Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Lewandowski cá

08 de novembro de 2014 2

Presidentes e integrantes dos 91 tribunais brasileiros vão discutir a partir de segunda-feira, em Florianópolis, o futuro da justiça no país, durante o 80 encontro nacional do poder judiciário. Em pauta, soluções para a litigância excessiva e a quantidade de processos em tramitação – 95 milhões, segundo os números mais recentes. A solenidade de abertura será comandada pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski.

comentários

Comentários (2)

  • Marie diz: 8 de novembro de 2014

    É urgente discutir o episódio do juiz e da agente de trânsito (Sabe com quem está falando? Ninguém pode me prender). Inaceitável que gente da justiça, de terno e gravata, vida boa, salarião, ar condicionado se ache acima do cidadão comum e propicie tais espetáculos de arrogância e injustiça total.

    Não pode ficar por isso mesmo. Este homem é um bandido como outro qualquer, com o agravante de que o sustentamos, e que deveria ter educação básica. Merecia ser amarrado no poste, para ter um choque de realidade.

    O Judiciário precisa limpar sua banda podre e parar de choramingar de barriga muito cheia. O povo brasileiro sim é que está assoberbado, sofrido, vive em condições lastimáveis. Com esta atitute prepotente e juízes Lalaus, melhor a gente fazer justiça no poste mesmo.

    Sem falar nas filhas indefesas de juízes falecidos, que estão de fato casadas, cheias de filhos, mas passam a vida figurando como solteiras para receber o benefício vitalício. Há socialites famosas nesta condição, o que representa uma cusparada imoral na cara do povo. Estelionato!

  • Schell diz: 10 de novembro de 2014

    Não seria melhor – para a população em geral – que em vez de se reunirem em convescotes de salamaleques e futricas, ficassem em seus gabinetes despachando os milhares de processos que não terminam nunca? Essa gente, sempre e sempre, tratando com desprezo a quem os paga. Haja.

Envie seu Comentário