Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Treinadores se comportam como donos dos clubes

20 de julho de 2014 15

A falta de dirigentes competentes produziu uma deformação hierárquica nos clubes: os treinadores, meros funcionários, passaram a se comportar como donos das instituições. Fazem o que bem entendem, não gostam de prestar contas e declaram-se ofendidos quando são cobrados. Recebem altos salários mas no interior dos vestiários praticam verdadeiras ações entre amigos. O torcedor esbugalha os olhos diante de certas escalações e não sabe que estas escolhas se escudam no “bruxismo” que infesta os vestiários e atraem derrotas.
Renovação
Os clubes investem nas suas categorias de base mas muitos treinadores desprezam garotos promissores preferindo jogadores maduros quando não veteranos em fim de carreira. Quando um garoto é escalado, também é o primeiro a ser substituído se alguma coisa não dá certo. Treinadores com estas preferências embaraçam as renovações dos elencos enquanto condenam os times a sofrer carregando veteranos.

Bookmark and Share

Comentários (15)

  • paulo de lima diz: 20 de julho de 2014

    Caro Wianey,
    Só faltou dizer Inter e Abel. Todo mundo vê isso e todo mundo sabia que isso ia acontecer quando contrataram o Abel. O incompetente do Luigi (no fim de ano nos livramos dele) fez e faz:
    - Expliquem os laterais direitos que forma contratados? Tem uns 10 no interiro melhor que eles e ganhando 10 vezes menos;
    - Expliquem Jorge Henrique;
    - Expliquem a renovação com Juan e Indio. Acham que o dinheiro da torcida é capim;
    - Expliquem William e aquele morto que venho do SP (de tão ruim esqueci o nome);
    - Olhem a Alemanha, times europeus e copiem, só isso.
    - me expliquem Valdívia fora e Winck fora.
    - Desse jeito nem com reeitas de 1 bilhão vamos ganhar alguma coisa. Lembrem-se de 2010, quando após o fiasco do Mazembe, 1/2 time tinha que tersido mandado embora e começado uma renovação. o que fizemos? Colocamos os últimos 4 anos fora.

  • fora Enderson diz: 20 de julho de 2014

    Leia-se ENDERSON

  • Fabio diz: 20 de julho de 2014

    Faltou dizer que quando investem em treinadores novos e em início de carreira, esses se deixam comandar pelo vestiário, onde um medalhão escala os amigos.

  • NEIMAR diz: 20 de julho de 2014

    Wianey, para ter um exemplo disso tudo, o grêmio para mim a direção e treinador são exatamente o que falaste, insistem num atacante que não produz a tempo e colocam jogar, ainda dão a braçadeira de capitão, quer dizer qualquer que entra no lugar joga melhor, sem contar o super salário que ganha. Mandar embora é a opção há tempo, tiveram 40 dias para organizar o time com novos reforços, mas que parece voltou pior que antes, inclusive contra o Figueirense jogando com um a mais não tiveram competência de ampliar, ou seja, está muito abaixo do esperado, não existe mais pegada, raça, comprometimento em vestir a tricolor. É triste e lamentável porque, empatar em casa é suicidio, quantos jogos fáceis foram quatro ou cinco deixaamos de ganhar. 10 pontos a menos os quais farão diferença no final. Tem que melhorar urgente, se não troca treinador de novo assim não pode continuar, Barcos deverá ficar no banco sem condições de jogo. Pede demissão Barcos ao menos sai de cabeça erguida porque seu futebol já foi. abraço.

  • Rezende diz: 20 de julho de 2014

    A quem te referes? Em que clube? Nós ainda não percebemos nada!

  • julio Temtudo diz: 20 de julho de 2014

    Tá dado o recado Abel.

  • VITOR HUGO RINTER diz: 20 de julho de 2014

    Falou tudo, Wianey! Sempre achei uma aberração o poder incontestável dos treinadores na maioria dos clubes brasileiros. Culpa dos clubes, evidentemente. Mandam e desmandam. Um absurdo. Em qualquer grande empresa brasileira, altos executivos cumprem suas funções obedecendo fielmente as normas estabelecidas para suas funções. Quem não as cumpre, normalmente é convidado a retirar-se. Aliás, duas coisas sempre me indignaram no Grêmio, cito-o por ser gremista e ter sido sócio há muitos anos: o poder absoluto dos técnicos e das torcidas organizadas, que além de tudo, ainda são financiadas com o dinheiro do clube.

  • Bernardo diz: 20 de julho de 2014

    Wianey,
    Gostaria muito de te elogiar pelo brilhante comentario,que expressa exatamente o que eu e a maioria esmagadora de amigos colorados que possuo pensamos.
    Jovens promissores como Valdivia e Leandro raramente tem chances,enquanto jogadores veteranos,que ja demonstraram nada mais agregar e nem contribuir para o futuro do clube, continuam prestigiados.
    Abs
    Bernardo

  • Fabio diz: 20 de julho de 2014

    O Brasil é um país extremamente azarado. Aqui, quem faz alguma coisa são os incompetentes, os burros, os arrogantes, os corruptos. E o pior é que o Brasil tem pessoas capazes, portadores de todas as virtudes e de todas as respostas. Mas, por um azar incrível, estes estão todos na imprensa, criticando os que fazem, ao invés de fazerem eles mesmos.

    Na política isso vai começar a mudar, com uma governadora e um senador saídos direto da tela da RBS TV para o Palácio Piratini e o Senado Federal. Quem sabe tu segues o exemplo deles? Afinal ideologicamente vocês três são almas gêmeas.

    Mas, por favor, vai fazer isso em qualquer clube do mundo, MENOS NO MEU!

  • Emerson diz: 20 de julho de 2014

    Tche, acho que tem que escalar os melhores e quem estiver jogando mais, independente de estar no final de carreira, ser prata da casa, jovem ou velho.
    Quando ao bruxismo isso existe em todas as profissões, em todas as instituições. As vezes por confiança, gratidão ou serviços prestados muitos profissionais são preferidos em detrimento de outros mais competentes. Na própria imprensa e assim. Há narradores, reporteres e comentaristas que o público não entendem como estão no mercado.

  • Dorian R. Bueno diz: 21 de julho de 2014

    PROTAGONISTAS DA IMPRENSA.
    Agora tudo é PADRÃO BRASILEIRÃO MEUS IRMÃOS !!!
    Seja nas ruas, nos estádios, motel, bares, ruas, praças, etc.
    Mas sem os protagonistas da imprensa não teríamos as informações.
    Quando estamos em casa aguardando o início do jogo do nosso time do coração, não imaginemos durante o pré-jogo, que teve uma grande equipe de logística que carregou caminhões com equipamentos, motoristas que dirigiram por este rio grande a fora em estradas perigosas, um batalhão de gente que chegou bem antes para instalar cabos e equipamentos a fim de garantir o sinal de transmissão dos jogos.
    Depois chegam os cinegrafistas, câmeras, fotógrafos, operadores da técnica, gruas e demais produtores.
    Sem este time todo não teríamos o que ver e escutar.
    É este elenco de bastidor que carrega o resto do time.
    O que seriam dos repórteres, comentaristas e narradores sem esta equipe toda?
    A função deles é tão importante que seria legal antes de qualquer jornada esportiva, agradecer antecipadamente a equipe da retaguarda que não colhe as glórias e nem as críticas por não estar na frente do vídeo, com microfone da rádio ou na coluna de um jornal.
    Cada um na sua função e DEUS por todos, mas um pouquinho mais de humildade é gol de placa.
    Quando a equipe titular assume seus lugares escutamos teses sobre esquemas táticos, a equipe ideal que levariam todos os times a serem verdadeiros campeões nos bastidores.
    As teses que os titulares de plantão defendem, sejam elas verdadeiras ou utópicas através dos microfones, blogs ou jornal, nos faz sempre refletir muito antes de acreditar.
    Ainda bem que vivemos num país democrático, onde o povo tem olhos, ouvidos e bocas para expressar os vossos sentimentos.
    Será que um dia nós teremos alguém da imprensa no comando a CBF?
    Será que um dia teremos algum treinador vindo da imprensa?
    Será que todos estes analistas que ficam atrás das câmaras dizendo como os times deveriam jogar, teriam a capacidade de estar lá na beira do campo enfrentando na prática suas teorias?
    Será que aquela mesa mágica de analise tática, na prática funcionaria no campo de jogo?
    Será que com toda esta experiência de protagonistas, o time da imprensa poderia dar certo nos clubes e nossa seleção?
    Não sou dono da verdade, mas penso que são todos apenas especialistas com microfone na mão, com muitas teorias, soluções para os clubes vencerem e deixar a torcida mais feliz.
    Seria maravilhoso se o jogador tivesse um CHIP conectado a esta mesa para desempenhar com maior lucidez e êxito todas as instruções.
    Tenho assistido muito e até virou moda quem sabe um novo mercado de trabalho, ex- jogadores, ex-arbitros, sendo muito valorizados dando pitacos, como o se povo fosse burro.
    Ainda bem que eles provavelmente tiveram humildade para perdoar os novos colegas de trabalho, que um dia no passado detonavam eles no desempenho das suas funções.
    Assim é a vida de PROTAGONISTAS DA IMPRENSA.
    Um dia é a caça, no outro é caçador.
    Abs, Dorian R. Bueno – P.Alegre/RS, 21.07.2014

  • Paulo Castro diz: 21 de julho de 2014

    Este é o perfil do Abel! Conservador, arcaico, superado É um abraso para o Clube, mas os grandes responsáveis são os dirigentes, em especial o presidente e o vice de futebol que são incompetentes que buscaram o Abel! Este ano, não entra nem na libertadores!! É um disperdício de tempo e dinheiro!!!

  • Paulo diz: 21 de julho de 2014

    Com as novas leis do futebol os garotos promissores, os melhores, não chegam a esquentar nas categorias de base e, saem levados por seus empresários a jogarem nas bases de clubes estrangeiros. Nos clubes brasileiros, ficam aqueles que não se destacaram o suficiente na base e, o nosso futebol vai empobrecendo de grandes jogadores. Os que ficam, a maioria não são aproveitado nas equipes principais, os que são aproveitados não tem muita qualidade. Faz tempo que não vemos saindo da base um grande craque, como Ronaldinho Gaúcho por exemplo. Nosso futebol anda carente de craques e os nosso comandantes, a maioria desatualizado.

    Na copa se viu uma Alemanha bem estruturada em todos os sentidos, principalmente taticamente, com grandes jogadores. A Alemanha não tinha nenhum craque, nenhum gênio, mas um grande esquema tático. Com esquemas táticos modernos é possível se fazer um grande time, sem grandes craques, isso foi visível na copa.

    Para inovar é preciso antes de tudo coragem e para que o futebol brasileiro mude é preciso querer mudar, antes de tudo. A mudança, o novo assusta muita gente, mas é preciso acontecer no futebol brasileiro para que no futuro não fiquemos fora de uma copa, seria o maior dos vexames.

  • dinho diz: 21 de julho de 2014

    …até que um dia concordamos em algo!!…perfeita analise!!….agora é só dar nome aos bois!!…e vou ajudar a nomear ao menos um, Sr. ABEL BRAGA, o que ele fez ontem com o pobre garoto argentino LUQUE não se faz nem na varzea, se não apanha!!!…colocar o garoto no lugar do Chileno e logo apos saca-lo em deterimento ao bruxo Alex é pura sacanagem!!…sem contar contar a mala do rafael moura que ontem no minimo perdeu uns tres gols feitos!!!…temos o Ailon…por que não dar uma chance?…aos poucos o torcedor esta cansando do futebol…os tempos são outros…tem grana e muita grana agora envolvida…patrocinador…jogador com 17 anos já esta milionario!…nossa seleção é uma piada mundial…a CBF não tem nem adjetivo para poder usar de tão cretina que é ( Dunga técnico!!! a volta do doente!!)…os clubes seguem o mesmo caminho pois se a cupula é cretina a base que a elege de forma unanime tambem é da mesma estirpe!!…direções amadoras ou velhas ultrapassadas que se baseam apenas em questoes politicas….já perdi faz tempo o tesão em torcer pela seleção…e a merda esse tal de patriotismo por que não cola….saudades mesmo era quando os jogadores tinham um salario fixo e o gordo mesmo era o bixo!!…quando um dirigente entrava no vestiario chutando tudo e mostrava quem dava as ordens!!abraços

  • CARLAO diz: 21 de julho de 2014

    Depois da copa cheguei a conclusão de que todos são incompetentes no futebol. Dirigentes, imprensa, analistas… Dirigentes: A torcida do inter clamou por um zagueiro, passou a copa e nada. Conta o Corinthians foram duas bolas no meio da zaga e dois gols. Contra o mengo não vazou, também….. o mengo existe?? Os ‘profissionais’ não vêem que não temos zagueiro e centroavante Mais um ano a se perder. Não se iludam com a vitória sobre o Mengo. … Antes da copa nenhum jornalista, imprensa, dirigente, falava que o Brasil estava atrás no futebol, que precisava se reinventar, que estava ultrapassado… Depois da copa a imprensa toda, criticou e chegaram a conclusões::: Depois do jogo jogado até eu dou opinião e faço análise. Cadê os analistas profissionais que não detectaram NADA!!!!?????? FALEM…..

Envie seu Comentário