Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 setembro 2011

Bom dono é aquele que impõe limites ao cão

04 de setembro de 2011 0
Por Natasha Oselame Valenti, Conselho de Blogueiros

Na foto, Natasha está com Pipoca e Camomila, dois dos seus sete cachorros.

O que mais me deixa triste é que por mais que a culpa seja do dono, os animais é que normalmente são julgados e culpados. Se os bichinhos latem demais, a culpa é do cão, nunca do dono irresponsável e que não lhe impõe limites. Se o cão faz sujeira na calçada, as pessoas ficam com raiva do cão, não do dono que é mal educado e não recolhe a sujeira. E sempre é assim. Na minha experiência como protetora dos animais, vi muitas injustiças e crueldades cometidas com aqueles que não têm culpa de nada.
Sempre digo, gostar ou não de um animal é um direito de cada um, mas respeitá-los é um dever de todos.
Eu tenho direito de ter quantos animais eu quiser e o meu vizinho tem o dever de me respeitar e vice-versa. Muitas vezes, o que falta é o diálogo. Se as pessoas conversassem mais, muitos conflitos deixariam de tomar proporções maiores.
Por exemplo, pouco se divulga que a convenção de um condomínio não pode proibir a presença de animais. A lei federal é maior e permite, sim, que se tenha bichos em casa!
Ao meu ver, um bom dono é aquele que impõe limites com amor. Seu bichinho precisa disso! Para o bem dele, seu e dos seus vizinhos! Não deixe seu bichinho latir em demasia, recolha a sujeira dele nos passeios e principalmente, não deixe seu mascote solto durante o passeio. É uma irresponsabilidade.
Solto ele pode se assustar por qualquer coisa, ir para a rua e ser atropelado. Também pode fugir, pode se perder e, ainda, pode brigar com outro cãozinho, causando um baita transtorno.
E, de novo, quem vai ser culpado pela briga é o cão, e não o dono! Pode?
E mais uma dica, porque quem ama os animais, também ama a natureza. Recolha a sujeira com uma folha de jornal ao invés do saquinho de plástico que demora centenas de anos para  desmanchar. A natureza e os animais agradecem!”