Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Segurança"

Semáforo para pedestres na Wenceslau

21 de dezembro de 2011 0

Um dos grandes pedidos dos moradores da região será atendido ainda em 2011. Está marcada para a quinta-feira, 29 de dezembro, a inauguração de um semáforo para pedestres na Avenida Wenceslau Escobar, próximo ao Shopping Granville. O equipamento, que será acionado por botão, atende a demanda por mais segurança na travessia em um trecho com três empreendimentos comerciais.

Até 5 de janeiro outras mudanças, como a troca de placas de indicativas de estacionamento, devem completar o projeto de atualização da sinalização na avenida realizado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Nova sinaleira na Juca Batista

11 de dezembro de 2011 3

Começa a funcionar na segunda-feira, às 15h, um novo semafóro para pedestres na Avenida Juca Batista, em frente ao supermercado Zaffari. O local recebeu algumas melhorias viárias, como acesso facilitado de cadeirantes no canteiro central, realizadas pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov). Com lâmpadas que reduzem em 85% a energia consumida, o semáforo será acionado por botão.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) está atendendo um dos pedidos dos moradores da região, que clamam por segurança na travessia da movimentada avenida.

O diretor de trânsito da EPTC, Carlos Pires, já adianta que serão concluídos estudos para implantar um conjunto de semáforos na rótula da Juca Batista com a Avenida Eduardo Prado e um pardal próximo ao número 8.200, que regulará a velocidade máxima de 60 km/h permitida nesse trecho da Juca.

Dica ZH

Pedidos para instalação de sinaleiras podem ser feitos no Atendimento ao Cidadão da EPTC (Avenida Erico Verissimo, 100). Outras informações no fone 156.

Bombeiros reabrem as portas na Vila Assunção

10 de outubro de 2011 0

Por causa da falta de efetivo a Estação Assunção do Corpo de Bombeiros fechou em setembro, e, por causa da escassez de viaturas, a unidade da Avenida Guaíba não reabriu em 1º de outubro. Só neste sábado, 8, os bombeiros retomaram as atividades.

- Agora todas as estações da Capital estão abertas. Acredito que não vamos precisar fechar de novo neste mês, mas existem algumas questões como férias do pessoal e viaturas que estragam, que não permitem o funcionamento – explica o comandante do 1º Comando Regional dos Bombeiros (1º CRB) da Capital, Humberto Teixeira Santos.


Furtos e esgoto no Cristal

15 de março de 2010 8

No Cristal, mais precisamente na Rua Tamandaré, estamos convivendo com furtos de cabos de luz e de telefone diariamente (a foto acima mostra um cabo cortado), sem que ninguém tome alguma providência. Estamos novamente sem telefone, sendo que, na semana retrasada, aconteceu a mesma coisa.

Temos aqui uma vizinha que teve seus fios de luz furtados cinco vezes até que desistiu de recolocá-los. Isso é inadmissível, porque pagamos nossos impostos e temos de conviver com esse problema sempre…

Também temos aqui, na Wenceslau Escobar, o esgoto correndo na calçada (foto abaixo) há cerca de um mês e nada foi feito. Além do banho que as pessoas tomam conforme quem for o condutor do automóvel que estiver passando pelo local, não temos luz na rótula também. Então, imaginem como está a “terra de ninguém”.

Por gentileza, autoridades, imploramos por providências.

*Por Carmencita Hessel, Conselho de Blogueiros

Sinais de mudança

14 de janeiro de 2010 3

Tenho acompanhado com muito prazer os posts dos meus colegas do Conselho de Blogueiros do ZH Zona Sul. Dentre os tantos materiais que apreciei de forma especial, destacaria a entrevista da Sabrina Jung com o Camarão, antigo garçom de Ipanema, o relato histórico sobre a Vila Clotilde, feito pela Janete Machado e, também, o post da Cláudia Bins, contando sobre a menina boa de bola em meio aos garotos na praça.

Outro dia deparei com um verdadeiro fenômeno, o post “zonasulista” da blogueira Fernanda Machado, que, através da aparente singeleza da imagem de uma fatia de pão de abóbora (foto ao lado), foi capaz de produzir uma efusiva repercussão entre os leitores.

Infelizmente, tenho observado sinais nada ufanistas sobre o futuro do meu e de outros bairros encantadores desta privilegiada área de Porto Alegre.

* * *

São aspectos corriqueiros que me fazem temer pela perda abrupta deste doce modo de viver “zonasulista”, que tanto nos orgulha e atrai quem está chegando por aqui. E, o pior, isto pode acontecer em curto espaço de tempo.

A paisagem está mudando para muito além da arquitetura, das mazelas óbvias do trânsito e do desastroso escoamento da água das chuvas. Percebo uma atitude mais bélica se instalando nas pessoas, como um produto importado de outras regiões.

Assisto com absurda frequência a cenas de irritação explícita entre gente de todas as idades nos bancos e nas lojas do comércio em geral, quase beirando à patologia. Conversando com vizinhos, uma certa noite, após a tentativa dos amigos do alheio em arrombar um veículo estacionado na minha rua, descobri que estou cercado por um verdadeiro arsenal civil de gente disposta a atirar diante de qualquer ameaça.

No Rio Grande do Sul, sempre convivemos com a presença de armas, mas a atitude atual é bem diferente. Tem o componente nervoso de pessoas acuadas por inimigos de toda ordem e que podem surgir a qualquer momento. O medo generalizado.

* * *

A Zona Sul que tanto apreciamos não pode virar um gueto de tribos armadas, sob pena do diferencial que nos orgulha virar álbum de recordações dos tempos felizes.

Se esta paranóia coletiva se instalar, nem mesmo a melhor receita de pão de abóbora será capaz de salvar a nossa qualidade de vida.

Sinais de uma transformação trágica que as fotos da Carmencita Hessel, mostrando a assustadora aproximação de uma tempestade em dezembro (abaixo), poderiam ilustrar com muita propriedade.

*Por Juarez Gonçalves, Conselho de Blogueiros

Operações seguem em Ipanema

19 de dezembro de 2009 4

A Brigada Militar (BM) vem realizando operações em Ipanema desde o dia 1º de novembro, com o objetivo de coibir a desordem, som alto, ação de delinquentes no bairro e, consequentemente, evitar ocorrências e permitir o uso da orla por todos.
Segundo o major Jairo Martins, em algumas ações, a operação contou com a parceria da EPTC, que cuida da fiscalização de trânsito, enquanto a BM, da fiscalização de pessoas.
Diz Jairo: “A operação consiste em fazer barreiras e cercar as ruas que dão acesso à praça e, a partir daí, fiscalizar todos que saem ou entram. Imaginamos que com a presença da Brigada e a fiscalização de trânsito que são infrações periféricas, evitamos o surgimento de infrações mais graves contra a pessoa. Os resultados foram ótimos, os arruaceiros desapareceram. Estamos empregando um grande número de PM (30) e, quando a ordem estiver reestabelecida, reduziremos a quantidade gradativamente. Continuaremos atuando no verão e, de segunda à sábado, o policiamento será normal com uso de bicicleta e moto.”
Como moradora da região, o que percebi é que, realmente, enquanto a BM está presente, a arruaça diminui ou mesmo acaba. Mas, infelizmente, quando não estão presentes o barulho alto volta a incomodar.

> E você, sentiu a diferença em Ipanema desde que a Brigada Militar iniciou as ações aos domingos? Deixe seu comentário.

*Por Claudia Bins, Conselho de Blogueiros

Uma entrevista com o comandante

06 de novembro de 2009 6

Confira a entrevista do ZH Zona Sul com o comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Antero Batista de Campos Homem, sobre os problemas que moradores do bairro Ipanema têm enfrentado, principalmente aos domingos, com carros com som alto, consumo de drogas e prostituição – tema de reportagem na edição de hoje:

ZH Zona Sul – Normalmente, vocês conseguem fazer algo no domingo em Ipanema, com efetivo menor em função de outros eventos, como jogos no Beira-Rio ou Olímpico?

Batista – Sim, mas a demanda é tão grande, que não se dá conta de tudo. É muita moto, carro, som, bebida, droga. Então, é complicado.

ZH Zona Sul - E tem prostituição também, não? É mais concentrado no domingo ou também há durante a semana?

Batista - Tem também durante a semana. Para a polícia, não há muito o que fazer. O máximo que podemos fazer é quando o cliente chega, abordá-lo, com a intenção de inibi-lo, para não voltar mais. É um comércio. Se tiramos o cliente, que é uma ponta desse comércio, a prostituta vai para outro lugar. Mas é só uma mudança de lugar. A solução não é por aí.

Foto: Ricardo ChavesZH Zona Sul – E nos casos de som alto? O que a Brigada Militar pode fazer? Dá para autuar pelo barulho?

Batista – Isso aí dá. Quanto mais registros houver no papel de pessoas a incomodarem com som alto, mais chances a gente tem de fazer alguma coisa. Se a gente chegar e pedir para baixar o som, eles até baixam, mas quando se vira as costas, eles aumentam de novo. Então, com o registro, a gente pode fazer uma interferência mais forte. Até de recolher o carro com som, com tudo. Mas precisa ter os antecedentes, a coisa firmada, escrita.

ZH Zona Sul – A Associação dos Moradores do Bairro Ipanema (Ambi) reclama da falta policiamento ostensivo na região.

Batista - De equipamentos, estamos bem, principalmente viaturas. O que a gente percebe? Que as viaturas só transitam. Passam pela Avenida Guaíba, daqui a pouco passam de volta, mas sempre em atendimento de alguma ocorrência. Quase não conseguem parar e fazer o contato com o comerciante, com o padre, com a dona de casa, com a escola. Mas em abril, quando se formar a turma do novo efetivo, está nos nossos planos colocar o pessoal também a pé. A orla do Guaíba é bem propícia ao policial a pé. A Ambi sugeriu esse policiamento. A gente sabe que tem de ter, mas, no momento em que estamos passando, quase não há condições para isso.

Postado por Maria Rita Horn, Redação ZH