, sem valor legal.
    Como há um habeas corpus, da justiça do trabalho, que é uma justiça de verdade, e a justiça desportiva não pode iniciar um processo sobre o assunto.
    Além disso, mesmo se aceitarmos que existem dois contratos em vigor, é uma situação que não foi criada pelo Oscar, e sim pela Justiça. Oscar assinou um contrato com o Inter quando estava liberado do contrato com o São Paulo.

  • GR diz: 10 de maio de 2012

    Como disse o Sant’ana no sala de redacao “Chega ser comovente o esforço do Wianey militando a favor do Inter no caso Oscar. É uma coluna atras da outra dia apos dia!” Confessa logo teu time Wianey! Todas as colunas tem versado invariavelmente sobre a mesma coisa: O Sao Paulo é mau e o Oscar e o Inter sao vitimas. Ok ja entendemos que esse é seu ponto de vista. Podemos passar para outro tema? Do jeito que esta suas colunas estao sendo mais previsiveis que show do Roberto Carlos no final de ano na Globo.

  • Volnei Corbellini diz: 10 de maio de 2012

    O post anterior foi retirado do blog do Biner e a seguir segue um texto – dando o outro lado, aliás como deveria ser feito e é pregado pela RBS. Segue texto de Lenio Luiz Streck – procurador de Justiça no Rio Grande do Sul, doutor e pós-Doutor em Direito:
    “Qual a razão para que a mais alta Corte (essa designação de “Corte” é um ato falho estamental, sem dúvida) da justiça do trabalho invente a concessão de um Habeas Corpus para um jogador de futebol que estava em sua casa, com piscina, recebendo seu ótimo salário (que deve passar de 200 mil reais por mês, seguramente), tudo “nos conformes”?
    Estava ele, o atleta Oscar, passando fome? Seu salário não estava sendo pago? Estava em cárcere privado? Estava sob trabalho escravo? Não. A resposta é, dramaticamente, não. O jogador Oscar simplesmente era protagonista de uma singela (ou complexa) disputa comercial entre dois clubes de futebol. Frisa-se: uma discussão contratual! A proibição de desempenhar sua atividade estava atrelada ao descumprimento do contrato e o não pagamento da multa correspondente. Sim, Oscar não pagara a multa contratual.
    Portanto, tratava-se de uma questão que não envolvia sua liberdade de locomoção, liberdade pessoal, ou outra coisa do gênero. Estava impedido de trabalhar? É? E quando um jogador é suspenso por dois meses, por agressão a outro jogador ou ofensa a um árbitro, cabe Habeas Corpus? Poder-se-ia redarguir: “Mas neste caso houve uma ato ilícito, reconhecido pela justiça desportiva”. Sim, entendo. Mas, permaneceria a pergunta: O descumprimento do contrato, também não é um ato contrário ao direito? Tal descumprimento, igualmente, não fora reconhecido pelo judiciário. Por certo que exageros do tipo “não nos interessa a multa, queremos contar com o jogador” (discurso do clube São Paulo), devem ser contidos pelo Judiciário que, nos termos da melhor reconstrução da história institucional do Direito, deverá arbitrar o valor da multa (mais as perdas e danos, se for o caso) a ser paga pelo descumprimento do contrato. De se notar: o pagamento da quantia determinada judicialmente libera o jogador da obrigação. Esse é um detalhe importante. Mas que nada tem haver com a necessidade de se conceder uma ordem de Habeas Corpus.
    Qual é a relação do instituto do Habeas Corpus com o futebol? Qual a fundamentação do ministro? Alguma vez na historia algum tribunal do mundo já o fizera? O próprio TST tem precedentes? Se os tem, nem de longe possuem qualquer similitude com o “caso Oscar”. Ora, invocar o precedente do Supremo Tribunal Federal (histórico e corajoso) quando da declaração em sede difusa do artigo 48, do Decreto Lei 314, de 1967 (Lei de Segurança Nacional) parece um disparate. Naquele caso, estava-se diante de um dispositivo da LSN que impedia o exercício profissional em face do simples recebimento da denúncia por crime contra a segurança nacional. Não me parece que haja similitude com o caso de um atleta objeto de uma mera discussão contratual entre dois grandes clubes de futebol. Aliás, que história é essa de precedentes? O que é isto – um precedente judicial? Onde fica a coerência e a integridade do Direito? O que liga uma decisão à outra? Nada? Um grau zero de sentido?
    Quais são os efeitos colaterais dessa decisão? Não haveria outro meio processual para solver a pendenga? Oscar não poderia esperar alguns dias até o julgamento final? Onde o periculum in mora? Quem pode responder a esse questionamento? O TRT de São Paulo pode até ter exarado decisão equivocada (abaixo, dialetizo isso). Mas daí a dizer que, em face dessa decisão, havia “coação” ou “violência” impedindo o atleta de exercer a sua profissão vai uma distância enorme.

  • elias diz: 10 de maio de 2012

    Não sei onde vêem um grande time no flu! Tirando o deco, acabou o grande time! Isso que o deco é um ancião futebolistico! Ganhou do boca na \rgentina, mas o boca atual não chega nem aos pés do boca que temos na memoria. É só aqcreditar e jogar o jogo inteiro, não só um tempo. E ai iva marques ai em cima, viu o grezembe jogar contra os reservar do super fortaleza? Gostou? Vai comentar lá. Ou chorar, pelo que viu ou não viu.

  • zanon diz: 10 de maio de 2012

    Wianey, esse “parto da montanha” seria por causa que o oscar/inter são éticos nas atitudes que estão tomando??? A imagem do ratinho cabe muito bem. Lamentável teu posiconamento.

  • Eduardo diz: 10 de maio de 2012

    Iva Marques, faça-me um favor: vai cuidar do teu mundinho inferior que é o enfrentamento dos reservas do Fortaleza (3ª divisão do futebol brasileiro) que jogaram 1/3 da partida com 10 jogadores e só arriaram quando levaram um gol de pênalti mandrake. Do Oscar cuidamos nós, envolvidos com a grandeza da Libertadores.

  • Sebastião Pinto da Silva Junior diz: 10 de maio de 2012

    O problema é que o Wianei Carlet é muito inteligente, ele está sempre em cima do muro, eu acho ele um baita vara verde, desculpe esta éminha opinião.

  • Diego diz: 10 de maio de 2012

    Caso Oscar: diretor de registros da CBF é amigo de Giuliano Bertolucci
    maio 10, 2012

    Não há surpresa alguma na confusão realizada pela CBF no registro do jogador Oscar, noticiado durante a semana, que, oficialmente, estaria ligado a duas equipes.

    Muito menos as alterações, na calada da noite, ocorridas no dia posterior, que o liberaram a atuar no Internacional.

    Luis Gustavo Vieira, diretor de registros da CBF, é amigo íntimo de Giuliano Bertolucci, ligado a Kia Joorabchian, e não por acaso, empresário do jogador.

    Recentemente publicamos matéria contando que todos os agentes de jogadores que compram passagens aéreas em sua empresa de viagens, recebem facilidades no momento de agilizar ou modificar documentações na CBF.

    No conhecido caso do jogador Junior, ex-Vitória, Luis Gustavo inseriu nos registros da CBF, durante a madrugada (com a CBF fechada), três transferências internacionais em menos de dez minutos.

    Sem dúvida, um novo recorde.

    Não fica difícil acreditar que uma singela conversa com a turma de Bertolucci possa ter “corrigido” os registros de Oscar tão eficientemente.

    Em tempo: Vale lembrar que Luis Gustavo é da turma de RICARDO TEIXEIRA e não de JOSÉ MARIA MARIN. Portanto, se a CBF dificultava as coisas para o Inter, o diretor de resgistros tratou de facilitar…

  • Paulo Pedreira diz: 10 de maio de 2012

    Sabemos da vida que quase tudo é cíclico. Sabemos que o São Paulo/FC viveu grandes glórias no cenário nacional e internacional. Recentemente o Ministro Caputo referindo-se ao modelo de gestão, fez alusão ao tempo da escravidão…
    Estão perdendo a oportunidade de ficarem quietos!

  • fabio wagner diz: 10 de maio de 2012

    Fora vianei carlet. ta louco. nao da mais pra aguentar. sera que nao quer tirar umas ferias perpetuas. Que mala esse cara.

  • Antonio Claudio diz: 10 de maio de 2012

    O blog diz em um determinado momento que Oscar desfrutassse de seu conquistado direito de jogar. E onde fica o seu inadiavel dever de pagar o seu ex clube
    É incrível que o blogueiro ainda trate o jogador como vítima. Não é. Outro ponto, vc já viu o contrato que vige com o São Paulo. Vc acha que um clube se não tivesse a certeza do que está no contrato iria ficar brigando a toa. Me parece mais obvio que o inter não tem a grana para pagar e fica vendendo um peixe que vcs compram. É de dar pena

  • Rogério colorado diz: 10 de maio de 2012

    iva marques, pare de falar, por acaso leu, o que o ministro do tst, comunicou a cbf, que a ação, impetrada pelo oscar, era de rescissão do contrato, e enquanto não se decide que tem razão o jogador ou o spfc, o contrato dele com o inter é o unico valido, que perder, caso seja o oscar deverá indenizar o spfc, se ganhar não será necessario pagar, e o valor da multa rescissória não é o spfc que arbitra, mas é a lei pelé que define os valores e formula de calculo, segundo os sálarios pagos e previstos em contrato

  • silvio jaime fernandes diz: 10 de maio de 2012

    Olá Wianey:….Reintero os meus parabéns a voce por ser o único jornalista Gaucho a altear o topete contra a CBF FC. Feito justiça, cabe ao INTER agora presentear seus torcedores, classificando-se contra o Fluminense.
    Não sou ufanista nas vitórias e nem faço terra arrasada nas derrotas e muito menos me meto nos assuntos alheios,como a quantidade de postantes fizeram em teu blog ontem,inclusive te destratando.

  • Marcos diz: 10 de maio de 2012

    Tuas participações no Sala estão terríveis. A de hoje foi LAMENTÁVEL. Grosseria, igonorância, prepotência e arrogância, para ficar no mínimo.
    Já te falei: pensa com seriedade na aposentadoria. O destino do Sala, para grosseiros e mal humorados como tu ,é a rua. Haja vista o Ruy como exemplo recente. E tu não és nenhum Ruy Ostermann, diga-se de passagem, que ainda conseguiu um bico no jornal…

  • SIMÕES diz: 10 de maio de 2012

    Sr.WIANEY e CARLOS Alberto: Estava gostando de participar de seu blog,mas agora não dá mais.Quando o sr.afirma que a CBF rescindiu o contrato entre Oscar e São Paulo,o sr. falseia a verdade( a CBF não tem esse poder) só quem pode rescindir contratos são as partes envolvidas e a justiça.Na verdade o atleta tem agora dois (02) contratos vigentes e a CBF relacionou o jogador como do inter POR FORÇA de um H.C.,em que um juiz obrigou(a ela CBF),pois se não o fizesse incorreria em “desobediencia civil”.Mas o INTER corre riscos sim,de la na frente perder os pontos até p/o Caxias,aguarde e verá. Agora respondendo ao sr.CARLOS: O caso do dagoberto foi diferente,pois que o São Paulo pagou 5.400 mil reais ao Atletico-Pr.Tivemos semana passado o caso de um jogador de nome Tiago mosquito,que atravez de seu empresario(sempre eles)foi oferecido ao São Paulo,e daria negocio, mas o jogador mentiu quando se disse LIVRE,mas na verdade ele tinha contrato com o clube MACAÉ do R.Janeiro,mas era da base do Vasco que inclusive vai entrar na justiça p/preservar seus direitos,e nesse caso o Rene Simões responsavel pelas categorias de base do Tricolor Paulista,desaconselhou sua contratação ja que poderia dar problemas no futuro,tal qual esta dando o caso Oscar.P.S. é muito feio um sr. de cabelos brancos distorcendo a verdade para seus seguidores. Abçs.

  • Christian diz: 10 de maio de 2012

    Não adianta. Nem com as explicações do Cacalo no sala do dia 09.05.12 tu consegues entender que nada tem a ver o habeas corpus do juíz Caputo com a decisão do TRT de SP.
    Coloca na tua cabeça teimosa de uma vez por todas: o Caputo cometeu uma aberração jurídica concedendo a possibilidade de o Oscar atuar, uma vez que ele não estava impedido de jogar, bastava ele cumprir a DECISÃO JUDICIAL do TRT de SP, a qual validava o contrato com o SPFC e assim ele poderia jogar pelo clube ao qual possui vínculo, o SPFC.
    Por favor, deixe o bairrismo de lado e veja a justiça como ela realmente é.
    Senão vejamos, quando o Oscar estava apto para assinar com qualquer clube quando obteve ganho de causa em 1ª instância e firmou contrato com o Inter, tu aceitaste a decisão judicial, mas agora quando houve nova decisão, em 2ª instância, devolvendo o vinculo ao clube de origem, tu és contra??? Cadê a tua coerência?!?!?!?

    Isto é bairrismo explícito ou ignorância. Podes escolher.

    Outra coisa, a decisão do Caputo não invalida a decisão de 2ª instancia do TRT de SP, pois a mesma somente pode ser reformada em 3ª instância, fato que ainda não aconteceu. Por isso o contrato com o SPFC atualmente é válido sim!!!
    Dessa forma, aprenda que tampouco a CBF pode tem poderes para rescindir o contrato de qualquer atleta com qualquer clube que seja!!! Isto é um absurdo.

    Finalizando, como o contrato do Inter com Oscar também é válido, uma vez que foi celebrado quando o atleta estava PROVISORIAMENTE sem vínculo com clube algum, hoje existem 2 contratos válidos. Isto é fato!!!

    Assim, ou rescinde o contrato com o Inter e volta a jogar normalmente pelo SPFC ou paga a multa rescisória para o SPFC, rescindindo este contrato e assim pode jogar pelo Inter.

    Caso nada disso aconteça, o Oscar deve aguardar a decisão final na Justiça do Trabalho para poder volta a jogar.

  • JOSÉ CARLOS FOGASSA diz: 10 de maio de 2012

    vergonha pq nao colocaram meu comentario

  • Mil vezes Mazembe Segunda Não diz: 10 de maio de 2012

    A cada jogo, no mínimo, dois adversários: um no campo de jogo e o outro no campo da justiça. ISTO NOS ENVAIDECE SOBREMANEIRA. Todos nos temem, todos nos respeitam. Que o caso Oscar perdure por um bom tempo!

  • Ed Lekl diz: 10 de maio de 2012

    Wianey, se eu fosse tu ficaria um mês sem aparecer no Sala de Redação. Fostes humilhado hj pelo Cacalo que te desmacarou e te deixou sem pai nem mãe. Pra que mentir Wianey? Pra que inventar coisas? Teu coloradismo está te cegando, tu estás embebido de raiva e mágoa. Isso vai te levar a um colapso nervoso Wianey. Aproveita que o Cacalo te deu uma ajudinha e sai de férias, uns 30 dias, no mínimo.

  • jairo diz: 10 de maio de 2012

    O inter com ou sem Oscar, o Flu vai passar por cima…ou o Flu/Abel vai ENTREGAR a classificação assim como aconteceu com SPaulo/Murici em 2006???????????????????????

  • erivan diz: 11 de maio de 2012

    wianey se alguem me disser que o tinga e um pessimo jogador eu discordo ele joga mto bem mas hoje ele foi pessimo demais nao entendo por que fizeram tanta força para segurar o joao paulo e nao deixam o cara jogar acabou o primeiro tempo contra o flu ja era dele ter entrado no time mas nao sei o que o dorival sente pelo jo nao tem quem aguente tanta burrice por favor e o dagoberto ele so com uma perna joga mais que o jo outro que nao esteve bem hoje o datolo por que o treinador nao tem coragem termina o primeiro tempo e entra com dagol no jogo,

  • Jonas Rafael diz: 11 de maio de 2012

    Toda imprensa imparSCIal se movimentando em favor do picaretinha. Chuparam hoje de novo.

  • Teddy diz: 11 de maio de 2012

    O Fluminense passou o relho no Internacional!

  • Altemir diz: 11 de maio de 2012

    Vejam só como são as coisas. A CBF até pouco tempo só defendia os interesses do Corinthians e tentava prejudicar o São Paulo. Imaginem que até tentaram tirar a Copa do Mundo do Morumbi e passar para um estádio a ser construido pelo Timão (sem falar na ajudinha do Presidente da República pedindo que uma empreiteira com negócios coma a União faça a construção de um estádio particular). Ignoraram, CBF e COL, o fato de que, depois que a FIFA escolhe um estádio (Morumbi), não há como mudar mais. Pois agora tudo mudou e o grande beneficiado pela CBF é o São Paulo.
    Ainda bem que aqui, com o Noveletto (e com a Dilma e o nosso COL), isso não acontece.
    Wianey, porque você quase nuca escreve sobre o caso Oscar?

  • Guilherme diz: 11 de maio de 2012

    Olá Wianey.

    Acho que esse jogo (Fluminense 2 x 1 Inter) serviu pra demonstrar de vez que o TINGA NÃO SERVE MAIS PARA O INTER!
    Pode pesquisar, 60 % dos colorados acham que o TINGA deve ser reserva, 30% acham que nem pra isso ele serve mais e tem que ir embora, e uns 20% só ainda achavam que ele devia ser titular(acho que agora até esses vão desistir).

    Hoje ele tinha a responsabilidade de ser o capitão, e o que aconteceu?
    Compara com os outros capitões do Inter.

    É só comparar:

    O Fernandão foi o CAPITÃO PLANETA conquistando a libertadores e mundial para nós.

    O Bolivar foi o CAPITÃO AMÉRICA conquistando o bi para nós.

    E o TINGA foi o CAPITÃO FRACASSO!!!

    Ele tá LENTO e PESADO, só corre pra lá e pra cá MAS NÃO FAZ NADA! é o chamado “USINA HIDROELÉTRICA PRA ACENDER UMA LAMPADA SÓ”
    ou seja, muita correria e pouco resultado.

    Sem contar que ele tentar dar uma de atacante… MAS NÃO SABE CHUTAR!!!!!

    E ainda por cima não tem folego PRA TERMINAR OS 90 MINUTOS DE NENHUMA PARTIDA!!! tem que ser substituido sempre…

    E ainda tá sempre se machucando….

    Então somando tudo isso temos no Tinga:
    -Um jogador que não guarda posição
    -Um jogador que tá sempre se machucando
    -Um jogador que só faz corre-corre mas produz pouco
    -Um jogador que tentar jogar no ataque mas nunca faz gol e nao sabe chutar.
    -Um jogador que não aguenta 90 minutos

    resumindo… O TINGA JÁ ERA! NÃO SERVE MAIS PARA O NÍVEL DO INTER!
    É isso que a maioria da torcida do Inter acha(alguns ainda querem para reserva, mas para TITULAR ninguem mais quer).

  • Pedro diz: 11 de maio de 2012

    Hahahahaha… Ele jogou ontem! Acalma esse teu coraçãozinho colorado, outro que jogou também foi a tua cruz NEYMARRRRRR, o gigante, o craque que não estava pronto para o mundial onde Kléberson, Josué e Júlio Batista estavam. Chora hoje, pode desabar em lágrimas enrustido.

  • Rafael diz: 11 de maio de 2012

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Tomaram bonito. Agora fala com o tal ministro lá, que ele tem que dar um HC pro Oscar pq ele está sendo impedido de jogar a Libertadores também. e nem é pelo São Paulo hein.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Bando de chorões. Expernearam tanto para isso.

  • Luiz diz: 11 de maio de 2012

    Colocaste o dedo na ferida… Depois de uma certa idade, jogadores só deviam jogar partidas sem muita importância. Não adianta achar que são eternos.

  • Fabricio de Carvalho diz: 11 de maio de 2012

    Tao reclamando do que com o Oscar se ele cumpriu rigorosamente o que mandou a CBF? Ele estava liberado para entrar em campo. No oficio nao dizia que ele estava liberado pra jogar. Só estava liberado pra entrar em campo e foi o que ele fez exatamente.

  • Benedito diz: 11 de maio de 2012

    Wianey, há muito tempo você está dizendo que esse ratinho é o teu protegido. Só que você deve lembrar que esse roedor cortou seu vínculo com outro clube para entrar na toca colorada, e isso é ilegal. Então, Wianey, quem precisa levar uns laços (de relho, se não for demasia para um ratinho) é o Oscar, para aprender a cumprir com as obrigações assumidas.

  • Silvio L diz: 11 de maio de 2012

    Como tem gremista rançoso dando pitaco aqui. Com ou sem Oscar o Caxias vai tomar os 8 que merece!

Envie seu Comentário