Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Avalanche deve ficar

31 de janeiro de 2013 37

Este blogueiro não tem a menor simpatia pela avalanche da torcida Geral do Grêmio. Penso que o movimento é perigoso pois quem está na parte mais baixa tem que suportar, sempre, o peso e o impacto de quem vem de cima. Além disso, é deplorável que a lindíssima Arena do Grêmio tenha uma mancha, originada pela falta de cadeiras.

Porém, é preciso respeitar o pensamento dos dirigentes e torcedores gremistas. Quem for contra a avalanche, basta procurar outro espaço no estádio. Sobre o acidente ocorrido por força da avalanche, quando vários torcedores foram arremessados para o fosso, o que deve ser destacado é o erro de cálculo da OAS.

Ficou provado que a grade de contenção era frágil. E quem quiser pode desconfiar: será que este ponto é o único que possui fragilidades na Arena?

Bookmark and Share

Comentários (37)

  • Jourdan Mainard diz: 31 de janeiro de 2013

    Sim , depois da casa arrombada , as trancas tem que ser ferro ?? o ministério público já havia cantado a pedra , custava ter dado ouvidos ?? Não né , agora foram somente feridos , o que ja é grave …depois de uma tragédia vão vir falar em fatalidades ???
    O que adianta ter as pessoas para alertar se não é tomada providencias ?? até os cachorros da guarda sabiam da fragilidade das proteções ( alambrados ) …vão vir com um monte de conversa e vai ficar por isso mesmo …em um país sério já teria punições para os responsáveis , esqueci por aqui responsáveis não existem ….

  • luis fernando diz: 31 de janeiro de 2013

    Brasieiro não aprende nunca, mesmo que tivesse tragedia todo dia. Imagina ontem se tivesse morrido uns 5.
    Só porque ninguém morreu ficam condenando a proibição a uma ridicula torcida.
    Tem mais é que continuar tudo como esta.
    Jamais vi um estadio tão mal acabado sendo liberado pelos orgãos competentes. Esse é o Brasil mesmo. Graças a Deus que este estádio de acrilico não faz parte da copa.

  • Alexandre Paz Garcia diz: 31 de janeiro de 2013

    Wianey
    Discordo diametralmente da tua opinião.
    Não fosse a integridade física das pessoas uma responsabilidade do Estado, até se poderia cogitar em invocar a autonomia da vontade dos torcedores/consumidores. Entretanto, essa não é a realidade concreta. O dia em que alguma pessoa se ferir gravemente, ou, pior, perder a vida, certamente se questionará o Corpo de Bombeiros, a Prefeitura e quem mais tenha autorizado que a avalanche acontecesse.
    Aplicando esse teu raciocínio no episódio de Santa Maria, as casas noturnas tem que ficar exatamente como estão e quem for contra utilização de sinalizadores dentro delas, que procure outro estabelecimento. Se morrerem mais 300 pessoas, tudo certo, né?
    Acho que não é por aí. Reflete um pouco melhor que tu vai concluir que, quando há risco de acidentes graves envolvidos, a vontade das pessoas deve ser o último fator a ser sopesado.

  • lucimar prigol sene diz: 31 de janeiro de 2013

    tanta festa,quanta pressa,falaram demais e agora com duas partidas o estadio já esta se desmanchando!

  • Luiz diz: 31 de janeiro de 2013

    Raras vezes concordei contigo tanto quanto hoje. E não esqueçamos que o erro de cálculo da OAS ocorreu porque o MP embargou o teste da avalanche que estava programado para outubro passado. Se ele tivesse ocorrido, com toda a segurança, o pessoal de capacete etc, o acidente de ontem provavelmente não teria acontecido.

  • Sergio diz: 31 de janeiro de 2013

    A grade é propositalmente frágil para ser ANTI ESMAGAMENTO. Foi imposição da polícia para liberação da tal avalanche…

    E não, não deve ser mantida. Por acaso uma casa noturna que queima fogos indevidamente deve ter seu pensamento respeitado e quem não estiver contente que procure outra ? Sim, são fatos similares.

  • Pedro Luis da Silva diz: 31 de janeiro de 2013

    O que mais impressiona neste episódio e ver que com as grades caidas e pessoas feridas alguns torcedores continuaram pulando e agitando suas camisas como se nada tivesse acontecido. Pergunto o jogo tinha condições de continuar? Não era o caso de suspender a partida?E se o arbitro marca algum lance polemico contra o Gremio como seria?

  • Adalberto diz: 31 de janeiro de 2013

    Wianey, não lembro de nenhum incidente ocorrido por conta da avalanche no Olímpico. Agora, que alguns oficiais dos Bombeiros resolveram complicar com a avalanche (uma preocupação inexplicável), é que ocorre o incidente de ontem. Mas é preciso um mínimo de serenidade para analisar o ocorrido. Tens toda a razão, a queda ocorreu pela fragilidade da grade colocada sobre a murada. Agora, o que deve ser esclarecida é a contradição dos Bombeiros. Antes nunca houve problemas com a avalanche no Olímpico. Agora que esta implicância desmedida iniciou, não constataram eles a fragilidade da grade e liberaram provisoriamente a avalanche. Mais, será que o incidente de ontem não se deve muito ao curto espaço em que a avalanche ocorreu, por conta das grades de contenção que os Bombeiros impuseram a colocação? Mais uma contradição, Wianey, tem a Corporação poderes para proibir a avalanche?

  • Maurício diz: 31 de janeiro de 2013

    Olaá Wianey,

    Vou mais… será que este é o único ponto fraco de todos os estádios?

    O que estourou foi a fixação do parabolt no concreto, pela carga que não está em nenhuma norma. Para calcular o parabolt, certamente quem fez, fez baseado na experiência, visto que se trata de uma carga totalmente acidental (acidental na engenharia não significa que é porque houve acidente, mas sim uma carga ocasional). O restante está tudo em normas técnicas, e certamente foi atendido. Bastava o apoio ter um segundo ponto de fixação, que isto não teria acontecido.

    Ainda assim, acredito mais na segurança da arena, do que na segurança do beira rio, do olímpico, e demais estádios reformados para a copa, visto que em alguns nem sequer existe registro da construção.

    abraço
    Maurício

  • Lincoln Giaboeski diz: 31 de janeiro de 2013

    Concordo contigo. A participação na avalanche do Grêmio não é compulsória. Os torcedores aderem àquele local, por conta de todas as particularidades que conhecemos do modo que a Geral torce (os bons modos, é claro). A avalanche foi realizada durante anos no estádio Olímpico, uma construção com quase 60 anos. Todavia, na Azenha, existia um muro de contenção que segurava todo o peso que o movimento gerava. Existiram casos de algumas quedas no fosso, mas porque os torcedores estavam sob a mureta. É notável, que aquela mureta da Arena não comportaria o peso, inclusive, a Brigada Militar avisou sobre o risco. A solução é simples. A torcida do Grêmio quer a continuidade da avalanche. Aquele espaço está vazio (sem cadeiras), justamente por isso. Portanto, que a construtora reforce toda estrutura necessária, que envolva a avalanche, e que a Geral continue realizando este espetáculo. Muro bem reforçado, sem barras que segurem e pressionem os torcedores. Basta a OAS dar um pulo no Olímpico e ver, no Velho Casarão, como estava montado o aparato arquitetônico que proporcionava segura aos torcedores.

  • Gustavo diz: 31 de janeiro de 2013

    Prezado Wianey, dizer que ” quem for contra a avalanche, basta procurar outro espaço no estádio ” é algo totalmente descabido. É quase a mesma coisa que afirmar que se alguém ( pode até ser um familiar teu ) morrer na avalanche, a culpa é do morto!!

  • Gustavo diz: 31 de janeiro de 2013

    Prezado Wianey, dizer que ” quem for contra a avalanche, basta procurar outro espaço no estádio ” é algo totalmente descabido. É quase a mesma coisa que afirmar que se alguém ( pode até ser um familiar teu ) morrer na avalanche, a culpa é do morto!

  • felipe atayde diz: 31 de janeiro de 2013

    EU AINDA NÃO TINHA VISTO UM JEITO TÃO CRIATIVO DE SER ENCOXADO EM PUBLICO,SEM Q NINGUÉM, DISSESSE NADA,MTO CRIATIVO OS GREMISTAS!!

  • Danielo diz: 31 de janeiro de 2013

    ahaha,,, quantos colorados preocupados com a torcida gremista comentando aqui!!!

  • Danielo diz: 31 de janeiro de 2013

    Pra mim,, ter ou não a avalanche é indiferente,, porém não concordo em colocar cadeiras no local, os torcedores tem o direito de torcer em pé, pulando,, muitos estadios eurpeus tambem tem arquibancada, sem nenhum problema, a PM e os Bombeiros não podem tirar esse direito da torcida,, se não querem avalanche então que coloquem mais barras de contenção na arquibancada,, mas deixem esse local da arena para o pessoal torcer em pé.

  • Irno Jacobsen diz: 31 de janeiro de 2013

    ôoo Wianey. Pisou na bola. É dever do ESTADO zelar pela segurança das pessoas. A avalanche coloca em risco a vida do torcedor. Imagina se um jovem tropeça e a massa ‘passa’ por cima! Reflita sobre isso…

  • Jsilva diz: 1 de fevereiro de 2013

    Wianey, a avalanche foi copiada da Argentina e lá existe porque a pobreza dos estádios facilitou. Se pudessem escolher, na época da construção, o local onde fazem as avalanches estaria coberto com cadeiras, não fizeram por questões financeiras. No Olimpico deve ter sido a mesma coisa. Na Arena não é admissivel pelos aspectos de praticidade, conforto, estética e principalmente segurança.
    Discordo totalmente de sua opinião sobre “respeitar o ponto de vista dos dirigentes”, eles é que tem que respeitar o bom senso.
    cordialmente,

  • jorge silveira diz: 1 de fevereiro de 2013

    Agora estamos todos preocupados com segurança. não basta ficar so nas boates, arena coisas que dão holofotes. E que dizer da super lotações de onibus, amontoados de casebres de madeira “construidos” com ruelas impossiveis ao acesso dos bombeiros se for presiso(exemplo, bem ao lado da arena), carroças em meio ao conturbado transito da capital, sem falar as que atravessam a ponte do guaiba em qualquer horario.

  • paulo diz: 1 de fevereiro de 2013

    muito ignorante esse texto wianey,e se alguem tivesse morrido ou ficado deficiente por causa da queda?aí aposto que tu culparia o MP ou o proprio gremio,,ja é hora de nos tornarmos civilizados e aprender ao menos a torcer como gente educada em um estadio de futebol e não como barbaros,,ridiculo teu comentario

  • jean diz: 1 de fevereiro de 2013

    considero a opinião do blogueiro irresponsavel, Solicito que reveja e volte com uma opinião digna de quem está oficialmente num meio de comunicação de alta penetração e até deve formar opinião (positiva) jORNALISTA É PARA ISSO.

  • Alexandre Fleck diz: 1 de fevereiro de 2013

    Estou perplexo com o wianey, pessoa conservadora e reacionário. Sou a favor da avalanche e mais uma vez sobrou para as vitimas. Até pela RBSTV se viu a fragilidade da sustentação do perfil, obviamente frágil, sequer teria resistencia a sobrecarga de um passarinho.

    É necessário uma vistoria geral na ARENA, ao que se nota aquilo que é visto a olho nú se vê problemas.

  • Carlos diz: 1 de fevereiro de 2013

    Boa tarde, Wianey. Olha, com todo o respeito pela sua opinião, mas acho que a avalanche é um movimento de risco. É bonito, aos olhos parece uma coreografia, mas coloca os praticantes em risco. É uma tragédia anunciada, encomendada. A arena gremista é linda, moderna. Por que arriscar esse tipo de atitude? E olha que sou colorado, mas não gosto de ver o Grêmio, em manchetes negativa, afinal, é nosso tradicional adversário, que nos faz viver, ou morrer, que nos faz sorrir ou chorar. Mas é o futebol. Se não fosse a rivalidade, o futebol seria sem graça. Olhando sob esse aspecto, perder ou ganhar é só detalhe. O que vale é a festa. E festa com tragédia, com mutilações, não é festa. É choro e dor. Por favor, banam a avalanche.

  • Carlos Alberto diz: 1 de fevereiro de 2013

    Boa tarde, Wianey. Olha, com todo o respeito pela sua opinião, mas acho que a avalanche é um movimento de risco. É bonito, aos olhos parece uma coreografia, mas coloca os praticantes em risco. É uma tragédia anunciada, encomendada. A arena gremista é linda, moderna. Por que arriscar esse tipo de atitude? E olha que sou colorado, mas não gosto de ver o Grêmio, em manchetes negativa, afinal, é nosso tradicional adversário, que nos faz viver, ou morrer, que nos faz sorrir ou chorar. Mas é o futebol. Se não fosse a rivalidade, o futebol seria sem graça. Olhando sob esse aspecto, perder ou ganhar é só detalhe. O que vale é a festa. E festa com tragédia, com mutilações, não é festa. É choro e dor. Por favor, banam a avalanche. E este é o meu primeiro comentário. Não tem nada de repetido. Por que não passa?

  • gilmar diz: 1 de fevereiro de 2013

    Os nossos representantes no “SENADO” estão nos dando um tapa na cara com as mãos sujas e mal cheirosas daquela genitália que nos colocamos lá com nossos votos para nos representar. NADA MAIS REPRESENTATIVO DA FALTA DE RESPEITO DOS NOSSOS POLITICOS PARA COM O NOSSO POVO DO QUE A CARRA DE DEBOXE DO RENAN CALHEIROS. “DA VERGONHA SER BRASILEIRO

  • Luiz Carlos Vieira Cechella diz: 1 de fevereiro de 2013

    Acho ridícula essa comemoração tipo avalanche. Mas se querem continuar fazendo essa comemoração. por que não fazer DE CIMA PARA BAIXO ? Garanto que o perigo de alguem se machucar diminuiria cem por cento.

  • Luiz Carlos Vieira Cechella diz: 1 de fevereiro de 2013

    Quero dizer o contrário: DE BAIXO PARA CIMA.

  • Gilberto diz: 1 de fevereiro de 2013

    Ah , a inveja colorada vem de todos os lados , alias ja em 1903, quando não conseguiram entrar no ORIGINAL , e fundaram um GENérICO para eles , mas anos passaram e eles não se cansam de se preocupar conosco né ??
    A torcidado Gremio implantou diversos adereços que com o tempo foi imitado pela torcida do Inter,o estadio ta dando uma dor de barriga neles que se cair um pedregulho do teto eles acham que tem que abrir uma sindicancia… agora a avalanche eles não conseguem fazer nada parecido , algo que destaque a torcida , por isso essa inveja toda …a séculos…haja saco.

  • Fernando diz: 2 de fevereiro de 2013

    Olá Wianey
    Até posso entender, que uma pessoa leiga no assunto como tu, possa defender este tipo de movimentação da torcida.
    Acho muito pouco provável que encontres um engenheiro ou arquiteto que assine uma ART para esta, específica, estrutura de contenção de pessoas .
    O poder público não pode mais transigir neste particular.
    Abraço
    Fernando

  • JOSE MELLO diz: 2 de fevereiro de 2013

    SEUS CHOROLADOS VÃO COMENTAR OS JOGOS DO GAUCHÃO. O GRÊMIO É MAIS DE PRIMEIRA DIVISÃO DA AMÉRICA QUE O TIMECO DE VOVÊS. ESTAMOS INDO PARA A 14ª PARTICIPAÇÃO. QUANDO VOCÊS EMPATAREM EM NÚMERO DE PARTICIPAÇÕES NA PRIMEIRA DIVISÃO DA AMÉRICA FALEM COMIGO.

  • doutor new diz: 3 de fevereiro de 2013

    concordo com o que disse o “Maurício diz:31 de janeiro de 2013
    O que estourou foi a fixação do parabolt no concreto, pela carga que não está em nenhuma norma. Para calcular o parabolt, certamente quem fez, fez baseado na experiência, visto que se trata de uma carga totalmente acidental (acidental na engenharia não significa que é porque houve acidente, mas sim uma carga ocasional”

    essa carga ocasional foram as pessoas que estavam em pé na murada, e não atrás da mesma, com a chega da outras pessoas elas se desequilibraram e cairam em cima da “grade” geranda a carga acidental tecnicos e engenheiros sabem disso o resto são suposiçoes sem fundamento. No olimpico nunca aconteceu pq ninguém ficava em pe na mureta. pois nao havia grade. somente um torcedor gaucho c/ a bandeira do rio grande , que se segurava em uma das faixas.

  • erivan diz: 4 de fevereiro de 2013

    TIME DE SEGUNDA ESTADIO NAO PODERIA SER DIFERENTE.

  • Luciano Daniel diz: 4 de fevereiro de 2013

    SR. ALBERTO, SUGIRO SE INFORMAR MELHOR, TEVE MORTE SIM NO OLIMPICO POR CAUSA DA AVALANCHE, VOU CITAR SÓ UM EXEMPLO, O ESTUDANTE DE MEDICINA MORADOR DE CHAPADA-RS, VAI TE INFORMAR ANTES DE ESCREVER O QUE NÃO SABE.

  • Invejoso diz: 4 de fevereiro de 2013

    Os Colorados estão realmente estão muito invejosos da avalanche gremista! Da Arena 1,99 também!

  • Adair J. Pugen diz: 4 de fevereiro de 2013

    Rídicula a tua colocação Wianey. Se tivesse morrido uns 5 ou 6, ai você estaria dizendo que deveriam prender o Koff, o Antonini, o presidente da OAS, o chefe dos Bombeiros, o Governador, etc. A pergunta a ser feita é uma só: A avalanche é segura? Qulquer leigo sabe que a resposta é “não”. Então, não é necesário esperar a morte de niguém para , depois, chorar, fazer vigília, passeata, investigações, etc, etc.

  • Paulo diz: 4 de fevereiro de 2013

    É Sr Wianey, infelizmente tem que acontecer algo do tipo que ocorreu em Sta.Maria, para que as autoridades e dirigentes materialistas e capitalistas, criem vergonha na cara e tome as medidas dígnas de pessoas respeitáveis.

  • Murilo diz: 5 de fevereiro de 2013

    A avalanche tem que continuar. Sou colorado e vivo dando risada de ver o rival passando vergonha com esse monte de macho se esfregando. Deixem os torcedores do Grêmio demonstrarem seu amor, seja pelo pelo Grêmio, seja uns pelos outros.

  • Rodrigo diz: 5 de fevereiro de 2013

    Muitos dizem que todo o estádio tem que ter cadeiras. Ora, a imensa maioria dos estádios do país não é assim. Lembram só de meia duzia (se é que tem isso) dessa forma. Só a arena náo poderá ter arquibancadas? Se os torcedores se deslocam para aquele local e por vontade própria correm descendo os degraus assumem o risco, o resto é conversa. Desde, claro, que o estádio ofereça a segurança de que nada vá desmoronar, nesse ponto falha do estádio mesmo. SEGURANÇa, dever do estado. Balela. Na rua alguém tem segurança? O estádio é propriedade particular. É obrigado a dar segurança, e responde pelo danos causados a terceiros, desde que os terceiros nao tenham causado o acidente. Cabe ao estádio dar a segurança para que não ocorra mais esse tipo de acidente. O resto é politicagem e populismo. Fora o MP que proibiu o teste. Esse sim o maior culpado. Orgão que só quer aparecer…

Envie seu Comentário