Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de janeiro 2010

Confira as exposições no Moinhos

31 de janeiro de 2010 0

Natureza VivaA exposição 2010 – Natureza Viva, do artista plástico Gilmar Francisco, na Tortaria Café Brasserie, mostra seu modo de orquestrar cores, formas e detalhes, e busca transparecer o inconformismo _ principalmente com as questões ecológicas. São oito telas pintadas (acima) com tintas acrílicas representadas por paisagens abstratas. Visitação de terça a domingo, a partir das 17h. Informações no site www.tortaria.com.br. Rua Fernando Gomes, 114. Até 28/2.

ReVer – A galeria Arte&Fato comemora, em 2010, seus 25 anos e, para dar início a programação do ano, inaugurou a tradicional mostra ReVer. A exposição traz uma retrospectiva da temporada 2009 reunindo obras de 14 artistas. São pinturas, desenhos, aquarelas e objetos (vidro e cerâmica). Visitação de segunda a sexta, das 14h às 18h. Rua São Manoel, 285. Até 26/2.

Design de moda e joias – O Art Studio, espaço cultural do Moinhos Shopping, abriga a exposição Piero Fornasetti e Mônica Pondé – Formas e Variações, com curadoria de Giselle Padoin Custódio e design da arquiteta Ceres Storchi. A mostra reúne peças originais do designer italiano Piero Fornasetti, um dos nomes mais influentes da decoração do século 20, e da designer de joias brasileira Mônica Pondé. A exposição pode ser visitada de segunda a sábado, das 11h às 21h, no 2º andar do shopping, até o dia 12/2.

Serviços no feriado de Navegantes

30 de janeiro de 2010 0

O Shopping Total informa seu horário de funcionando durante o feriado de Navegantes, nesta terça:

2/2 – Terça-feira
Lojas: abertura opcional, 14h às 20h
Praça de alimentação e lazer: 11h às 22h
Supermercado: 9h às 21h

Todos reclamam do lixo, mas quantos cooperam?

29 de janeiro de 2010 3

Hoje, vamos falar de algumas pessoas que, por ignorância ou por desobediência, insistem que o lixo é para ser colocado na porta do vizinho. É difícil entender: as pessoas dizem que não têm como ficar com “o lixo em sua casa” até a hora da coleta e acham que os outros têm que “engolir” isso.

Dia 23, as 9h30min, na esquina da Rua Garibaldi com a Av. Cristóvão Colombo estava esperando um táxi. Como havia muitas moscas e sujeira fui obrigada a atravessar a rua: era uma mistura de cascas, restos de comidas, ossos, tudo exposto com um líquido, formando uma pasta, na qual os carros, ao passar, jogavam na calçada, nas pessoas e espalhavam ainda mais essa sujeira.

Pela rua, vinha um rapaz com cinco saquinhos de supermercado. Ele atravessou e jogou aqueles sacos no pé da árvore e seguiu normalmente. Como se dissesse: ‘que se lixem os outros, me livrei desta sujeira’. A Avenida Cristovão Colombo, em dias de chuva, recebe toda a água que escorre pelo morro e, normalmente, fica alagada.

Resultado: bocas de lobo entupidas, pois todo o lixo depositado na rua, em sacos pequenos de supermercado, são abertos pelos catadores e os restos ficam na rua, os sacos formam uma massa plástica, entupindo as aberturas e se transformando em um chamariz para ratos, moscas e baratas. Todos reclamam, mas quantos cooperam? Seu lixo tem que ir logo para a rua, pois, em casa, ele pode começar a cheirar mal. É certo ir feder na rua?

Não precisa ser psicóloga para saber que tipo de pessoa é capaz de fazer isso. É o tipo que ‘tira vantagens em tudo’. Não tem respeito pelos outros, por sua rua, por sua cidade e, pior, é incapaz de ser responsável por suas ações. Por que não coloca o lixo em sua porta?

Se for uma pessoa tão ‘limpinha’, por que não entrega na mão do lixeiro. Se for tão responsável, por que não limpa a sujeira que vai ficar na rua? “

Você sabe que rua é esta?

28 de janeiro de 2010 3

Os leitores do caderno ZH Moinhos têm um desafio: descobrir qual é o nome dessa arborizada via que leva a um dos locais mais movimentados da noite porto-alegrense.

Mande seu palpite para o moinhos@zerohora.com.br

As mutações na Avenida Goethe

28 de janeiro de 2010 3

Buscando nos arquivos de ZH, o fotógrafo Arivaldo Chaves encontrou esta imagem da Avenida Goethe nos anos 70, quando ainda não existiam as árvores que hoje embelezam o canteiro central e as laterais da via. Os prédios em construção também revelam o desenvolvimento urbano que mais tarde marcará a avenida.

Repare nesta foto, abaixo, feita na esquina da Rua Mostadeiro, que mostra como as árvores tapam a visão da passarela do Parcão. A abudância verde se torna visível.

Divas do rock no Shopping Total

28 de janeiro de 2010 0

O rock na voz da intérprete Laís Tetour será a trilha sonora da próxima edição do projeto Calçada Cultural que acontecerá neste sábado, às 18h, na Alameda dos Artistas do Shopping Total. O evento tem entrada franca.

Laís homenageia música e cantoras que fizeram história no Brasil e no mundo. Sucessos de Tina Turner, Alanis Morrisette, Cássia Eller (1962-2001) e Rita Lee estão no repertório. A cantora é acompanhada do guitarrista Gabriel Von Brixen.

Calçada Cultural com Laís Tetour
Onde: Alameda dos Artistas do Shopping TOTAL (Av. Cristóvão Colombo, 545)
Quando: 30/01
Hora:
18h
Entrada franca

Hoje, nas bancas

28 de janeiro de 2010 0

ZH Moinhos que chega às bancas de toda a região nesta quinta-feira, você lerá sobre os problemas no asfalto na Rua Tobias da Silva. A via tem duas realidades distintas: enquanto o trecho entre a Félix da Cunha e a Dr. Timóteo está em condições quase perfeitas, o compreendido entre a Dr. Timóteo e a Quintino Bocaiúva é cheio de buracos.

O caderno também vai resgatar a história do bairro na estreia da coluna Em Foco, do fotógrafo Arivaldo Chaves. Ari foi buscar nas profundezas dos arquivos de ZH imagens da década de 70 de uma das avenidas mais movimentadas do Moinhos. Ele também instigará a memória dos leitores com uma enquete “Que rua é essa?”

Entre os personagens em destaque neste número estão o comerciante e recém-empossado delegado da Capital Fernando Guaspari, morador da Padre Chagas, e o irmão Onorino Moresco, que assumiu a direção do Colégio Rosário, neste mês. Na Calçada da Fama, os casais que estão à frente da Associação Leopoldina Juvenil.

Para participar do caderno, com fotos e textos, escreva para moinhos@zerohora.com.br

Você é a favor de música ambiente no Parcão?

27 de janeiro de 2010 1

O Hospital Moinhos de Vento, que adota o Parcão, tem um projeto de colocar música ambiente no local. O tema virou polêmico. Alguns moradores acreditam que o bom mesmo é ouvir o som dos pássaros.

E, você, é a favor da instalação de música ambiente no Parcão?

Vote aqui

Cadê a comunidade do Moinhos?

27 de janeiro de 2010 0

Semana passada fui a reunião para resultado da pesquisa Loucos pelo Moinhos, realizada no Hotel Sheraton. Para minha surpresa, o público presente não representava nem 0,05% da população do bairro.

Os psicólogos da PUCRS Norton Mayer, Andrea Velho e Guilherme Manica, que realizaram a pesquisa, estavam empolgados com a realização da mesma, pois a supervisão feita pela psicóloga comunitária Luciele Nard foi perfeita e muito colaborativa para o bairro Moinhos de Vento.

O presidente da Associação Moinhos de Vento, Raul Agostini, agradeceu aos jovens psicólogos que realizaram a pesquisa e disse que espera que seja muito produtiva para a comunidade. Luciele que supervisionou a pesquisa falou que, aos poucos, terá de ser mudada a cultura do bairro, que é individualista e paternalista.

Um morador se manifestou dizendo que o individualismo dos moradores que vivem “em seus casulos”, prejudica a evolução do bairro no sentido de protegê-lo contra ” a modernidade desenfreada” que está ocorrendo.

Na pesquisa que houve um retorno de 493 pessoas para os 9 mil formulários distribuídos. Há reclamações, mas não apontamentos de recursos que deveriam ser tomados para melhorar seu desenvolvimento ou até mesmo sua proteção.

Ditadura em debate no Moinhos Shopping

26 de janeiro de 2010 0

Enrique Serra Padrós, professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação da UFRGS, o jornalista Luiz Cláudio Cunha e os músicos Claus e Vanessa são as atrações do Café Entrevista, que vai ao ar nessa quarta-feira, dia 27, diretamente do Moinhos Shopping. O programa é apresentado por Fernanda Zaffari, durante as férias de Ruy Carlos Ostermann.

O assunto do programa é a coletânea A Ditadura de Segurança Nacional no Rio Grande do Sul (1964-1985): História e Memória, que será lançada no mesmo dia, às 19h, no Vestíbulo Nobre da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (Praça Marechal Deodoro, 101- Porto Alegre), dentro da programação do Fórum Social Mundial 10 Anos.

Os quatro livros, que reúnem 40 autores e têm prefácio do escritor Luis Fernando Verissimo, abordam o período entre a Campanha da Legalidade e o Golpe de 64, as experiências de repressão e resistência durante os “Anos de Chumbo”, a conexão repressiva, a Operação Condor, o fim da ditadura e o processo de redemocratização.

O lixo de cada dia

26 de janeiro de 2010 3

Entendo bem a indignação das pessoas, que todos os dias, têm que desviar do lixo. Voltam do trabalho, cansados, e são obrigados a passar por calçadas sujas.

Duas coisas estão faltando: fiscalização e falta respeito das autoridades e das pessoas. As autoridades deveriam fiscalizar e multar o infrator. A prefeitura multa e ganha dinheiro, as pessoas aprendem.  Ganha a prefeitura, ganha o povo.

Há um costume de colocar o lixo, a qualquer hora e de qualquer jeito, na rua. Isso aumenta o número de catadores, e tudo o mais que vem com eles. Na verdade é colocar o lixo na porta da casa do vizinho.

Dizem algumas pessoas:
– Mas eles vivem disto. Disto o quê?
– Tirar de uma casa, escolher o que querem e jogar o resto na casa do vizinho?

Transformam algumas ruas em local de reciclagem, jogando o que não querem na rua e levando só o “luxo”. Aí vêm os outros, se aproveitam da situação de abandono, e jogam também seu lixo ali. Como diz a Simone: até quando?

Para as galerias, escolas e condomínios, existem lixeiras com rodinhas, fácil de conduzir até a rua. Coloquem duas em um lugar no condomínio, na escola ou na galeria e lá ficarão depositados os lixo orgânicos, bem compactados e recicláveis, não-amassados  e pronto!

Todos os dias, coloque o lixo compactado, bem junto a sua porta, e os catadores não abrirão, pois notarão que é só sujeira. Esta coleta, geralmente, é a noite. Pela manhã estará tudo limpo, pois não haverá  abertura dos sacos de lixo.

Informe-se dos dias da coleta seletiva do seu bairro. Geralmente são dois dias por semana, pela manhã. Mas, na verdade, todos os dias, também pela manhã, passa  um caminhão, o Leva Tudo. Desloque o carrinho até eles, e eles levam o lixo. Fica tudo limpinho.

Se houver necessidade, telefone para o DMLU, pois eles fazem algumas coletas em condomínios, escolas  e galerias. As pessoas reclamam que tem que embalar, tem que comprar sacos de lixo, tem que cuidar a hora do lixeiro, mas quem faz lixo é responsável por ele. E lembre-se: lugar de lixo é na lixeira.

A alegria contagiante dos bixos da UFRGS

25 de janeiro de 2010 0

Quarta-feira de janeiro e um congestionamento hor-ro-ro-so!

Independência trancada, buzinas e o dia chegando ao fim. O que é, o que não é? Recém havia passado a caravana dos bixos! Alheia as práticas normais desta época do ano, não recordei que algum listão tinha que sair. E foi o tão esperado listão da UFRGS.

Ao chegar mais próximo do Parcão era possível ver um mar de bixos, de todas as cores e pelagens. Muito lindo! Imediatamente saquei o celular, mas foi então que o trânsito resolveu fluir e apenas pude pegar uma pequena “matilha” risonha e feliz. E, como era previsto, alguns chegaram na janela do carro quando viram a máquina fotográfica.

O garoto havia passado para Medicina e pedia dinheiro para um “refri”. Como jamais se pode prever o futuro – vá que ali estivesse meu médico de amanhã –, aconselhei: “Faça geriatria e plástica, por favor!”

Mulheres da minha idade precisam muito dessas especialidades daqui para frente! E ele, transbordando de felicidade, sorriu. Então veio a moça e, para minha surpresa, a felicidade ali era dupla. Ela é mãe, e suas duas filhas passaram na UFRGS. Que felicidade!

Muito bem pessoal: MEUS PARABÉNS! VOCÊS MERECEM! E, por favor, sigam invadindo o Parcão com esse tipo de felicidade e alegria. Ela é contagiante.

Por onde passou o Papai Noel

24 de janeiro de 2010 1

Embora já estejamos em janeiro, não poderia deixar de relatar por onde o Papai Noel Arno Jorge Ditirich passou na noite de Natal.

Segundo conversa rápida, Ditirich me comentou que já havia passado nas ruas Santo Antônio, Independência, Pinheiro Machado e ainda iria para a Silva Jardim. Disse que já recebeu muitas crianças no Shopping Total, assim como em outros locais da região, e continua, sempre, visitando-as em suas casas.

Mas o que achei mais interessante foi o que ele contou sobre a data do nascimento. Ditirich disse que o nascimento de Jesus Cristo tem relação com o solstício de verão. O solstício, considerado o dia mais longo do ano, é um dia de muita luz. E Cristo é um ser iluminado, que tem luz natural, por isso a escolha da data. Por determinação papal, Jesus Cristo passou a ser considerado a Luz do Mundo e o Sol da Justiça.

Que possamos, nesse verão, aproveitar essa luz intensa do Sol, independente das diferentes crenças religiosas, para iluminarmos nossas vidas e vivermos mais leves e mais alegres durante todas as estações do ano.

Parada enferrujada tomba na Dr. Timóteo

23 de janeiro de 2010 0

Vinha descendo pela Dr. Timóteo na terça-feira passada, quando me deparei com a parada de ônibus, entre a Dr. Timóteo e a Cristovão, quase ao chão.

No dia seguinte, voltei ao local, fui obrigada a parar e tirar algumas fotos. Num primeiro momento parecia um ato de vandalismo, mas ao descer do carro e falar com uma senhora que vinha passando, pude constatar, por intermédio dela, de que a mesma se encontrava em péssimas condições.

Acredito que alguém deva ter dado uma mãozinha pra ela ficar naquele estado, porque de qualquer maneira, mais cedo ou mais tarde ela cabaria indo ao chão.

Contraponto

A Empresa Pública de Transporte e Circulaçao (EPTC) informou que o conserto do abrigo da parada de ônibus já foi feito nesta semana. Segundo o gerente de Mobiliário e Sinalização da EPTC, José Luiz Casarate, a reforma nas paradas é efetuada de acordo com a demanda. A maioria dos danos são causados por atos de vandalismo ou acidentes. A população deve informar o órgão pelo telefone 118 sobre danos às paradas.

Sapa aqui, Sapa acolá

22 de janeiro de 2010 10

Não, não é sapo.

A Sociedade Amigos de Porto Alegre (Sapa) foi criada pelo publicitário Jesus Iglesias lá pela década de 70, quando Porto Alegre era ainda mais calma.

Para ser membro bastava acreditar, como Jesus, que não havia melhor lugar no Estado para se veranear do que Porto Alegre. A SAPA não tinha sede e nunca se reuniu formalmente. Quer dizer, seus membros também não precisavam se incomodar com estatutos, atas, eleições de diretoria, etc.

O Jesus, infelizmente, já morreu, e eu felizmente o conheci e trabalhei com ele. Passados mais ou menos 40 anos, a tranquilidade não é a mesma. Várias são as razões: a cidade cresceu bastante e são poucas as pessoas que podem ficar veraneando. Mas, mesmo assim, Porto Alegre nos meses de verão continua uma beleza – exceto o calor sufocante, o caldeirão da bruxa.

Os bares da moda sempre têm lugar, as pessoas tomam sol no Parcão, embora ainda não se possa usar biquíni por lá, e o trânsito flui facilmente em qualquer horário. Alguns membros turbinaram o veraneio e criaram o Porto Verão Alegre. E eu ousaria dizer que o Moinhos poderia criar o Moinhos Verão Alegre, afinal quem fica por aqui acaba migrando para as mesas e calçadas desse bairro.

Festival de verão, Saraus de verão, cinema ao ar livre, cozinha mediterrânea no União, passeios ciclísticos, enfim, são tantas as opções para continuar com essa idéia! Para mim já basta poder atravessar, aos domingos, a 24 de outubro sem olhar para os lados e não ter o T9 freando freneticamente na minha janela.

Tudo isso é bom demais!

Enviado por Simone Guardiola