Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2012

A linda loira que cativa os gremistas

21 de maio de 2012 63

Daiane Steffens é uma ganhadora de concursos de beleza. Desde os 11 anos de idade, tem 26 anos, faz trabalhos de modelo e coleciona títulos. Neste mês de maio, venceu a primeira etapa da disputa pelo título de Bela da Torcida do Grêmio de 2012. Os torcedores votaram pela Internet e Daiane somou 75481 votos, mais de 15 mil à frente da segunda colocada. O placar final do concurso será anunciado no dia 17 de dezembro. Alguém duvida que Daiane é candidatíssima ao título?

A seguir, as vitórias da deslumbrante loira:

Soberana Mirim das Piscinas 1997
Miss Estrela Infanto-Juvenil 1998
1a princesa do Garota Verão Estrela 2003
1a princesa do Garota Aldeia 2003
Garota Som Metárius 2005
Miss Estrela 2007-2008
Miss dos Vales do Taquari e Rio Pardo 2008
Princesa do Musa do Sol 2009
2a princesa do Musa do Gauchão 2009
2a princesa do Gata Sorriso 2009
1a princesa da Expovale 2010-2012
Soberana das Piscinas do RS 2010
Bela da Torcida do Grêmio 2012

Daiane Steffens, que nas horas de folga brilha nas passarelas e diante de câmeras fotográficas, está concluindo o seu curso de jornalismo. Dá uma passadinha aqui na RBS, gatinha!

Bookmark and Share

O Grêmio perdeu para si mesmo

21 de maio de 2012 36

A derrota do Grêmio foi consequência de um conjunto enorme de erros. Chances de gols desperdiçadas, um gol mal anulado e um pênalti desperdiçado impediram que o Grêmio saísse de São Januário com uma vitória. O Vasco da Gama escalou um time misto mas, mesmo assim, o Grêmio não conseguiu se impor suficientemente para superar os azares da tarde. O Grêmio tem razão quando se queixa do gol mal anulado, mas o que dizer do pênalti não convertido e as várias situações de gols jogadas no lixo? Sem considerar que o gol marcado por Alecsandro, a falha de marcação foi varzeana.

Se o Grêmio debitar a sua derrota apenas ao erro da arbitragem, estará se enganando perigosamente. O time que o Vasco colocou em campo era, teoricamente, muito inferior ao Grêmio. O time de Luxemburgo foi o principal responsável pela sua derrota.

Bookmark and Share

Inter vence e quebra a rotina de estreias

21 de maio de 2012 25

Desta vez o Inter arrancou com vitória, contrariando a maioria das suas estreias em campeonatos brasileiros. Venceu com autoridade. Na etapa inicial, dominou o limitado Coritiba, marcou seus dois gols e garantiu a vitória. No segundo tempo, aconteceu o inexplicável. O Inter perdeu posse de bola, foi empurrado para trás, errou passes em altas doses e, sem inspiração, foi tão previsível que até fez o adversário parecer melhor do que realmente é. Bem, mas assim é o Inter quando D´Alessandro não joga. O time murcha e até o bom Oscar encolhe.

Leandro Damião marcou um golaço e participou do segundo gol, uma pintura de jogada coletiva. Foi a figura do jogo. Dagoberto, esbanjando saúde e participação, também se destacou. E o silencioso Elton mostrou eficiência na tarefa de contenção. Foram os jogadores que mais apareceram na vitória colorada.

O Inter pouco fez pelos flancos. Nei e Fabrício, difícil destacar alguma boa jogada. Guiñazú está em fase sem brilho. E Dátolo correu muito, pensou pouco e foi bem substituído. O Inter foi frouxo na marcação e cometeu, várias vezes, a imprudência de avançar os dois volantes, deixando a defesa desprotegida.

Bookmark and Share

Fernando, exemplo de profissional

18 de maio de 2012 66


Nem vale a pena questionar Mano Menezes por não ter convocado Fernando, o volante que brilha no Olímpico. Treinadores da Seleção Brasileira, todos, adoram afrontar o bom senso e a opinião pública. Menezes, só agora, desistiu de Ronaldinho Gaúcho que, muito antes, já tinha desistido de jogar futebol. Fernando é um exemplo raro de profissionalismo. Definiu seus objetivos e deles não se afasta. Na Bahia, marcou mais um gol cobrando falta. Por acaso? Claro que não. No Olímpico, Fernando costuma treinar de 15 a 20 cobranças de bola parada, em cada treinamento. Não nasceu sabendo, aprendeu treinando. Não se importa em atrasar o seu banho. Teste: alguém lembra a última vez que Fernando jogou mal? O garoto vai cresceu ainda mais, muito mais. E, um dia, nem o Mano Menezes se atreverá a não convoca-lo.

Bookmark and Share

Inter perde guerreiro

17 de maio de 2012 110

Tinga era o espirito guerreiro e vencedor deste Inter dos anos 2000. Ele encarnou como poucos a importância de integrar um grupo de jogadores destinados a vitória. Por trás das suas atitudes simples e comedidadas, abrigava-se um profissional voltado inteiramente para a atividade que escolheu. Tinga pode nunca mais voltar para o Inter, mesmo assim, já se inscreveu na história do clube como um dos inesquecíveis que vestiram a camisa do internacional. O Cruzeiro fez um investimento do qual não se arrependera. ganha um grande jogador, um profissional exemplar e um cidadão imelhorável.

Bookmark and Share

TRT paulista dá trabalho ao Inter

17 de maio de 2012 47

O Tribunal Regional do Trabalho, São Paulo, não admitiu o Inter como terceiro interessado na disputa envolvendo Oscar e o São Paulo. Não haveria nenhum motivo para perplexidade se o próprio TRT, no início do processo, não tivesse reconhecido que Oscar firmara contrato com o Inter quando estava liberado pela própria Justiça do Trabalho. Ora,  este fato faz do Inter um terceiro interessado. A decisão de ontem no TRT paulista evidencia apenas mais uma contradição daquele tribunal. Agora, o Inter terá que buscar o mesmo objetivo através de outra ação judicial. O TRT se esmera em dar trabalho aos advogados colorados. Na próxima semana, será julgado o habeas Corpus, no TST. Não se deve afastar a possibilidade de que seja cassado.

Se acontecer, Oscar ainda terá a liminar concedida pelo Corregedor do TST. O São Paulo terá que tentar a sua cassação. Para resumir o imbróglio: o TRT dá trabalho ao Inter e o TST faz o mesmo com o São Paulo. E o final desta história já é conhecido: o São Paulo deverá vencer o caso, quando o mérito for julgado. E, como Oscar não quer mais jogar no clube paulista, terá que indenizar o seu antigo empregador. Será momento de o TST estipular o valor da indenização. Recursos para cá e para lá são, na verdade, uma embromação desnecessária. Tudo já poderia estar resolvido com Oscar pagando ao São Paulo o que a Justiça do Trabalho decidisse.

Bookmark and Share

Jô é a pior contratação colorada

15 de maio de 2012 46

Qualquer investimento deve ser avaliado pelo seu custo em relação ao benefício que carrega. No caso do atacante Jô, o custo é alto e o benefício absolutamente nulo. Durante todos os meses em que foi jogador do Inter (está sendo dispensado) não houve um único período em que tivesse justificado a alta despesa que significa para o Inter.

Foi, seguramente, a pior contratação do Inter nos últimos tempos. E ainda será, enquanto não for repassado para outro clube. Poucas vezes se vê um prejuízo tão substancial. Mesmo assim, Dorival Júnior insistiu em fazer do atacante o reserva imediato de Leandro Damião. Impossível entender.

Bookmark and Share

Para o Inter virar grande equipe

15 de maio de 2012 64

O título de Campeão Gaúcho não pode, não está, enganando ninguém. Existe uma boa equipe no Beira-Rio, mas, ainda longe de se colocar entre os candidatos mais destacados ao título do Brasileirão.

Qualquer avaliação rigorosa indica que seriam necessárias as contratações de cinco reforços de inquestionável qualificação para que o Inter figurasse entre os três melhores times do país.

Dois laterais e um zagueiro, um meia-armador e mais um atacante (ou dois) são complementos indispensáveis para o Inter autorizar-se a anunciar posição de favorito.Sem aprimoramentos nestas posições, brigará muito para conseguir vaga na Libertadores, nada mais.

O setor ofensivo poderá tornar-se dramático sem Damião for vendido e Jô dispensado. No meio, o Inter não deveria ser dependente exclusivo de D´Alessandro. E a defesa, bem, a defesa é vulnerável pelo meio e pelos lados.

Bookmark and Share

Para o Grêmio virar grande time

15 de maio de 2012 49

Já estava previsto que o Grêmio só enfrentaria um adversário, realmente forte nas semifinais da Copa do Brasil. Significa que para ser campeão, terá que superar rivais qualificados em quatro jogos.

Não contabilizo o Bahia por ser uma equipe inferior ao Grêmio, embora respeito e canja de galinha sejam, sempre, recomendáveis. Mas, por que o Grêmio não pode ser considerado favorito para ganhar esta competição? Simples: por que ainda falta qualidade para assumir esta condição.

Para se tornar um real candidato a grandes títulos, o Grêmio precisaria contratar, no mínimo, quatro jogadores de qualificação indiscutível: um zagueiro, dois meio-campistas e um atacante. Sobre zagueiro é dispensável justificar. Falta o xerife.

No meio-campo, neste momento, apenas Fernando seria titular inquestionável. Com a chegada de Zé Roberto, serão dois. Léo Gago, Souza e Marco Antônio são bons de grupo, mas não integram uma grande equipe. E, no ataque, Marcelo Moreno e Kleber são os únicos indiscutíveis. Este blogueiro afirma que, sem estes quatro reforços, o Grêmio dificilmente conquistará um grande título, em 2012.

Bookmark and Share

Vem aí uma semana toda azul

14 de maio de 2012 37


Falcão levou o Bahia ao título estadual. Mudou a história de uma década sem conquistas do clube baiano. Nesta segunda-feira, o Bola-Bola juá acordou pensando no confronto que terá com o Grêmio, quinta-feira, no Pituaçu. Será o primeiro jogo pela Copa do Brasil.

A decisão da vaga acontecerá no Olímpico. Como o Inter só esperará pelo Brasileiro, a semana que está começando será inteiramente azul. O Grêmio quer vaga para a próxima Libertadores e está a caminho de conquistá-la. Desbancar o Bahia será um passo importante.

Mais ainda que o adversário é treinado por Falcão, colorado de nascença que, ano passado, deu ao Inter o título gaúcho em Gre-Nal disputado no Olímpico. Semana, portanto, de expectativa acirrada no universo tricolor. Dias pintados de azul vem aí.

Bookmark and Share

Deselegância colorada na comemoração

14 de maio de 2012 90

Em 2010, o atacante Hugo, Grêmio, comemorou o título erguendo um caixão do Inter, no Olímpico. Na época, Hugo mereceu severa reprovação pela atitude que só seria admissível entre torcedores e nunca deveria envolver profissionais. Pois não é que ontem, no Beira-Rio, D´Alessandro repetiu o gesto de Hugo? Para o meia colorado, vale a mesma reprimenda. Foi deselegante e, pior, estimulou a pior parte desta doentia rivalidade Gre-Nal. Respeito é o mínimo que se exige dos profissionais, embora este comportamento, infelizmente, não seja praticado, também, em certos setores da imprensa engajada.

Bookmark and Share

Inter aumenta sua coleção de troféus

13 de maio de 2012 96

O Inter é o Campeão Gaúcho de 2012. Conquistou mais este título em uma decisão eletrizante. O Caxias, sem pecar pelo lugar comum, valorizou a conquista colorada jogando sem levar em conta o Beira-Rio e a grandeza do Inter. O time colorado somou méritos mais do que suficientes para colocar a faixa de vencedor. A conquista amenizou um pouco o desconforto da eliminação na Libertadores da América.

É mais fácil vencer com bons jogadores. O Inter, na etapa inicial, foi uma caricatura de time. O Caxias dominou, ameaçou, marcou o primeiro gol e assustou a torcida colorada. O Inter, neste período, não teve a mínima criatividade, errou passes, não conseguiu atacar com qualidade e até mostrou uma deplorável falta de vontade. Na segunda etapa, com as trocas de Tinga e Dátolo por D´Alessandro e Dagoberto, o time recebeu a qualidade que estava faltando. Cresceu o time e o Caxias foi empurrado contra a sua área. O escore poderia ser maior.

Mais uma vez, Sandro Silva destacou-se como o principal jogador da partida. O volante reiterou que o Inter não pode economizar esforços para contratá-lo. É o melhor volante disponível no Beira-Rio. Afirma-se em um momento em que Guiñazu declina.

O Inter venceu e aumentou, assim, a sua coleção de troféus. Uma vitória sem espaço para contestações. Em 41 anos, o Inter canta que Papai é o Maior.

Bookmark and Share

Sandro Silva é a prioridade colorada

11 de maio de 2012 47

Outro dia, Luiz Anápio, vice-presidente de futebol do Inter, declarou que o clube não faria leilão para manter Sandro Silva. Referia-se ao anunciado interesse do São Paulo pelo jogador. Anápio não está avaliando, corretamente, a situação. Perder Sandro Silva significaria ficar nas mãos, ou pés, de Guiñazu e Tinga, ambos em franco e visível declínio técnico e físico. Sandro Silva é quase tão importante quanto Leandro Damião e Oscar. Sua contratação deveria ser prioridade absoluta do Inter. Ainda que signifique investimento acima do pretendido.

Bookmark and Share

O grande equívoco do Inter

11 de maio de 2012 160

Terminado o jogo no Engenhão, as primeiras manifestações no vestiário do Inter lamentavam os dois gols de bolas paradas e a falta de sorte do time. Imediatamente, surgiram projeções para o Brasileirão. O presidente Giovanni Luigi mostrou-se confiante de que o Inter, depois do que mostrara no Rio de Janeiro, entraria no campeonato nacional como candidato ao título. O Inter, parece, não sabe porque perdeu, embora venha sendo derrotado, faz tempo, pelas mesmas razões: defesa precária, principalmente nas bolas aéreas.

Dificilmente o Inter dará a volta olímpica como campeão de um grande certame enquanto não contratar, pelo menos, um grande zagueiro, especialista em bolas aéreas. Tampouco obterá o mesmo resultado se continuar venerando e escalando jogadores que já não têm condições físicas para enfrentar grandes desafios. Vale para Bolívar, Tinga e Índio, principalmente. O Inter está equivocado. Sem correções que só poderão ser alcançadas com grandes contratações, duas ou três, o Brasileirão será, apenas, mais uma grande frustração.

Bookmark and Share

Oscar: cada jogo, um parto na montanha

10 de maio de 2012 44

Na fábula de La Fontaine, a montanha começou a se agitar e a emitir ruídos pavorosos, atraindo atenções de todas as partes. Os dias foram passando e a montanha aterrorizava cada vez mais as pessoas com os seus sons estranhos e inexplicáveis. Um certo dia, a montanha se agitou tanto e rugiu como nunca havia rugido. Em seguida, abriu-se e, do seu interior, surgiu um ratinho. Oscar não é o ratinho da fábula, mas sua liberação para jogar retrata, cada vez, o parto da montanha. Um verdadeiro conto de terror que tira o sono do jogador, torcida e dirigentes e obriga os advogados do Inter a montar estratégias de guerra para conseguir o que já está devido, desde a concessão do hábeas corpus pelo Ministro Guilherme Caputo Bastos. Foi assim, mais uma vez, para que Oscar desfrutasse o seu conquistado direito de enfrentar o Fluminense. A CBF não hesitou em falsear a verdade na tentativa de confundir a Conmebol. Para a entidade sul-americana, não interessam eventuais pendengas na Justiça. O que ela precisa é saber, como no caso, se a CBF concedeu condições de jogo para determinado jogador. E a CBF já atendeu este requisito desde que foi intimida pelo ministro do TST a inscrever Oscar como jogador do Inter. Na mesma data, quatro de maio, registrou no BID que o contrato de Oscar com o São Paulo estava rescindido, segundo avaliação da CBF que não poderia inscrever um jogador que tivesse contrato com dois clubes. Assunto encerrado? Não, a própria CBF, ignorando sua decisão, resolveu confundir a Conmebol falando de um processo que está aberto, sem resolução, no TRT paulista. Finalmente, diante da pressão colorada, fez o que deveria fazer desde o início: informou a Conmebol que Oscar é jogador do Inter está apto a jogar. Esta decisão é o ratinho e a história um moderno parto da montanha.

Bookmark and Share