Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

A Tristeza vai acabar ficando triste

09 de maio de 2012 11

O texto abaixo foi enviado pelo blogueiro ZH Zona Sul Luiz Antonio Henriques da Silva.

A especulação imobiliária permitida pelas prefeituras é assombrosa.
A principal característica de meu bairro sempre foi ser um bairro onde o verde, o Guaíba e os morros da paisagem eram preservados, conferindo à região um ar de cidade do Interior.
Embora esteja a 15 minutos de carro do centro, muitos porto-alegrenses criticam a zona sul da cidade, dizem que aqui é local para se esconder e não pra viver. Isso que temos aqui, para o gosto dos cosmopolitas de plantão que preferem viver no cinza da zonas consideradas “nobres” ao som ensurdecedor de buzinas madrugada a dentro, um dos mais bem mais providos shopping do Brasil, a três minutos de carro ou 30 minutos a pé ou bicicleta, por ciclovia circundando a beira do Guaíba.
Pois agora a especulação imobiliária descobriu nosso cantinho e não dá mais sossego. Vendeu a qualidade de vida do local e se encarrega a cada dia de acabar com tudo isso, enganando quem cai na conversa de seus folders anunciando o melhor do bairro.
Um bairro tradicional de residências e no máximo prédios de quatro a cinco pavimentos está sendo invadido por torres de 10 andares que, além de destruírem todo o verde dos antigos quintais, bloqueiam a vista , o vento do Guaíba e já se percebe a alteração do clima no local causado pelos paredões brancos que refletem a luz do sol.
Passei dois anos com um gigante branco desses sendo erguido ao lado de minha casa. O folder mostrava a magnífica vista que se teria daqui. Lembro ainda do dia, no início do empreendimento, que um fotógrafo veio ser elevado por um guindaste que simulava a altura do edifício e no folder haviam fotos tirados no local mostrando a vista do quinto andar, do sexto e assim por diante.
Hoje, está na minha caixa de correio outro panfleto, da mesma construtora, que vai construir na quadra seguinte outra torre que vai fechar toda a vista que foi vendida para o prédio aqui do lado. Aliás, vendem a vista, pois as construções…
Que vergonha teria eu, como empresário do setor, ter de explicar isso a quem comprou a vista que agora eu mesmo vou encerrar.
E assim, o bairro Tristeza, que nada tinha de triste, vai fazendo jus ao seu nome.
E a cidade, que se diz planejada e administrada, vai se perdendo pela falta de amor por ela e pelo desconhecimento por parte de quem ocupa o poder.

Comentários (11)

  • Vera diz: 9 de maio de 2012

    Tambem fico triste pois moro a 50 anos e venho acompanhado o “crescimento” do bairro.

  • Renata diz: 9 de maio de 2012

    Concordo plenamente, a zona sul esta virando em construções tomando espaços de nossos verdes campos.Tirando o nosso privilégio da natureza!

  • Ricardo Carneiro da Fontoura diz: 9 de maio de 2012

    Nasci na Tristeza, casei e lá morei por quase 30 anos. Mudei para Ipanema onde fiquei mais 15 anos e já fazem 15 anos que moro em um sítio no Lami. Realmente a mudança ocorrida na Zona Sul é alguma coisa alucinante. Vemos a cada dia prédios sendo construídos e alterando significativamente a paisagem dos bairros.
    A especulação imobiliária é visível e o descuido com o meio ambiente está se tornando uma prática aceita por todos. Na “antiga” Zona Rural, que foi transformada em rururbana para cobrar IPTU, são os loteamentos clandestinos, que a Prefeitura faz que não vê… Hoje há uma invasão de pessoas em busca de um pedaço de terra barato. Barato pois não temos infra estrutura e estamos a 35 quilômetros (1hora e 30 min de ônibus), sem empregos, sem escolas, sem transporte decente, sem a mínima preocupação com o transporte mais comum na zona rural, a bicicleta e o cavalo.
    O que estamos vendo também é a própria Prefeitura ocupando áreas sem infra estrutura para colocar pessoas pobres que, não tendo emprego por perto, se deslocam de ônibus perdendo mais de 3 horas do seu dia em deslocamento.
    Realmente é uma TRISTEZA o que estão fazendo com a zona sul de Porto Alegre.

  • Carlos diz: 10 de maio de 2012

    A Tristeza vai ficando triste e o Porto vai deixando de ser Alegre

  • Regis diz: 10 de maio de 2012

    Não concordo com o texto. Porto Alegre é uma capital, vai sempre crescer, e já que isso é inevitável, que seja na vertical. Um condomínio horizontal causa muito mais destruição de mata nativa, basta percorrer a Juca Batista para entender o que estou falando. E é essa mesma explosão imobiliária que está trazendo mais comércio, serviços e charme ao bairro Tristeza e arredores.

  • Jacqueline Custódio diz: 10 de maio de 2012

    Concordo com o que foi dito. A fúria das construtoras está destruindo aquilo que vendem: a qualidade de vida. Tenho lutado pelo menos nos últimos três anos contra tudo isso, participando onde a população é chamada a participar, denunciando ao Ministério Público, enfim, tentando fazer o que me é possível. Não vamos nos entregar! Vamos fazer aqui também o movimento Zona Sul Vive!

  • Luisa Carvalho diz: 11 de maio de 2012

    São os “Quasímodos” sendo construídos para encherem o bolso
    de pessoas desqualificadas em sensibilidade e cidadania. Pergunto:
    porquê a(s) prefeitura(s)permitem isto? A resposta até a mais ingê-
    nua das criaturas sabe. Pena estragarem um lugar tão bonito e bucólico.
    Gente insuportável!!!!!!!!!!!!!!

  • Sabrina Jung diz: 18 de maio de 2012

    Meu amigo Luiz! Faz uns dois anos que publiquei aqui, um texto chamado: O progresso ou a natureza na janela?, falando exatamente sobre isto, e foi a maior polêmica, vc lembra? Teve gente me apoiando, a maioria se me lembro bem, mas teve até gente me mandando morar no meio do mato, bem radical. Estamos carecas de saber que a cidade tem que continuar crescendo. Mas sem um crescimento planejado, ordenado, o que a região vai ficar é “careca” de área verde, de natureza, o que tanto atrai gente para a região. O que vai acontecer? Pessoas como nós, que gostam justamente deste ar de interior, destas ruas arborizadas e desta brisa do Guaíba que não tem igual em outra região da cidade, se mudando para lugares cada vez mais longes, dentro da zona sul, sempre tentando prestigiar e conservar, aquilo que teimam em destruir. Grande abraço e parabéns pelo texto pra lá de pertinente!

  • Sabrina Jung diz: 18 de maio de 2012
  • Sabrina Jung diz: 18 de maio de 2012
  • Luiz Antonio diz: 21 de maio de 2012

    Grande Sabrina! Saudades dos teus textos por aqui. Também nao tenho colocado mais nada e confesso: desde o dia em que um texto meu _não me lembro qual_ foi atropelado por uma vaca da cownparade, explico: postaram as 8 da manhã e as 10 horas uma foto da vaca que estava num supermercado ganhou o lugar do texto só porque tinha sido fotografada por um morador num “flagrante” com antigo prefeito! rsrsrsrsr
    Mas, quando vejo essa especulação imobiliária não consigo ficar quieto. E te prepara, o tal prédio também _assim como o outro_ vai tapar tua visão também e essa construtora está tendo a proeza de conseguir arrancar árvores aparentemente imunes ao corte e invadir áreas aparentemente preservadas!!!??????
    Abraço e bom saber de ti!

Envie seu Comentário