Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2009

Jovens de olho na vela

31 de março de 2009 1

Philipp, que já veleja, assistiu à Copa das Nações no Clube Veleiros do Sul com amigos 

 

Já que Porto Alegre hospedou o Nations Cup, precisamos divulgar que há uma garotada para apostar no Brasil quando o assunto é velejar.

A vela, apesar de ser considerada por muitos um esporte pouco popular, afinal, deve-se ter condições financeiras, abrange crianças e jovens de todas as idades. É no Veleiros, clube da zona sul de Porto Alegre, que muitos deles tem a oportunidade de praticar o esporte, mesmo quando ainda muito novos. Philipp Mazeron, 11 anos, recebeu a influência dos pais e do irmão que já velejavam. O menino, além de gostar de vela, tem o gosto apurado também por tênis e por futebol.

- Vou continuar velejando. Já competi em campeonatos brasileiro e sul-brasileiro de estudante – destacou Philipp.

 

Curtindo a disputa no Guaíba, Anelize acha que o esporte será mais conhecido

 

Anelize Pantaleão Puccini Caminha, 18 anos, veleja desde os 12 anos. A adolescente acredita que o Nations Cup é uma forma de divulgar a vela e, desse modo, o esporte ganhará mais espaço na mídia.

- Esse é um campeonato diferenciado. É um barco contra o outro e tem várias baterias. Tem semi-final e final – diz Anelize.

Participantes estrangeiros do Nations Cup também iniciaram muito cedo suas ações na vela. Rayshele Martins, hoje com 23 anos, representante da Austrália, começou a velejar com 10 anos, no oeste de seu país, em Perth. Já Maesh, de Mumbai, na Índia, começou a velejar aos 18 anos, também por influência da família, pois toda ela já praticava o esporte, mas sem intenções de premiação.

Aqui em Porto Alegre, para inserir mais jovens no esporte, já ocorreu a parceria entre o Pão dos Pobres e o Clube Veleiros do Sul, com o apoio da Copesul/Brasken. Mas quem sabe, isso é algo para se falar em outro post…

 

Postado por Morgana Gualdi Laux, Conselho de Blogueiros

Fraternidade no bairro Tristeza

31 de março de 2009 0

A Aldeia da Fraternidade fica na Rua Dona Paulina, 700, no bairro Tristeza

 

Quase na divisa da Tristeza com o Camaquã, na subida do Morro do Osso (Rua Dona Paulina, 700) - praticamente a última construção em direção ao topo _, está encravada em meio à natureza exuberante, a Aldeia da Fraternidade, que acolhe a comunidade do bairro, atendendo crianças e adolescentes de até 18 anos, em situação de vulnerabilidade social.

Conheça um pouco da sua história:

A Fraternidade Cristã Espírita, organização não-governamental beneficente de assistência social, fundada em 16 junho de 1963, é herdeira jurídica da Aldeia Infantil Brasileira SOS, primeira e importante instituição criada para acolher crianças abandonadas. Em 2001 houve a troca de marca: Aldeia Infantil SOS passa a ser Aldeia da Fraternidade; a personalidade jurídica da Aldeia Infantil SOS foi transferida para Fraternidade Cristã Espírita, atual mantenedora da instituição, está baseada nos princípios de proteção integral à criança e ao adolescente e implementada através de atividades socioeducativas, articuladas com a sociedade.

Inspirada no modelo europeu, ela foi criada para acolher crianças vitimadas pela guerra. Com a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em 1990, a Aldeia passou por um reordenamento institucional, principalmente no que diz respeito ao valor da família biológica na formação da criança.

A Aldeia tem como objetivo a educação integral e baseia-se na construção de um espaço educativo e de proteção no qual a organização, as famílias e a sociedade interagem, no compromisso com a criança e o adolescente.

Faça uma visita! Veja como colaborar no site: http://www.aldeiadafraternidade.org.br/index.htm

 

Postado por Elo Mello, Conselho de Blogueiros

Sarau literário em Ipanema

30 de março de 2009 0

O Sarau Literário Zona Sul - organizado pela tradutora e contista Cristina Macedo, moradora da Vila Assunção - terá mais uma edição amanhã (dia 31), às 19h30min. O encontro cultural, que ocorre desde julho de 2008 em cafés da região, pretende divulgar a literatura.

Esta edição contará com o poeta Sidnei Schneider e o tango de Daniel Carlos e Evani Wolff. O Sarau Literário Zona Sul será realizado no Miragem Video Café (Avenida Cel. Marcos, 2.296, entrada pela lateral), em Ipanema.

Postado por Melissa Becker, Redação ZH

Público velejou com os melhores do mundo

30 de março de 2009 1

 

O público que assistiu à final da Copa das Nações de Match Race (Nations Cup 2009), na tarde de sábado, no Clube Veleiros, foi convidado a participar de uma regata com os integrantes de todas as equipes que disputaram o campeonato. Foi uma grande oportunidade oferecida pelo clube às pessoas que assistiam à grande final: poder velejar com os melhores atletas do mundo nesta categoria. A regata foi uma despedida animada e descontraída. Como na competição oficial, deu França em primeiro lugar e Brasil, em segundo.

Dezenas de pessoas assistiram à grande final, tanto em terra, quanto na água. Mais de 30 barcos acompanharam de perto a regata. No pátio e nas arquibancadas, famílias inteiras torciam para o Brasil.

 

 

Mas deu dobradinha francesa. A equipe masculina venceu os brasileiros numa disputa apertada. Já a equipe feminina, comandada pela experiente Claire Leroy ganhou da Grã-Bretanha. Com estes títulos as duas equipes são bicampeãs na categoria.

 

 

Henrique Addad, comandante da embarcação brasileira, estava feliz com o resultado:

- Chegamos bem perto da vitória. Toda a equipe se esforçou muito para chegarmos à final e o segundo lugar é um grande resultado para a equipe brasileira. Ganhamos experiência.

Postado por Silvana Carra da Rocha, Conselho de Blogueiros

Coleta seletiva nos bairros

30 de março de 2009 6

Anunciada no dia 23 de março, a ampliação da coleta seletiva passará a cobrir toda a Capital. A partir de 2 de abril, o lixo reciclável será recolhido duas vezes por semana em todos os bairros. Confira os dias e turnos na região e não se esqueça de separar os resíduos e acondicioná-lo adequadamente:

 

- Assunção: terça (tarde) e sábado (manhã)

- Camaquã: quarta (tarde) e sexta (tarde)

- Cavalhada: segunda (tarde) e quarta (tarde)

- Cristal: quinta (manhã) e sábado (manhã)

- Ipanema: segunda (manhã) e quarta (manhã)

- Vila Conceição: segunda (manhã) e quarta (manhã)

- Tristeza, até a Avenida Otto Niemeyer: terça (tarde) e sábado (manhã)

- Tristeza, da Otto até a orla do Guaíba: segunda (manhã) quarta (manhã)

Outras informações pelo telefone: 156

 

Quais são as suas dúvidas sobre a separação do lixo?

Postado por Melissa Becker, Redação ZH

Falando Nisso na região

29 de março de 2009 1

O projeto Falando Nisso é atração aos domingos no  no Live Sport Club (na esquina da Dr. Barcelos com a Wenceslau Escobar), como uma opção na noite da zona sul. Com música e apresentações artísticas, a cada fim de semana, a iniciativa tem como objetivo abrir espaço a trabalhos independentes de teatro, literatura e música. Os encontros ocorrem aos domingo, a partir das 20h, com apresentações de stand up comedy e música ao vivo. A cada domingo, é um show diferente, com os atores João Cruz, Matheus Giglio e Arthur Vinadé e o músico Ariel Correia, além de convidados.

 

Foto: Cíntia Bracht, Divulgação

Postado por Melissa Becker, Redação ZH

Minhas pegadas, minha história

29 de março de 2009 2

Morar em um bairro onde nascemos é um privilégio. Eu nasci, estudei e trabalhei na Zona Sul, onde, por opção e saudade, retornei para morar. Por prêmio a minha boa convivência aqui, nasceu e vive meu neto – ou seja, a Tristeza abriga três gerações, da qual eu sou a matriarca.

Nasci na Rua Padre Reus e, aos quatro anos, minha família se mudou para a Rua Praça Comendador Souza Gomes. Hoje, ao passar pelas ruas do bairro, minhas lembranças são positivas e maravilhosas. No lugar onde o Zaffari da Tristeza foi construído, havia um mato, que era a nossa floresta, onde vivemos muitas aventuras desbravando aquela natureza que, para nós, era um tesouro, mas que hoje foi substituída pela grande obra de um hipermercado. A missa das 10h aos domingos era nosso encontro de rotina e, à tarde, íamos ao cinema no Gioconda.

Como é gostoso ter história sadia e poder lembrar tantas pessoas com quem convivi e que me encontro até hoje. Tínhamos a piscina do Clube Comercial da Tristeza, que meu pai e alguns amigos fundaram (não existe mais), nossos bailes de debutantes, rainha da Primavera… Histórias e fatos inesquecíveis.

Em 1969, nossa formatura de ginásio do Padre Reus foi um evento na Sede Campestre da Caixa e esta turma maravilhosa de gurias se encontra até hoje para relembrar nossas aventuras, nosso professores e nossos sonhos. Estudar no Três de Outubro e depois no Padre Reus era nosso compromisso. Fiz parte de uma turma mista na 4ª série ginasial, onde conheci muitos guris e os quais também encontramos até hoje.

Quando temos lembranças e vivências parece que o tempo não passa, nos sentimos jovens, sonhadores, idealistas… Cada um de nós construiu seu caminho, tem sua profissão, suas famílias.

 

Ao fotografar da minha janela a vista maravilhosa da qual sou premiada, sinto orgulho de ter nascido aqui. Caminhar pelas ruas da Tristeza é uma alegria, ir no súper, o antigo Dinossul, conviver com o neto na escolinha e admirar a filha a brincar com seu tesouro são registros que armazenamos em nossa mente, para, quando ficarmos velhinhos, sorrirmos sozinhos lembrando das nossas alegres travessuras.

Nosso bairro tem uma história incomum, tem gente importante e famílias tradicionais que construíram este espaço tão gostoso de convivência . A Tristeza está crescendo às margens do Guaíba e, ao admirar o nosso pôr-do-sol, constatamos o quanto este lugar é maravilhoso. Com certeza, é uma das maravilhas da natureza que precisa ser respeitada e cuidada por nós.

Postado por Maria do Carmo de Souza, Conselho de Blogueiros

Apoio estrangeiro no Veleiros

28 de março de 2009 0

Familiares de atletas argentinos garantiram o seu lugar no Clube Veleiros do Sul desde o primeiro dia da Copa das Nações de match race, acompanhando a regata (foto: Silvana Carra da Rocha). O evento se encerra hoje.

Postado por Silvana Carra da Rocha, Conselho de Blogueiros

Torça pelo Brasil na beira do Guaíba

28 de março de 2009 0

A partir da esquerda, Henrique Haddad, comandante da equipe, Pedro Caldas, Mário Trindade e Victor Demaison – Foto: Silvana Carra da Rocha

 

A equipe masculina brasileira está apostando na vitória da Copa das Nações (Nations Cup 2009) de match race, hoje, no Clube Veleiros. Eles competem com a França a grande final. Ontem, a equipe ganhou uma das cinco etapas finalistas da competição. Hoje, disputarão mais quatro. Se vencerem as duas primeiras, já são campeões. A torcida foi grande ontem à tarde nas arquibancadas montadas pelo clube. A expectativa é de que hoje o clube fique lotado de espectadores, torcendo pelos brasileiros.

Postado por Silvana Carra da Rocha, Conselho de Blogueiros

História dos bairros no súper

28 de março de 2009 3

Estive esses dias no supermercado Nacional da Avenida Wenceslau Escobar, 1.286, e me chamou atenção um painel em frente a porta principal, onde conta, com fotos, a história dos bairros mais antigos da Zona Sul (foto abaixo). Achei ótimo e convido a todos a dar uma olhadinha por lá. É muito interessante e vala a pena ganhar-se um tempo lendo o que lá está estampado!

 

Painel conta história dos bairros em súper - Foto: Paulo Astor Cordeiro

Postado por Paulo Astor Cordeiro, Conselho de Blogueiros

Sexta-feira de transtornos na Avenida Guaíba

27 de março de 2009 4

Foto: Ronaldo Bernardi

Hoje pela manhã, o rompimento de um cano fez com que o asfalto da Avenida Guaíba cedesse, causando alagamento e a interrupção do trânsito. Alguns blogueiros nos mandaram relatos sobre os transtornos e a rotina de canos quabrados na região: 

“O rompimento de canos no trecho da Avenida Guaíba, entre as ruas Murá e Osvaldo Cruz, talvez por ter tráfego bem mais extenso – duas mãos – do que o que segue até a Déa Coffal, tem ocorrido de forma seguida. Não faz muito tempo e o mesmo ocorreu, em menores proporções, entre a ruas Olegario e Tito Marques, e em seguida um pouco depois da Rua Pasteur. Dizem que o encanamento é bastante antigo e o tráfego de veículo muito grande mas, na realidade, o fato mostra apenas a deterioração e abandono a que está sujeita aquela via: estacionamentos irregulares nos finais de semana, calçamento esburacado, point de consumo de drogas ao final da tarde, falta de iluminação desde o cair da noite, prostituição antes mesmo de escurecer e, agora, alagamento pela manhã.”

Joni Vilson Ferreira Neto

 

“Devido ao rompimento de tubulação próximo ao Clube do Professor Gaúcho não era possivel transitar por ali hoje pela manhã com veículos, em nenhum sentido. Para quem vai do bairro Guarujá ao centro da cidade, é necessário subir o morro do Espírito Santo, saindo na Avenida Serraria, então rumo ao Centro. O comentário é de que `a pista tinha afundado`. Como sabemos, antigamente a Avenida Guaíba era de paralelepípedos, recebendo, posteriormente a camada de asfalto. A tubulação existente, remanescente àquela época, recebe frequentes reparos. O fornecimento de água está suspenso.”

Luiz Borgmann

 

“Aqui na Rua Dr. Dias de Carvalho, na Tristeza, e em mais cinco bairros da Zona Sul, segundo o Dmae, ficamos sem água desde a segunda-feira pela madrugada e só tivemos o serviço normalizado ontem à noite, quinta-feira.

Foram dias difíceis. Primeiro porque a falta dágua deveu-se a um rompimento de tubulação quando das obras do Dmae nos bairros próximos, como está ocorrendo. Então, não fomos avisados, foi um incidente. Resultado: ninguém tinha reserva, a água acabou de uma hora para outra e durante praticamente três dias. Na terça-feira, retornou aos poucos, muito suja e quase sem pressão para alimentar os reservatórios. Somente ontem à noite as caixas ficaram novamente abastecidas. Dias de muita confusão. Pessoas sem condições de banho, sem poder usar banheiro e cozinhas e, ao mesmo tempo, indignadas pela demora de uma emergência, como é a falta d`água.

Boa sorte aos moradores da Guaíba e adjacências!

E registre-se: numa mesma semana, mais de uma vez rompem-se canos durante obras. Onde está a qualidade dos serviços, ou melhor, a responsabilidade em obras que mexem com questões tão urgentes na vida das pessoas?”

Luiz Antonio Henriques da Silva

 

Você também tem sofrido com o rompimento de canos na região?

Opine nos comentários.

Postado por Clarissa Ciarelli – Redação ZH

Folga dos atletas no Veleiros

27 de março de 2009 0

As francesas Elodie Bertrand, Claire Pruvot e Marie Riou – Foto: Silvana Carra da Rocha

 

Ontem foi dia de folga para os atletas que já se classificaram na Copa das Nações de match race (Nations Cup 2009). Muitos descansaram na beira da piscina, outros arriscaram uma partida de futebol. A comandante da equipe dinamarquesa, Lotte Meldgaar Pedersen, não foi muito feliz na disputa de bola, machucou o joelho e teve que enfaixar a perna. Fora os contra-tempos, todos são unânimes em afirmar: o Clube Veleiros é um dos melhores do mundo em termos de infraestrutura e organização.

A partir da esquerda, Álvaro Marinho, Luiz Brito, Diogo Barros e Antonio Fontes - Foto: Silvana Carra da RochaOs portugueses classificaram como “fabuloso” o tratamento dispensado aos atletas e as instalações do clube (na foto ao lado, da esquerda para a direira, Álvaro Marinho,  Antonio Fontes, Diogo Barros e Luiz Brito).

- É um dos melhores lugares que já estive – afirma o comandante da equipe, Álvaro Marinho, campeão da Final Regional – Europra I, de match race.

Ele representou o país nas Olimpíadas de Pequim, na classe 470. Seu companheiro de equipe, Antonio Fontes disse que é muito difícil encontrar um clube tão bem organizado. Elegiou as pessoas e o carinho dispensado aos atletas.

As francesas também estão gostando daqui. Atuais campeãs da classe match race, vieram a Porto Alegre para defender o título conquistado em 2006 na Irlanda. “Very good, very nice”, (muito bom, muito legal) repetiam à beira da piscina. Hoje, elas disputam a semi-final, junto com os Estados Unidos e a Itália.

 

Relax entre as disputas no Veleiros - Foto: Bruno Carra da Rocha

Postado por Silvana Carra da Rocha, Conselho de Blogueiros

Um monstro no Guaíba?

27 de março de 2009 14

Monstros lacustres existem na cultura de diversos países e intrigam os criptozoologistas, fascinam os leigos e irritam os zoólogos e biólogos.

São criaturas descritas de diversas formas, sendo as mais comuns as de plessiossauro e serpente gigante, vistas pelas mais diversas pessoas nos mais diversos lugares.

O mais famoso de todos, Nessie, reside no lago Ness, na Escócia.

Um “parente” de Nessie habita o lago Kos Kol, no Casaquistão.

O Storsjöodjuretlago (Monstro do Lago) vive no lago Storsjön, no centro da Suécia.

Já Champ ou Champie, nada no lago Champlain, entre os Estados Unidos e o Canadá.

O Canadá tem, ainda, o Ogopogo e o Manipogo e, nos Estados Unidos, o South Lake Bassie é o monstro do lago Erie, cujos primeiros avistamentos aconteceram em 1917.

Na China, há o Monstro do Lago Tianchi, que fica no nordeste da província de Jilin, onde foi avistado recentemente.

O México tem o Chan, que mora no lago formado na cratera de um vulcão extinto.

Até a Argentina tem o seu monstro, pois nas águas do lago Nahuel Huapi vive um monstro chamado Nahuelito!

Existem várias explicações para este fenômeno, predominando as fraudes, as identificações errôneas e muitas justificativas pseudocientíficas, como a “memória das águas” ou o inconsciente coletivo materializado.

Provas científicas, infelizmente, não existem. Mas os monstros dos lagos habitam o imaginário e são reais para muitas pessoas, sendo que muitas passam a vida procurando-os.

E por que falar sobre monstros aquáticos aqui no Blog da Zona Sul?

Ora, por causa do Guaíba!

Como sempre fui fã de monstros, nunca entendi porque não há nenhum no nosso adorado Guaíba!

Porto Alegre costuma ser considerada uma cidade pouco atrativa turisticamente. E é um fato que monstros do lago atraem turistas, muitos turistas. Logo…

Pergunto-me se ninguém tem uma história de monstro no Guaíba guardada, com medo de ser ridicularizado, caso a contasse!

Lembrem-se que já avistaram um OVNI sobre a Lagoa dos Patos. Será, mesmo, que não temos nenhum monstrinho vivendo, incógnito, nas águas poluídas do Guaíba?

Já pensei até em nomes…

Morador da Zona Sul, o ilustrador Rekern desenhou a sua versão do monstro do Guaíba para o Blog do ZH Zona Sul: “Um dia, farei um filme sobre isso. Como o Guaíba é mais raso, o monstro tem essa aparência de `lesmão`”, diz. Como seria a sua versão do monstro?

Postado por Karin Kreismann Carteri, Conselho de Blogueiros

Presente de aniversário para Porto Alegre

26 de março de 2009 2

Final da Copa das Nações homenageia a cidade – Fotos: Silvana Carra da Rocha

 

A data escolhida para a final da Copa das Nações de match race (barco contra barco), que ocorre nesta semana em Porto Alegre, não foi por acaso. Ela foi estrategicamente planejada para coincidir com o aniversário da cidade, celebrado hoje, dia 26 de março. É um presente que o Clube Veleiros do Sul oferece aos porto-alegrenses.

Graças ao empenho da direção do Clube Veleiros do Sul, o campeonato está sendo um sucesso. E não é qualquer instituição que consegue trazer a final da Copa das Nações: tem que mostrar competência, condições de infraestrutura, qualidade dos equipamentos e segurança. Tudo isso foi minuciosamente avaliado pela Confederação Brasileira de Vela a Motor (CBVM) e pela Federação Internacional de Vela (Isaf), órgãos responsáveis por regulamentar o setor no Brasil e no mundo.

O Clube Veleiros do Sul não mediu esforços para conseguir esta façanha, por meio do vice-comodoro esportivo, Eduardo Ribas (foto ao lado). Ele foi o responsável em organizar a flotilha para o campeonato. Foram colocados à disposição das equipes nove barcos J/24, todos com velas novas. Deste total, três barcos foram adquiridos pelo clube, dois foram locados da Associação do Iate Clube do Rio de Janeiro, um veio de Florianópolis e três foram emprestados pelos associados do Veleiros. Em outras competições, os velejadores usam seus próprios barcos. Nesta, de match race, o clube que abriga a copa deve fornecer as embarcações.

Para Ribas, o objetivo de trazer a final da Copa das Nações para a Capital é muito significativo:

- Fica um legado para o clube e para Porto Alegre. Melhora o nível técnico dos velejadores, a cidade é vista mundialmente e o Veleiros do Sul mostra que é centro de referência em vela.

E o trabalho já rendeu frutos. Em outubro, o Veleiros será sede do sul-americano de match race, classe J/24. Equipes da Argentina, Uruguai e Chile farão parte da competição. Além disso, o clube já recebeu currículo e projetos de velejadores de outros estados que tem interesse em treinar aqui.

 

* * *

 

Foto: Silvana Carra da Rocha

Agora um pouco da classificação: em dois dias de competição, as equipes feminina dos Estados Unidos, Itália e França estão na frente. A Dinamarca e a Argentina foram eliminadas. No masculino, França Portugal e Dinamarca estão na frente, e a Nova Zelândia Argentina e Finlândia foram eliminados. O Brasil tenta hoje a repescagem tanto no feminino quanto no masculino.

Postado por Silvana Carra da Rocha, Conselho de Blogueiros

Delegacia da Tristeza: história a ser valorizada

26 de março de 2009 8

Prédio atual foi construído após segundo incêndio/Karina dos Reis Kerpen

No final do século XIX, a manutenção da “ordem” no arrabalde da Tristeza era feita por um quartel localizado no Cristal. Este, nos dias de festividades, competições esportivas e outras atividades variadas, enviava cavalos à região para evitar possíveis confusões.

Foi no início do século XX, em 1906, que a Intendência Municipal (a prefeitura da época) executou as obras para a construção de um prédio que servisse às demandas por policiamento na região. Em 1920, o prédio passou pelo segundo incêndio, fato que resultou em uma nova edificação, a qual podemos apreciar até os dias de hoje, localizada na Avenida Wenceslau Escobar. Nesse prédio, embora as condições físicas atuais estejam gravemente comprometidas, ainda funciona a Delegacia da Tristeza.

Em 1935, a delegacia foi ampliada com a construção de um porão no qual os detentos eram abrigados, presos esses que, segundo Roberto Pellin, construíram duas praças na Tristeza, uma delas localizada em frente ao Colégio Três de Outubro.

O antigo prédio da delegacia da Tristeza apresenta atualmente dificuldades profundas na sua estrutura, tais como falta de vidros (os espaços sem vidraça são protegidos por pedaços de plástico), piso deteriorado, umidade e focos de cupim.

Além de saber das difíceis condições no local, só temos outra certeza: a de que o prédio deveria integrar a lista de bens tombados. Afinal, seu valor histórico, arquitetônico e de serviço em prol da comunidade é inquestionável.

Postado por Karina dos Reis Kerpen, Conselho de Blogueiros