Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Moinhos Vive"

No ZH Moinhos desta quinta-feira

08 de janeiro de 2014 0

Você confere

Capacalçadasmenor

– Saudade dos canteiros – Moradores da Fernandes Vieira lamentam retirada de estrutura em torno das árvores, exigida pela prefeitura, por causa do Projeto Minha Calçada

– Planos para 2014 – As associações de bairros da região comemoram conquistas do ano passado, como o sucesso de eventos voltados para moradores e a mobilização por melhorias da área. No entanto, há planos que não se concretizaram, e que podem, finalmente, sair do papel neste ano. Conheça as prioridades de cada grupo – Associação Cristóvão Colombo (ACC), Associação de Moradores do Auxiliadora (AMA), Associação de Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi), Associação dos Moradores da Gonçalo de Carvalho (Amogonçalo), Movimento Moinhos Vive e Grupo de Apoio à Revitalização do Bairro Floresta (Refloresta)

– Eu e Meu Bairro – A escritora Letícia Möeller conta sobre sua relação com o bairro, de sua infância a infância de seus filhos

Obra para evitar deslizamentos do Morro Ricaldone fica para 2014

07 de novembro de 2013 0

Ricaldone2

Prolongamento de via junto ao Morro Ricaldone, no Moinhos de Vento, é paralisado e muro de contenção deve ser erguido apenas no próximo ano

Bruna Vargas – bruna.vargas@zerohora.com.br

Interrompida há meses, a pedido da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), a obra de prolongamento da Rua Engenheiro Saldanha, junto ao Morro Ricaldone, pode não ser mais retomada.

De acordo com a Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), que executa os trabalhos, a intervenção no local será outra: um muro de contenção deve ser erguido ao pé do morro. Mas só em 2014.

– A abertura da via está descartada. Estamos readequando o projeto do muro de contenção, que é necessário, pois, ao longo dos anos, o morro pode vir a ter deslizamentos. Queremos iniciar a obra no começo do ano que vem – explica o secretário de Obras e Viação, Mauro Zacher.

Reivindicação antiga da comunidade, o prolongamento da Rua Engenheiro Saldanha daria acesso direto à Rua General Neto. Atualmente, motoristas têm de fazer uma curva fechada ao final da Engenheiro Saldanha para acessar a via.

Os trabalhos no local tiveram início em maio, mas logo foram interrompidos a pedido da Smam, que constatou risco de deslizamento junto ao Ricaldone, solicitando uma obra de contenção. De acordo com a secretaria, o Termo de Referência já foi finalizado e encaminhado para a Smov.

Estado de abandono preocupa moradores

A obra deverá incluir um sistema de drenagem que direcione as águas pluviais à rede mais próxima e a construção de calçadas onde não existem e a substituição dos passeios danificados.

– O trabalho é relativamente simples, e deve durar em torno de seis meses. Nunca vimos necessidade de abertura da via. Esse trabalho só será retomado se a EPTC solicitar e a Smam e a comunidade aprovarem – disse Zacher.

Para a associação Moinhos Vive, no entanto, o prolongamento da Engenheiro Saldanha é indispensável à melhora do fluxo e da segurança nas proximidades do Morro Ricaldone.

– Vamos insistir nisso, dentro do que foi aprovado em março de 2011. É necessária uma intervenção para suavizar a curva ao final da via, que é muito abrupta. Também queremos o cercamento da área junto ao morro, para garantir a segurança lá. É nossa prioridade – diz o presidente do Moinhos Vive, Raul Agostini.

Enquanto os trabalhos no Ricaldone não são retomados, moradores reclamam da sensação de insegurança provocada pelo estado de abandono do local, isolado simbolicamente por um arame preso a estacas de madeira.

Ricaldone3
– Ali está sujo, a cerca, arrebentada, e a tal contenção, nem sinal – lamentou Ajácio Brandão.

Na semana passada, quando a reportagem esteve na área junto ao morro, havia dois colchões, que seriam de moradores de rua, e lixo ao longo da encosta. De acordo com Moinhos Vive, o assunto seria levado para discussão com a prefeitura.

ZH Moinhos nas bancas

07 de junho de 2012 0

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, confira na reportagem de capa a nova proposta para o terreno junto ao Morro Ricaldone, que está em análise de órgãos da prefeitura. A ideia, sugerida pelo movimento Moinhos Vive, é fazer um prolongamento da Rua Engenheiro Saldanha, a fim de se reduzir os acidentes que ocorrem na atual esquina desta via com a General Neto.

Na central, entrevistamos Gustavo Werner, um estilista que tem loja na João Telles e está participando da exposição A Voz da Roupa, em cartaz até domingo.

Na página 6, aprenda a fazer um kebab de banana, receita do Sheep Kebab, um estabelecimento inaugurado em maio e localizado na 24 de Outubro, 1.316.

Na contracapa, confira algumas fotos do Café ZH realizado na quinta-feira da semana passada na praça de alimentação do Moinhos Shopping. Para ler um post da blogueira Úrsula Christini sobre como foi o encontro, clique aqui.

Encontros e reencontros no Café ZH

04 de junho de 2012 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Sabe aquela sensação de encontrar alguém conhecido em outro ambiente ao que geralmente estamos acostumados a encontrá-la? Pois foi essa sensação que tive no último Café ZH realizado no Moinhos Shopping.

Aliás, eu nem sabia que eles eram da região, pois nos encontramos sempre fora do bairro. Adry Pereira, Lúcia Guaspari e Fernando Guaspari marcaram presença no Café ZH. Descobri que Fernando Guaspari é diretor da Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Moinhos de Vento – Moinhos Vive, participando ativamente nas questões da região.

Na foto acima, Úrsula, com lenço no pescoço, conversa com a editora Rossani Thomas, de branco, e Maria Thereza
Taschetto. Crédito: Arivaldo Chaves

Outro reencontro no Café foi com Maria Thereza Taschetto. Comerciante que sempre contribui e inspira Miréia Borges para seus posts, também, já é presença confirmada nos cafés. Nossa editora Rossani Thomas não se cansou em nos explicar o funcionamento dos cadernos e dos blogs, contando peculiaridades da última edição do Caderno ZH Moinhos e da “aventura” da repórter Laura Schenkel ao acompanhar os chefs indonésios pelo bairro para a reportagem especial. E foi no café que tive a oportunidade de encontrar pessoalmente a repórter Laura que até então eu havia falado apenas virtualmente.

O Café ZH, formado por encontros e reencontros, já está se tornando uma tradição no bairro e cada vez mais aproxima a comunidade dos meios de comunicação. É a oportunidade que temos de valorizar e contribuir para o crescimento do jornalismo hiperlocal. Espero encontrar você, leitor, no próximo Café ZH, para contar a sua notícia!

Na foto, Úrsula, ao lado do marido e também blogueiro Mariano Christini, conversa com a repórter Laura. Crédito: Arivaldo Chaves