Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "ZH Moinhos"

Que rua é esta?

09 de novembro de 2013 0

Neste final de semana, decidimos colocar a nossa charada semanal também no blog.

Vamos lá então para a dica do Que Rua é Esta?, publicada na edição que circulou na quinta-feira:

querua

Via do bairro Auxiliadora (com um pequeno trecho no Floresta), pertence a um dos primeiros loteamentos implantados naquela área da cidade por iniciativa do Coronel Manoel Py, figurando na planta municipal de 1986. Mais uma dica: está a uma quadra do bairro São João. Sabe de que via estamos falando?

Mande seu palpite para moinhos@zerohora.com.br até o meio-dia de segunda-feira, com seu nome completo. Ou responda via comentário no blog, não se esquecendo de escrever o seu nome completo.

MAS ATENÇÃO! Para não estragar a brincadeira, não respondam via Facebook, está combinado?

Boa pesquisa!

logozhmoinhos> Acompanhe as notícias da região pelo ZH Moinhos no Facebook

“Vamos acompanhar a abertura da Pinheiro Machado para avaliar a eficácia”, afirma Vanderlei Cappellari

07 de novembro de 2013 2

Por Paulo Renato Rodrigues, do Conselho de Blogueiros

PINHEIRO 009

No final da semana passada, entrevistei o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, em busca de detalhes a respeito da abertura da Rua Pinheiro Machado, um tema que é polêmico entre moradores dos bairros Independência e Floresta. Questionei, por exemplo, sobre a possibilidade de serem instalados semáforos nas esquina da André Puente e Gonçalo de Carvalho, e se há perspectiva de reversão de alguma mudança prevista ou já realizada. As respostas você confere a seguir, na entrevista feita por e-mail.

> Leia mais sobre a abertura da Rua Pinheiro Machado, marcada para a manhã desta sexta-feira.

logozhmoinhos> Acompanhe notícias da região pelo ZH Moinhos no Facebook


ZH Moinhos – O que representa essa mudança no contexto do trânsito da região? 

Vanderlei Cappellari – Representa maior facilidade para a circulação dos moradores e serviços instalados na região. Atualmente, quem vem do Centro e quer chegar às ruas Gonçalo de Carvalho ou André Puente precisa contornar a Praça Júlio de Castilhos, passando por três semáforos. Com esta nova possibilidade, simplificamos o acesso ao bairro, e aliviamos o cruzamento da Ramiro Barcelos, com a Independência e com a 24 de Outubro.

ZH Moinhos – Como ficará o estacionamento de carros na Independência e na Pinheiro Machado? Há perspectiva de instalação de parquímetros nessa rua e no seu entorno?
Cappellari – Na Avenida Independência, foram removidas, aproximadamente, 20 vagas da Área Azul Eletrônica, e na Rua Pinheiro Machado foi proibido o estacionamento apenas de um lado da rua. A ideia é equilibrar uma melhoria na circulação para o bairro, permitindo o estacionamento onde é possível, pelas próprias características do bairro. Estamos licitando a gestão da Área Azul. Também estamos realizando estudos e, após a abertura da Pinheiro Machado, concluiremos a avaliação de todo o entorno.

ZH Moinhos – Com o aumento do fluxo, o que inevitavelmente ocorrerá na Pinheiro Machado, há planos de colocação de sinaleiras nas esquinas com a André Puente e Gonçalo de Carvalho?
Cappellari – Não foi prevista a instalação de semáforo, porque o volume não é representativo para este equipamento. Mas está sendo implantada sinalização ostensiva nestes cruzamentos, com placas de “pare”, com legendas pintadas no pavimento e linhas de canalização, um reforço de sinalização para melhor entendimento pelos condutores e pedestres. A equipe de engenharia e os agentes estarão monitorando todas as intervenções implantadas, e farão ajustes, se necessário.

ZH Moinhos – Há perspectiva de alguma reversão no conjunto de intervenções que já foram e estão sendo realizadas?
Cappellari – Conforme enfatizamos nas reuniões com a comunidade, vamos acompanhar e monitorar para avaliar a eficácia desta pequena intervenção, e ajustar ou alterar o que for necessário.

ZH Moinhos – Como foi suportar a pressão para que isso não acontecesse?
Cappellari – Em qualquer intervenção viária, sempre temos posições favoráveis e contrárias, e elas variam de acordo com os interesses individuais. Nossa função, enquanto órgão gestor, é propor medidas que melhorem e equilibrem a mobilidade, sempre priorizando a segurança viária e qualificação coletiva da cidade. Tivemos espaço na região para apresentar todos os nossos dados de contagens, de volumes de tráfego, das conexões estratégicas que existem nesta região da cidade, de problemas que estávamos enfrentando (o nó da 24 de Outubro) e um ótimo ambiente para debater, ouvir opiniões e sugestões dos moradores e das empresas instaladas no bairro. Esta troca permitiu a construção de solução mais racional e com informações simultâneas.

Gravação na Auxiliadora

13 de setembro de 2013 0

Por Mariano Christini, do Conselho de Blogueiros

Arquivo pessoal

Hoje pela manhã, grande parte dos estacionamentos estavam com cavaletes e fitas, proibindo assim, o estacionamento de carros na rua. Pensei que teríamos arrumação na rua, ou tubulações do DEP.
Um pouco mais tarde quando passei novamente, na esquina da Rua Doutor Freire Alemão com a Rua Felipe Neri, estava com muitas vans e caminhões de equipamentos de filmagens.
Perguntei a um dos seguranças, e o mesmo me respondeu que era uma filmagem para a RBS TV. Fiquei muito contente, pois pelo que estou percebendo, os entornos do Moinhos de Vento também estão sendo valorizados, e são, cada vez mais, conhecidos por mais gente.

Pedalando pela Vasco da Gama

11 de setembro de 2013 0

Por João Victor Eltz, do Conselho de Blogueiros

Usuário de bicicleta que sou, passei a utilizar diariamente o trecho da Vasco da Gama entre a Mariante e a Garibaldi para facilitar o deslocamento de forma mais rápida e saudável. Na ida, no mesmo sentido dos carros, o estreitamento e alargamento da rua é o grande inimigo _ difícil não estar sujeito a colisões com os veículos. Na volta, fica impossível. Além de ser ilegal andar na contramão, é inconsequente e perigoso. Sendo assim, é comum vermos nas calçadas pedestres e ciclistas disputando espaço.

Dia desses, no cruzamento da Vasco com a Santo Antônio, um motorista freou em cima de mim sobre a faixa de segurança e me atingiu lateralmente. Por sorte, consegui me equilibrar a tempo de não cair da bicicleta. Já sabia e procurei me informar com a EPTC sobre a implantação da ciclovia prevista para o trecho. Contudo, surgiu uma dúvida: por que não ligar a Vasco da Gama desde a Mariante/Goethe, e sim só a partir da Miguel Tostes? É um pequeno trecho a mais que seria importante e favoreceria o pessoal da região. E a ligação entre a Cabral com a São Manoel, é possível?

Essa importante obra qualifica e incentiva o uso da bicicleta na região. O que a prefeitura está esperando, que morra alguém ou que as pessoas desistam do transporte fácil e ecológico? Precisamos com urgência desta obra. A região é plana e liga bairros de grande movimentação cultural e de lazer. O que falta para começarem os trabalhos? E por que ela não está prevista para iniciar na Mariante?

Hoje tem Café ZH Moinhos

22 de agosto de 2013 0

Hoje, das 14h às 19h, a equipe dos cadernos de bairros de ZH estará aguardando os moradores dos bairros Auxiliadora, Bom Fim, Floresta, Independência, Moinhos de Vento e Rio Branco. Será no Café Galgos Brancos, na Rua Dinarte Ribeiro, 171.

café

Confira algumas dicas sobre o que você pode apresentar aos jornalistas durante o Café ZH:

- Se você conhece um morador da região cuja história ou trabalho é interessante, indique-o para figurar nas seções O Nome, Conheça Seu Vizinho ou Vizinho Nota 10. Se possível, leve o telefone de contato e e-mail do vizinho a indicar

- Festas comunitárias, eventos escolares e iniciativas sociais também podem virar notícia no ZH Moinhos. Se você fez fotos de algo curioso, de uma paisagem interessante ou de algum problema do seu bairro, leve ao Café ZH. Podemos aproveitar nas seções Em Foco, Minha Turma e Foto do Leitor, publicando-as nas próximas edições do caderno

- Outra seção do caderno é o Leitor-Repórter. Se o seu bairro sofre com problemas de trânsito, infraestrutura ou falta de serviços, você pode relatar essas questões no encontro

- Leve fotos do seu mascote para que ele apareça na seção dedicada aos bichinhos de estimação, Meu Mascote

- Já fotos de bebês podem ser publicadas na seção Novo Morador

- Da sua casa, você observa uma paisagem bonita? Tire uma foto e leve-a ao encontro. Podemos utilizá-la na seção O Bairro da Minha Janela

- Muitos moradores gostam de registrar no papel uma história curiosa ou lembranças da região. Se você faz parte desse time, leve seus textos e divida essas histórias. Elas poderão ser publicadas na seção Eu e Meu Bairro

Para piás da região

21 de agosto de 2013 0

Por Úrsula P. Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Parapiás. Esse é o nome do Programa de Arte e Educação que a compositora, professora de música infantil, e ex-moradora do bairro Auxiliadora, Alice Borges de Castro criou para exercer sua vocação. Diz que gosta de música “desde que se conhece por gente”. Ela faz do seu talento sua forma de se sustentar e viver de bem com a vida.

Ursula-post

Sempre com um sorriso estampado no rosto, que é sentido em suas músicas, ela cativa crianças desde a mais tenra idade. Dá aulas em escolas infantis na região, nos bairros Auxiliadora e Bom Fim, e também fora dela.

Natural de Rio Pardo, quando veio para Porto Alegre, há 10 anos, cantava para o público adulto, em pubs da região, especialmente, na Padre Chagas e redondezas. Hoje, se dedica exclusivamente para atividade musical infantil.

Em seu programa Parapiás criou, também, a opção de levar sua música nos aniversários infantis. Uma forma de se ter algo diferente, mas instrutivo, onde as crianças participam cantando e tocando instrumentos. Aliás, essa interação das crianças acontece em suas aulas, onde até os bebês podem tocar no violão, no órgão e em outros instrumentos musicais. Outro de seus projetos é o lançamento de um CD com as músicas de sua composição. A canção Acalma o Coração, por exemplo, é trilha sonora para acalmar qualquer bebê e embalar seu sono. E para não dizer que estou exagerando, com autorização da Alice, trago uma “palhinha” da música na versão acústica (confira abaixo). Um verdadeiro talento para piás.

Um olhar para o horizonte

21 de agosto de 2013 1

 

simone-calcada5

Por Simone Guardiola, do Conselho de Blogueiros

A juventude é a idade do corpo ereto, do olhar no horizonte e da pisada firme em solo desconhecido. A maturidade é o início da idade em que começamos a olhar para baixo, o corpo encurva e já não pisamos mais tão firme.
Caminhar pelas ruas requer atenção, disciplina e preparo físico. Não podemos mais flertar, cuidamos dos buracos no caminho. Não podemos sorrir para quem nos passa, cuidamos das tampas de bueiros soltas. Não podemos sentir o sol no rosto, precisamos desviar do lixo. Não podemos nos ater no perfume das plantas, somos sufocados pelas calçadas sujas dos resíduos podres depositados em locais indevidos. Não podemos pisar firme, por não poder olhar para o horizonte.

Simone-Calcada

As calçadas no Moinhos de Vento estão horríveis. Elas são responsabilidade dos condomínios e das casas, e não da administração pública. Eles devem fiscalizar, mas somos nós que devemos executar. E, se somos nós, porque esperamos pelo puxão de orelha? Não sei por que, mas é isso que está acontecendo: todos esperam pelo castigo superior.

simone-calcada2
Eu gostaria que o Moinhos fosse o primeiro bairro de Porto Alegre a tomar a iniciativa de arrumar suas calçadas conforme a acessibilidade, que os síndicos e vizinhos se comunicassem e, como em um mutirão, pudéssemos entregar a nós mesmos mais liberdade de caminhar olhando para o horizonte, com o corpo ereto e o coração tranquilo.
Bem que poderíamos ser o bairro piloto para a mudança.

simone-calcada3

CONTRAPONTO

O que informou Roberto Prestes da Rosa, chefe da Seção Fiscalização de Passeios da Smurb

O bairro Moinhos de Vento está abrangido pela área do edital de conservação de passeios n°4. A área desse edital está em fase de levantamento para a emissão da notificação por correspondência. Até a semana passada, foram vistoriados 80% dos imóveis compreendidos pelo edital para a emissão da notificação.
O edital foi publicado em 8 de abril, com 60 dias de prazo para as pessoas arrumarem as calçadas, que acabou no início de junho. Atualmente, está sendo realizado um novo levantamento para ver quem atendeu. A notificação por correspondência será enviada até, provavelmente, o final de agosto. A zona do bairro Moinhos de vento abrangida pelo edital n° 4 está compreendida nos seguintes limites e confrontações:

MapaArea4

ZH Moinhos nas bancas

26 de junho de 2013 0

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, leia:

Reportagem aborda a situação de cada uma das três mudanças de trânsito que, juntas, devem mudar a cara do trânsito na região.

Leitor-repórter mostra como o Ánandam, um centro de ioga e de atividades culturais, presenteou a vizinhança na Ramiro Bareclos com uma arte em crochê.

Em artigo de leitor, a arquiteta e urbanista Caroline Kuhn sugere um projeto alternativo para a Rua Pinheiro Machado.

Nas páginas 4 e 5, saiba como funciona a discussão do novo Código de Posturas da cidade.

Na seção Blogueiros, Úrsula P. Dutra Christini chama a atenção dos leitores para que todos verifiquem se o lixo da coleta seletiva está tendo a destinação correta em seu prédio.

Sessentão bom de copo e de garfo – na seção gastronomia, conheça um pouco da história do restaurante Lourival e aprenda a receita do prato comemorativo Filé Lourival 60 Anos.

ZH Moinhos nas bancas

29 de maio de 2013 1

No ZH Moinhos que circula amanhã, você vai conferir:

- Três meses de obras: como o novo período de obras relacionado ao Conduto Forçado Álvaro-Chaves já é percebido nas vendas de comerciantes da região.

- Leitor-repórter aponta necessidade de sinaleira na esquina da Coronel Paulino Teixeira com a Avenida Protásio Alves

- Amor à primeira vista: conheça o Love It, uma mistura de café e loja, instalado na Mariland, e aprenda a preparar uma torta de banana

- Cinquenta é demais: após realizar levantamento de dezenas de assaltos no entorno da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Brigada Militar reforça policiamento na região

ZH Moinhos nas bancas

22 de maio de 2013 0


Cachorródromo da controvérsia – Proposta da prefeitura de criar espaço para os mascotes na área do antigo minizoo desagrada frequentadores
Leitor-repórter sobre fumaça exalada pela chaminé de hospital que causa incômodo a moradores na Travessa Saúde
Na página 5, reportagem sobre a “praça do Dmae”. Após reclamações de moradores sobre barulho dos cães e reação dos donos de animais, uso de área nos fundos do Dmae é analisada
Na página 7, saiba o que deve ser construído nos fundos de casario inventariado da Rua Ramiro Barcelos


No ZH Moinhos desta semana

16 de maio de 2013 1

Você confere:

Caminho aberto no Ricaldone: alça que ligará Rua Engenheiro Saldanha à Rua General Neto, que era cuja construção foi iniciada semana passada, foi concebida para diminuir acidentes na atual esquina dessas duas vias.

Leitor-repórter aborda calçada obstruída na Rua Cabral, onde funcionava a escola Roque Callage.

Nas páginas 4 e 5, moradores contam como o  Shopping Total, que completa 10 anos neste mês, deu uma nova cara ao Floresta. Em fotos, veja a evolução do local desde a época em que abrigou a Cervejaria Bopp Irmãos.

Na seção Gastronomia, confira uma receita de linguado da Amêndoa Champanharia.

ZH Moinhos nas bancas

09 de maio de 2013 0

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, você confere:

– Na seção Vizinho Nota 10, contamos a história de Enice Zazzeron Nunes, 82 anos, moradora da Cristóvão Colombo, mais conhecida como Tia Nice

– Melhorou, mas pode avançar – O blogueiro João Victor Eltz escreveu texto e mandou fotos para mostrar pontos perigosos do trânsito, sobretudo para pedestres, no Rio Branco. Contatada pela reportagem, a EPTC iniciou a pintura de faixas de segurança no bairro.

– Na seção Roteiro, saiba como foi criada a exposição Rede de Pedras, da artista plástica e moradora da região, Ena Lautert, com curadoria de André Venzon.

– Arte e vandalismo em orelhão – A atenta blogueira Úrsula P. Dutra Christini escreve sobre um equipamento instalado no Parcão que foi alvo de vandalismo e também da atenção de um artista.

Fotos para captar o espírito do outono

01 de abril de 2013 1

Por Úrsula Dutra Christini, do Conselho de Blogueiros

Assim como as baixas temperaturas dos últimos dias, as árvores da região já sinalizam há dias a chegada da nova estação. Nas fotos, trago o outono estampado em uma linda árvore do Parcão.

Aproveite a estação que chegou oficialmente no dia 20, às 08h02min, e mande fotos você também, para o e-mail moinhos@zerohora.com.br.

Vamos curtir a chegada do novo ciclo que já está nos acolhendo com seu “friozinho” e com suas folhas a serem renovadas.

Gostou do convite da Úrsula Christini? A iniciativa da nossa blogueira inspirou a nova Missão ZH: registrar em imagens o espírito do outono. Para participar, poste uma foto no seu Instagram ou Twitter usando a hashtag #zhoutono.

Para as fotos feitas nos bairros Auxiliadora, Bom Fim, Floresta, Independência, Moinhos de Vento e Rio Branco, utilize também a hashtag #ZHmoinhos.


Capriche nos cliques e use a criatividade. A foto deverá ser de autoria do participante.

Quem não utiliza Instagram pode participar também. É só enviar fotos para moinhos@zerohora.com.br, com pelo menos 300kb, nome completo e telefone para contato.

O que eu vejo das minhas janelas

29 de março de 2013 0

Miréia Borges, do Conselho de Blogueiros

Bem, da minha janela vejo coisas inacreditáveis da vida e do comportamento das pessoas, e também acontecimentos lindos. Vejo a sinaleira do cruzamento da Rua 24 de Outubro com a Rua Florêncio Ygartua/ Hilário Ribeiro, onde seguidamente tem grandes engarrafamentos, pois as pessoas não respeitam a sua hora de passar. As pessoas esqueceram da educação no trânsito faz muito tempo.

Também observo pessoas apressadas e outras passeando com cachorros. Há motoristas buzinando desesperados, sem paciência para esperar outro estacionar. Assim que ficam livres, aceleram e param na sinaleira fechada. Geralmente, o motorista do carro que estacionou recebe uma saraivada de ‘ elogios’ impublicáveis, por exercer o direito de estacionar em uma via permitida.

Vejo motoristas estacionando e olhando para todos os lados com medo de assaltos. Há engarrafamentos diários, com buzinas impacientes e desaforos constantes. Os lojistas se aventuram entre os carros e trazem o lixo para o contêiner que fica do meu lado da rua. Vejo muita gente atravessando a via em meio aos carros, desafiando a selva motorizada e se expondo sem necessidade, pois a faixa de pedestres se encontra a poucos metros dali.


A 24 de Outubro também é palco para garotos, que passam voando com seus skates por entre as pessoas, desviando, parando e continuando rua abaixo. A via também é usada por senhoras, que formam rodas para conversar. Uma para, outra chega, e a roda aumenta em pouco tempo. Alguns cuidam da via e molham os canteiros para deixar a poluída Rua 24 de Outubro mais aconchegante.

Da minha janela, vejo um pedaço do Parcão. Parece que, diariamente, às 18h30min, inverno ou verão, o tempo muda e começa a ventar bastante até as 19h45min, depois acalma. Nesse momento eu e meu marido sentamos na varanda com um chimarrão e conversamos sobre o dia.

Quando me dirijo para a varanda dos fundos, a situação muda completamente. O silêncio é impar.

Enxergo o verde das árvores das casas da Rua Luciana de Abreu e ouço pássaros gorjeando.

Nem parece que estou a poucos metros do barulho dos ônibus, lotações, carros e motos.

Essa é a vida, de contrastes, que passa pelas minhas janelas no bairro Moinhos de Vento.

ZH Moinhos nas bancas

27 de março de 2013 1

No ZH Moinhos que circula nesta quinta-feira, confira reportagem sobre a insegurança no entorno do Shopping Total, com uma entrevista com o capitão Márcio Fernandes, comandante da 4ª companhia do 9º BPM.

O caderno traz também dois textos de leitor-repórter e, na seção Minha Turma, depoimentos sobre os 20 anos do Leonardo da Vinci Alfa.

Publicamos ainda o texto do blogueiro Eduardo Viamonte sobre placas da nova área azul instalada no Parcão, com um contraponto da EPTC, um texto da blogueira Miréia Borges sobre o cotidiano na 24 de Outubro e um convite lançado pela blogueira Úrsula P. Dutra Christini, para enviar fotos de outono.

A ideia da blogueira, aliás, inspirou a nova MissãoZH no Instagram: registrar imagens da nova estação.

Boa leitura!