Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de junho 2013

Felipão liquida futebol sonolento da Espanha

30 de junho de 2013 24

Acabou, o Brasil matou e sepultou o futebol sonolento da Espanha.

O Maracanã foi o Waterloo de Iniesta e seus companheiros. Chegou a hora de os brasileiros voltarem a acreditar e se alegrar com a sua seleção. E, definitivamente, terminar com a tietagem que festejava o estilo chato e sem objetividade dos espanhóis.

O Brasil, no novo Maracanã, deu uma aula, ensinou como se faz para liquidar com o futebol nheco-nheco da Espanha. Marcou, tirou espaços e sem liberdade para exercitar o seu jogo sem talento – sem dribles inesperados e/ou grandes jogadas de levantar as arquibancadas – a Espanha sofreu a merecida goleada.

O Brasil amadureceu. Adotou o futebol coletivo. Deu no que deu. A torcida até cantou o Hino Nacional com a bola rolando.

O Brasil mostrou que possui grandes jogadores, Neymar entre eles, mas são de Luiz Felipe Scolari os mais luzidios méritos pela ressurreição do futebol brasileiro. O Felipão conseguiu o milagre de convencer os seus jogadores de que marcar é tão importante quanto jogar.

Quem dizia que craque não precisa marcar deve enfiar a viola no saco. Craque marca, sim.

E joga quando é possível jogar.

Bookmark and Share

Novo treinador do Grêmio não tem perfil

30 de junho de 2013 18

Quando um clube busca um treinador, a primeira pergunta que surge é: qual será o perfil do profissional buscado?

Este questionamento, na verdade, não tem sentido algum. O único perfil exigido é que o treinador desejado esteja disponível no mercado, queira trabalhar para o clube que o busca e pretenda salário realista. Que seja um treinador experiente, é uma obviedade. Que seja um vencedor, outra obviedade.

O que a pergunta requer, entretanto, é resposta para outras questões: estilo de trabalho, liderança de vestiário, etc. O Grêmio dispensou Vanderlei Luxemburgo, treinador que preenche o perfil ideal, ou quase. Para substituí-lo, o melhor nome disponível seria Muricy Ramalho, mas dizem que ele está cansado, muito rico e, portanto, sem grande ânimo. Restariam nomes mais modestos: Leão, Dorival Júnior, Cristóvão Borges e outros do mesmo naipe. De todos eles, Leão é o mais experiente mas quem consegue lidar com o seu temperamento?

Conclusão: o Grêmio vai contratar o treinador que for possível. E antes que desembarque em Porto Alegre, será precedido de muitos elogios. É a história padrão. A mesma de sempre.

Bookmark and Share

Brasil derrota Uruguai com gols e emoção

26 de junho de 2013 15

O Uruguai não tremeu, como sempre. Jogou com três atacantes, esbanjou sua histórica garra charrua e só não obteve melhor resultado porque o goleiro Julio Cesar, aposta exclusiva de Felipão, defendeu um pênalti quando o jogo ainda estava empatado. Todos estes méritos uruguaios valorizaram extremamente a vitória brasileira. A torcida mineira entrou em campo e suou a camiseta junto com o time brasileiro. Faltou ao Brasil a individualidade que desequilibra mas sobrou esforço coletivo. Não foi uma atuação brilhante mas o jogo entrou para a galeria dos confrontos inesquecíveis já disputados entre brasileiros e uruguaios. O Brasil está na final, com muita emoção.

Paulinho foi o jogador mais decisivo da partida. É um volante como há muito tempo não se via na Seleção Brasileira. Ele foi o destaque positivo do time brasileiro ao lado de Julio Cesar, escolhido pela Fifa o craque do jogo. Menos brilhantes foram os dois zagueiros, Hulk, Oscar e os baderneiros que enfearam a tarde no lado de fora do Mineirão.

Bookmark and Share

Werley deve falar menos e jogar mais

26 de junho de 2013 53

Werley declarou estar chateado com as notícias de que está prejudicada a relação de jogadores do Grêmio com Vanderlei Luxemburgo. Ora, palavras pouco ou nada significam. Para demonstrar que tudo está em paz no vestiário, basta ao time correr, dedicar máximo esforço, jogar pelo treinador. Os últimos jogos do Grêmio mostraram alguns jogadores arrastando a bunda em visível demonstração de falta de comprometimento. Mudem a atitude.

A declaração de Werley vale tanto quanto a garantia dada pelo presidente do Inter, Giovanni Luigi, de que Fred não seria vendido. Qualquer pessoa minimamente informada sabe que certas manifestações só são politicamente corretas embora divorciadas da realidade. As pessoas não garantem o que lhes foge do controle por gosto pela mentira, mas por necessidade do momento. Só não sabe quem é afetado pelo fanatismo. Para Werley, cabe-lhe um conselho antigo: é mais produtivo falar menos e jogar mais.

Bookmark and Share

Um tsunami ronda o Brasil

26 de junho de 2013 26

Os primeiros sinais do cataclismo poderão ser sentidos hoje à tarde. Belo Horizonte apresenta-se como um campo de batalha que, provavelmente, não será contido pela segurança da cidade. A Fifa estará atenta aos acontecimentos programados e, mesmo que a entidade mundial negue, é impossível que não passe pela cabeça dos seus dirigentes a possibilidade de tirar a Copa do Mundo do Brasil, ano que vem.

O jogo desta tarde e as decisões de sábado e domingo poderão deflagrar a discussão da Fifa com o governo brasileiro: haverá garantia de segurança para o grande evento de 2014? Se a ação de vândalos e depredadores (pequena minoria?) não for contida nestes três dias, quem garantirá que os fatos não se repetirão ano que vem? Com muito mais intensidade?

Este blogueiro sempre se posicionou contra a realização da Copa no Brasil. Porém, agora que a estruturação do evento já consumiu mais de R$ 25 bilhões, restou-nos a obrigação de retirar da competição o maior lucro possível. É possível, até provável, que as atuais manifestações de rua já estejam afugentando turistas que viriam ao Brasil em 2014.

Muito pior, entretanto, seria a transferência desta Copa do Mundo para outro país. O Brasil levaria um século para recuperar-se dos prejuízos. E, não duvidem que a insegurança não motive decisões radicais.

Foi um erro monumental que Lula cometeu levando o Brasil a entrar nesta “roubada”. Mas, ainda mais errado seria perder a Copa do Mundo e distribuir entre os brasileiros a conta pela bobagem induzida pela megalomania de um ex-presidente cuja voz está calada. Não duvidem, um tsunami ronda o Brasil.

Bookmark and Share

Roubo festivo

25 de junho de 2013 7

Os espanhóis ainda lamentam o hipotético roubo que teria aliviado alguns jogadores em um mil euros. O fato teria ocorrido no hotel onde a seleção espanhola estava concentrada.

Passados alguns dias do ocorrido, sabe-se agora que a boleirada espanhola se esbaldou na piscina do hotel na companhia de generosas mulheres e entre doses cavalares de caipirinhas. Depois, ainda desfrutando as deliciosas companhias, terminaram a festa nos apartamentos.

No dia seguinte, denunciaram o hipotético roubo. Bem que o rei Juan Carlos poderia repetir para os seus jogadores o conselho que deu ao falecido presidente da Venezuela: porque non se callan?

Quanto à festança dos jogadores com o mulherio, Juan Carlos não poderia reclamar. Segundo o biógrafo Andrew Morton, o rei da Espanha já teria ficado com 1500 mulheres. Após sua morte será conhecido como “Juan, o insaciável”.

Bookmark and Share

Inter desafia a Segundona

25 de junho de 2013 49

Quase fui linchado por colorados por ter cometido o atrevimento de dizer que o Inter, se não tratasse de reforçar o seu time, acabaria sendo ameaçado pelo rebaixamento.

Não afirmei que cairia mas, sim, que sofreria a pressão da queda. Pois bem, o Inter não reforçou o time — apenas contratou Jorge Henrique para a posição que já tem um titular, Forlán — e já vendeu Rodrigo Moledo, Fred e, possivelmente, Fabrício. Sem contar que Leandro Damião é candidato a ser vendido.

Julio Baptista é um reforço cuja contratação não se realiza e Adriano, após muitos dias de conversa fiada, foi descartado. O Internacional, sem dúvida alguma, está desafiando a segunda divisão.

Não reforça o time que é limitado e ainda o enfraquece. Os colorados estão afundando sem encontrar um galho para se agarrar. É fácil ver que o barco vermelho ameaça submergir. Só a direção do clube não enxerga.

Bookmark and Share

No Inter, sobra dinheiro para contratar

24 de junho de 2013 46

Não é exagero, tampouco brincadeira. O Inter, repentinamente, forrou os seus cofres de dinheiro e nada impede Giovanni Luigi de reforçar o time e inverter as tendências para o segundo semestre.

Já engordaram o saldo bancário do Inter cerca de R$ 40 milhões mas é possível que entrem mais uns R$ 30 milhões caso se confirme a venda de Leandro Damião. Se esta perspectiva se realizar, o Inter poderá dispor, no mínimo, de 15 milhões de euros para reforçar o time.

Sobraria dinheiro suficiente para colocar o caixa em dia e tocar a vida em frente. Os melhores times formados no Beira-Rio nesta década de sucessos sucederam vendas de jogadores importantes.

Estes recursos serviram, sempre, para equilibrar as finanças do clube e qualificar a equipe. São reais as possibilidades de que a história se repita.

Com dinheiro se faz time, com time se ganha títulos e com conquistas se aumenta a arrecadação. Este é o círculo virtuoso do futebol que o Inter persegue e talvez esteja prestes a alcançar, novamente.

Bookmark and Share

Assis se dá mal com Luigi

23 de junho de 2013 30

Por mais que se lamente a saída de um jogador de 20 anos, a venda de Fred era inevitável. O Inter poderia, até, negar-se a negociar o garoto mas que força e direito teria para privar Fred de realizar-se, financeiramente, ainda tão jovem? Só existe uma saída aos clubes de países emergentes: valorizar tanto quanto for possível o seu produto. O Inter obteve 15 milhões de euros por um jogador que ainda é uma promessa. Se era imperioso vender que fosse por bom preço.

Não há quem ignore que Assis é um negociador implacável. Mas, desta vez Assis bateu de frente com alguém ainda mais duro de negociar do que ele tem sido. Giovanni Luigi só aceitou vender Fred depois que Assis concordou em repassar 15% da sua parte no “passe” para o clube. Assim, o empresário ficou com 30% dos 15 milhões de dólares cabendo ao Inter 70%, mais de R$ 31 milhões. Assis, só para lembrar, era dono de 45% do “passe”.

Bookmark and Share

Falta memória às manifestações

20 de junho de 2013 120

Não identifico uma única reivindicação das manifestações de rua que mereçam contestação. Todas as postulações populares são justas e oportunas. Questiono, apenas, a imprevidência das lideranças dos movimentos que deixaram para protestar contra as Copas no Brasil quando já era tarde demais, embora muitos jornalistas brasileiros tivessem alertado, desde quando o Brasil se candidatava à sede destes eventos esportivos, sobre a roubalheira que estava por vir e a inconveniência de investir bilhões na organização dos torneios quando brasileiros continuavam morrendo por falta de leitos e atendimento nos hospitais, entre outras chagas que enfeiam a realidade brasileira.

Porém, seria possível relevar o cochilo da sociedade brasileira se, pelo menos, não fossem ignorados os nomes daqueles que causaram o desperdício das verbas públicas, produziram colossal corrupção, levaram o país a um estado de insegurança generalizada e abastardaram a educação com salários de fome para os professores que ainda lutam pela educação das crianças brasileiras em escolas precárias, sem estrutura adequada e condições de insuportável miserabilidade.

Por que não apontam o dedo para Lula que encaminhou a gastança nas obras das Copas para satisfazer o seu desmedido ego? Por que falam em corrupção e não citam o mensalão e seus protagonistas, um abominável mau exemplo que chocou o mundo? Assim como estas mazelas, também outras como a saúde enferma da população, a educação pisoteada e a insegurança das ruas permanecem sem causadores nos gritos do povo cansado e inconformado.

As manifestações estão cheias de verdades, mas a falta de memória quando se trata de apontar culpados macula as boas intenções dos movimentos. É prova de cidadania levar o povo ao protesto público, mas esconder a origem dos fatos tem cheiro de manipulação. Quem são os pais da criança?

Bookmark and Share

Luxemburgo repete os erros que fez no Atlético

19 de junho de 2013 32

Este blog informou, nesta terça-feira, que Vanderlei Luxemburgo está com os dias contados no Grêmio. Causa: perda de controle no vestiário. Os principais jogadores gremistas afastaram-se do treinador por diversas razões. Em tudo, a passagem de Luxemburgo pelo Grêmio repete o seu tempo de Atlético Mineiro.

Em setembro de 2010, já vazara para a opinião pública mineira que o treinador estava divorciado dos seus jogadores. Estes comentavam em tom baixo que o treinador estava decadente. Quando o Atlético foi goleado pelo Fluminense, 5 a 1, a direção do clube não conseguiu mais segurar a peteca e fez o que vinha adiando há algumas semanas: demitiu Luxemburgo. Como acontece no Grêmio, a multa pela rescisão era alta, mais de R$ 14 milhões.

Uma das críticas mais fortes ao trabalho do treinador era a de que ele deveria focar mais o seu trabalho, preocupando-se menos com outras atividades. Neste momento, entre outras empreitadas do Luxa, está a de vender vinhos.

Vanderlei Luxemburgo deixou o Atlético admitindo que deveria rever alguns conceitos. A repetição da sua história no clube mineiro indica que a revisão não aconteceu. Agora, deixar o Grêmio passou a ser uma questão de tempo.

Bookmark and Share

A proposta por Fred é irrecusável

18 de junho de 2013 12

A informação foi prestada por Roberto Assis Moreira, procurador de Fred e co-proprietário de 45% do “passe” do jogador: o Shakhtar Donetsk da Ucrânia teria aumentado a oferta pelo garoto e estaria disposto a pagar, aproximadamente, 15 milhões de euros.

Sinceramente, é difícil acreditar que o clube ucraniano tenha aumentado em 60% a sua oferta inicial, apresentada há duas semanas. Além disso, por que a informação fala em “aproximadamente” 15 milhões? O que significa “aproximadamente 15 milhões”? Serão 14 milhões, 13,5 milhões ou 12 milhões? Seja como for, se a oferta é mesmo de 15 milhões de euros, o Inter não terá condições de manter Fred no Beira-Rio.

Imagine-se qual será a proposta para o jogador. Será, no mínimo, de “virar” cabeça de alfinete.

Bookmark and Share

Reina o caos no vestiário gremista

18 de junho de 2013 57

Decida, caro torcenauta: quando o jornalista recebe uma informação e a sua fonte não deseja ser identificada, o que ele deve fazer: ignorar a informação ou transmiti-la sem nominar de quem veio? O blogueiro responde: a informação tem a importância da fonte. Se esta for bastante confiável, é recomendável que o fato seja levado ao conhecimento público.

Não sem antes, claro, buscar com outras fontes a confirmação do que foi informado. Esta decisão, quando possível, será sempre preferível a esconder a notícia. Este preâmbulo todo se justifica porque o blog recebeu a informação de importante dirigente gremista que o vestiário do Grêmio está sem comando. Vanderlei Luxemburgo ‘queimou o seu filme” com a maioria dos jogadores e a sua demissão é só uma questão de tempo.

O informante do blog garante que o presidente Fábio Koff já foi convencido de que a substituição do treinador é imprescindível, tenha a multa rescisória o tamanho que tiver. Outras pessoas que desfrutam a intimidade do poder no Grêmio confirmam a informação. Recomendação aos torcedores mais exaltados: aguardem mais alguns dias para ver e ouvir a informação confirmada. Algumas semanas atrás, este blog informou que jogadores importantes e Vanderlei Luxemburgo estavam em rota de colisão. O processo continuou andando. O desfecho está próximo.

Bookmark and Share

Protestos: deixar que as minorias depredem?

17 de junho de 2013 33

As mídias sociais ainda mudarão o mundo, se para melhor ou pior, não sei. Estou certo, contudo, que estas ferramentas de comunicação transformaram-se em armas poderosíssimas constituindo-se em voz para a esmagadora maioria das populações que não tem espaços para se manifestar.

Assim, o Twiter foi importante para a primeira eleição de Barack Obama e o Facebook movimenta milhões de árabes contra ditaduras de intermináveis temporadas.

O Brasil está descobrindo que as mídias sociais podem render muito mais do que espalhar mensagens tolas e inexpressivas do tipo “acabei de comer um hambúrguer de atum: irresistível”. Está sendo graças ao Facebook que multidões estão sendo levadas às ruas para protestar contra tudo.

Não é ruim, pelo contrário, é democrático que a sociedade reclame e reivindique melhores condições de vida.

Inaceitável, entretanto, é que aos justos protestos por melhorias sociais caminhem juntos vândalos, depredadores e provocadores. “Eles são minoria”, argumentam os líderes das manifestações.

Pura verdade, mas devem as forças policiais permitir que estas minorias quebrem e ateiem fogo em tudo o que encontram pela frente? Ignoro maneira eficaz de “peneirar” os movimentos sociais, separando o joio do trigo.

Tenho convicção, entretanto, que as minorias baderneiras comprometem a maioria idealista e, pior, dividem com ela as balas de borracha e os efeitos das bombas morais. É como se diz há séculos: são os justos pagando pelos pecadores.

Bookmark and Share

A pressão de Dunga por Adriano

17 de junho de 2013 26

Por mais que Adriano tenha decepcionado pessoas que lhe ofereceram novas chances, as opiniões de colorados se dividem em contratar ou não o centroavante. Entre os que querem, Dunga é o mais notável. O treinador do Inter tem aproveitado todas as oportunidades em que tem um microfone à frente para reiterar que ele e Paulo Paixão poderão, sim, recuperar Adriano.

Giovanni Luigi, especula-se, não estaria disposto a correr o risco de contratar Adriano e vê-lo repetir o que já fez no Corinthians e no Flamengo. Mas Dunga quer ter Adriano no seu elenco e não poupa pressão para ser atendido pelo Inter. Como o Inter não conseguirá contratar um atacante consagrado e jovem, é provável que em futuro próximo a torcida colorada cobre da direção a negativa em contratar Adriano.

Uma atitude de Luigi atenderia ao pedido de Dunga e preservaria os dirigentes em caso de fracasso na empreitada: o presidente do Inter deixa claro, publicamente, que atende o desejo de Dunga mesmo que não partilhe do que pensa o treinador. Repasse a responsabilidade para Dunga.

Se Adriano fracassar, a responsabilidade será do treinador. Mas, se Adriano vencer o desafio, também serão de Dunga os méritos pela contratação do centroavante. É uma decisão que o Rei Salomão tomaria.

Bookmark and Share