Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Servidores do Judiciário prometem protestar contra a demora na aprovação do Novo Plano de Cargos e Salários

27 de março de 2015 12

Servidores do Judiciário prometem reunir cerca de mil pessoas em frente ao TJ-SC na próxima terça-feira para protestar contra a demora na aprovação do Novo Plano de Cargos e Salários, que está nas mãos dos magistrados desde novembro de 2014.

::: Leia mais notícias sobre a Grande Florianópolis

Alegam que existe dois ritmos no tribunal: um para analisar recursos administrativos referentes aos retroativos que incidem nos próprios salários, quando os desembargadores são velozes com uma lebre. Mas quando o assunto é a remuneração do funcionalismo, viram tartarugas.

comentários

Comentários (12)

  • Marcelo diz: 27 de março de 2015

    Corrigindo: o processo do NPCS tramita desde 2011.
    Se fosse do final de 2014, a situação não estaria nas condições atuais.

  • Paulo diz: 27 de março de 2015

    Fora que não precisa nem de lei para aprovar os intermináveis retroativos, basta ato administrativo, o que segundo os próprios não poderia, (pros outros), já pro servidores alguém vai dizer que é necessários “mais” estudos pra dizer que não tem orçamento e arquivar e logo em seguida aprovar rapidinho mais um retroativo milionário e suspeito.

  • Matheus diz: 27 de março de 2015

    Fora os vários anos sem reajuste real, um dos piores salários para as categorias do país (tanto pra técnico quanto para analista), tem orçamento para implantação de tudo isso, porém esse orçamento é reservado para as demandas administrativas dos juízes e desembargadores, que por ano recebem até o 19º salário, entre abonos e “atrasados” que vivem inventando para eles próprios! O NPCS é a ponta do iceberg, dentre tantas demandas da categoria.

  • Jorge diz: 27 de março de 2015

    Para pagar os infindáveis “atrasados” dos Juízes, que, se realmente existentes, já estão prescritos a priscas eras, o orçamento é infinito, o céu é o limite. Lei de Responsabilidade Fiscal? Esqueça.

    Já para fazer o mínimo de justiça aos servidores, de cujas proezas colhem os louros, a desculpa do curto orçamento.

  • Marcos diz: 27 de março de 2015

    Para os Magistrados em meia hora de reunião já está tudo aprovado, publicado e com efeito retrotativo. Para os servidores marcam reunião para combinar quando será a próxima reunião, para depois formar uma comissão para agendar novas reuniões. Depois das intermináveis reuniões e estudos vai para o Presidente, para agendar reunião no Pleno, onde sempre há um pedido de vista, como se os Desembargadores que lá estão tivessem ingressado no TJ um dia antes e não tivessem conhecimento de nada.

  • Alexandre diz: 27 de março de 2015

    Amigo Rafael Martini, cabe esclarecer que o projeto de plano de carreira está pronto a mais de 05 (cinco) anos.
    A promessa passou pela gestão dos então presidentes do TJSC, des. Trindade e des. Cláudio Dutra. Este chegou a publicar no sítio oficial do Tribunal, à época, que o plano de carreira era irreversível, pois constava inclusive aprovado pelo Conselho de Gestão, órgão do TJ.
    Contudo, na sequência, ao invés de aprovado pelo Tribunal Pleno, foi arquivado.

    Consigna-se, ainda, conforme dados do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, que o judiciário catarinense está entre os mais produtivos do Brasil, considerando quantidade e qualidade.
    Noutro norte, infelizmente, a remuneração desses servidores é uma das menores comparadas com todos os tribunais dos outros estados.

    Veja, a remuneração dos servidores é baixíssima! Já os ganhos de suas excelências, esses, são vultuosos.

    Querendo, basta consultar, é público.
    Só de gratificação por auxílio moradia, mesmo tendo casa própria na região de trabalho, percebem uma pequena fortuna, que variam de R$3.235,58 a R$4.377,73.

    Vejam o mês de fevereiro/2015, a remuneração média passa de R$ 60.000,00! Isso mesmo, SESSENTA MIL REAIS!

    http://app.tjsc.jus.br/consultarendimentos/consultarendimentos.action

    Presidente do TJ:
    http://app.tjsc.jus.br/consultarendimentos/consultarendimentos!mostrarindividual.action?matricula=1469&ano=2015&mes=2

    Repito, é norma do CNJ, a remuneração é pública!

  • Gabriel diz: 27 de março de 2015

    Concordo com o jornalista. O salário dos servidores do judiciário catarinense está defasado. Não acompanhou os índices inflacionários dos últimos tempos. Dinheiro tem, só que mal distribuído. Virou um grande Feudo, onde os “amigos do rei” ganhando gratificações e verbas atrasadas, auxílio isso e aquilo com a maior facilidade, enquanto os servidores que estão ralando nos Cartórios estão ficando proves. É a crise das instituições inclusive aquela que deveria ser simbolo da Justiça.

  • Liliane diz: 27 de março de 2015

    O judiciário catarinense é o 4º mais produtivos do País e o 14º em salários para os servidores. “Já a magistratura segue em franca expansão e poderá dobrar seus ganhos com a aprovação do novo Estatuto da Magistratura, que altera a Lei Orgânica da Magistratura (Loman) que será votado em breve. Estamos a anos sem ganho real, somos a classe mais mal remunerada do estado, ( os servidores é claro) pois é só olhar na página do TJ, na transparência o nome de algum juiz conhecido pra ver o quanto ganham de gratificações todos os meses. O auxílio moradia deles é maior que nosso salário.

  • Servidor diz: 27 de março de 2015

    É engraçado como nunca a imprensa fala NADA sobre pagamentos milionários, incessantes, intermináveis de retroativos da magistratura. Porque será, se basta um simples acesso ao portal da transparencia?

  • Linda diz: 30 de março de 2015

    sem contar que ainda o presidente do TJ cortou a verba de auxilio alimentação aos seus servidores aposentados, que hoje estão na miséria, abandono e descaso total com os aposentados que deram uma vida inteira ao TJ, graças à eles hoje o judiciário está entre os melhores, e o que ganham? Cortes e mais cortes….a disfunção que está à mais de 12 anos parada e não fazem nada!!!! O presidente do TJ se finge de cego só ve os magistrados, como se não existisse mais servidores, enquanto isso os menos favorecidos são esmagados pela mãos de juízes que adianta dar mais 30% para quem tem curso de direito de uma bolsa de 100% para quem quer cursar?Não pensam em quem está prestes a se aposentar?Ter que trabalhar mais 10 anos no TJ para pagar os estudos? Isso é justiça?Só sujeira varrida embaixo do tapete….

  • Raquel diz: 30 de março de 2015

    Triste também foi o corte do auxílio alimentação dos aposentados, que cortaram rapidinho.

  • Pablo diz: 31 de março de 2015

    A forma como a turma da corte trata os servidores é vergonhosa, especialmente se comparada ao tratamento a si própria. Para eles, tudo e mais um pouco, para os pobres, chutes e pancadas. Vejam a diferença com que são tratados os funcionários federais (melhor estrutura, maiores salários etc.).

Envie seu Comentário