Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Gonçalo de Carvalho"

Ajardinamento da Gonçalo de Carvalho

03 de abril de 2014 0

Gonçalo

 

Os moradores da Gonçalo de Carvalho, apelidada a rua “mais bonita do mundo” _ que divide os bairros Independência e Floresta _ querem deixá-la ainda mais bela. A Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi) pretende reformar os canteiros e melhorar a vegetação no entorno do Shopping Total. A associação se encarregará da troca da placa com o decreto do tombamento da via e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) recolocará a identificação das árvores. O objetivo é marcar um ato para caracterizar a ação.

Segundo a Smam, o pedido ainda está sob análise técnica, uma vez que há fatores que devam ser levados em conta, como o fato de que a colocação de flores e folhagens encobre as raízes, aumentado a umidade no local, e que é preciso compatibilizar os pedidos da comunidade com as características de solo daquela região. As placas que identificam as árvores já foram confeccionadas, e a previsão é de que sejam instaladas até o final do mês.

Leia mais sobre outras duas novidades comemoradas pela Amabi, a restauração de um casario na Independência e a reforma da Praça Dom Sebastião.

Abertura da Pinheiro Machado marcada para o dia 8

30 de outubro de 2013 2

mapaEPTC

Após finalização de obras pela Smov, a EPTC confirmou para 8 de novembro, sexta-feira, a partir das 9h, a abertura da rua Pinheiro Machado ao trânsito de veículos. Junto à Avenida Independência, funcionará um semáforo de conversão à esquerda, sentido Centro/bairro.

De acordo com EPTC, a medida objetiva qualificar o trânsito na região, criando uma alternativa de rota em direção à Cristóvão Colombo, e diminuir o fluxo de veículos na esquina da Independência com a Ramiro Barcelos.

A Pinheiro Machado terá sentido único da Independência até a André Puente, e, a partir daí, mão dupla até a Gonçalo de Carvalho. Serão retirados pontos de estacionamento da Área Azul na Independência para a melhor circulação dos veículos.

Clique aqui para ler um post do blogueiro Paulo Renato Rodrigues sobre a abertura da Pinheiro Machado.

logozhmoinhos> Acompanhe as notícias da região pelo ZH Moinhos no Facebook

Cabos ecológicos na Gonçalo: o fim da novela

16 de setembro de 2013 6

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

Finalmente, um velho problema dos moradores da Rua Gonçalo de Carvalho pode estar sendo resolvido. No último domingo, das 13h30min às 19h, os moradores daquela que é considerada a rua mais bonita do mundo novamente ficaram sem energia elétrica, mas, desta vez, por um bom motivo: a CEEE finalmente providenciou a troca dos cabos ecológicos de alta tensão da rede, inclusive com a colocação de espaçadores losangulares, que constituem a tecnologia mais moderna no ramo.

Arquivo pessoal

Esses cabos são protegidos, possuindo um revestimento mais forte e especial na rede, utilizado onde a arborização entra em conflito com a fiação elétrica, impedindo a queda de energia, além de evitar as podas nas árvores. Os cabos anteriores já estavam bastante desgastados, pois foram instalados de forma inédita como experimento em 1980. Também foi substituída a fiação da baixa tensão para uma rede isolada.

> Curta o ZH Moinhos no Facebook

O tema das constantes faltas de luz nessa rua e a luta dos moradores foi exaustivamente abordado neste caderno e neste blog (como no meu post de junho de 2011), sendo inclusive tema central de reportagem na edição de 17 de julho de 2008. Em outubro de 2009, a associação dos moradores entregou um abaixo assinado para a direção da CEEE, pedindo a solução do problema. Demorou, mas veio. Muito contribuiu para isso, além é claro da mobilização da associação dos moradores, a melhoria na capacidade de investimento da CEEE.

Arquivo pessoal

ZH Moinhos nas bancas

26 de julho de 2012 0

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, você confere:

— Na reportagem de capa, a edificação nas esquinas das ruas Hoffmann e São Carlos, no bairro Floresta, que pode virar um centro cultural e abrigar ainda comércio e habitação.

— Na página 2, o blogueiro Paulo Renato Rodrigues revela que a Rua Gonçalo de Carvalho será citada como exemplo na Convenção sobre Diversidade Bológica das Nações Unidas, que tem sede em Montreal, no Canadá.

— Nas páginas 4 e 5, veja um ensaio fotográfico sobre o inverno no Moinhos de Vento

— O Instituto NT luta por patrocínio para manter as atividades. Confira reportagem e artigo da artista plástica e moradora da região Ena Lautert na página 6.

— E ainda: conheça Márcia Donadussi, dermatologista estabelecida no Moinhos

Secretariado das Nações Unidas vai destacar exemplo da Gonçalo de Carvalho

21 de julho de 2012 0

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

O Secretariado da Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas vai destacar o exemplo da Rua Gonçalo de Carvalho, que foi a primeira via declarada patrimônio ambiental, em Porto Alegre. A entidade localizada em Montreal, Canadá, é uma das convenções que surgiu durante a Rio 92 e trabalha para que os países implementem medidas de conservação e uso sustentável da biodiversidade, bem como a repartição justa e equitativa dos recursos provenientes desses recursos naturais.

Dentro da Convenção existe um programa de trabalho que é responsável pela implementação da Convention on Biological Diversity (CDB) em nível de cidades e pela produção de uma publicação que objetiva analisar os impactos da urbanização sobre a biodiversidade. O título é Cities and Biodiversity Outlook e pode ser acessado pelo link . A matéria — que ainda será publicada — vai destacar “o impressionante exemplo de um ecolink natural urbano”, bem como valorizar o fato de que, a partir do inédito tombamento da Gonçalo de Carvalho, esse exemplo serviu para a aprovação da lei dos túneis verdes em Porto Alegre.

Cesar Cardia, do Blog Amigos da Gonçalo de Carvalho, que recebeu a comunicação, ficou surpreso com a notícia:

— Não sabemos como a preservação das árvores da Gonçalo chegou ao conhecimento do Secretariado, se foi por meio da mídia ou por informações de alguns de nossos amigos da rua no Exterior. Coincidência ou não, vale lembrar que o brasileiro Bráulio Ferreira de Souza Dias foi escolhido pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban-ki-moon, no início deste ano, para ser o secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), sucedendo o argelino Ahmed Djoghlaf.

Sancionada lei que protege ruas classificadas como túneis verdes e patrimônio ambiental

05 de junho de 2012 0

Na tarde desta terça-feira, o prefeito José Fortunati, acompanhado do secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia, assinou o texto, proposto pelo vereador Beto Moesch e aprovado pela Câmara Municipal no dia 30 de maio. A iniciativa visa à preservação da vegetação da vias.

São considerados túneis verdes os logradouros públicos cujas copas das árvores se unam formando um túnel vegetal e cuja paisagem tenha características ecológicas, culturais, turísticas e paisagísticas de relevante formação vegetal e de grande circulação biológica, constituindo-se, assim, em patrimônio ambiental. A definição das ruas previstas na lei foi dialogada com o Legislativo por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), com base em critérios técnicos.

(Na foto, a Rua Paraíba, no bairro Floresta, que passa a ser considerada Túnel Verde)

Qual é a sua opinião sobre a nova legislação? Clique aqui para acessar nosso mural!

Porto Alegre já possui 15 áreas declaradas, por meio de decreto, que integram oficialmente o Patrimônio Cultural, Histórico e Ecológico da cidade. Os Túneis Verdes, encontrados em ruas com vegetação preservada, cumprem importante papel de proteção e manutenção da flora. De acordo com a Smam, a Capital possui cerca de 1,3 milhão de árvores, 608 praças, nove parques e três unidades de conservação.

Fundador da Associação de Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi), Cesar Cardia, que mantém um blog sobre a Gonçalo de Carvalho, destacou o avanço que a legislação representa na conscientização das pessoas.

– A lei tem função principalmente educativa, orientando para a relevância da arborização e a sua funcionalidade – disse o morador.

Autor da proposta baseada no Código Estadual do Meio Ambiente e no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental, o vereador Beto Moesch classifica o projeto como uma medida simples de alerta para os cuidados necessários com as áreas.

– É um projeto de parceria com o Executivo. Não há cidade sustentável evoluída sem arborização – afirmou Moesch.

Veja quais são os logradouros considerados túneis verdes, de acordo com a lei, que estão completa ou parcialmente nos bairros de cobertura do ZH Moinhos:
Av. Osvaldo Aranha
Rua Felicíssimo de Azevedo
Rua Olavo Barreto Viana
Rua Paraíba
Rua Pelotas
Rua Ramiro Barcelos, no trecho entre a Av. Osvaldo Aranha e a Rua Gonçalo de Carvalho
Rua Tomaz Flores
Rua Santa Cecília

Já eram área de uso especial por decreto da prefeitura – e agora têm a proteção da lei sancionada nesta terça:
Rua Gonçalo de Carvalho
Rua Fernando Gomes
Rua Dinarte Ribeiro
Rua Félix da Cunha
Rua Dr. Timóteo
Praça Dr. Maurício Cardoso
Rua Dona Laura
Rua Miguel Tostes
Rua Dr. Florêncio Ygartua
Rua Mariante
Rua Casemiro de Abreu
Rua Luciana de Abreu
Rua Marquês do Pombal

Árvores do bairro ganham placas para identificação de espécies

04 de junho de 2012 0

A Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi) e Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, o Shopping Total e o Colégio Bom Conselho, inauguraram nesta segunda-feira as placas de identificação das árvores da Praça Júlio de Castilhos e da Rua Gonçalo de Carvalho.

A cerimônia iniciou às 14h30min desta segunda-feira, 4 de junho, na Praça Júlio de Castilhos. Dezenas de crianças do 2º ano do Colégio Bom Conselho acompanharam a colocação de uma das placas de identificação, que indicam a nomenclatura popular e científica das árvores e suas origens. Ao todo foram identificadas 19 espécies no local.

A opção por alunos do 2º ano do Ensino Fundamental, explica Irmã Mônica, diretora do colégio, foi devido a um projeto desenvolvido pela turma e voltado para o bairro.

– Os alunos estão estudando a arborização do bairro – conta.

Logo depois, na Rua Gonçalo de Carvalho, em frente ao Shopping Total, foi inaugurada a placa com informações sobre as árvores da via. Foi destacada a predominância das mais de 100 tipuanas. Além dela, árvores oriundas da Argentina e da Ásia também são encontradas na rua.
Diônio Kotz, presidente da Amabi, ressaltou que a iniciativa, reivindicação da associação e dos moradores do bairro, busca integrar a comunidade com o bairro e educar desde cedo as crianças para uma conscientização ambiental.

– A intenção é melhorar o bairro em todos os sentidos – ressaltou.

Já o secretário da Smam, Luiz Fernando Záchia, salientou que identificar as árvores da Gonçalo de Carvalho demonstra a importância da rua para o mundo. Ele afirmou que, cada vez mais, muitos turistas visitam a rua internacionalmente conhecida e procuram saber mais sobre as árvores, havendo a necessidade dessa identificação. Em cada placa consta o nome popular da árvore, o nome científico, família e origem do vegetal.

Participaram também da solenidade o secretário adjunto da Smam, André Carús, o representante do departamento de Marketing do hospital, Fernando Torelly e o gerente de Marketing do Total, Luís Augusto Generali. As atividades fizeram parte da Semana do Meio Ambiente.

Confira os espécimes arbóreos identificados:

Nomes populares das espécies arbóreas encontradas na Praça Júlio de Castilhos: tipa, tamareira-das-canárias, extremosa, ipê-amarelo, palmeira-de-leque-da-china, palmeira-traquicarpus, guapuruvú, pau-ferro, pinheiro-da-flórida, pitangueira, pinheiro-de-Norfolk, sibipiruna, canforeira, capororoquinha, chal-chal, palmeira-real, pau-brasil, pata-de-vaca e jacarandá.

Nomes populares das espécies arbóreas encontradas na Rua Gonçalo de Carvalho: tipa, chuva-de-ouro, cerejeira-do-mato, jacarandá, chal-chal, pitangueira, paineira, ligustro e uva-do-japão.


Foto: Sergio Louruz, Divulgação

Projeto dos Túneis Verdes pode ser votado hoje

30 de maio de 2012 0

Está na pauta da reunião da Câmara Municipal de Porto Alegre discussão geral e votação do projeto de lei sobre os túneis verdes, nº 187/08, de autoria do vereador Beto Moesch, que declara os Túneis Verdes como áreas de uso especial, com base no art. 51 da Lei Estadual nº 11.520, de 3 de agosto de 2000 – Código Estadual do Meio Ambiente -, e no art. 86 da Lei Complementar nº 484, de 1º de dezembro de 1999 – Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental. A sessão começa às 14h.

Clique aqui para ler uma entrevista do autor do projeto ao ZH Moinhos

Qual é a sua opinião sobre o projeto? Clique aqui para acessar nosso mural!

Confira as ruas da região do ZH Moinhos que já são declaradas áreas de uso especial via decreto da prefeitura:

Gonçalo de Carvalho (foto ao lado)



Rua Fernando Gomes

Rua Dinarte Ribeiro

Rua Félix da Cunha

Rua Dr. Timóteo

Praça Maurício Cardoso

Rua Dona Laura

Rua Miguel Tostes

Rua Dr. Florêncio Ygartua

Rua Mariante

Rua Casemiro de Abreu

Rua Barão do Santo Ângelo

Rua Luciana de Abreu

Rua Marquês do Pombal

Domingo tem recital na Casa da Música

25 de maio de 2012 0

Proteção extra aos túneis verdes

22 de maio de 2012 3

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, confira uma reportagem sobre o projeto dos túneis verdes, de autoria de Beto Moesch. Abaixo, leia a entrevista completa do vereador a ZH Bairros:

ZH Moinhos – O que é o projeto dos túneis verdes?
Beto Moesch –
É um projeto que institui que as ruas, em virtude de uma arborização muito rica, onde as copas das árvores se unem de uma calçada à outra, sejam consideradas patrimônio paisagístico, turístico, histórico, cultural e ecológico. Com a lei, essas vias passam a receber um cuidado especial. É um cuidado que o morador tem de ter, o construtor tem de ter, a prefeitura tem de ter ao fazer uma obra. É uma responsabilidade comum por ser um patrimônio da cidade.

ZH Moinhos – Mas nem todas as vias sugeridas no texto têm árvores que formam um túnel verde.
Moesch –
O túnel verde não quer dizer que a rua seja 100% assim. Mas, em virtude do cuidado especial, se tiver na lei, vai passar a ter que ter, com manutenção das árvores atuais ou até plantio. Esse é o objetivo: buscar que no futuro essas ruas sejam túneis verdes completos. É fazer plantios independentemente de cortes, como se faz na Gonçalo de Carvalho.

ZH Moinhos – Como isso afeta a vida dos moradores?
Moesch –
Em primeiro lugar, quem mora nessas ruas vai ter um imóvel mais valorizado. Segundo, a manutenção da qualidade de vida, porque arborização é fundamental para qualidade de vida dos moradores e de quem mora no entorno. Terceiro: a beleza cênica. Quarto, a garantia de que isso vai continuar. Nós perdemos muitos túneis verdes no decorrer da história. A Marquês do Pombal é um exemplo. Até a Coronel Bordini, ela é túnel verde, depois ela perde essa característica, porque as pessoas foram fazendo certas coisas que se perdeu ali o túnel. Com a lei, se pretende preservar isso. Nas atuais ruas que são área de uso especial por decreto, estamos conseguindo isso. A Gonçalo de Carvalho é o melhor exemplo. Ela ia ser toda alargada. Isso não quer dizer também que em um túnel verde tu não possa fazer um alargamento parcial da rua. Pode, dependendo do caso,  porque aí não é a descaracterização total da rua. Não há um engessamento. Muitas árvores foram plantadas pelos próprios moradores há dezenas de anos atrás. A Gonçalo tem árvores plantadas há 80, 90 anos. Isso é história, é manter viva a história.

ZH Moinhos – Aprovada a lei, o que ocorre com as vias que já são áreas de uso especial na cidade?
Moesch
A primeira via da cidade a ser tornar área de uso especial foi a Gonçalo de Carvalho, seguida pela João Mendes Ouriques, na Zona Sul. Depois, os moradores do bairro Moinhos de Vento e do entorno se mobilizaram e sugeriram 13 ruas, que hoje também estão nessa categoria, todas via decretos da prefeitura de Porto Alegre. O decreto é frágil, é um ato do prefeito, enquanto a lei é um instrumento jurídico mais forte. Amanhã, o prefeito pode destituir uma via como patrimônio da cidade. Já a lei tem de passar pelo processo legislativo, tem que passar pela Câmara e pelo Executivo. É uma proteção mais forte.

ZH Moinhos Outras ruas podem ser incluídas no projeto ou na lei?
Moesch
Sim. Muito vereadores apresentaram outras ruas. A gente quer isso. O artigo 7 do projeto de lei diz que o poder público deverá instituir novos túneis verdes, que serão declarados como tais por decreto, resolução ou portaria, e passarão assim a ter força de lei. Podemos incluí-las após a votação da lei, por decretos, acionados por demandas.

ZH Moinhos Existem uma previsão de penalidade para quem infringir a lei?
Moesch
Na lei, não. Se usa Código de Posturas e outras leis e decretos que falam de multas e penalizações. O projeto de lei fala de penalização de forma genérica, dizendo que quem descumprir a lei sofrerá penalidade dependendo da gravidade, com advertência, multa ou embargo, conforme o Direito Administrativo.

ZH Moinhos O que representam hoje os túneis verdes para Porto Alegre?
Moesch
Porto Alegre é uma referência nisso há muitos anos. Nós já mandamos cópias dos decretos e do projeto de lei para pessoas de outros países que queriam saber mais informações. Na lei, é um instrumento inovador, que está no Código Estadual do Meio Ambiente, que prevê as áreas de uso especial. Lá, diz que determinadas áreas, pela sua importância paisagística, cultural, histórica, ecológica e ambiental, podem ser declaradas como de uso especial pelo poder público. Há um exemplo legal que São Paulo fez recentemente: em todos os parques de São Paulo não pode ter edificação com mais de 25 metros de altura em seu entorno. Agora, nosso projeto, apesar de criativo, não é ousado. Se não conseguimos aprovar esse dos túneis verdes, imagina um como o da Capital paulista? Há segmentos da sociedade reacionários, que te impedem de avançar. Eles argumentam que vamos engessar a cidade. Não querem leis, querem fazer do jeito que eles querem as coisas.

ZH Moinhos Quando deve ir a votação?
Moesch
Esse é outro problema. O projeto foi protocolado em 2008. Quando eu saí da Smam, voltei para a Câmara e apresentei esse projeto de lei. Ele já estava pronto para ser votado em 2009, passou por todas as comissões. Depois tentamos votá-lo no ano passado, no Dia da Árvore, mas adiaram a votação, por uma manobra. No início do ano, íamos votá-lo e surgiu a necessidade de uma audiência pública (realizada na semana passada). Comecei a me mobilizar para que seja votado nesta semana, mas não temos garantias disso.

ZH Moinhos Um desses entraves foi em 2010, quando um relatório emitido pela Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e do Mercosul citava que o disposto no projeto engessa as áreas definidas como Túneis Verdes, vedando aos proprietários a simples manutenção das calçadas, já que se tornam intocáveis. Qual é a sua opinião sobre isso?
Moesch
A comissão de economia da capital do Rio Grande do Sul tem de ser uma comissão que busque o desenvolvimento sustentável, obras que cuidem dos recursos naturais, como foi feito o conduto Álvares-Chaves, maior intervenção urbana. Acho que eram mil árvores que teriam de ser retiradas, pela licença 300 – esse número não chegou a 70. O sucesso foi decorrente de um cuidado permanente, havia um biólogo sempre presente, conversando com os operários, um planejamento de intervenção tanto do maquinário que tinha de entrar nas ruas quanto da escavação para que não comprometesse a arborização. O argumento que consta no relatório da comissão é totalmente contrário à Eco92, à Rio+20, à sustentabilidade. Só se preocupa com a obra e não com os recursos naturais.  A gente tem que se preocupar com os dois, e é isso o que o projeto propõe. Uma cidade precisa de ruas, de avenida, de prédios, de trânsito que flua, mas precisa também de árvores. Queremos compatibilizar isso.

Associação pede mais segurança na Gonçalo de Carvalho

15 de maio de 2012 0

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

A Associação dos Moradores da Rua Gonçalo de Carvalho entregou ao secretário da Segurança Pública do Estado, Airton Michels, na última sexta-feira, ofício manifestando a preocupação com o recrudescimento da violência na via. Mesmo à luz do dia, os moradores estão amedrontados. Várias tentativas de assalto à mão armada e roubos de carros foram presenciados nos últimos meses. Dentre as ações de combate ao crime na área, a associação pede o retorno dos brigadianos que faziam a ronda do entorno da Gonçalo, que abriga, além do Shopping Total, cinco escolas, com grande movimentação de pessoas. Adelino Soares, da diretoria da Associação, destacou que, “depois que a rua ficou badalada na mídia, os bandidos começaram a praticar mais delitos no local. A presença da Brigada Militar ampliava a proteção aos moradores e pessoas que circulam pela região”. Ainda que o foco da secretaria, nesse momento, seja o combate aos homicídios na Região Metropolitana, Michels prometeu tomar providências, principalmente levando em conta que houve uma tentativa recente de assalto com morte na saída do Shopping Total.

ZH Moinhos nas bancas

22 de março de 2012 1

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, confira a reportagem “O Moinhos presenteia Porto Alegre com…”, formada por relatos de blogueiros e um representante de moradores da região. Eles destacaram aspectos que eles consideram um presente à cidade, prestes a completar 240 anos.

Na página 4, saiba mais sobre a exposição Meu Moinhos, que inaugura hoje.

Na página 5, publicamos um leitor-repórter sobre o fim da linha 671.1, do Consórcio Unibus.

Reunião de moradores com a EPTC discute alterações no trânsito no entorno da Independência

13 de dezembro de 2011 10

Por Paulo Renato, do Conselho de Blogueiros

Uma importante reunião foi realizada nesta segunda-feira, na sede da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC),  para apresentação das mudanças no trânsito previstas para o entorno do bairro Independência. Pela EPTC, participaram o diretor presidente Vanderlei Cappellari, o diretor de Trânsito e Circulação, Carlos Pires, e a gerente de Planejamento de Trânsito, Carla Meinecke. Presentes ainda os representantes do Shopping Total, do Hospital Moinhos de Vento (HMV), do Colégio Bom Conselho (CBC), dos moradores da Rua Pinheiro Machado e da Associação dos Moradores da Gonçalo de Carvalho.

O primeiro tema abordado foi a implantação da mão dupla da Tiradentes, o que vem gerando muitas críticas dos moradores da região que acessam a Tiradentes para entrar na Ramiro Barcelos.

– Nas horas de pico virou uma verdadeira loucura com o fluxo dos dois lados – afirmou Adelino Soares, morador da Gonçalo de Carvalho e que já escreveu no caderno ZH Moinhos sobre esse tema.

Os dirigentes da EPTC informaram que mais alterações serão promovidas para melhorar o fluxo de veículos no bairro. Uma dessas modificações atende a constantes pedidos formulados aqui neste blog, que é a instalação de faixa e de um semáforo para pedestres, com contagem regressiva de tempo, nas proximidades do HMV, de modo a facilitar o cruzamento das pessoas com segurança da Ramiro para a Gonçalo de Carvalho. O representante do Hospital Moinhos de Vento, Carlos Emilio Marczyk, também confirmou que essa era a maior reivindicação na ouvidoria do HMV.

Outra novidade é a inversão de mão da André Puente. Essa modificação, no entanto, foi bastante contestada, pois, além de aumentar muito o fluxo da já sobrecarregada Rua Ramiro Barcelos poderá criar problemas para a saída de carros do Colégio Bom Conselho. A irmã Mônica de Azevedo, diretora do CBC, informou que saem diariamente, no período escolar, de 150 a 200 carros do estacionamento do colégio e que foi feita uma tentativa de mudança, com direcionamento do maior fluxo pela rua Jardim Christoffel, mas essa experiência não deu resultado. A diretora esclareceu que, como a escola vai passar por reformas, é hora de repensar alternativas que melhorem essa saída.

Carla Meinecke explicou que está prevista também a transferência do ponto de táxi da Ramiro para dentro do Hospital Moinhos de Vento, o que irá melhorar o fluxo de saída. Já o diretor Carlos Pires fez questão de destacar que essas mudanças – previstas para o início de janeiro de 2012 -  serão avaliadas até a segunda quinzena de março e só serão mantidas se efetivamente for comprovado que melhoraram o trânsito na região. Carlos Pires destacou que, no início, não haverá sinaleira na André Puente, e que a inversão da Santo Antonio com a Garibaldi será mantida após a abertura do túnel da Conceição. Quanto à Pinheiro Machado, Pires afirmou que, por ora, também não haverá abertura da rua, ainda que vislumbre nessa mudança uma das soluções para resolver o gargalo da Independência, no que foi contestado pelo representante da rua Pinheiro Machado, Leon Dziekaniak, que mostrou um dossiê com mais de mil assinaturas contrárias à medida.

O presidente Vanderlei Cappellari afirmou que futuras alterações serão necessárias na Independência, como por exemplo, o fim do corredor de ônibus e a mão única:

– No momento em que tivermos uma solução para o transporte coletivo das pessoas do bairro para o centro, essa alternativa poderá ser implementada, o que dará um novo alento ao fluxo da região.