Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "smam"

Obras para revitalizar Praça Dom Sebastião devem durar meio ano

03 de abril de 2014 0

DomSebastiao

Depois de três anos e meio de reuniões e tramitações na prefeitura, a reforma da Praça Dom Sebastião, em frente ao Colégio Marista Rosário, foi autorizada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam). A obra está prevista para durar 180 dias e, neste período, a área permanecerá cercada por tapumes. A revitalização custará R$ 912.400,27 e ficará a cargo da Cisal Construções Ltda, empresa que venceu a licitação.

Leia sobre a restauração de casario na Independência e sobre o ajardinamento da Gonçalo de Carvalho

Entre as melhorias, estão previstas a instalação de meio-fio de concreto, pavimentações de basalto, saibro rosa, pedra portuguesa e piso de concreto com rampas de acessibilidade, degraus de concreto, restauro e instalação de bancos de concreto com encosto, lixeiras, guarda-corpo e corrimãos. Na área infantil, haverá implantação de grade, balanço, barra de balanço, gaiola e dois trepa-trepas. De acordo com a Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi), o foco no público infantil serve para atender aos alunos do colégio e pacientes do Hospital Santo Antônio:

_ Todo ano é realizado um evento de Natal voltado a eles. Nada mais justo que possam descer e aproveitar o espaço. A praça será arborizada e ficará preparada para pequenos eventos que possamos fazer _ projeta o presidente da associação, Diônio Kotz.

Ampliação de shopping prevê alargamento da Doutor Timóteo

27 de março de 2014 0

Shopping

Medida sugerida pela EPTC para receber maior fluxo de veículos pode acarretar em corte de árvores

Matheus Beck ➧ matheus.beck@zerohora.com.br

A possibilidade de alargamento da Rua Doutor Timóteo inquieta os moradores do Moinhos de Vento. Isso porque o futuro acesso ao Moinhos Shopping deve causar impacto no trânsito da região, e várias árvores podem ser cortadas para que um trecho da via receba o recuo de ingresso dos veículos.

A medida proposta pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) como compensação à ampliação do empreendimento foi apresentada em uma plenária realizada na última semana no Fórum Regional de Planejamento da Região 1 (RGP1). Na ocasião, a comunidade conheceu as exigências das secretarias e órgãos públicos para que o Estudo de Viabilidade Urbanística seja aprovado.

Como o projeto prevê uma nova entrada e saída de veículos pela Doutor Timóteo, a EPTC exigiu a implementação de uma faixa adicional de aceleração e desaceleração para que a fila de veículos que acessam o prédio não cause congestionamentos. De acordo com a gerente de planejamento da EPTC, Carla Meinecke, a medida segue um cálculo que leva em consideração as 685 novas vagas e o número de cancelas em operação nos horários de maior movimentação:

– Não tem erro. É um cálculo matemático.

Os moradores, entretanto, estão receosos. Muitos acreditam que a alteração não resolverá o problema do trânsito a longo prazo. Isto porque, há poucos meses, foi invertido o sentido da Rua Tobias da Silva sob a alegação de atenuar o tráfego na região, e um novo acesso pela Doutor Timóteo poderia causar engarrafamentos no cruzamento com a 24 de Outubro e demais vias.

O arquiteto e urbanista Alan Furlan, delegado do RPG1, decidiu compilar as dúvidas e encaminhar à prefeitura. A intenção dele é pedir mais informações para saber o que será atenuado e o que será compensado pela construtora.

– Não vemos um aumento das exigências (de contrapartida) na mesma proporção do aumento da interferência no trânsito. Não que a comunidade não queira o empreendimento. É que agora é o momento de contestar. Senão, daqui a pouco vão ter que fazer outra medida para resolver a que não foi bem pensada – diz Furlan.

Plano diretor reserva espaços para possíveis expansões

A gerente da EPTC, porém, assegura que os estudos de impacto de tráfego se baseiam no crescimento da frota de veículos para os próximos cinco a 10 anos. Conforme Carla, a aplicação será fiscalizada de perto pelo órgão. Ela garante que as intervenções viárias estão previstas no plano diretor, que reserva espaços para possíveis expansões ou alargamentos.

– Qualquer tipo de ampliação só é feita onde há previsão de alterações do traçado viário. Não se sai alargando indiscriminadamente. A 24 de Outubro, por exemplo, já tem recuos previstos. Todo o trânsito tem de estar funcionando bem, seja o tempo de semáforo, a segurança dos pedestres ou a fluidez da circulação nos pontos mais críticos – afirma.

Remoção ou transplante dos vegetais depende da autorização da Smam

Carla ressalta que medidas como o alargamento de vias fazem parte de um plano funcional. Embora o estudo de tráfego tenha sido aprovado pela EPTC, elas não são definitivas. O corte de árvores se enquadra nesta situação. Segundo ela, a remoção ou transplante dos vegetais depende da autorização pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Ainda assim, a jornalista e escritora Tania Jamardo Faillace questiona se, mesmo com adequações, as remoções irão respeitar o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA):

– São ruas muito arborizadas, com árvores antigas mas saudáveis, que fazem o orgulho do bairro, e constituem túneis verdes. Qualquer alargamento, mesmo de meio metro, exige corte e remoção de vegetais. Parece uma maneira de poupar investimentos públicos, fazendo-os serem pagos pelos empreendimentos, mesmo à custa de tolerar eventuais inadequações ao PDDUA e ao interesse da população.

Procurado pela reportagem, o Moinhos Shopping informou apenas que o projeto de ampliação “se encontra em fase de tramitação junto ao município, em etapa de aprovação” e que “oportunamente serão divulgadas informações e detalhes”. Estão previstas a ampliação do centro comercial e a construção de sete novos pavimentos – quatro deles no subsolo –, em uma área de 10,5 mil metros quadrados.

Árvore na esquina da Independência é removida pela Smam

27 de outubro de 2013 4

PinheiroANTES4

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Flores amarelas. Esse é o nome da pasta que eu tinha no meu computador para fazer um post para o blog do ZH Moinhos. Criei essa pasta em novembro de 2008, época em que foram tiradas as fotos das flores amarelas. Na realidade, tratava-se de uma bela árvore, com flores amarelas, num antigo casarão da Rua Pinheiro Machado.
PinheiroANTES3

Havia pensado em fazer um post em razão da beleza da árvore, principalmente na primavera. Mas como eu não sabia exatamente o nome da árvore, acabei não escrevendo.Pinheiro3

Infelizmente, as belas flores amarelas não existem mais. A árvore foi podada há pouco mais de um mês e não há mais aquela bela paisagem que tínhamos na primavera. O belo tapete amarelo na Pinheiro Machado quase esquina com a Independência se foi.

logozhmoinhos> Curta o ZH Moinhos no Facebook para acompanhar as notícias da região

Hoje entendo que, apesar de todos os problemas pelos quais passamos, é importante olharmos para as belas paisagens que temos. Valorizarmos a leveza de espírito das pessoas, a poesia da primavera, é uma forma de vivermos melhor. Porque a vida passa muito depressa. E se não conseguirmos enxergar a beleza que temos ao nosso redor, em pouco tempo, ela também não irá mais estar aqui.

O que informou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam)

 – Foi autorizada a remoção  de um guapuruvu, com risco de queda, localizado em área particular. A remoção foi autorizada porque havia risco à vida dos moradores da casa.

Lagarto é resgatado pela Smam no Rio Branco, em Porto Alegre

24 de outubro de 2013 0

fotoleg-lagarto

Crédito da foto: Divulgação, PMPA

 

A Equipe de Fauna Silvestre da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) resgatou um lagarto da espécie salvator merianae, encontrado em um prédio no bairro Rio Branco, na última quarta-feira.Ele estava preso em uma estrutura de concreto. O réptil  já foi liberado em área natural por não apresentar ferimentos.
Com a chegada de temperaturas mais quentes, é comum a espécie aparecer em vias e prédios residenciais. Costumam ficar no sol para fazer termorregulações, elevando a temperatura do corpo de acordo com a temperatura solar. Trata-se de um animal silvestre, nativo, que se alimenta de ovos, frutas e pequenos animais, entre outros. É o maior lagarto do Brasil, chegando a ter mais de 1,5 metros. Se você encontrar o animal, o melhor é não perturbá-lo, pois costuma se defender com o uso da cauda e com mordidas. 
As informações são da prefeitura de Porto Alegre.

logozhmoinhos> Curta o ZH Moinhos na Facebook

Por risco de queda, árvore será removida na Gonçalo de Carvalho

31 de agosto de 2012 0

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) removerá nesta segunda-feira, dia 3, uma tipuana que oferece risco às pessoas na Rua Gonçalo de Carvalho. A intervenção será realizada a partir das 8h. O vegetal encontra-se próximo à cancela de acesso de veículos e pedestres do Shopping Total, podendo tombar e causar acidentes.

Trata-se de uma árvore de grande porte, com 23 metros de altura, com necrose no tronco. Por apresentar inclinação do tronco e copa desequilibrada, a avaliação técnica é de que há alto risco de queda.

A remoção será compensada com o plantio de outra árvore, da mesma espécie, próximo ao local original. Para execução dos serviços, será necessário o uso de caminhão cesto e interrupção do trânsito.

Foto: Sérgio Louruz/Divulgação PMPA

Árvore tombada no Parcão

31 de agosto de 2012 3

Por Simone Guardiola, do Conselho de Blogueiros

Porto Alegre, Parcão, 14h45min do dia 19 de agosto. Esperando a concentração da bicicletada em prol de ciclovias nesta cidade, assisti ao inusitado. Escutei um barulhão. Faleceu uma árvore e desabou ali, sem dó e nem piedade…

Ao menos não tinha ninguém por perto ou abaixo dela. Detalhe: percebia-se que ela havia sido podada recentemente. E, pela foto, pode-se perceber que as raízes estavam rasas. Como não viram isso durante a poda?

CONTRAPONTO: O que diz a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam)

“A árvore que tombou no Parque Moinhos de Vento tratava-se de um salseiro seco, cujo ciclo de vida havia se encerrado. A remoção estava programada, assim como a de outro salseiro, a qual foi divulgada na imprensa e realizada em 23 de agosto. Para execução dos serviços, foi utilizado caminhão com sistema hidráulico para movimentação, içamento e remoção. A remoção será compensada com plantios de novas mudas em outros espaços do parque. Como este tipo de trabalho envolve equipamentos específicos e operários treinados para sua execução, por se diferenciar do trabalho de podas, é preciso agendá-lo. No caso referido, ocorreu a fatalidade do vegetal tombar antes da intervenção da Smam. Ressalte-se, porém, que a árvore não recebeu poda, nem de galhos, tampouco de raízes. Tratava-se de um vegetal já morto. Toda vegetação do Parque Moinhos de Vento está sob constante avaliação da equipe que zela pelo local.”

Sancionada lei que protege ruas classificadas como túneis verdes e patrimônio ambiental

05 de junho de 2012 0

Na tarde desta terça-feira, o prefeito José Fortunati, acompanhado do secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia, assinou o texto, proposto pelo vereador Beto Moesch e aprovado pela Câmara Municipal no dia 30 de maio. A iniciativa visa à preservação da vegetação da vias.

São considerados túneis verdes os logradouros públicos cujas copas das árvores se unam formando um túnel vegetal e cuja paisagem tenha características ecológicas, culturais, turísticas e paisagísticas de relevante formação vegetal e de grande circulação biológica, constituindo-se, assim, em patrimônio ambiental. A definição das ruas previstas na lei foi dialogada com o Legislativo por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), com base em critérios técnicos.

(Na foto, a Rua Paraíba, no bairro Floresta, que passa a ser considerada Túnel Verde)

Qual é a sua opinião sobre a nova legislação? Clique aqui para acessar nosso mural!

Porto Alegre já possui 15 áreas declaradas, por meio de decreto, que integram oficialmente o Patrimônio Cultural, Histórico e Ecológico da cidade. Os Túneis Verdes, encontrados em ruas com vegetação preservada, cumprem importante papel de proteção e manutenção da flora. De acordo com a Smam, a Capital possui cerca de 1,3 milhão de árvores, 608 praças, nove parques e três unidades de conservação.

Fundador da Associação de Moradores e Amigos do Bairro Independência (Amabi), Cesar Cardia, que mantém um blog sobre a Gonçalo de Carvalho, destacou o avanço que a legislação representa na conscientização das pessoas.

– A lei tem função principalmente educativa, orientando para a relevância da arborização e a sua funcionalidade – disse o morador.

Autor da proposta baseada no Código Estadual do Meio Ambiente e no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental, o vereador Beto Moesch classifica o projeto como uma medida simples de alerta para os cuidados necessários com as áreas.

– É um projeto de parceria com o Executivo. Não há cidade sustentável evoluída sem arborização – afirmou Moesch.

Veja quais são os logradouros considerados túneis verdes, de acordo com a lei, que estão completa ou parcialmente nos bairros de cobertura do ZH Moinhos:
Av. Osvaldo Aranha
Rua Felicíssimo de Azevedo
Rua Olavo Barreto Viana
Rua Paraíba
Rua Pelotas
Rua Ramiro Barcelos, no trecho entre a Av. Osvaldo Aranha e a Rua Gonçalo de Carvalho
Rua Tomaz Flores
Rua Santa Cecília

Já eram área de uso especial por decreto da prefeitura – e agora têm a proteção da lei sancionada nesta terça:
Rua Gonçalo de Carvalho
Rua Fernando Gomes
Rua Dinarte Ribeiro
Rua Félix da Cunha
Rua Dr. Timóteo
Praça Dr. Maurício Cardoso
Rua Dona Laura
Rua Miguel Tostes
Rua Dr. Florêncio Ygartua
Rua Mariante
Rua Casemiro de Abreu
Rua Luciana de Abreu
Rua Marquês do Pombal

Poda de árvores no Floresta

16 de janeiro de 2012 0

Equipes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) e da Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) realizaram o serviço de poda em diversos pontos da Capital para proporcionar a melhor visibilidade da sinalização de trânsito aos motoristas. A ação deu continuidade aos trabalhos de manejo da arborização em conflito com a sinalização urbana. No Floresta, foi realizada uma intervenção na Ernesto Alves.

Preste atenção: Para solicitar a desobstrução de placas de trânsito e sinaleiras, as pessoas devem ligar para o 156 – Fala Porto Alegre.