Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2013

O que eu vejo das minhas janelas

29 de março de 2013 0

Miréia Borges, do Conselho de Blogueiros

Bem, da minha janela vejo coisas inacreditáveis da vida e do comportamento das pessoas, e também acontecimentos lindos. Vejo a sinaleira do cruzamento da Rua 24 de Outubro com a Rua Florêncio Ygartua/ Hilário Ribeiro, onde seguidamente tem grandes engarrafamentos, pois as pessoas não respeitam a sua hora de passar. As pessoas esqueceram da educação no trânsito faz muito tempo.

Também observo pessoas apressadas e outras passeando com cachorros. Há motoristas buzinando desesperados, sem paciência para esperar outro estacionar. Assim que ficam livres, aceleram e param na sinaleira fechada. Geralmente, o motorista do carro que estacionou recebe uma saraivada de ‘ elogios’ impublicáveis, por exercer o direito de estacionar em uma via permitida.

Vejo motoristas estacionando e olhando para todos os lados com medo de assaltos. Há engarrafamentos diários, com buzinas impacientes e desaforos constantes. Os lojistas se aventuram entre os carros e trazem o lixo para o contêiner que fica do meu lado da rua. Vejo muita gente atravessando a via em meio aos carros, desafiando a selva motorizada e se expondo sem necessidade, pois a faixa de pedestres se encontra a poucos metros dali.


A 24 de Outubro também é palco para garotos, que passam voando com seus skates por entre as pessoas, desviando, parando e continuando rua abaixo. A via também é usada por senhoras, que formam rodas para conversar. Uma para, outra chega, e a roda aumenta em pouco tempo. Alguns cuidam da via e molham os canteiros para deixar a poluída Rua 24 de Outubro mais aconchegante.

Da minha janela, vejo um pedaço do Parcão. Parece que, diariamente, às 18h30min, inverno ou verão, o tempo muda e começa a ventar bastante até as 19h45min, depois acalma. Nesse momento eu e meu marido sentamos na varanda com um chimarrão e conversamos sobre o dia.

Quando me dirijo para a varanda dos fundos, a situação muda completamente. O silêncio é impar.

Enxergo o verde das árvores das casas da Rua Luciana de Abreu e ouço pássaros gorjeando.

Nem parece que estou a poucos metros do barulho dos ônibus, lotações, carros e motos.

Essa é a vida, de contrastes, que passa pelas minhas janelas no bairro Moinhos de Vento.

ZH Moinhos nas bancas

27 de março de 2013 1

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, confira reportagem sobre a insegurança no entorno do Shopping Total, com uma entrevista com o capitão Márcio Fernandes, comandante da 4ª companhia do 9º BPM.

O caderno traz também dois textos de leitor-repórter e, na seção Minha Turma, depoimentos sobre os 20 anos do Leonardo da Vinci Alfa.

Publicamos ainda o texto do blogueiro Eduardo Viamonte sobre placas da nova área azul instalada no Parcão, com um contraponto da EPTC, um texto da blogueira Miréia Borges sobre o cotidiano na 24 de Outubro e um convite lançado pela blogueira Úrsula P. Dutra Christini, para enviar fotos de outono.

A ideia da blogueira, aliás, inspirou a nova MissãoZH no Instagram: registrar imagens da nova estação.

Boa leitura!

Encontro da cachorrada no Parcão

22 de março de 2013 0

Por Lu Kolesny, do Conselho de Blogueiros

Quando saio para passear com a minha cadela Xakira nos finais de semana, acabamos encontrando outras pessoas do bairro, que saem pra dar uma volta com seus bichos também. Em uma dessas saídas, conhecemos o Marley e sua dona, Miriam Costa. Como saíamos cedinho, geralmente nos encontrávamos pela rua. Trocamos contatos e combinamos de passear juntos, porque era Carnaval, e a cidade estava muito deserta.

Em uma dessas caminhadas, surgiu a ideia de realizar o encontro da “cachorrada” dos bairros próximos. O local, que estamos divulgando boca a boca, será o anexo do Parcão, do outro lado da passarela, ao lado do Colégio Uruguai, no sábado, às 17h. Estão todos muito empolgados com o evento e alguns já me deram algumas sugestões e reclamações com relação aos pets, as vias públicas e algumas mudanças que achamos necessárias, como a existência de mais lixeiras. Vamos lá, pessoal. Vamos nos encontrar e trocar ideias. Esperamos vocês lá. Em caso de chuva, o evento será transferido para o sábado seguinte (30).

Prevenção é o melhor remédio

20 de março de 2013 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Devemos ser conscientes, temos que prevenir. Os casos de dengue, a cada ano, aumentam e batem a nossa porta. Em uma casa desocupada vizinha ao meu prédio percebe-se água empoçada em uma calha, e, em outra casa, garrafas com a abertura para cima.

Tentei avisar os proprietários, mas não consegui, porque o imóvel está desocupado. Assim, liguei para o Fala Porto Alegre (156) e avisei.

Não podemos nos omitir, pois há lugares aos quais não temos acessos e já são focos, como por exemplo no alto de árvores, em telhados de edifícios, casas com água empoçada internamente.  Eu tento fazer o máximo possível para nos livrarmos desse inseto transmissor, desta peste atual. Vamos lá, pessoal. Se cada um ajudar, acabamos com o mosquito!


ZH Moinhos nas bancas

14 de março de 2013 0

O ZH Moinhos desta semana traz, além da reportagem de capa, sobre a trincheira da Cristóvão, um leitor-repórter sobre bocas de lobo obstruídas na Rua Dona Laura, um Conheça Seu Vizinho com o novo blogueiro do caderno, o estudante Lucas Kolesny de Medeiros, 17 anos, morador da Cristóvão Colombo e duas receitas do Meso Sushi Bar, restaurante da Felipe Neri que oferece almoço executivo e jantar oriental.