Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2014

Ampliação de shopping prevê alargamento da Doutor Timóteo

27 de março de 2014 0

Shopping

Medida sugerida pela EPTC para receber maior fluxo de veículos pode acarretar em corte de árvores

Matheus Beck ➧ matheus.beck@zerohora.com.br

A possibilidade de alargamento da Rua Doutor Timóteo inquieta os moradores do Moinhos de Vento. Isso porque o futuro acesso ao Moinhos Shopping deve causar impacto no trânsito da região, e várias árvores podem ser cortadas para que um trecho da via receba o recuo de ingresso dos veículos.

A medida proposta pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) como compensação à ampliação do empreendimento foi apresentada em uma plenária realizada na última semana no Fórum Regional de Planejamento da Região 1 (RGP1). Na ocasião, a comunidade conheceu as exigências das secretarias e órgãos públicos para que o Estudo de Viabilidade Urbanística seja aprovado.

Como o projeto prevê uma nova entrada e saída de veículos pela Doutor Timóteo, a EPTC exigiu a implementação de uma faixa adicional de aceleração e desaceleração para que a fila de veículos que acessam o prédio não cause congestionamentos. De acordo com a gerente de planejamento da EPTC, Carla Meinecke, a medida segue um cálculo que leva em consideração as 685 novas vagas e o número de cancelas em operação nos horários de maior movimentação:

– Não tem erro. É um cálculo matemático.

Os moradores, entretanto, estão receosos. Muitos acreditam que a alteração não resolverá o problema do trânsito a longo prazo. Isto porque, há poucos meses, foi invertido o sentido da Rua Tobias da Silva sob a alegação de atenuar o tráfego na região, e um novo acesso pela Doutor Timóteo poderia causar engarrafamentos no cruzamento com a 24 de Outubro e demais vias.

O arquiteto e urbanista Alan Furlan, delegado do RPG1, decidiu compilar as dúvidas e encaminhar à prefeitura. A intenção dele é pedir mais informações para saber o que será atenuado e o que será compensado pela construtora.

– Não vemos um aumento das exigências (de contrapartida) na mesma proporção do aumento da interferência no trânsito. Não que a comunidade não queira o empreendimento. É que agora é o momento de contestar. Senão, daqui a pouco vão ter que fazer outra medida para resolver a que não foi bem pensada – diz Furlan.

Plano diretor reserva espaços para possíveis expansões

A gerente da EPTC, porém, assegura que os estudos de impacto de tráfego se baseiam no crescimento da frota de veículos para os próximos cinco a 10 anos. Conforme Carla, a aplicação será fiscalizada de perto pelo órgão. Ela garante que as intervenções viárias estão previstas no plano diretor, que reserva espaços para possíveis expansões ou alargamentos.

– Qualquer tipo de ampliação só é feita onde há previsão de alterações do traçado viário. Não se sai alargando indiscriminadamente. A 24 de Outubro, por exemplo, já tem recuos previstos. Todo o trânsito tem de estar funcionando bem, seja o tempo de semáforo, a segurança dos pedestres ou a fluidez da circulação nos pontos mais críticos – afirma.

Remoção ou transplante dos vegetais depende da autorização da Smam

Carla ressalta que medidas como o alargamento de vias fazem parte de um plano funcional. Embora o estudo de tráfego tenha sido aprovado pela EPTC, elas não são definitivas. O corte de árvores se enquadra nesta situação. Segundo ela, a remoção ou transplante dos vegetais depende da autorização pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Ainda assim, a jornalista e escritora Tania Jamardo Faillace questiona se, mesmo com adequações, as remoções irão respeitar o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA):

– São ruas muito arborizadas, com árvores antigas mas saudáveis, que fazem o orgulho do bairro, e constituem túneis verdes. Qualquer alargamento, mesmo de meio metro, exige corte e remoção de vegetais. Parece uma maneira de poupar investimentos públicos, fazendo-os serem pagos pelos empreendimentos, mesmo à custa de tolerar eventuais inadequações ao PDDUA e ao interesse da população.

Procurado pela reportagem, o Moinhos Shopping informou apenas que o projeto de ampliação “se encontra em fase de tramitação junto ao município, em etapa de aprovação” e que “oportunamente serão divulgadas informações e detalhes”. Estão previstas a ampliação do centro comercial e a construção de sete novos pavimentos – quatro deles no subsolo –, em uma área de 10,5 mil metros quadrados.

Lançamento de livro nesta segunda-feira

24 de março de 2014 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Em 2009, fiz o convite aqui no blog para os leitores assistirem a uma das palestras do Movimento Perfeito com a psicóloga Rosalia Schwark na Amrigs. Hoje, convido a todos, não apenas para a palestra, às 19h30min, mas também para o lançamento de seu livro Seja menos você – O caminho para sua transformação pessoal, às 21h, no mesmo local (Teatro da Amrigs, Av. Ipiranga 5311).

livro-ursula

Tive a honra de organizar o material, transformando o conteúdo de suas apresentações em livro. E faço questão de divulgar o trabalho dessa também moradora do bairro Auxiliadora, por um único motivo: inspirar as pessoas a praticarem o Método do Movimento Perfeito em suas vidas e a se beneficiarem, assim como eu.

Em maio de 2008, por exemplo, quando conheci o Movimento Perfeito, me permiti a ser menos eu e, na época, arrisquei-me na tarefa de ser blogueira do ZH Moinhos, sem julgamentos ou medo por eu não ser da área do jornalismo.  Aprendi a como entrar no fluxo da vida, quando tudo acontece sem esforço e com muita sincronicidade. Realizei um dos meus melhores sonhos em razão da aplicação do método, mais do que uma coincidência, o ZH Moinhos acabou sendo o cupido do meu casamento.

Para quem acompanhou e quem não acompanhou essa história, vale a pena entender um pouco mais sobre o que eu estou falando, conhecendo o Método do Movimento Perfeito. Após o lançamento, o livro Seja menos você – O caminho para sua transformação pessoal - estará disponível no site www.movimentoperfeito.com.br e na Editora Movimento Perfeito, que também fica na nossa região, Av. Cristóvão Colombo, 2830/702, telefone 3062-3864.

Em tempo: a palestra, no estilo Stand Up Comedy, tem o valor simbólico de R$ 10, para cobrir os custos da produção do evento.

Registre as belezas do outono

21 de março de 2014 0

UrsulaParcao
Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

No dia 20 de março, chegou o outono. Mais precisamente, às 13h57min. E, para não perder o costume de fazer posts sobre a troca das estações, movimentar o blog do ZH Moinhos e ainda ativar os leitores que adoram registrar a vida em suas câmeras fotográficas, embutidas em seus celulares ou não, convido os vizinhos e leitores a capturarem a chegada do outono e enviarem para o e-mail moinhos@zerohora.com.br. Vale qualquer imagem da região que nos remeta à essa estação ou à troca dela. Trago a imagem dessas árvores (acima e abaixo) do Parcão, cujos tons de suas folhas, logo me levaram ao calendário e me fizeram perceber a tão rápida chegada do outono de 2014.

Além de mandar fotos por e-mail, você pode, também, compartilhar pelo Facebook de ZH Moinhos, ou ainda, participar pelo Instagram, usando a tag #outonozh, com a hashtag #ZHmoinhos para os registros feitos nos bairros Auxiliadora, Bom Fim, Floresta, Independência, Moinhos de Vento e Rio Branco.

Veja imagens do outono enviadas pelo Instagram de ZH, em http://zhora.co/1l8oEem

Clique aqui para conferir todas as fotos que foram enviadas com a hashtag #ZHmoinhos

UrsulaParcao2

 

Um ano depois, nasce ecoponto

20 de março de 2014 0

Instalação da parte elétrica atrasou a obra, que deve ser concluída em junho, segundo o DMLU

Matheus Beck

Matheus Beck - ➧ matheus.beck@zerohora.com.br

O Ecoponto do Moinhos de Vento, que foi anunciado para junho de 2013, começou a ser construído nesta semana. A previsão do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) é que ele seja concluído no início de
junho, um ano após a projeção inicial.

A unidade, que será construída na capatazia da Rua Câncio Gomes, na Travessa Carmem, junto à seção norte do DMLU, tinha sido adiada para o fim do ano passado. Porém, de acordo com o diretor-geral André Carús, questões envolvendo a concessionária de energia elétrica estendeu o início dos trabalhos no local.

– Houve atraso em função de problemas relativos à instalação da parte elétrica, com trâmite junto à CEEE, que já foram resolvidos – diz Carús.

Apesar da mudança, o valor orçado inicialmente não deve ser alterado. Serão necessários cerca de R$ 46 mil para construir o ecoponto. Além dele, outra unidade, localizada na Avenida Antônio de Carvalho, também está em fase de instalação. Sua construção deve ser concluída em julho.

– Assim, teremos mais alternativas para o descarte de resíduos que não são coletados pelos caminhões de lixo domiciliar e seco, contribuindo para a limpeza da cidade e facilitando e qualificando a vida dos cidadãos – afirma o diretor.

As unidades não recebem qualquer tipo de lixo. Os resíduos permitidos são madeiras, latas com resto de tintas, móveis, colchões, terra, entulhos, caliça, cerâmica, sucatas de ferro, eletrodomésticos e resíduos arbóreos. Em teoria, os materiais deixados em terrenos baldios ou na rua, mas que não podem ser recolhidos pela Coleta Seletiva.

Os ecopontos também não recebem lixo orgânico e não aceitam descartes maiores do que 0,5m³. Haverá ainda um Posto de Entrega de Óleo de Fritura (Peof), para fazer o reaproveitamento do conteúdo, um Posto de Entrega Voluntária (PEV) para materiais destinados à coleta seletiva, e um espaço cercado para receber pneus velhos.

O projeto Destino Certo foi lançado em 2010 com a ideia de padronizar o descarte do lixo e evitar a contaminação de resíduos para a reciclagem. Nesses quatro anos, apenas quatro ecopontos foram inaugurados: na Rua Cruzeiro do Sul, 1.445, na Vila Cruzeiro; na Rua Professor Carvalho de Freitas, 1.012, para atender os bairros Glória e Teresópolis; na Avenida Diário de Notícias, 1.111, no Cristal; e na Avenida Bernardino Silveira de Amorim, 2.261, que atende a Zona Norte. A intenção da prefeitura, incluída no Plano Plurianual (PPA), é construir 17 ecopontos na Capital.