Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Conselho de Blogueiros"

Lançamento de livro nesta segunda-feira

24 de março de 2014 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Em 2009, fiz o convite aqui no blog para os leitores assistirem a uma das palestras do Movimento Perfeito com a psicóloga Rosalia Schwark na Amrigs. Hoje, convido a todos, não apenas para a palestra, às 19h30min, mas também para o lançamento de seu livro Seja menos você – O caminho para sua transformação pessoal, às 21h, no mesmo local (Teatro da Amrigs, Av. Ipiranga 5311).

livro-ursula

Tive a honra de organizar o material, transformando o conteúdo de suas apresentações em livro. E faço questão de divulgar o trabalho dessa também moradora do bairro Auxiliadora, por um único motivo: inspirar as pessoas a praticarem o Método do Movimento Perfeito em suas vidas e a se beneficiarem, assim como eu.

Em maio de 2008, por exemplo, quando conheci o Movimento Perfeito, me permiti a ser menos eu e, na época, arrisquei-me na tarefa de ser blogueira do ZH Moinhos, sem julgamentos ou medo por eu não ser da área do jornalismo.  Aprendi a como entrar no fluxo da vida, quando tudo acontece sem esforço e com muita sincronicidade. Realizei um dos meus melhores sonhos em razão da aplicação do método, mais do que uma coincidência, o ZH Moinhos acabou sendo o cupido do meu casamento.

Para quem acompanhou e quem não acompanhou essa história, vale a pena entender um pouco mais sobre o que eu estou falando, conhecendo o Método do Movimento Perfeito. Após o lançamento, o livro Seja menos você – O caminho para sua transformação pessoal - estará disponível no site www.movimentoperfeito.com.br e na Editora Movimento Perfeito, que também fica na nossa região, Av. Cristóvão Colombo, 2830/702, telefone 3062-3864.

Em tempo: a palestra, no estilo Stand Up Comedy, tem o valor simbólico de R$ 10, para cobrir os custos da produção do evento.

Registre as belezas do outono

21 de março de 2014 0

UrsulaParcao
Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

No dia 20 de março, chegou o outono. Mais precisamente, às 13h57min. E, para não perder o costume de fazer posts sobre a troca das estações, movimentar o blog do ZH Moinhos e ainda ativar os leitores que adoram registrar a vida em suas câmeras fotográficas, embutidas em seus celulares ou não, convido os vizinhos e leitores a capturarem a chegada do outono e enviarem para o e-mail moinhos@zerohora.com.br. Vale qualquer imagem da região que nos remeta à essa estação ou à troca dela. Trago a imagem dessas árvores (acima e abaixo) do Parcão, cujos tons de suas folhas, logo me levaram ao calendário e me fizeram perceber a tão rápida chegada do outono de 2014.

Além de mandar fotos por e-mail, você pode, também, compartilhar pelo Facebook de ZH Moinhos, ou ainda, participar pelo Instagram, usando a tag #outonozh, com a hashtag #ZHmoinhos para os registros feitos nos bairros Auxiliadora, Bom Fim, Floresta, Independência, Moinhos de Vento e Rio Branco.

Veja imagens do outono enviadas pelo Instagram de ZH, em http://zhora.co/1l8oEem

Clique aqui para conferir todas as fotos que foram enviadas com a hashtag #ZHmoinhos

UrsulaParcao2

 

O encanto do Natal

20 de dezembro de 2013 2

Ursula

Por Úrsula Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

O Natal está aí e com ele todo o seu clima. Podemos ver nas lojas, casas, praças e ruas muitos enfeites e luzes para sinalizá-lo. A nossa região, especialmente, já está pronta. Apresentações, concertos, festas nas casas, parques e ruas marcam o clima natalino. Poderia trazer belas fotos desses tantos eventos, mas a que trago é uma tirada no Shopping Moinhos. Não para comemorar o consumismo que, infelizmente, nessa época, acaba fazendo com que muitas pessoas ultrapassem seus limites financeiros. Trago a foto que registrou o primeiro olhar de meu filho, Bernardo, de um ano e três meses, para o Papai Noel “de verdade”. Mais do que o Papai Noel em si, devemos valorizar tudo o que ele representa e traz. No caso, para ele, trouxe aquele olhar vidrado. Um olhar de surpresa, de admiração, de descoberta. Um olhar que faz a pessoa entrar num mundo de fantasia e de alegria. E esse olhar faz parte desse clima natalino, não só para as crianças.
Quando assistimos às apresentações de final de ano, sejam encenações e concertos musicais, sejam os artesanatos e as decorações natalinas ou até aqueles pratos especiais de fim de ano, também pode surgir o nosso olhar vidrado. Um olhar que muitas vezes pode nos colocar em transe. Um olhar que traz sentimentos de leveza, de paz e amor. Um olhar que nos remete à infância ou a outros tantos Natais que marcaram nossa vida. E é esse olhar que quero desejar a todos os leitores, moradores, frequentadores da região do ZH Moinhos. Um olhar vidrado nesse Natal e também para os mais diversos acontecimentos que nos aguardam em 2014.

Conhecendo a Associação Cristã Feminina, na Rua Santo Antônio

28 de novembro de 2013 0

Por Lu Kolesny, do Conselho de Blogueiros

ACM

 

Estive conhecendo a Associação Cristã Feminina (ACF) de Porto Alegre, a convite da senhora Ruth Vieira Ferracini. Fiquei encantada com que vi. Quando passamos pela Rua Santo Antonio, geralmente de carro, ônibus ou lotação, não percebemos o valor que tem aquela casa azulzinha, na subida, entre a Cristóvão e a Independência. Em função disso, vou contar um pouquinho da ACF Porto Alegre.

Esta Associação foi criada em 30 de novembro de 1957, com sede inicial no centro, na Rua Riachuelo. Hoje, a associação funciona na Rua Santo Antonio, 259. Sua atual presidente é a Cristina Palaveo, e a associação está vinculada a organização internacional YWCA, localizada em Genebra, seguindo suas normas e estatutos.

ruth

Atualmente a casa oferece cursos de artesanato, dança de salão, canto, técnica vocal, alemão, espanhol, informática, além de serviços de massagem, reiki, yoga e tai chi chuan. Tem uma boa biblioteca, chamada Ana Terra, inaugurada este ano, sob a coordenação de Ruth (na foto acima). A biblioteca aceita doações de livros, pra compor seu acervo.

A casa oferece também espaços para locações, onde podem ser realizados cursos e palestras. Qualquer pessoa, inclusive do sexo masculino, pode frequentar a associação e não precisa ser necessariamente sócia. As pessoas que compõem a associação em si, como presidente e tesoureira, essas sim, têm de ser do sexo feminino.

ACM2

A casa conta com um pequeno es

 

tacionamento no local, e funciona de segunda a sexta, das 14h às 18h. O telefone de lá é 3028-3111 e e-mail acf.palegre@gmail.com

Todos que trabalham na associação o fazem de forma voluntária. Atualmente, a mesma está carente de colaboradores. Quem tiver interesse, pode entrar em contato com o telefone acima. Deem uma passadinha lá! Garanto que vão gostar da dica!

“Vamos acompanhar a abertura da Pinheiro Machado para avaliar a eficácia”, afirma Vanderlei Cappellari

07 de novembro de 2013 2

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

PINHEIRO 009

No final da semana passada, entrevistei o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, em busca de detalhes a respeito da abertura da Rua Pinheiro Machado, um tema que é polêmico entre moradores dos bairros Independência e Floresta. Questionei, por exemplo, sobre a possibilidade de serem instalados semáforos nas esquina da André Puente e Gonçalo de Carvalho, e se há perspectiva de reversão de alguma mudança prevista ou já realizada. As respostas você confere a seguir, na entrevista feita por e-mail.

> Leia mais sobre a abertura da Rua Pinheiro Machado, marcada para a manhã desta sexta-feira.

logozhmoinhos> Acompanhe notícias da região pelo ZH Moinhos no Facebook


ZH Moinhos – O que representa essa mudança no contexto do trânsito da região? 

Vanderlei Cappellari – Representa maior facilidade para a circulação dos moradores e serviços instalados na região. Atualmente, quem vem do Centro e quer chegar às ruas Gonçalo de Carvalho ou André Puente precisa contornar a Praça Júlio de Castilhos, passando por três semáforos. Com esta nova possibilidade, simplificamos o acesso ao bairro, e aliviamos o cruzamento da Ramiro Barcelos, com a Independência e com a 24 de Outubro.

ZH Moinhos – Como ficará o estacionamento de carros na Independência e na Pinheiro Machado? Há perspectiva de instalação de parquímetros nessa rua e no seu entorno?
Cappellari – Na Avenida Independência, foram removidas, aproximadamente, 20 vagas da Área Azul Eletrônica, e na Rua Pinheiro Machado foi proibido o estacionamento apenas de um lado da rua. A ideia é equilibrar uma melhoria na circulação para o bairro, permitindo o estacionamento onde é possível, pelas próprias características do bairro. Estamos licitando a gestão da Área Azul. Também estamos realizando estudos e, após a abertura da Pinheiro Machado, concluiremos a avaliação de todo o entorno.

ZH Moinhos – Com o aumento do fluxo, o que inevitavelmente ocorrerá na Pinheiro Machado, há planos de colocação de sinaleiras nas esquinas com a André Puente e Gonçalo de Carvalho?
Cappellari – Não foi prevista a instalação de semáforo, porque o volume não é representativo para este equipamento. Mas está sendo implantada sinalização ostensiva nestes cruzamentos, com placas de “pare”, com legendas pintadas no pavimento e linhas de canalização, um reforço de sinalização para melhor entendimento pelos condutores e pedestres. A equipe de engenharia e os agentes estarão monitorando todas as intervenções implantadas, e farão ajustes, se necessário.

ZH Moinhos – Há perspectiva de alguma reversão no conjunto de intervenções que já foram e estão sendo realizadas?
Cappellari – Conforme enfatizamos nas reuniões com a comunidade, vamos acompanhar e monitorar para avaliar a eficácia desta pequena intervenção, e ajustar ou alterar o que for necessário.

ZH Moinhos – Como foi suportar a pressão para que isso não acontecesse?
Cappellari – Em qualquer intervenção viária, sempre temos posições favoráveis e contrárias, e elas variam de acordo com os interesses individuais. Nossa função, enquanto órgão gestor, é propor medidas que melhorem e equilibrem a mobilidade, sempre priorizando a segurança viária e qualificação coletiva da cidade. Tivemos espaço na região para apresentar todos os nossos dados de contagens, de volumes de tráfego, das conexões estratégicas que existem nesta região da cidade, de problemas que estávamos enfrentando (o nó da 24 de Outubro) e um ótimo ambiente para debater, ouvir opiniões e sugestões dos moradores e das empresas instaladas no bairro. Esta troca permitiu a construção de solução mais racional e com informações simultâneas.

Rua Pinheiro Machado será aberta nesta sexta-feira

07 de novembro de 2013 1

 

PINHEIRO 009

Após finalização de obras pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) confirmou para amanhã, a partir das 9h, a abertura da Rua Pinheiro Machado ao trânsito de veículos. A alteração, precedida por asfaltamento e nova sinalização, ocorre com a retirada do passeio junto à Avenida Independência. Na esquina com a Pinheiro Machado, funcionará um semáforo para organizar a conversão à esquerda, para quem segue no sentido Centro/bairro.

mapaPinheiro

A partir desta sexta, a Rua Pinheiro Machado terá sentido único da Independência até a Rua Professor André Puente, e, a partir daí, mão dupla até a Rua Gonçalo de Carvalho. Serão retirados pontos de estacionamento da Área Azul na Independência para a melhor circulação dos veículos.

Todas as alterações serão monitoradas pelos técnicos e

PINHEIRO 005

agentes de fiscalização da EPTC.

— Será realizado acompanhamento para avaliar a eficácia e ajustar ou alterar o que for necessário — afirmou Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC, em entrevista ao blogueiro Paulo Renato Rodrigues (leia a íntegra da entrevista)

De acordo com o órgão de trânsito, a medida objetiva qualificar o tráfego na região, criando uma alternativa de rota em direção à Avenida Cristóvão Colombo, e diminuindo o fluxo de veículos na esquina da Avenida Independência com a Rua Ramiro Barcelos.

O anúncio da abertura, porém, provocou reação contrária de moradores da região em junho deste ano, alegando que a rua perderia suas características, transformando-se em um’ corredor de passagem’. No passado, eles fizeram uma intensa mobilização política, colheram mais de mil assinaturas e evitaram a abertura.

Leia mais:

> A polêmica abertura da Pinheiro Machado

> Enquete no Facebook sobre a mudança de trânsito

Árvore na esquina da Independência é removida pela Smam

27 de outubro de 2013 4

PinheiroANTES4

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Flores amarelas. Esse é o nome da pasta que eu tinha no meu computador para fazer um post para o blog do ZH Moinhos. Criei essa pasta em novembro de 2008, época em que foram tiradas as fotos das flores amarelas. Na realidade, tratava-se de uma bela árvore, com flores amarelas, num antigo casarão da Rua Pinheiro Machado.
PinheiroANTES3

Havia pensado em fazer um post em razão da beleza da árvore, principalmente na primavera. Mas como eu não sabia exatamente o nome da árvore, acabei não escrevendo.Pinheiro3

Infelizmente, as belas flores amarelas não existem mais. A árvore foi podada há pouco mais de um mês e não há mais aquela bela paisagem que tínhamos na primavera. O belo tapete amarelo na Pinheiro Machado quase esquina com a Independência se foi.

logozhmoinhos> Curta o ZH Moinhos no Facebook para acompanhar as notícias da região

Hoje entendo que, apesar de todos os problemas pelos quais passamos, é importante olharmos para as belas paisagens que temos. Valorizarmos a leveza de espírito das pessoas, a poesia da primavera, é uma forma de vivermos melhor. Porque a vida passa muito depressa. E se não conseguirmos enxergar a beleza que temos ao nosso redor, em pouco tempo, ela também não irá mais estar aqui.

O que informou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam)

 – Foi autorizada a remoção  de um guapuruvu, com risco de queda, localizado em área particular. A remoção foi autorizada porque havia risco à vida dos moradores da casa.

Encontro sobre o bairro Independência nesta terça-feira

22 de outubro de 2013 0

Por Marilia Costa Cardoso, do Conselho de Blogueiros

IndependenciaCrédito da foto: Ricardo Duarte

Desde 1º de maio de 2008, moradores do bairro Independência vêm lutando pela preservação da região e, principalmente, da Avenida Independência. Cada casario, cada esquina, cada praça, cada calçada desta avenida conta muito da história de nossa cidade. Por isso, lutamos por sua revitalização e preservação, tanto do patrimônio material como o cultural. Depois de um período de tratativas e trabalhos, finalmente em 2011, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (CMDUA) aprovou o projeto de revitalização.

Este projeto, chamado Passeio Independência, poderá ser levado como exemplo de valorização e respeito por nosso Patrimônio Histórico Cultural a outros bairros e regiões. Cada um, avenida, rua, bairro, região tem sua identidade e o importante é que isso seja preservado.

Não é fácil, pois além de um trabalho constante, existem diversos períodos de altos e baixos. O importante é não desistir. Chegar a essa etapa em que esse projeto chegou já é uma vitória e isso poderá ficar como um marco, um estímulo, um motivo de orgulho. Mesmo que nenhum nome seja mencionado, mesmo que não haja medalhas e homenagens, o importante é que mesmo por um momento, aquilo que tanto pedimos, se concretize: a Independência volte novamente a sorrir.

O projeto Passeio Independência, que será apresentado, é composto por um estudo realizado pela Urbana Arquitetura, onde é colocada a revitalização da paisagem urbana, recuperação de identidades e introdução de práticas sustentáveis e saudáveis á vida na cidade. A agência de inovação social UrbsNova apresentará uma maneira nova de ver a região, introduzindo ideias e eventos para que a Independência resolva seus problemas de maneira criativa. Encerrando a apresentação do projeto, será mostrado um exemplo de revitalização orientada pela Studio 1, onde o proprietário de um casario, entendeu a necessidade de revitalizá-lo, valorizando assim seu imóvel e o bairro. A valorização do bairro é importante para que todos possam viver e conviver bem.

A Independência tem diversos exemplos de trabalho, de força e luta, todos estão dispostos a ajudar, mas existem problemas para serem resolvidos e para tal, são necessárias medidas administrativas, e isso a comunidade não pode fazer. Se o projeto for aprovado, cada um fará sua parte, moradores e prefeitura, e juntos evitaremos que uma parte de nossa história seja esquecida: revitalizando, preservando e recuperando o patrimônio cultural histórico, artístico e paisagístico da Independência.

Nesta terça-feira (22 de outubro), esse trabalho será apresentado ao CMDUA, e se priorizadas as propostas, será constituída Comissão Técnica para a elaboração do anteprojeto executivo. A apresentação será às 18h no prédio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb), Avenida Borges de Medeiros, 2244, com entrada pelos fundos do prédio.

Participe, você é a parte mais importante desse projeto.
> Acompanhe o ZH Moinhos no Facebook

 

Cabos ecológicos na Gonçalo: o fim da novela

16 de setembro de 2013 6

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

Finalmente, um velho problema dos moradores da Rua Gonçalo de Carvalho pode estar sendo resolvido. No último domingo, das 13h30min às 19h, os moradores daquela que é considerada a rua mais bonita do mundo novamente ficaram sem energia elétrica, mas, desta vez, por um bom motivo: a CEEE finalmente providenciou a troca dos cabos ecológicos de alta tensão da rede, inclusive com a colocação de espaçadores losangulares, que constituem a tecnologia mais moderna no ramo.

Arquivo pessoal

Esses cabos são protegidos, possuindo um revestimento mais forte e especial na rede, utilizado onde a arborização entra em conflito com a fiação elétrica, impedindo a queda de energia, além de evitar as podas nas árvores. Os cabos anteriores já estavam bastante desgastados, pois foram instalados de forma inédita como experimento em 1980. Também foi substituída a fiação da baixa tensão para uma rede isolada.

> Curta o ZH Moinhos no Facebook

O tema das constantes faltas de luz nessa rua e a luta dos moradores foi exaustivamente abordado neste caderno e neste blog (como no meu post de junho de 2011), sendo inclusive tema central de reportagem na edição de 17 de julho de 2008. Em outubro de 2009, a associação dos moradores entregou um abaixo assinado para a direção da CEEE, pedindo a solução do problema. Demorou, mas veio. Muito contribuiu para isso, além é claro da mobilização da associação dos moradores, a melhoria na capacidade de investimento da CEEE.

Arquivo pessoal

Mais respeito aos pedestres

16 de setembro de 2013 7

Por Simone Guardiola, do Conselho de Blogueiros

Simone2

Instalar-se comercialmente no bairro Moinhos de Vento requer classe e comprometimento com o nível do bairro. Não é o que vemos nas fotos acima e abaixo.

Não bastasse ter se estabelecido aqui já demarcando sobre a calçada um espaço para estacionamento, agora somos obrigados a conviver com esta poluição visual.

Por favor, procurem outra forma de vender seus produtos e respeitem o pedestre e o bairro em que se estabeleceram. A comunidade agradece.

Somine1

 

CONTRAPONTO

A Divisão de  Fiscalização da SMIC  fez, hoje (30/09),  uma inspeção no estabelecimento  cadastrado como  “Ortobom comércio de colchões”, localizado na Rua  24 de Outubro, nº 900, bairro Moinhos de Vento.  Como havia  produtos sobre o passeio público dificultando a passagem de pedestres, foi emitida  uma notificação de irregularidade  por desrespeito ao “Artigo 18, Inciso IX, da Lei Complementar n.º 12/75.  O responsável pela loja retirou os colchões da calçada. Quanto ao estacionamento de veículos sobre o passeio público, a competência é da EPTC.

Gravação na Auxiliadora

13 de setembro de 2013 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Arquivo pessoal

Hoje pela manhã, grande parte dos estacionamentos estavam com cavaletes e fitas, proibindo assim, o estacionamento de carros na rua. Pensei que teríamos arrumação na rua, ou tubulações do DEP.
Um pouco mais tarde quando passei novamente, na esquina da Rua Doutor Freire Alemão com a Rua Felipe Neri, estava com muitas vans e caminhões de equipamentos de filmagens.
Perguntei a um dos seguranças, e o mesmo me respondeu que era uma filmagem para a RBS TV. Fiquei muito contente, pois pelo que estou percebendo, os entornos do Moinhos de Vento também estão sendo valorizados, e são, cada vez mais, conhecidos por mais gente.

Após pontos do PoaBike, Bom Fim ganhará ciclovia

11 de setembro de 2013 0

Por Matheus Beck

Pelo menos três ruas do Bom Fim terão espaço exclusivo para a circulação de ciclistas até o final do ano. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) negocia com moradores e comerciantes a implantação de 1,7 quilômetro de ciclovia na região. As obras estão previstas para começar em outubro.

> Leia o post do blogueiro João Victor Eltz sobre andar de bike na Vasco da Gama.

> Curta o ZH Moinhos no Facebook

Serão construídas pistas nas ruas Vasco da Gama e Irmão José Otão, entre a Miguel Tostes e a Barros Cassal, em um trecho de 1,1 quilômetro. Elas serão conectadas à Osvaldo Aranha pelas vias General João Telles e Barros Cassal, com cerca de 300 metros em cada uma. As faixas ficarão à esquerda das pistas, no lado oposto a paradas de ônibus, pontos de táxi e contêineres. Pontos de estacionamento serão diminuídos ou retirados para facilitar a passagem dos ciclistas.

trajeto-ciclovia
– Isso tem de ser preservado: gente na rua. Temos de dar qualidade para que as pessoas possam frequentar o comércio do bairro – afirma o gerente de projetos de mobilidade da EPTC, Antônio Vigna.

Ele e a chefe da equipe de cicloviários da EPTC, Lúcia Maciel, explicam que o trajeto acaba na Redenção por ser um local seguro para a circulação de bicicletas. O início a uma quadra da Goethe é atribuído a um “nó técnico”, pois a via é mais estreita nesse local. Uma futura ligação com a avenida deve ser feita pela Cabral.

A falta de comunicação entre os trechos de ciclovia desagrada a urbanista Renee Nycolaas. Holandesa e moradora do Bom Fim, o que lhe preocupa é a falta de continuidade entre as pistas que, se, por um lado, incentivam o uso das bikes, por outro, inibem as pessoas de sair devido à falta de segurança:

– Quem anda nas ciclovias ou continua em uma rua que não está preparada para ciclistas, no meio dos carros, ou para de andar. Tem de ser feito também esse trecho da Goethe, senão, vai gerar mais perigo do que há hoje.

A ciclovia também dará estrutura para o uso das estações de bicicletas de aluguel (confira os pontos em funcionamento na região no mapa abaixo). O trajeto no Bom Fim faz parte da primeira rede prevista no Plano Diretor Cicloviário, que prevê 24 quilômetros de ciclovias na cidade até o fim do ano.

Para saber mais sobre as estações de aluguel de bicicletas e conferir os pontos em toda a cidade, acesso o site do PoaBike.

matheus.beck@zerohora.com.br

Estacoes-aluguel

 

Pedalando pela Vasco da Gama

11 de setembro de 2013 0

Por João Victor Eltz, do Conselho de Blogueiros

Usuário de bicicleta que sou, passei a utilizar diariamente o trecho da Vasco da Gama entre a Mariante e a Garibaldi para facilitar o deslocamento de forma mais rápida e saudável. Na ida, no mesmo sentido dos carros, o estreitamento e alargamento da rua é o grande inimigo _ difícil não estar sujeito a colisões com os veículos. Na volta, fica impossível. Além de ser ilegal andar na contramão, é inconsequente e perigoso. Sendo assim, é comum vermos nas calçadas pedestres e ciclistas disputando espaço.

Dia desses, no cruzamento da Vasco com a Santo Antônio, um motorista freou em cima de mim sobre a faixa de segurança e me atingiu lateralmente. Por sorte, consegui me equilibrar a tempo de não cair da bicicleta. Já sabia e procurei me informar com a EPTC sobre a implantação da ciclovia prevista para o trecho. Contudo, surgiu uma dúvida: por que não ligar a Vasco da Gama desde a Mariante/Goethe, e sim só a partir da Miguel Tostes? É um pequeno trecho a mais que seria importante e favoreceria o pessoal da região. E a ligação entre a Cabral com a São Manoel, é possível?

Essa importante obra qualifica e incentiva o uso da bicicleta na região. O que a prefeitura está esperando, que morra alguém ou que as pessoas desistam do transporte fácil e ecológico? Precisamos com urgência desta obra. A região é plana e liga bairros de grande movimentação cultural e de lazer. O que falta para começarem os trabalhos? E por que ela não está prevista para iniciar na Mariante?

Passeio guiado pelo Floresta

04 de setembro de 2013 3

Por Lu Kolesny, do Conselho de Blogueiros

Participei no final de agosto de uma caminhada pelo bairro Floresta, denominada Expedição Floresta, promovida pela UrbsNova, Agência de Inovação Social, com apoio do Grupo Refloresta e Nós Coworking. Fomos guiados por Jorge Piqué, da UrbsNova. O ponto de encontro foi a Casa da Música, localizada na Rua Gonçalo de Carvalho. Aliás, aqui vai uma das lições que aprendei na atividade: o bairro chama-se floresta, pois era composto de muitas árvores, e os imigrantes iam à região colher lenhas.

Passamos por diversos locais e a cada parada, recebemos uma explicação detalhada sobre o local. Confira os pontos pelos quais passamos:

Gonçalo

– Rua Gonçalo de Carvalho

Shopping Total

– Shopping Total – Fomos recepcionados pela Fernanda Fogliati, supervisora de relacionamento do Shopping Total, junto à Alameda das Artes, onde ela contou algumas curiosidades sobre o estabelecimento. Vocês sabiam que a caldeira original ainda se encontra no prédio central, em frente à Cristóvão Colombo? Há também túneis subterrâneos, que seriam destinados a estocar carvão. Parte desses túneis está sendo reformada para abrigar uma cantina italiana. No prédio do meio, também junto à Cristóvão, funciona em seu último andar, uma empresa Nós Coworking, que oferece local pra conferências, ambiente de trabalho, sala de reuniões além de local para espetáculos, teatro e cursos.

Tanguera2

– Tanguera Estúdio de Danza – Localizada na Rua Comendador Coruja, 380. Houve uma pequena demonstração da dança portenha ao nosso grupo.

Theodor Wiederspahn

– Casa do arquiteto alemão Theodor Wiederspahn – Rua Comendador Coruja, 277. Em 29 de novembro de 1993, a casa foi tombada pela prefeitura de Porto Alegre.

Geyer

– Laboratório Geyer – Localizado na Rua São Carlos com Rua Pelotas, foi fundado em 1929 por médicos gaúchos com o propósito inicial de realizar pesquisas na área médica. O prédio na São Carlos é de 1935.

Santa Terezinha

– Igreja Santa Terezinha – localizada na Ramiro Barcelos, 386. Nasci e me criei em Porto Alegre, mas confesso que nunca tinha entrado nessa igreja. Quem não conhece, tem de conhecer. Foi como um amor à primeira vista. A igreja é linda, divina, maravilhosa. Há dois painéis de Locatelli , um mais lindo que o outro. Seu interior também é lindo. Um lugar abençoado mesmo. Fiquei fascinada com o que vi. Pretendo voltar lá mais vezes pra admirar tanta beleza. O arquiteto Lucas Volpatto guiou a visita e nos falou também sobre um projeto social que deu certo. É o grupo de apoio Acolher, criado para recuperação de usuários de crack e álcool.

Hostel

– Porto Alegre Hostel Boutique – O proprietário Carlos Augusto Alves nos ofereceu água, café, chá e biscoitos caseiros deliciosos, feitos pela cozinheira de lá.

Brechó

– Brechó da São Carlos – Funciona todas as tardes de sábado, entre as Ruas Comendador Azevedo e Gaspar Martins, das 11h às 19h.

– Praça Bartolomeu de Gusmão, também conhecida como Praça Florida – Funciona ali a escola municipal de educação infantil Meu Amiguinho. A praça recebe, às terças, uma feira modelo, com dezesseis bancas, das 15h às 20h.

– Ateliê Strey – Vi ali, em Lucas Strey, um rapaz bem jovem, um grande talento. Me encantei com suas esculturas e com o tamanho pequenino dos materiais com que trabalha. Parabéns, garoto. Tens um belo e talentoso caminho pela frente.

Eu não pude concluir a caminhada, que já estava perto do fim. O grupo depois visitou o projeto Vila Flores, em dois edificíos dos anos 20, do conhecido arquiteto José Lutzenberger, pai do ecologista, o antigo Moinho Germani, dos anos 30, e a antiga Importadora Americana, dos anos 50.

Fica aqui registrada a minha intensão de passear pelo bairro em outras oportunidades, porque só assim ficarei sabendo da história da região que tão bem me acolheu, onde me sinto tão bem, e espero me sentir melhor ainda, à medida em que o mesmo volte a crescer, gerar empregos e rendas, dando oportunidade a outras pessoas de também conhecerem as entranhas da Floresta.

Saiba mais sobre o passeio no site da UrbsNova

Eu e Meu Bairro há um ano

28 de agosto de 2013 0

Texto enviado por Úrsula P. Dutra Christini

Be1ano

Não poderia deixar de registrar as impressões do meu 1° ano de vida no meu bairro, mais propriamente, na minha região.

Há 1 ano, no dia 22 de agosto, eu estava nascendo no Hospital Moinhos de Vento. Ano passado, com a minha chegada, até foi feito um post da história dos meus pais blogueiros e a relação deles com o ZH Moinhos.

Do Moinhos, minha porta de entrada para o Planeta Terra, fui morar com meus pais no bairro Auxiliadora.

Os primeiros passeios no carrinho foram sensacionais. Pegar um solzinho da manhã e dormir no embalo dos paralelepípedos fazia parte da minha rotina. A pracinha da Igreja Auxiliadora mereceu um post no Blog do ZH Moinhos de tanto que acolheu eu e minha mãe nos primeiros seis meses de vida. O Parcão também não ficou de fora dos meus passeios.

No Bom Fim, participei de aulas de música e de ioga para bebês, desde os três meses de idade.

No sétimo mês, fui para uma escolinha a duas quadras da minha casa. Uma creche pequena, acolhedora e familiar, que busca nas brincadeiras a melhor forma de educar. Aulas de informática não estão no currículo. Até os seis anos nós precisamos brincar e, como já somos da era da informática, aprenderemos facilmente todo o manuseio com a tecnologia. Aliás, de tanto ver meus pais no computador, resolvi inspirá-los para este post.

Mas nossa região, por ser no sul do país, tem seus invernos rigorosos. E eu acabei não escapando das violentas gripes que andam por aí, embora tenha me vacinado. Gostaria de ter participado pessoalmente do Café ZH Moinhos que ocorreu exatamente no dia do meu 1° aniversário, mas como estava me recuperando de uma forte gripe tive de ficar em casa. Então, fica aqui o meu registro e a “sugestão de café” para o caderno: o ZH Moinhos poderia ter, além da sessão de “Roteiro” para os adultos, um “Roteirinho” para nós. Afinal, nunca é demais divulgar as atividades culturais infantis que estejam rolando na região.

Enfim, este foi apenas o primeiro ano da minha bela infância que pretendo passar no meu bairro.”

Bernardo Mariano Dutra Christini, filho dos blogueiros Úrsula e Mariano Christini