Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Procurador-geral do MP-SC abre contas particulares para a CPI da Casa Rosa

12 de novembro de 2014 10

Lio Marin, procurador-geral do Ministério Público Estadual, foi ontem até a Assembleia Legislativa entregar ofício à CPI da Casa Rosa em que disponibiliza o acesso às contas de todos os depoentes do MP na comissão, inclusive as dele. Depois, conversou com este Visor e reiterou que todas as informações sempre estiveram disponíveis, demonstrando tranqulidade ao comentar os questionamentos.

Um dos pontos que chamou a atenção, de acordo com os integrantes da CPI, foi a diferença entre o que foi acordado com a construtora Becker e o valor final do contrato . Em um intervalo de 16 meses (junho de 2012 a novembro de 2013), a empresa apresentou três propostas ao MP, com reajuste de R$ 27,9 milhões a mais entre a segunda e a terceira oferta (que acabou sendo aceita).

A primeira tentativa foi prevista para um terreno na Rua Pedro Ivo, ao custo de R$ 179 milhões, mas logo foi descartada por extrapolar o orçamento. A segunda oferta, já no terreno da casa rosa na Bocaiúva, veio dia 17 de setembro de 2012. O valor baixou para R$ 95,4 milhões em uma área a ser construída de 21 mil metros quadrados. Uma semana depois, MP já dava parecer favorável à negociação.

Em 19 de novembro de 2013, pouco mais de um ano depois da segunda oferta, a mesma Becker Construção Civil Ltda protocolou uma terceira proposta junto ao MP-SC. A negociação trata do mesmo prédio comercial, no mesmo endereço (terreno da Rua Bocaiuva), com características similares e com a mesma área a ser construída, mas com o valor reajustado para R$ 123,4 milhões.

O procurador-geral do MP diz que a variação se deu por conta das exigências feitas em relação ao projeto original do prédio que seria basicamente de salas comerciais. Ao ser destinado ao Ministério Público, uma série de alterações foram feitas no projeto com a instalação, por exemplo, de auditório, além de toda a acessibilidade, o que acabou provocando alteração nos valores finais.

Leia mais:
::: Reta final da CPI da Casa Rosa

comentários

Comentários (10)

  • Luis diz: 12 de novembro de 2014

    Conta particular com valores na casa dos milhões???

  • Leo Bitter diz: 12 de novembro de 2014

    Brincadeira tem hora né.
    Coincidência ou não hoje adorei a devassa na PMF e CMF, é vereador pulando pela janela par não ser preso: será que teremos a segunda operação ave de rapina da Policia Federal, ali pertinho da beira-mar.
    Tô na torcida.

  • Fernanada diz: 12 de novembro de 2014

    Luis, vá estudar e aprender a ler antes de falar besteira.

  • Gustavo diz: 12 de novembro de 2014

    Mesmo descontando o valor do terreno, o valor do m² do prédio estaria na casa dos R$4.000,00/m². De acordo com a tabela do CUB, este valor seria pelo menos 3 vezes maior que uma construção similar. Alguma coisa nesta história não fecha.

  • Jorge diz: 12 de novembro de 2014

    Do que adianta a PF prender esses corruptos, se o Judiciário deixa prescrever como foi com a Moeda Verde? Precisamos de uma força-tarefa pra que não vire pizza essa grande operação também.

  • Lucia diz: 12 de novembro de 2014

    Um prédio naquela localização, com o tamanho e uma casa tombada, dá licença! Vão encher o saco de outras pessoas. Os próprios “investigadores” da CPI, alguns deles, estão respondendo processo por improbidade administrativa. E a criatura que pensa que os valores acima citados se referem às contas dos envolvidos na compra do prédio, o que é isso? Só pode ter algum problema de retardo mental, com todo respeito a quem possui algum retardo real.

  • Joao Silveira diz: 12 de novembro de 2014

    Que eu saiba numa região em que os apartamentos de 100 a 300 m² custam entre 1 e 2 milhões, esse valor aí pra construir um prédio inteiro de 21 mil metros quadrados não está tão fora da realidade assim…
    O que se pode discutir é a localização, porque um lugar tão caro. Mas como é do lado da sede atual, usa-se a conveniência.

  • Luiz A diz: 12 de novembro de 2014

    Gente isto tem que ser investigado e muito bem, pq tem tudo para ser mais um caso de corrupção e embolso de comissões ilícitas.Em Jurere Internacional , aquelas mansões de lá saem por R$3.500,00/m2 com o terreno.Este prédio comercial esta saindo por R$6.000,00/m2.Pode? Não , não pode. A construtura superfaturou e alguém do MP esta levando uma beira com certeza. É só investigar.Este negócio não resiste a uma pericia.E isso de colocar as contas particulares para ser investigada é só uma cortina de fumaçã.É claro que o dinheiro sujo foi desviado para contas de laranjas, pagos em dólar e levados para o exterior. É dinheiro grosso . A população não aguenta mais tanta corrupção.O povo brasileiro esta doente.

  • Luis diz: 12 de novembro de 2014

    Martini, acho que a força-tarefa bem remunerada e empregada foi acionada para manifestar apoio aos patrões.
    Fernanada, minha filha, vai tu estudar o funcionamento dos tribunais, do MP em país decente e ver o recato, a sobriedade, a dignidade de bons FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS. A tua piscina esta cheia de ratos, tuas idéias…

  • Celso diz: 13 de novembro de 2014

    Queremos Hospitais e Escolas públicas decentes padrão esse palácio que querem enfiar goela abaixo do povo. Espero que a CPI Aborte a construção desse palácio. Somente assim a CPI terá valido a pena.

Envie seu Comentário