Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Moinhos"

Porto Alegre no Censo 2010

25 de maio de 2012 0

Caros amigos e leitores do ZH Moinhos. Aqui vai um serviço bacana disponível no site da Zero Hora:

Quer saber quanto da sua cidade tem iluminação e pavimentação? Acesse o banco de dados e confira, clicando aqui.

O Bairro Moinhos de Vento e os 240 anos de Porto Alegre

26 de março de 2012 0

Por Miréia Borges, do Conselho de Blogueiros

No dia 22 de março, em uma das tantas comemorações em alusão ao aniversário de Porto Alegre, o Moinhos Shopping, que é o maior empreendimento comercial aqui do bairro e o lugar de maior concentração de moradores da região, inaugurou a exposição “O Moinhos é único porque tem você”.

Nessa exposição alguns moradores registraram seu olhar em fotos que estão expostos, com a montagem de um recanto arquitetônico, nos dando a sensação de estarmos rodeados com os portões de ferro das casas do bairro, até uma bicicleta a artista Clarissa Motta Nunes colocou para o público poder se sentir nos tempos de um bairro familiar, antigo , elegante, acolhedor e antigo.

As floristas da Hilário Ribeiro no bairro Moinhos, Bernadete e Rita, estavam no dia da inauguração distribuindo rosas para os visitantes.
O Moinhos de Vento comemorou e ainda vai alguns dias comemorar o aniversário de Porto Alegre, mostrando essa exposição de fotos de alguns moradores.

Logo, o Moinhos é único porque tem você aqui no nosso bairro e ainda tem orgulho de aconchegar as pessoas que aqui vem visitar e apreciar seus cafés, restaurantes, lojas e principalmente suas áreas verdes e convidativas para um chimarrão.
Assim foi a maneira do bairro Moinhos de Vento desejar Feliz Aniversário para Porto Alegre!

Dia de chuvarada

14 de março de 2012 0

Daniel Simon, que trabalha na agência DCS, no bairro Moinhos, registrou a chuvarada na Olavo Barreto Vianna quase na esquina com a 24 de outubro. 

Itália nos condomínios do Moinhos

14 de março de 2012 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

O sul do país, mais especificamente o Rio Grande do Sul, tem como característica a colonização italiana. Eu, por exemplo, tenho origem italiana, inclusive, com direito à cidadania. Podemos observar a influência dessa cultura em nossa região através de diversos aspectos, desde a quantidade de restaurantes italianos até mesmo cursos de língua italiana, quase são tão comuns quanto os cursos de língua inglesa.

Mas o que me chamou a atenção, em nosso bairro, é a quantidade de edifícios residenciais com nomes de cidades italianas. Talvez por já ter viajado e conhecido muitas dessas cidades, isso despertou minha curiosidade.
Na Félix da Cunha, por exemplo, há um edifício enorme, com o nome do condomínio em letras garrafais: Viareggio. É uma praia da região da Toscana, que tive a oportunidade de visitar.
Já na Miguel Tostes, há o Porto di Gênova, aliás, foi por esse porto que a família do meu avô paterno partiu em direção a Porto Alegre no início do século passado.
Na Coronel Bordini, encontramos o prédio Florença, outra cidade maravilhosa que tive o prazer de conhecer e que minha irmã fez o movimento oposto no início desse milênio, construindo a nova geração lá.
E você também já identificou a Itália na nossa região? Será que o seu próprio condomínio não é um desses que traz um pedacinho desse “nostro eterno amore”?

Dia Internacional da Mulher!

08 de março de 2012 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Hoje, no Dia Internacional da Mulher, não poderia deixar de registrar algumas palavras no blog do ZH Moinhos.

E para ajudar a todos a refletirem sobre a importância das mulheres, basta lermos o post abaixo sobre as doações para o Banco de Leite do Hospital Fêmina. Apenas as mulheres, no caso, mães em fase de amamentação, podem doar leite humano.

Mulheres, que tanto lutaram para terem seus direitos reconhecidos, parabéns pela força e delicadeza.

Parabéns por serem tão iguais e tão diferentes.


Pássaros na Dinarte Ribeiro

08 de março de 2012 0

Por Miréia Borges, do Conselho de Blogueiros

É inusitada a cena que presenciei na Rua Dinarte Ribeiro.

Sentada em uma cadeira, tomando um cafezinho depois do almoço, deparei com algo que não estamos acostumados a ver nesse horário de correria, onde nem olhamos às vezes para nossos próprios pés.

Um pardal voava até o chão, recolhia algumas migalhas deixadas pelas pessoas, e voava de volta de onde tinha vindo, e alimentava seu pequeno filhote faminto.

Ele fez isso muitas vezes, até que foi distraído por outras pessoas que chegaram. Passaram-se alguns segundos e o filhote começou a piar desafinado e irrequieto.

Não me contive e fotografei a cena.

Quando a mãe conseguiu novamente coletar algumas migalhas, voou até o galho que estava o filhote, porém, tinha uma lasca do tronco da árvore impedindo que a comida fosse dada para desespero do filhote, que piava mais ainda e para nós que estávamos assistindo a cena.

Bem, pode ser um relato sem fundamento para alguns, mas para mim foi algo maravilhoso de ver.

Ganhei o meu dia!

Vamos fazer uma caminhada pelo Moinhos de Vento?

06 de fevereiro de 2012 2

Por Miréia Borges, do Conselho de Blogueiros


1. Saindo do Parque Moinhos de Vento, vamos entrar pela Rua Luciana de Abreu e seguir reto.



2. A Luciana de Abreu é uma rua muito calma, com um arvoredo lindo. Nos fins de semana, os skatistas aproveitam a área para suas manobras. Em uma das calçadas, vemos casas do século passado que estão interditadas.



3. Entrando à direita na Rua Barão de Santo Ângelo, podemos observar as casas antigas que viraram comércio e as árvores majestosas. Nessa rua, fiquei a pensar em um crime cometido no ano de 1962 que abalou a sociedade gaúcha, o caso Kliemann.


4. Retorno para a subida da Luciana de Abreu, sigo e paro à direita na Rua Santo Inácio, famosa por ser a moradia de muitos fazendeiros no passado e políticos renomados da nossa cidade.


5. Desço a Rua Engenheiro Álvaro Nunes Pereira e chego ao Morro Ricaldone, que hoje gradeado, deixou a vegetação crescer, fazendo com que a população não pudesse mais sentar em seus bancos distribuídos pela rua e ver o mais lindo por do sol de Porto Alegre.


6. Ao seguir por essa rua, temos a sensação de estar em um condomínio fechado como tantos espalhados pela cidade. Casas maravilhosas antigas, que contam histórias de nosso bairro, edifícios de luxo onde abrigam algumas personalidades da nossa sociedade.


7. No fim da rua, temos uma praça muito mal cuidada (Praça Dom Luiz Felipe de Nadal) que se torna outra rua, essa, sem saída. Nesse local há alguns anos muitos carros paravam, e ficavam os namorados num chamego só a observar o por do sol e ver o Rio Guaíba ao longe.



8. Bem, à direita me deparo com um caminho estreito como se fosse um corredor, ultrapasso e percebo que o antigo e famoso restaurante- Chalé Suíço – não existe mais.



9. Ao passar vejo a escadaria que ligava o fim do bairro Moinhos de Vento com o bairro Floresta, hoje fechada.



10. Não se consegue ver nada além da vegetação crescendo sem direção e sem cuidado. Chego ao entroncamento dos dois bairros onde também há uma escadaria ladeada por um edifício. Olho o encontro das três ruas e sigo a direta novamente pela Santo Inácio.



11. Aproveite: pare e olhe os casarões imponentes que ainda existam por ali. Alguns majestosos e conservados, outros abandonados pelos herdeiros de famílias de renome do bairro.



12. Com o sol “a pino”, entro à esquerda na Luciana de Abreu novamente e vejo a pracinha do Dmae, abandonada, com brinquedos sem pintura, vegetação rala e malcuidada, deixando a sensação de tristeza. Para mim, pracinha sem cores e sem crianças não é pracinha.



13. Entro à direita na Barão de Santo Ângelo em direção ao entroncamento das badaladas ruas Fernando Gomes e Padre Chagas. Nessa rua também temos um túnel verde maravilhoso ladeado pelo Dmae com seus plátanos nos dando uma sombra divina depois de uma caminhada longa, mas prazerosa.


14. O que encontro é de tirar o fôlego, pois me deparo com mesinhas nas calçadas tranquilas com um morador passeando com seu parceiro e lógico não poderia deixar de ser, com uma cuia de chimarrão num calor de 40°C.


15. Do outro lado da rua olho embevecida para uma obra de arte fixada nas grades do Dmae.


16. Olho a Padre Chagas do final para o início, momento único, pois naquele momento uma das ruas mais charmosas está vazia.


Nova área Azul na Cristóvão Colombo a partir de segunda

13 de janeiro de 2012 0

A partir de segunda-feira, dia 16, será ativada a nova Área Azul da Avenida Cristóvão Colombo, em todo o trecho entre a Avenida Alberto Bins e Rua Dr. Barros Cassal. O espaço de estacionamento rotativo será instalado nos dois lados da via e contará com um parquímetro e 28 vagas.

De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação ( EPTC) , a iniciativa deverá estimular a rotatividade e democratizar o estacionamento na região. Equipes da EPTC já estão distribuindo panfletos aos moradores e comerciantes da Cristóvão Colombo sobre a nova Área Azul.

O usuário morador do bairro pode ter um cartão residente. Mais informações no Setor de Atendimento ao Cidadão da EPTC (Av. Erico Verissimo, 100) ou pelo fone 156

Saiba mais sobre a área azul:

Tíquete obrigatório: É obrigatório o uso do tíquete, expedido pelos parquímetros eletrônicos nas vagas regulamentadas da Área Azul durante o horário de funcionamento do sistema. Veículos que estiverem sem tíquete ou vencido ficarão sujeitos à autuação dos agentes de fiscalização da EPTC e à aplicação das penalidades previstas no Código de Trânsito Brasileiro

Tarifa:
30 minutos = R$ 0,75
1h = R$ 1
1h30min = R$ 2,25
2h = R$ 3

PRESTE ATENÇÃO
O parquímetro não fornece troco. A partir da tarifa mínima, de 30 minutos, cada R$  0,05 introduzidos no parquímetro são convertidos em dois minutos de estacionamento

O prazo de tolerância é de 10 minutos para adquirir o tíquete e 10 minutos após o vencimento do mesmo.

O período máximo de estacionamento permitido na mesma vaga é de duas horas.
Pode-se utilizar o mesmo tíquete para estacionar em qualquer vaga da Área Azul até o vencimento do horário nele impresso. Oriente-se pelas placas de sinalização, que indicam em que trecho o estacionamento está regulamentado, sendo obrigatório o uso de tíquete.

Horário de funcionamento:
De segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 19h
Sábados, das 8h às 13h

Como adquirir o tíquete:

O tíquete é emitido eletronicamente pelos parquímetros. Durante a operação, observe as informações mostradas no visor frontal e utilize os botões indicados para a realização do procedimento.

Área a ser ampliada:
Avenida Cristóvão Colombo, entre os números 9 a 167 e do 4 ao 100.
Atualmente, Porto Alegre conta com 4.310 vagas na Área Azul.
Mais informações: site www.eptc.com.br  e fone 156.

Inscrições encerradas para caminhada no Moinhos

13 de janeiro de 2012 0

Estão encerradas as inscrições para a Caminhada Turística de Verão que ocorre amanhã, a partir das 10h, com o roteiro Moinhos de Vento. Chegou a 150 o número de pessoas inscritas. O ponto de encontro para a saída será no Parque Moinhos de Vento (Parcão), junto à Biblioteca Ecológica Infantil Maria Dinorah, que funciona na réplica do moinho instalada. Se chover, a atividade será cancelada. Quem já se inscreveu e quiser confirmar se vai ser realizada a caminhada pode telefonar amanhã de manhã, a partir das 9h para o telefone 3333-1873.

Concurso

Os participantes que levarem máquinas fotográficas poderão registrar as belezas do roteiro e concorrer a ingressos para o city tour Linha Turismo. Para tanto, deverão enviar fotos das paisagens mais marcantes do passeio para o e-mail nossapoa@gmail.com. Uma comissão julgadora escolherá a imagem que melhor sintetiza o espírito do projeto. Confira no site de Prefeitura o regulamento completo.

Próximas edições

Quem não se inscreveu para a primeira Caminhada de verão tem a possibilidade de participar dos próximos roteiros. Basta fazer a reserva pelo e-mail vivaocentroape@gmail.com  e obter informações pelos telefones (CIT) 3333.1873 ou 0800 51 7686, inclusive sobre o cancelamento dos roteiros em caso de chuva.

O ingresso é a doação preferencial de um quilo de feijão, arroz ou óleo de cozinha, que deverá ser entregue no local de saída de cada roteiro. As doações serão encaminhadas a instituições assistenciais conveniadas ao município.

As caminhadas turísticas são promovidas pelas secretarias do Turismo (SMTur), Planejamento Municipal (SPM) e Cultura (SMC), além do Programa Viva o Centro e o Gabinete da Primeira-Dama, com apoio da EPTC. Os passeios ocorrem sempre aos sábados, com início às 10h e duração média de duas horas. Além de conhecer prédios, monumentos, equipamentos culturais e áreas verdes que são atrativos turísticos e fazem parte do patrimônio cultural e ambiental da cidade, os participantes recebem informações históricas e curiosas sobre os locais visitados que serão passadas por um guia de turismo.

O Parcão é a nossa praia!

28 de dezembro de 2011 1

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Nunca me esqueço de um comentário que escutei de uma carioca falando ao celular sobre Porto Alegre:
– Aqui eles não têm praia, então as pessoas vão para um parque, que se chama Parcão”.
Nós até já tivemos, ou temos, a praia junto ao Guaíba, o calçadão, a Zona Sul, mas o comparativo dela achei sensacional.
O Parcão é um local relacionado ao bem-estar das pessoas. Para muitos, o Parcão é um hábito, seja para os que frequentam apenas no final de semana, seja para aqueles que vão todos os dias para lá.
E no verão, não tem jeito, a disposição é outra. As pessoas querem sair de suas casas e apartamentos, querem sol, ar livre, sombra das árvores e água fresca (mesmo que seja apenas um “laguinho” para admirar).Tomam seu chimarrão, sentam num banco ou na grama, caminham, correm ou andam de bicicleta, levam seus cachorros para passear, lêem um bom livro, e por aí vai. Enfim, é como praia, quem tem o costume, não consegue ficar sem.
E para quem passa o verão em Porto Alegre, não há dúvida de que essa é uma das nossas melhores praias, você não concorda?

Fast Food Saúde, e com Drive-Thru Am-Pm no Moinhos

13 de dezembro de 2011 10

Por Eduardo André Viamonte, do Conselho de Blogueiros

Adoro um xis. Burguer, com ovo e bacon. Em meados dos anos 90, empanturrava-me com tal iguaria todos os dias. Ou quase. Mas não dá mais. Agora já nos ensinaram que os quilinhos em excesso não servem apenas para nos abrigar do frio. Eles multiplicam o colesterol malvado, turbinam a pressão, e detonam nossa saúde. Mesmo quando pensamos ser jovens para portar as encrencas que eram exclusivas dos nossos avós.

O que dá mais prazer é sempre o que tem mais gordura. O problema está na evolução. Quando morávamos nas cavernas, a oferta de lipídios era baixa. O cérebro, então, precisava nos recompensar o esforço físico e o perigo da caça aos bichos selvagens. Um dos prêmios era o regozijo da carne gorda. Daí a Terra girou e girou. Industrializaram a ingesta, e paramos de caçar o bife. Só que no mundo do mouse e do clique, nossos neurônios pouco mudaram. Ainda se deleitam com as mesmas coisas. Na contramão dos avanços científicos sobre nutrição, as grandes franquias gastronômicas são o resultado dos nossos hábitos.

E já que não seremos radicais, podemos optar, vez ou outra, por fast foods cem por cento saudáveis. Na volta da balada, ou como sobremesa para aquele lauto jantar. Colorida pela natureza, uma banca de frutas é luxo. A serviço dia e noite, é espécie em extinção na Porto Alegre do progresso. A insegurança das ruas as devora. O Moinhos preserva um exemplar ali na 24 de Outubro, na esquina da monumental Caixa D’água.

São minerais envoltos nas mais belas embalagens inventadas pela natureza. Fibras com aromas. Em peças de arte vitaminadas, flavonoides e licopenos prontíssimos para a degustação. Solicitados até da janela do possante, os frutos doces e os azedinhos chegam em minutos. O verdadeiro drive thru com lanche feliz.