Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Mariano Christini"

Gravação na Auxiliadora

13 de setembro de 2013 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Arquivo pessoal

Hoje pela manhã, grande parte dos estacionamentos estavam com cavaletes e fitas, proibindo assim, o estacionamento de carros na rua. Pensei que teríamos arrumação na rua, ou tubulações do DEP.
Um pouco mais tarde quando passei novamente, na esquina da Rua Doutor Freire Alemão com a Rua Felipe Neri, estava com muitas vans e caminhões de equipamentos de filmagens.
Perguntei a um dos seguranças, e o mesmo me respondeu que era uma filmagem para a RBS TV. Fiquei muito contente, pois pelo que estou percebendo, os entornos do Moinhos de Vento também estão sendo valorizados, e são, cada vez mais, conhecidos por mais gente.

Eu e Meu Bairro há um ano

28 de agosto de 2013 0

Texto enviado por Úrsula P. Dutra Christini

Be1ano

Não poderia deixar de registrar as impressões do meu 1° ano de vida no meu bairro, mais propriamente, na minha região.

Há 1 ano, no dia 22 de agosto, eu estava nascendo no Hospital Moinhos de Vento. Ano passado, com a minha chegada, até foi feito um post da história dos meus pais blogueiros e a relação deles com o ZH Moinhos.

Do Moinhos, minha porta de entrada para o Planeta Terra, fui morar com meus pais no bairro Auxiliadora.

Os primeiros passeios no carrinho foram sensacionais. Pegar um solzinho da manhã e dormir no embalo dos paralelepípedos fazia parte da minha rotina. A pracinha da Igreja Auxiliadora mereceu um post no Blog do ZH Moinhos de tanto que acolheu eu e minha mãe nos primeiros seis meses de vida. O Parcão também não ficou de fora dos meus passeios.

No Bom Fim, participei de aulas de música e de ioga para bebês, desde os três meses de idade.

No sétimo mês, fui para uma escolinha a duas quadras da minha casa. Uma creche pequena, acolhedora e familiar, que busca nas brincadeiras a melhor forma de educar. Aulas de informática não estão no currículo. Até os seis anos nós precisamos brincar e, como já somos da era da informática, aprenderemos facilmente todo o manuseio com a tecnologia. Aliás, de tanto ver meus pais no computador, resolvi inspirá-los para este post.

Mas nossa região, por ser no sul do país, tem seus invernos rigorosos. E eu acabei não escapando das violentas gripes que andam por aí, embora tenha me vacinado. Gostaria de ter participado pessoalmente do Café ZH Moinhos que ocorreu exatamente no dia do meu 1° aniversário, mas como estava me recuperando de uma forte gripe tive de ficar em casa. Então, fica aqui o meu registro e a “sugestão de café” para o caderno: o ZH Moinhos poderia ter, além da sessão de “Roteiro” para os adultos, um “Roteirinho” para nós. Afinal, nunca é demais divulgar as atividades culturais infantis que estejam rolando na região.

Enfim, este foi apenas o primeiro ano da minha bela infância que pretendo passar no meu bairro.”

Bernardo Mariano Dutra Christini, filho dos blogueiros Úrsula e Mariano Christini

Prevenção é o melhor remédio

20 de março de 2013 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Devemos ser conscientes, temos que prevenir. Os casos de dengue, a cada ano, aumentam e batem a nossa porta. Em uma casa desocupada vizinha ao meu prédio percebe-se água empoçada em uma calha, e, em outra casa, garrafas com a abertura para cima.

Tentei avisar os proprietários, mas não consegui, porque o imóvel está desocupado. Assim, liguei para o Fala Porto Alegre (156) e avisei.

Não podemos nos omitir, pois há lugares aos quais não temos acessos e já são focos, como por exemplo no alto de árvores, em telhados de edifícios, casas com água empoçada internamente.  Eu tento fazer o máximo possível para nos livrarmos desse inseto transmissor, desta peste atual. Vamos lá, pessoal. Se cada um ajudar, acabamos com o mosquito!


Novo morador e futuro blogueiro

29 de agosto de 2012 3

Por Mariano e Úrsula Christini, do Conselho de Blogueiros

Temos a alegria de apresentar o novo morador do bairro Auxiliadora e futuro blogueiro do ZH Moinhos: Bernardo Mariano Dutra Christini. Ele era o capítulo que faltava na nossa “História de amor no bairro”.

Para que vem acompanhando ou não a nossa história, vale relembrar algumas cenas. Falo em cenas, porque na edição do ZH Moinhos de 26 de maio de 2011, a então editora Thais Sardá conseguiu retratar nossa história como se fosse uma comédia romântica com a cena final a ser gravada na Igreja Auxiliadora: o nosso casamento que estava marcado para o dia 28 seguinte.

E nesse romance o ZH Moinhos não foi apenas coadjuvante, mas quase um diretor, pois foi peça fundamental para o enredo. Como Thais relatou “a equipe do ZH Moinhos, sem desconfiar, deu uma mãozinha para o romance”.

Quando nos conhecemos, ao descobrir que o Mariano morava ao lado do Parcão, a Úrsula logo veio com o papo do blog, pois, como blogueira, estava com a missão de encontrar alguém que estivesse fazendo aniversário junto com o Parcão para fazer uma homenagem ao parque por sugestão da redação. O post foi publicado na semana seguinte como “Vizinho do Parcão”, e o comentário deixado pelo Mariano no blog, segundo Thais, já era uma cantada. E assim o blog passou a nos unir cada vez mais. Ele começou a dar sugestões, se tornando quase um pauteiro, na linguagem da redação.

Em seguida, o romance virou namoro, o Mariano entrou para o Conselho de Blogueiros, e a partir de então o ZH Moinhos acabou sendo um verdadeiro diretor da nossa história de amor.

Quando do nosso casamento, além da citada reportagem especial, que foi capa da edição, com a entrevista feita na escadaria da Igreja Auxiliadora, o ZH Moinhos ofereceu exemplares para serem distribuídos na festa de casamento.

E como diretor, importante relembrar que nessa matéria o ZH Moinhos já queria saber sobre nossos planos para o futuro. O Mariano revelou querer “realizar o sonho de levar o filho pela mão, do Moinhos ao Olímpico”, como tantas vezes fez com seu pai.

E o ZH Moinhos, sem deixar passar nenhum momento em branco, nesse ano, ao descobrir, no Café ZH a espera do Bernardo Mariano, já fez seu registro na edição de 7 de junho. E agora, com o nascimento, avisamos a chegada do novo morador, mas já fomos “intimados” pela editora Laura Schenkel a fazer um “post” como ele merece, contando a origem do futuro blogueiro.

Está aí, esse será o futuro blogueiro do ZH Moinhos, que nasceu do amor desses dois blogueiros.

Aliás, seu nascimento foi uma das cenas mais importantes e emocionantes dessa história. Uma cena de filme: fomos para o Hospital Moinhos de Vento, com a hora da internação às 23h02min do dia 21 de agosto. Com o exame de rotina, a médica plantonista viu que o nascimento seria naquela noite e chamou a equipe médica. Foi o tempo da obstetra e do anestesista chegarem ao hospital, mas o anestesista apenas conseguiu dar o apoio moral, pois o futuro blogueiro não quis esperar mais nem um minuto. À 0h34min do dia 22 de agosto ele nasceu, surpreendendo a todos com a velocidade da evolução do trabalho de parto, que, mais do que normal, foi um parto natural, com muita emoção.

Temos a certeza de que ele ainda terá muitas histórias da região para nos contar. E, para ilustrar esse capítulo, trouxemos a foto dele, no próprio hospital, já torcendo pelo Grêmio, só aguardando sua ida com o pai do “Moinhos ao Olímpico”.

Seja bem-vindo, nosso Bernardo, nós te amamos!

Dia dos Namorados no Moinhos de Vento

12 de junho de 2012 0

Por Mariano Christini e Úrsula Dutra Christini, blogueiros

Ter a região do Moinhos de Vento como cenário para namorar ou passar o Dia dos Namorados é sem dúvida uma opção sem erro. Temos de tudo em nosso bairro e cercanias. O Moinhos de Vento é pronto para quem quer morar em um bairro sem precisar sair, principalmente em ocasiões especiais.

Independentemente de ser uma paquera, um namoro ou um casamento de anos, o que vale é a comemoração da data. Vale também para se começar uma história de amor.

Os vários pubs do bairro podem ajudar o início de uma relação — aliás, foi em razão de um desses pubs estar lotado que Mariano, que hoje é meu marido, resolveu se deslocar até a Cidade Baixa, onde acabamos nos conhecendo. Mas é claro que poderíamos ter nos encontrado em qualquer outro pub da região.

Mas, voltando ao Moinhos: a caminhada ao ar livre pelo Parcão, com extensão às ruas e a seu entorno, 24 de Outubro, Mostardeiro, Goethe, sempre fizeram parte do nosso namoro. Desde quando o convite era a oportunidade de se conhecer um pouco mais, com apenas um fone no ouvido, para poder caminhar, conversar e se apaixonar. E dessas caminhadas vêm surgindo muitos posts para o Blog do ZH Moinhos desde 2008.

E, pensando em um dia frio, seco e ensolarado, lembramo-nos do chimarrão nos jardins do Dmae ou do Parcão.

No Dia dos Namorados, que tal almoçar muito bem em qualquer um dos restaurantes da Padre Chagas, ou das ruas em seu entorno ou no shopping? Outras opções que também fazem parte da nossa programação é o buffet do Delícia Natural (Florêncio Ygartua) e na Confraria da Vasco, ou ainda, uma comida mais caseira no Art Cooks (os dois últimos na Vasco da Gama). Mas o restaurante que reservamos para jantares especiais, e que nos atrai pela comida indiana e pelo charme do local, num recanto da Rua Doutor Freire Alemão, é o Sharin.

E o blog do ZH Moinhos que transformou o Vizinho do Parcão em blogueiro e meu marido, continua zelando pela nossa relação, sempre incentivando a sermos cada vez mais observadores do nosso bairro. Observação essa que acende a chama da apreciação. E, geralmente, quando conseguimos apreciar uma bela paisagem da região, por exemplo, acabamos apreciando ainda mais um ao outro.

Ah, já íamos nos esquecendo, outra opção para o Dia dos Namorados, é claro, é à noite, um jantar íntimo à luz de velas, com um bom vinho, pois o que realmente importa é o amor.

Parabéns pela calçada, meu vizinho!

05 de junho de 2012 2

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Por vezes reclamamos das calçadas do nosso bairro, e com muita razão. São pedras soltas, diversos buracos, sem nenhum nivelamento nem padronização…

Outras vezes temos lixos, capim e todo o tipo de sujeira possível.

Mas neste post, quero explanar a minha admiração por um pequeno condomínio, antigo e bem charmoso. Fica na esquina das ruas Dr. Timóteo e Tobias da Silva, próximo ao Moinhos Shopping. É um edifício com três pavimentos, muito bem pintado, com seu pequeno jardim e calçadas impecáveis, toda nova com pedras planas e muito bem colocadas. Deveria servir de exemplo para o bairro, ou melhor, para toda a cidade.

Parabéns pessoal.

Café ZH reúne moradores e representantes de associações de bairro

31 de maio de 2012 0

A equipe dos cadernos de bairros de Zero Hora recebeu das 13h às 19h diversos leitores e blogueiros na Praça de Alimentação do Moinhos Shopping nesta quinta-feira. Moradores e frequentadores dos bairros Auxiliadora, Floresta, Independência, Moinhos de Vento e Rio Branco aproveitaram para passar sugestões de matérias ou foram ao local simplesmente para prestigiar o evento e conhecer ao vivo a equipe do ZH Moinhos. Integrantes dos conselhos de blogueiros do ZH Moinhos e do ZH Bela Vista também interagiram com os colaboradores.

Rossani Thomas, editora do caderno, e Laura Schenkel, repórter do caderno, tiveram um apoio dos colegas Vinicius Vaccaro, Eduardo Rosa, Vanessa Beltrame e Arivaldo Chaves para conseguir dar atenção a todos que foram ao Café ZH.

Estiveram presentes representantes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) e de três associações de bairro: Moinhos Vive, Associação dos Moradores da Auxiliadora (Ama) e Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi).

– Foi uma oportunidade maravilhosa para ficarmos ainda mais a par do que ocorre na região e as preocupações dos moradores – afirma Rossani.

Na foto acima, a blogueira Úrsula P. Dutra Christini confere o caderno ZH Moinhos

Entre os assuntos tratados, falou-se de problemas de barulho à noite na Avenida Independência, sobretudo próximo à Rua Barros Cassal, de novidades sobre a Gonçalo de Carvalho, de reivindicações sobre melhorias no Parque Moinhos de Vento (Parcão), entre outros.

A leitora Luiza Moll foi a última a chegar, pouco antes das 19h, relatando a necessidade de inclusão da Rua Tenente Coronel Fabrício Pilar como área de uso especial, por sua característica de túnel verde. Os leitores passaram ainda sugestões de nomes para as seções O Nome e Conheça Seu Vizinho, restaurantes para a seção Gastronomia e fotos para Mascotes e O Bairro da Minha Janela.

Se você é morador ou frequenta a região e não conseguiu ir ao encontro, pode passar suas sugestões para o caderno ZH Moinhos pelo e-mail moinhos@zerohora.com.br



Contra as placas de ofertas de produtos em postes

04 de abril de 2012 1

Por Mariano Marinho Christini , do Conselho de Blogueiros

É um absurdo, sou totalmente ignorante quanto às leis e regulamentos quanto à autorização para empresas colocarem placas em postes públicos.

Não acredito que tenham, no meu pensamento isso seria proibido, e cada vez estou vendo mais e maiores. Na esquina da Rua Quintino Bocaiúva com a 24 de Outubro, Eudoro Berlink com Bordini entre outras tantas.

Há empresas que estão explorando esses locais. Eu sou totalmente contra essa poluição… Daqui a pouco teremos cinco, dez placas em cada poste, quem sabe trinta fios pendurados como observamos nas comunidades, nas partes mais carentes de cada capital do nosso país.

Na minha humilde opinião, esse tipo de propaganda, por mais vantajoso que seja o negócio é um marketing negativo. Nunca compro e procuro ver qual é o nome da empresa para ainda sim, nunca pensar em utilizá-la.


Moinhos de Vento ou deserto?

15 de dezembro de 2011 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Há mais ou menos duas semanas, os moradores da Rua Coronel Bordini, entre a Rua Marques do Herval e Rua 24 de Outubro, estão enfrentando uma poeirada infernal.

O clube Grêmio Náutico União, sede Moinhos de Vento, está fazendo uma obra em seu antigo estacionamento, um terreno com entrada pela Rua Coronel Bordini, onde diversos caminhões estão retirando terra, que saem caindo por toda a via. Como nosso clima anda seco, percebe-se nos automóveis estacionados e nas residências e principalmente na via um grande acúmulo de pó, que pela passagem dos automóveis na via, levanta uma poeira incrível.

Certamente é prejudicial à saúde de quem trabalha e mora nas redondezas.


O que diz o clube Grêmio Náutico União, por meio de sua assessoria de imprensa:

A poeira em torno da sede Moinhos de Vento tem como causa a remodelação da piscina olímpica de 50mx25m. A obra está no estágio de demolição e escavação – o que explica o trânsito frequente de caminhões nas redondezas. O clima seco e o baixo volume de chuvas, nas últimas semanas, ajudam a poeira a se espalhar. Para amenizar o problema, o Grêmio Náutico União está borrifando água nos arredores e orientando os motoristas dos veículos de carga a dirigirem com cautela. O superintendente administrativo do Clube, Myron Assis Brasil de Moraes, pede desculpas pelo transtorno e estima que até o final do mês essa etapa seja encerrada.

Foto do estágio atual da obra:


DMLU promete solução para lixo acumulado

14 de dezembro de 2011 0

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) fez uma promessa importante para os leitores do ZH Moinhos: de que a partir desta quarta-feira (14), o problema do acúmulo de lixo nas ruas do bairro deve ser minimizado. A previsão é possível em função da troca da prestadora do serviço de coleta do lixo, conforme resposta dada ao blogueiro Mariano Christini. Confira o texto do blogueiro e a resposta do departamento.

Texto do blogueiro Mariano Christini

“Moro na Auxiliadora e hoje pela manhã (13), quando saí da minha rua, vi um grande acúmulo de lixo em frente ao meu edifício, como nos outros.

Fui pela rua 24 de Outubro, até a Coronel Bordini, onde trabalho…. mais lixo!!!

Na hora do meu almoço, fui até a rua Florêncio Ygartua e mais lixo até lá, pela rua 24 de Outubro…

Atendendo um cliente, andando pela Rua Marquês do Pombal…. mais lixo!!!

Além de lixo, vemos muita sujeira, insetos, cheiro ruim…

Acabei de pagar meu IPTU de 2012 com a respectiva taxa de lixo. Ou seja, adiantei para um serviço que ainda não está sendo cumprido. Não sei onde vamos parar. Isso é caso de saúde pública.”

Resposta do DMLU

“O DMLU pede desculpas à população pelos problemas, alheios à sua vontade, ocorridos com a coleta de lixo domiciliar entre os dias 7 e 13 de dezembro. E informa que com a troca da empresa prestadora desse serviço na cidade, a partir do dia 14, tudo voltará à normalidade em alguns dias, inclusive cessando os reflexos pontuais que isso teve em outros serviços, como a varrição e a coleta seletiva.”

Concerto de Natal no Parcão

14 de dezembro de 2011 0

Por Mariano e Úrsula Christini, do Conselho de Blogueiros

Assim como o Natal na Praça Júlio de Castilhos, o Concerto de Natal no Parcão já é uma tradição das comemorações de final de ano na região. Uma verdadeira multidão apreciou esse espetáculo de Natal, no último domingo, no Parque Moinhos de Vento.

Além de terem sido interpretadas músicas de Natal, obras clássicas, como as de Verdi, pelo Coral e a Orquestra Filarmônica da PUCRS, com a regência do maestro Marcio Buzatto, o evento contou com a participação do grupo de Ballet Concerto e Tango Show, com os solistas Marcello Vanucci, Adriana Almeida e Luis Gaeta, e ainda, com o cantor, compositor e violinista Paulinho da Viola.

Ou seja, uma bela noite com os mais variados sons, que, aliás, terminou com outro show de som e luzes: os tradicionais fogos de artifício.

Não conseguimos registrar muitas imagens porque estávamos apenas com o celular, mas a intenção é a mesma: demonstrar o clima de festa, harmonia, e alegria que contagiou os espectadores dessa noite.

Para quem foi e para quem não foi, fica o convite para o próximo concerto: provavelmente na mesma época do ano, dezembro de 2012, e no mesmo “bat” local, nosso querido Parcão.

Nota da redação: Para que todos os leitores possam ter uma ideia do belíssimo espetáculo que ocorreu no Parcão, reproduzimos, aqui, a imagem feita pelo fotógrafo Jean Schwarz, de Zero Hora

Aos avós da região

27 de julho de 2011 2

Por Mariano Christini, Conselho de Blogueiros

É com grande prazer que faço este post do dia dos avós, comemorado em 26 de julho. Eu tive o prazer e a honra de conhecer todos os meus avós. O vô Raimundo, pai de minha mãe, era uma das pessoas mais íntegras que conheci, advogado irrepreensível estilo militar, que ajudou a me criar, convivendo comigo grande parte das manhãs de minha infância no Parcão. Morreu há 12 anos.

O vô Ruy, pai do meu pai, já era uma pessoa mais “malandra”. Comerciante, gostava de futebol, agitação e festas. Convivi pouco com ele, mas lembro de inúmeras passagens. Tinha um grande defeito, era colorado, dos mais chatos. Quando o Inter ganhava os grenais, ele gostava de desdenhar e gozar os gremistas. Quando o Inter perdia, ficava bravo e turrão. Não podia falar com ele. Era uma pessoa sem maldade. Morreu há uns 20 anos.

A vó Marina era uma grande pequena senhora, mãe de meu pai e esposa do vô Ruy. Passou por mal bocados, pulou diversos obstáculos, mas sempre com a maior dignidade. Para ela estava tudo bom, podia ser um pão com água morna. Era tranquila, poderia ter tido o apelido de “Amélia”, pois era a mulher de verdade. Grande matriarca, já falecida também.

E, por fim, a vó Cira, apelido de Cecília, mulher do vô Raimundo, mãe de minha mãe. Essa vou contar, é uma parada. Antigamente, era meio turrona, tinha que tudo ser ao modo dela. Me repreendia quando meus pais saíam e me deixavam com ela e com o vô. Gostava de viajar, e ainda gosta. Suas melhores e mais constantes viagens eram ao Paraguai…. isso faz mais de 20 anos. Hoje, é a verdadeira vovó Naná. Gordinha, cabelo todo branco e com um leve problema auditivo. Escuta somente o que interessa. Hoje, só quer saber de viajar, ir ao cabelereiro, e não pode ver uma vitrina, pois quer comprar tudo. Atualmente, é meio preguiçosa para caminhar na rua, mas, às vezes, quando não está frio, a vemos passeando pela Felipe Camarão, rua em que mora. Em 2 de agosto, faz 88 anos, totalmente lúcida. Adora uma festinha também: aniversário, chá e churrasco. Eu a adoro e convivo o máximo que posso, pois é uma felicidade.
Na foto, tirada pela Úrsula, minha esposa, minha avó Cecília e eu, no Parcão em 24 de julho. Quero parabenizar os avós  por esse dia e agradecer a Deus por ter a felicidade de ter conhecido os meus.


Buracos perigosos

04 de julho de 2011 1

Por Mariano Christini, Conselho de Blogueiros

Vocês já viram o perigo que corremos com as caixas de energia sem tampas nas calçadas? Pois cito como exemplo o que fica em frente ao número 316 da Rua Coronel Bordini, no Moinhos de Vento.
São duas caixas que estão sem tampa. São bem fundas, é um perigo quebrar um pé, uma perna ou acontecer ainda um acidente muito pior.

Não sei se roubaram ou quebraram, o que sei é que é que é um perigo no escuro, na chuva ou, até mesmo, em dia ensolarado.


São João na Auxiliadora e no Moinhos

02 de julho de 2011 1

Por Mariano Christini, Conselho de Blogueiros

 

Em 18 de junho, fazendo minha caminhada, deparei com a arrumação da casa Nossa Senhora Auxiliadora, na esquina da Felipe Neri com a Lucas de Oliveira. Estavam arrumando a rua para a festa de São João daquele final de semana. Passei antes do início, quando ainda estavam preparando a festa para a gurizada.

Na 24 de Outubro, no mesmo dia, achei interessante o parque das quadras de tênis em frente à Hidráulica, também com as bandeirinhas enfeitando e mostrando o espírito junino. Achei legal e resolvi compartilhar com vocês.


Cabos e fios soltos pelas ruas

20 de abril de 2011 1

Por Mariano Christini, Conselho de Blogueiros

No dia 12 de abril, caminhando pela Avenida Cristóvão Colombo, deparei com fios amarrados em um poste na esquina esquina com a Rua Félix da Cunha. Certamente foi algum caminhão que passou pelo local e arrebentou os fios e cabos. Talvez não estivessem colocados corretamente, em uma altura razoável.  Não sei se são de telefones ou internet. O que sei é que, além dos fios, há também cabo de aço, que é um perigo pendurado nesses dias de ventanias.

Vamos cuidar por onde andamos, olhando pra não sermos surpreendidos por algum desses obstáculos que temos em nossas ruas e avenidas.